Dicas Para Aprender Inglês

10 Piores Tipos de Estudantes de Inglês

Abaixo listo os 10 tipos de estudantes de inglês que há no Brasil. Eu espero que você não se identifique em nenhum deles. Caso isso aconteça, recomendo que reflita um pouco sobre suas atitudes como estudante de inglês e faça algo para mudar.

Eu sei que a lista poderia ser maior. Mas, acredito que os 10 tipos listados abaixo já são o suficiente para fazer muita gente pensar sobre como estão encarando essa coisa de aprender inglês. Vamos à lista!

1. O APRESSADO

apressado

Esse é aquele que acha que vai aprender inglês da noite para o dia. Ele vive em busca da fórmula milagrosa para aprender inglês em um passe de mágica. O apressado é o tipo preferido dos cursinhos de inglês mágicos (aprenda inglês em 3 meses) – seja os online ou físicos. Se ele encontrar um curso para aprender inglês em 30 horas, ele desembolsa a grana e nem questiona nada! O que ele quer é conhecer o segredo para ir dormir à noite e acordar no dia seguinte falando inglês. Aos apressados eu recomendo a leitura da dica Como Aprender Inglês em 1 Ano.

2. O PULA-PULA

pula-pula

O pula-pula vive pulando de um curso de inglês para outro. As razões para ele mudar são várias: status, o professor não presta, o cafezinho da escola não era bom, a recepcionista não sorria muito, o método não era bom, a estrutura da escola não era satisfatória, os colegas de classe eram chatos. Enfim, o pula-pula usará qualquer desculpa para continuar indo de uma escola para outra.

3. O GRAMÁTICO

grammar-guy

Esse fica atento aos erros gramaticais que os outros cometem. Quando ele pesca o erro de alguém, ele se realiza. Para ele o erro alheio é motivo de felicidade, prazer, gozo. O curioso é que o gramático nem sempre fala muita coisa na sala de aula. Sabe por quê? Porque ele erra também. Mas, para evitar o vexame, ele fica caladinho e só abre a boca depois de passar a frase dele pelo crivo gramatical mental dele mesmo. Enfim, a humildade dele (se é que tem alguma) fica sempre fora da sala de aula. Dica recomendada: Regras Gramaticais do Inglês: Ajudam ou Atrapalham.

4. O DICIONÁRIO AMBULANTE

dicionário ambulante

O passatempo favorito do dicionário ambulante é decorar palavras. Ele não faz outra coisa a não ser decorar listas e mais listas de palavras. Quando alguém quer dizer algo em inglês e faltam as palavras, o dicionário ambulante se enche de pompa e ajuda a pobre alma desesperada. O dilema do dicionário ambulante, no entanto, é que ele é incapaz de bater um papo em inglês. Embora ele tenha um excelente vocabulário, ele não consegue participar muito bem das atividades comunicativas. Dica Recomendada: Aprender Palavras em Inglês: Indo Além do Básico.

5. O ACUMULADOR

acumulador

Esse salva tudo quanto é site que encontra. Ele passa horas na internet procurando livros para download. Ele baixa de tudo: gramáticas, dicionários, atividades, programas, aplicativos para celular, sites para conversar com gringo, dicas, etc. Alguns acumuladores também se enchem de livros: dicionários, gramáticas, livros de expressões, phrasal verbs, gírias, palavrões, preposições e o que mais der para comprar (ou imprimir). Ele tem muita coisa, mas não usa quase nada. Afinal, para ele o importante é ter (dizer que tem!) materiais, já fazer uso é outra história. Dica para acumuladores: Quer aprender inglês!? Não seja um acumulador.

6. O SEM RUMO

sem-rumo

O sem rumo acha que sabe o que quer, mas vive perdido indo de um lado para outro. Ele não se organiza, não estabelece objetivos, não cria roteiros de estudos… Falando em roteiro de estudos, ele vive procurando um, mas quando encontra é incapaz de entender o que está sendo dito. Enfim, ele até sabe que quer chegar em algum lugar; só não sabe ainda bem qual é o local e como fará para chegar lá. Ele vive em busca de um como, mas ainda não sabe nem para onde vai. Dicas para o sem rumo: Por onde começar os estudos de inglês.

7. O FONETICISTA

foneticista

Sabe aquele seu colega que corrige a pronúncia de todo mundo? Ou aquele que evita falar inglês pois tem medo de pronunciar beach achando que é bitch? Esse é um foneticista. Ele é tão fissurado em pronúncia que tem prazer em esculachar a pronúncia errada dos outros. O negócio dele é falar inglês como um americano ou um britânico. Para ele todo mundo tem de ser um falante nativo, do contrário é melhor nem abrir a boca. Quando ele pega um erro de pronúncia, entonação, ritmo no inglês de alguém, ele sente um tesão inexplicável. Pois é onde ele se realiza. A dica que recomendo para o foneticista é a leitura da dica Pronúncia x Sotaque: qual a diferença.

8. O DESESPERADO

desesperado

Esse é aquele foi chamado para uma entrevista de emprego na semana que vem e precisa aprender inglês ontem. O desesperado costuma achar que professor de inglês é alquimista, bruxo, macumbeiro, deus, etc. Pois, ele só vai atrás de aprender inglês quando não dá mais tempo. Aí o desespero bate e ele vai atrás de qualquer coisa que o ajude a aprender em um estalar de dedos. O desesperado é também aquele sujeito que vai fazer uma prova de mestrado/doutorado daqui três meses. Ou que daqui duas semanas viajará a trabalho para algum lugar onde o inglês é falado. Ou aquele que vai fazer uma prova de proficiência para conseguir uma bolsa de estudos no Ciência sem Fronteiras. Enfim, o desesperado é quase um apressado. A diferença é que o desesperado precisa aprender ainda mais rápido do contrário ele está perdido na vida.

9. O ESQUECIDO

esquecido

Eu estudo, estudo, mas esqueço tudo.” Essa é fala principal do esquecido. Não tem jeito! Ele sempre esquecerá aquilo que estuda ou que foi explicado. É como se a memória dele apagasse tudo o que estuda em inglês. O que o esquecido não percebe é que ele só estuda inglês por causa de motivos externos. Não é algo que ele quer, mas sim que os outros querem. Assim, como ele não estuda por interesse próprio, o cérebro não retém as informações. Isso faz com ele esqueça mesmo tudo.

10. O DESCRENTE

descrente

O descrente tem umas frases interessantes: “Eu nunca vou aprender essa língua“, “Eu estudo inglês há anos, mas não aprendo nada“, “Eu já tentei de tudo e continuo aqui tentando“. Devido a sua coragem em continuar, o descrente merece nosso respeito e admiração. Ele é um exemplo do brasileiro que não desiste nunca. Embora mereça nosso respeito, temos de ter medo dele. Pois, ele entra na guerra já achando que vai perder. Quando o descrente decide recomeçar os estudos de inglês, ele não está dando uma chance a ele mesmo, ele está dando uma chance à nova professora. Afinal, é essa profissional que deverá se virar para mostrar ao descrente que ele é capaz. O descrente deveria procurar um psicólogo antes de procurar uma teacher of English.

CONCLUSÃO

Estou aqui torcendo para você que leu até o final não seja nenhum dos tipos descritos acima. Se for, paciência! Eu acho que ainda tem conserto. Não se desespere. Pense nos contrários do que você leu acima e mude suas atitudes.

That’s all for today! Já escrevi demais para uma dica só! Então, é hora de colocar o ponto final.

Etiquetas
aprender inglês sozinho dicas para aprender inglês

17 Comentários

  1. Eu me encaixo em vários casos desses… = Resultado: tenho até um vocabulário razoável, leio bem e escrevo razoalvemente, mas tenho sérios problemas para me comunicar: vergonha, medo de errar a pronúncia, medo de errar a gramática, de não compreender meu interlocutor, medo de “dar o branco” e de faltar as palavras certas. Tenho muito material bom acumulado, tantos que não decido por qual começar, ou quando inicio algum, não consigo me manter nele… =(
    Tenho vários amigos fluentes, o que me envergonha um pouco, mas meu maior medo, de fato, é de ter problemas em alfândegas e, principalmente, encarar uma entrevista de emprego em inglês, o que acaba me dando um certo receio de viajar para o exterior e, inclusive, já me impediu de tentar algumas excelentes oportunidades de emprego.
    Desculpe o desabafo, mas acho que várias pessoas tem os mesmos receios e talvez seja bom saber que elas não são as únicas com esses problemas.
    Obrigado pelas dicas Prof. Denilso, vou ver se consigo estabelecer melhor meus objetivos ao invés de ficar pulando de curso em curso, tutorial em tutorial, sem rumo definido, gastando dinheiro e continuando sempre com a mesma insegurança no inglês.

  2. Ufaaa!!!! Escapei…. valeu Denilson pelas dicas sempre interessantes
    que tem para nós, humildes mortais (rsss) batalhando para aprender esse
    idioma que com certeza, abre “N” portas.
    Continue assim.
    Valeu mesmo pela ajuda.
    Forte abraço.

  3. Muito bom Denilso, direto e reto ao que interessa, para ajudar as pessoas a refletir, realmente não existe almoço grátis.
    Também me identifiquei com alguns destes tipos, mas não vou entregar (hehehe). Mas foi ótimo para refletir sobre meu empenho nos estudos.
    Obrigado

  4. há um bom tempo acompanho seu site, obrigado, me ajuda muito mesmo!
    nunca comentei, mas hoje não teve como…tinha que comentar
    como esse post veio a calhar! parece que vc estava me espionando todos esses dias e resolver me denunciar hahahaha

    o 1, 4, 5, 8 e 9 me descreve perfeitamente 🙁
    mas se vc citou quer dizer que isso não é bom né, procurarei mudar…
    tks

  5. Denilso, tudo bem?

    Excelente texto. É brincando que a gente fala as verdades… 😉

    Abraços

    1. Grande Mestre Ulisses! Obrigado pela visitinha aqui! Realmente é brincando que a gente fala as verdades! rs

      Take care, pal! 🙂

  6. Boa, Laís! Vou escrever! Afinal, o pessoal que é o oposto dos piores tipos de estudante também merecem ser mencionados! Aguarde!

    🙂

  7. wow, that’s great I’ll never 4get this… thank u so much!

  8. Olá, Vitor! Vários são os problemas. Mas, eu ainda acho que muita gente corrige sem conhecer a língua inglesa (pronúncia) de modo mais generalizado. Por exemplo, há nos EUA e no Reino Unido falantes nativos da língua inglesa que pronuncia o TH como F. Isso faz parte das mudanças naturais pelas quais as línguas passam e sendo o inglês uma língua viva é natural que no futuro o som do TH mude de modo geral. Enfim, fatos da língua. 🙂

    1. Sim, em dialetos como irish English e african american isso é de fato o padrão, mas não dá ninguém o direito de “corrigir” os outros, principalmente se o corrigido estive falando com a pronouncia padrão! Há tambem a questão da escolha, tem inglês de todas as formas e gostos ao redor do mundo mas quando um estudante abre a boca eu duvido muito que a intenção dele seja falar como um irlandês ou um singapurense

      1. Acho que, para um brasileiro, ser fluente em inglês com a pronúncia de um irlandês ou de um singapurense está ótimo.

  9. “O desesperado costuma achar que professor de inglês é alquimista, bruxo, macumbeiro, deus, etc.” morri… kkkkkkkkkkkkkk muito bom

  10. Ufa, acho que não sou nenhum deles. Pelo menos ninguém nunca me disse nada.

  11. Acho que todos temos um pouco de isso, sempre, cabe escolher certo onde vamos estudar com que vamos estudar e de que maneira, para isso existem bom profesores que ensenan, descobrem e motivam a os alunos, todos somos alunos e semtimos dificuldades, a pergunta é: cómo podemos transformar essas cosas negativas em positivas… Sim podemos!, sim podemos canalizar isso, esta claro e estudado que todos podemos chegar a falar nao só mas uma linguas si nao muitas, cómo? galeira, Canalizar todas essas tipos de alumnos ao lado positivo.. por exempro: aluno tipo 1:Se o aluno é aprezado podesse fazer com que ele se apreze a estudar verbos irregulares desde o inicio do curso: fazemdo tarefas de soletreo (spelling) e assim vai, na minha opiniao é; no o aluno que tem que saber qual destes tipos de pessoa é, mas sim ao professor.
    ps: perço descupas pelo meu portugues.

  12. Well Denilso I think really you’re right , because I meet a lot of people like that. I think I’m kind of student anxious and hasty , Because I want to learn english but I want to learn everything at the same time . I hate be like that . Now I’ll hear your advice and I’ll change this situation. Thanks very much!

Botão Voltar ao topo
Fechar