Pronúncia do Inglês

Sobre Pronúncia e Sotaque em Inglês

Em algumas dicas publicadas aqui no Inglês na Ponta da Língua, disponibilizo um arquivo de áudio. Nele, gravo a pronúncia de uma palavra, de uma expressão, de uma sentença etc. O objetivo, claro, é ajudar quem acompanha as dicas que publico por aqui e assim colaborar mais com o aprendizado de todos.

Então, eis que recentemente, compartilhei uma dessas dicas no Facebook e uma pessoa, após ouvir o áudio, deixou o seguinte comentário: “Que sotaque ridículo!”. Para ser bem sincero, Eu não me incomodo com esse tipo de comentário; portanto, agradeci a pessoa e segui na vida. Mas, mesmo assim decidi escrever algo sobre pronúncia, sotaque e atitudes como a da pessoa que deixou o gentil comentário. Esse é um assunto que, em minha opinião, Então, vamos por partes!

[Leia também: Por que brasileiro não aprende inglês?]

O que é pronúncia?

De modo simplificado, pronúncia tem a ver com os sons das palavras: o modo como as palavras são ditas. Nada mais do que isso!

Pronúncia e SotaqueAssim, ao lidarmos com pronúncia, temos de aprender os sons da língua inglesa. Um jeito fácil para dominar isso, é aprendendo o Alfabeto Fonético Internacional (International Phonetic Alphabet – IPA). Para exemplificar, vamos ver a pronúncia da palavra “interesting”.

Com a ajuda de um dicionário, notamos que “interesting” tem a seguinte pronúncia: /ˈɪntrəstɪŋ/.

As barras (/) servem para indicar que estamos nos referindo à pronúncia da palavra. O sinalzinho (ˈ) antes de ɪn indica que a sílaba tônica é “in”. Os símbolos – ɪ, n, t, r, ə, s, ŋ – mostram os sons que formam a pronúncia da palavra.

Quem estuda pronúncia, aprende justamente isso: identificar, entender e reproduzir cada um dos sons da língua inglesa e como juntá-los para formar sílabas, palavras e, até mesmo, sentenças.

Quando você pergunta como se pronúncia uma palavra em inglês, a resposta é dada levando em conta os sons que compõe aquela palavra. Isso é pronúncia.

[Aprenda mais sobre os sons da língua inglesa com o ebook Pronúncia Básica do Inglês]

O que é sotaque?

O que é sotaque?Sotaque é algo bem mais amplo. Assim, para falar sobre sotaque, vamos usar nossa querida língua portuguesa como exemplo.

Como você bem deve saber a língua portuguesa é a língua oficial de nove países: Brasil, Portugal, Moçambique, Angola, Guiné-Bissau, Timor-Leste, Guiné Equatorial, Macau, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe.

Se você assistir a um programa de TV lá de Portugal, notará que o jeito como eles falam é bem diferente do jeito como falamos aqui. Isso mostra que o sotaque de cada país é diferente. As palavras – em vários momentos – podem ter a mesma pronúncia, mas o sotaque não é o mesmo.

Agora vamos ficar apenas dentro do Brasil. Aqui falamos português! No entanto, meus leitores soteropolitanos têm um sotaque (jeito de falar) diferente de meus leitores gaúchos. Os leitores mineiros têm um sotaque diferente dos leitores manauaras. O interessante é que dentro de um único estado (ou mesmo cidade) podemos ter diferentes sotaques.

Enfim, no Brasil falamos uma só língua, mas temos vários sotaques (jeitos de falar). Esse vários jeitos de falar são como os vários temperos que dão sabor à língua.

Acho que você já entendeu a diferença entre pronúncia e sotaque. Então, só para resumir, pronúncia está no nível dos sons, sílabas e palavras. Já o sotaque vai no jeito de colocar tudo junto. A pronúncia pode ser quase homogênea, já o sotaque não; pois, ele – o sotaquereflete aspectos culturais, históricos, sociais e outros tantos fatores que influenciam o modo como as pessoas usam a mesma língua em diferentes locais.

Que sotaque ridículo!

Diante do que você leu sobre sotaque, eu pergunto: qual é o sotaque do Brasil? Quem decide qual é o sotaque mais ridículo ou o mais bonito de todos?

Não sei você! Mas, para mim, essa escolha é muito pessoal. Eu posso adorar o sotaque falado pelos baianos que moram na região de Paulo Afonso; mas, posso não gostar do sotaque dos baianos que moram no sul da Bahia. Posso dizer que odeio o sotaque do gaúcho de Frederico Westphalen (RS), mas posso amar o sotaque dos gaúchos de Santa Maria.

Essas escolhas são pessoais. Minha escolha (preferência) não torna um sotaque melhor que outro. Não torna o meu jeito de falar (sotaque) melhor que o seu. Todos os sotaques têm sua beleza, mas podemos ter nossas preferências.

Ao aprender inglês, as pessoas esquecem disso. Creio eu que pela ignorância intelectual, pela falta de conhecimento ou mesmo por se acharem superiores aos outros. Ao longo dos meus mais de 20 anos como profissional de ensino de inglês, encontrei muitos estudantes e professores de inglês com o terrível hábito de julgar e criticar o jeito dos outros falarem inglês.

A pessoa aprende a falar inglês morando na Austrália e aí começa a achar que o sotaque dos outros é ridículo. Como ele aprendeu na Austrália, o cara que está aqui no Brasil tem um jeito ridículo de falar inglês. “Só o que presta é o que eu prefiro ou acho melhor, os outros são lixo!“, dizem.

EnglishesInfelizmente, esse tipo de comportamento é bem típico do brasileiro. Experimente ouvir um coreano falando inglês. Ouça um russo falando inglês. Que tal um italiano? Um chinês? Um mexicano? Enfim, nos outros países as pessoas estão preocupadas em se comunicar em inglês e não em atingir o nível ultra hiper mega super blaster da pronúncia e do sotaque. Só aqui no Brasil, algumas pessoas têm essa mania terrível e idiota de achar que sotaque A, B, C ou D é ridículo. Esse comportamento é ainda muito pior quando parte de um professor de inglês (quando vejo isso, logo concluo que a pessoa não é bem um professor profissional, é apenas mais um aventureiro arrogante que se acha o dono da verdade!).

Eu falo inglês quase que diariamente com americanos, britânicos, australianos, canadenses e irlandeses. Todos entendem perfeitamente o que digo e não se preocupam com o meu sotaque (que de acordo com eles não tem nada de errado, feio, ridículo, estranho, patético). Para eles, o importante é a comunicação. O principal é se fazer entendido e entender. Acredite, os falantes nativos estão muito mais interessados na comunicação do que em avaliar seu sotaque como ridículo ou não.

O que isso tem a ver com você?

Para entender, responda as seguintes perguntas: O que faz com que seu sotaque (jeito de falar) inglês seja ridículo? Quem dita as regras do ridículo? O que é o ridículo?

Como profissional na área, o que eu tenho a dizer é que você está aprendendo. Portanto, está melhorando a cada dia (Eu também procuro melhor a cada dia!). Hoje você pode ter várias falhas ao falar inglês. Você pode estar ciente delas e, portanto, está fazendo de tudo para superá-las. Ótimo! Parabéns! Garanto a você que em 30 dias você estará bem melhor do que está agora! E em 1 ano estará muito melhor do que estava um ano atrás. Você vai melhorar sua pronúncia, seu vocabulário, sua gramática e, claro, reduzir seu sotaque.

Mas, lembre-se: seu sotaque brasileiro ao falar inglês poderá ser reduzido com muito esforço; mas, você nunca o perderá. Acredite: um dia ou outro – por melhor que você fique nesse negócio de falar inglês! – algo fará com que você seja descoberto. Portanto, preocupe-se em falar inglês com menos erros gramaticais possíveis. Amplie seu vocabulário (uso correto e natural das palavras). Aprenda a pronunciar bem as palavras. Envolva-se com a língua inglesa em todos os sentidos. Comunique-se. Procure sempre melhorar!

Seu sotaque é sua marca registrada. Seu jeito de falar. Sua identidade. Sua alma. Seu espírito. Seu eu. Não se desespere tentando falar inglês como um americano ou um britânico. Comunique-se! Afinal, como diria o saudoso Abelardo Barbosa, vulgo Chacrinha, “quem não se comunica se trumbica”. Não se incomode com as críticas e siga feliz da vida aprendendo e melhorando cada vez mais. E quando alguém falar que seu sotaque é ridículo, sorria e diga à pessoa que você ainda está melhorando; já ela… Bom, ela ainda precisa melhorar bem mais! ?

Etiquetas
aprender inglês melhorar a pronúncia pronúncia do inglês

18 Comentários

  1. What a wonderful post! Denilso, when will you post more videos on youtube? You’ve been off in the channel for almost a month. XO!

    1. Valeu, Ueritom! Estamos aqui fazendo o possível para ajudar a galera e, claro, romper os velhos paradigmas e mitos! 😀

  2. Denilso, só vim comentar aqui porque não queria passar o dia todo aplaudindo seu post sensacional. 🙂
    Você é o cara!!

  3. Dizer que o sotaque de alguém é ridículo equivale a criticar alguém pela cor da pele ou tipo de cabelo. Realmente não faz sentido algum. Você pode apontar erros na pronúncia utilizando como critério objetivo a forma correta, mas daí dizer que o sotaque dela ou que o sotaque X; é feio ou bonito, não passa de subjetividade. O que você acha maravilhoso eu posso achar simplesmente abominável e vice-versa. E digo mais: gostos mudam. Nossos ouvidos são extremamente inconstantes.

    Belo post, Denilso. Ignorância sendo combatida como deve ser.

    1. Essa é a proposta, Raphael! Fazer com que as pessoas percebam que essa coisa de certo ou errado em sotaque é algo irreal e imbecil. Enfim, combatendo essas velhas ideias e paradigmas. 😉

  4. Parabéns! ! Pelo post e pela dedicação de sempre e orgulho de ensinar o Inglês. Curto muito suas explicações e que Deus continue lhe abençoando e nos aprendendo. Obrigado!!

  5. E um gringo falando “São Paulo” ? Sai um négocio assim: “sáu paulu” . Ou seja, um gringo que aprende português não se importa com a maneira que ele pronuncia desde que seja entendida a mensagem e pior, sempre tem um brasileiro que fala que o gringo fala bem que está tudo certo mas quando escuta um brasileiro falando em inglês é o primeiro a cobrar a pronuncia/sotaque igual a um nativo. Como explicamos isso ? é a maldita mania brasileira de sempre achar que tudo no Brasil é ruim e o que vem de fora é melhor… nossa cultura sempre repercutio isso e tem gente nesse brasil que não percebeu e claro toda opinião/comentário desse tipo de brasileiro carrega esse estigma.

    1. Ai está uma coisa que sempre falo em minhas palestras e workshops, André. Brasileiro acha lindo americano tentando falar inglês. Brasileiro aplaude de pé um inglês que diz um “Muitou Obrrrrigadou!”. Brasileiro se desmancha em elogios quando ouve um estrangeiro tentando falar português. Brasileiro fica bobo ao encontrar uma gringa que estuda português (até acham que ela não deveria perder o tempo com isso!). Mas, a coisa muda completamente quando é um brasileiro falando inglês ou pelo menos tentando. Os que atingem um certo nível de fluência e se consideram superiores acham que os outros são ridículos e deveriam desistir de aprender. Enfim, vai entender esse povo! Como você bem disse, a velha mania imbecil de idolatrar o que vem de fora e demonizar o que está aqui dentro é entranhado em nossa cultura. Isso atrapalha e muito o aprendizado das pessoas e até mesmo a auto-estima daqueles que tentam. 🙂

  6. Perfeito!!!
    Eu tenho a experiência de ter contato diário há mais ou menos um ano, seja pessoalmente ou na maioria das vzs via telefone com americanos, pois trabalho em uma empresa americana e não sou de forma alguma fluente!!!
    E muitas vzs do outro lado da linha me compreendem bem, porém, tem vzs que tenho que repetir. Da mesma maneira que muitas vzs entendo na 1a vz, e outras tantas tenho que pedir pra repetir!!!Ou seja, converso, me faço compreender e sou compreendido!!!E isso ocorre tb qdo estou lá em cursos por exemplo…Sotaque!??! Sou brasileiro legitimo!!rsrsrs

    1. Esse é o espírito da coisa, Rodrigo! Comunicar-se em todos os sentidos é muito melhor do que se considerar incapaz por não falar igualzinho a um nativo. Muitos brasileiros se prendem nessa bobagem e desistem de aprender. Já você vai contra essa onda e certamente aprenderá muito mais do que a grande maioria por aí. Continue assim! 😀

  7. Congratulations! Realmente concordo com você, isso é pura ignorância, estou morando há um ano na Australia, converso com várias pessoas de diferentes nacionalidades, tem alguns difíceis de compreender e as vezes difícil de nós sermos compreendidos. Mas isso é realmente nossa identidade, devemos aceitar nosso modo de falar e dos outros.

    1. That’s it, Flávia! As pessoas muitas vezes se esquecem disso e acham que todos nós só saberemos falar inglês quando estivermos falando igualzinho a um americano ou a um inglês. Isso é bobagem! Claro que podemos melhorar, aperfeiçoar, corrigir, reduzir algumas coisas, mas nunca seremos iguais aos nativos. Podemos chegar bem perto; mas, não seremos uma cópia perfeita! rsrsrsrs

  8. É assim que se samba na cara de alguém, rsrs!! Lamentável como as pessoas não manifestam a opinião delas de forma educada e bem construída, ou simplesmente com um mínimo de argumento! Isso é mesmo necessário? SIM! Quando se faz uma crítica a alguém, SIM! E mesmo quando não, é bom pra praticar a educação. Principalmente quando é um profissional e não um amador. Mas depois de 529 mil pessoas zerarem a prova do ENEM, TUDO PODE ACONTECER!!

    PS: Eu amo o sotaque britânico como no game The Cat Lady! Só pra constar porque é muito bonito!

  9. Bom artigo.
    Um sotaque é o produto das características específicas que existem num local e
    evolui com tempo. Eu seria interessado saber como mudou o sotaque brasileiro ao
    longo do tempo porque suspeito que os brasileiros soem mais como brasileiros
    hoje de que nunca. Houve um período em que foi considerado mais educado ter um
    sotaque português? Vou dar um exemplo Australiano. Nos anos 1950 e 1960, alguém
    era considerado mais educado se falasse num sotaque quase británico. Quase
    todos os apresentadores televisivos naqueles anos iam falar neste sotaque híbrido
    nos programas oficiais. Acredito que isto se realizasse porque os Australianos
    ainda estavam a desenvolver o seu orgulho em serem Australianos. Quando vejo
    este tipo de filme hoje em dia, encolho-me em vergonha que não tinhamos o
    orgulho para ser quem eramos. Mas com certeza, toda a gente falava num sotaque
    pleno Australiano nas suas casas ou nas situações informais. Só tem sido nas
    últimas décadas que os políticos e os apresentadores televisivos começaram a
    falar num sotaque Australiano sem nenhum esforço para soarem mais británicos. Hoje
    em dia, os Australianos têm orgulho em serem Australianos e não se sentem a
    necessidade de mudar o seu sotaque quando falam, mas isto não foi sempre o
    caso.

  10. Excelente texto. Conheci o site em razão do vídeo da Carina Fragozo e a minha resposta para o sorteio de seus livros foi justamente sobre isso (em um vídeo ela comentou brevemente o tema). Eu tinha MUITA vergonha de falar inglês e tenho noção que ainda tenho muito a aprender, mas amigos estrangeiros que conheci me estimularam a falar e percebi que eles se importam muito menos com o sotaque que os meus compatriotas. É um comportamento muito infeliz do brasileiro e só desestimula que outras pessoas aprendam uma língua estrangeira. Espero que esse texto ajude a acabar com isto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar