Inglês Britânico

Inglês Britânico e Inglês Americano: diferenças e curiosidades

Inglês britânico e inglês americano! Inglês britânico ou inglês americano? American English ou British English?

Aí está um assim que procurar fugir, mas não consigo.

Afinal, vira e mexe as pessoas costumam me perguntar sobre as diferenças entre um e outro. Ou, – pior ainda – se um é melhor que o outro.

Portanto, vamos ver ser consigo falar sobre isso sem ser repetitivo. Afinal, precisamos conversa sério sobre essa coisa de inglês britânico e inglês americano.

Antes, porém, recomendo que após ler este artigo você leia também “O que é o International English?”. Esse assunto tem tudo a ver com o que vou escrever aqui.

Inglês Britânico e Inglês Americano: diferenças

Uma das perguntas que me fazem com muita frequência é a seguinte: “há alguma diferença entre o inglês britânico e o americano?”. 

Eu sempre respondo com outra pergunta: “há alguma diferença entre o português brasileiro e o português europeu (de Portugal)?”. 

Claro que há diferenças!

Como você bem deve saber, há diferenças até mesmo no português do Rio Grande do Sul e o português do Piauí.

Portanto, é mais do que óbvio que há diferenças entre inglês britânico e inglês americano.

Essa diferenças podem ser encontrada no campo lexical (vocabulário, palavras, expressões, gírias, palavrões, etc.), gramática (o uso dos tempos verbais, preposições, artigos, etc.), pronúncia (sons, sílaba tônica, etc.) e ortografia (o modo como as palavras são escritas).

Diferenças no Campo Lexical

O léxico (vocabulário) de um país (ou local) é influenciado por uma série de fatores: cultura, história, convivência com outros povos, observações do cotidiano e assim vai. 

Portanto, por mais que haja uma vocabulário comum entre o inglês britânico e inglês americano, é natural que algumas palavras, expressões, gírias, aforismos, provérbios e outros mais sejam comuns a uma variante mas não a outra.

Muitas vezes, isso pode causar boas gargalhadas. Mas, nada que impeça que se as pessoas se entendam após se explicarem.

Por exemplo, a palavra para calçada no inglês americano é sidewalk, já os britânicos preferem dizer pavementLift é como os britânicos se referem ao elevador; os americanos, por sua vez, chamam de elevator. Curiosamente, carona para os ingleses é lift, os americanos dizem ride. Tem ainda flatapartamento para os britânicos, e apartment para os americanos. Para os britânicos o termo é cookie, os americanos chamam de biscuit. O que faz lembrar da briga entre paulistas e cariocas: é biscoito ou bolacha?

No universo das expressões, as diferenças também são muitas. Afinal, o que é comum em um canto pode não ser em outro. Aqui, no entanto, é preciso entender uma coisa. Devido à globalização, algumas expressões de um canto são conhecidas em outro. Piece of cake é um bom exemplo. Essa expressão nasceu nos Estados Unidos. Porém, nos dias de hoje, o mundo todo a usa. Os britânicos criaram “it’s not my cup of tea“, uma expressão que praticamente o mundo todo também já sabe o que é.

Ainda assim, algumas expressões são comuns apenas em um canto. E dependendo de qual for, ela pode ser conhecida dentro de uma localidade apenas. Ou seja, no inglês americano podemos encontrar expressões comuns a um nova-iorquino que não são comuns a um texano.

Diferenças Ortográficas

Algumas palavras podem ser escritas de modo diferente entre um canto e outro. Humor, por exemplo, é como os americanos escrevem humour. Aliás, onde os britânicos costumam colocar -our, os americanos fazem questão de tirar o ue deixar apenas -or:

  • colour » color
  • favour » favor
  • behaviour » behavior
  • honour » honor
  • neighbour » neighbor

O mesmo vale para palavra terminadas em -re no inglês britânico que viram -er no americano:

  • centre » center
  • theatre » theater
  • metre » meter

Algumas dessas diferenças ortográficas sua fáceis de entender. Os americanos tem a tendência de simplificar o que os britânicos complicam. Por exemplo, por que escrever cigarette se podemos simplificar para cigaret? Ou, simplificar diskpara disc! Britânicos complicam ao escrever draught; americanos facilitam escrevendo apenas draftMachado para os americanos é ax; os britânicos escrevem axeJewellery é bijuteria para os britânicos, os americanos escrevem jewelry.

As que eu acho mais loucas são jail (AmE) e gaol (BrE), cujas pronúncias e significados são os mesmos.

Mas temos ainda:

  • moustache (BRE) » mustache (AmE)
  • plough (BrE) » plow (AmE)
  • skilful (BrE) » skillful (AmE)
  • cheque (BrE) » check (AmE)
  • archaeology (BrE) » archeology (AmE)

E outras tantas!

Diferenças Gramaticais

As diferenças gramaticais entre inglês britânico e inglês americano são coisas raramente mencionadas por aí. Algumas pessoas até acham que não há essas diferenças.

Entretanto, elas existem sim!

Por exemplo, quando você quiser dizer “eu acabei de…“, vai ter de pensar se quer falar como um americano ou um britânico. Geralmente, todo mundo aprende que o certo é “I’ve just…”. No entanto, tem se tornado comum nos Estados Unidos dizer apenas “I just…“. Ou seja, enquanto um prefere o Presente Perfect, o outro está começando a preferir o Past Simple.

Outra diferença gramatical está no uso do artigo definido the. Por exemplo, para dizer “no futuro” o inglês britânico prefere “in the future” e para dizer “de agora em diante” o inglês britânico usa também “in future”. Já no inglês americano tudo é resumido em “in the future”.

uso das preposições também pode diferir. É comum no inglês americano coloquial omitir a preposição antes dos dias da semana: I’ll see you Monday. Já no britânico o melhor é dizer “I’ll see you on Monday”. Os atletas britânicos podem “play in a team”; já os americanos, “play on a team”.

Enfim, gramaticalmente as diferenças são inúmeras. Em minha opinião, são essas diferenças que causam dor de cabeça em muita gente. Afinal, para o estudante que aprende via internet esse tipo de informação não está tão acessível e aí surgem inúmeras dúvidas e desesperos.

Diferenças na Pronúncia

Aqui temos um exemplo clássico que é a pronúncia de tomato. Os britânicos dizem /təˈmɑː.təʊ/ enquanto que americanos preferem /təˈmeɪ.t̬oʊe/. 

Mas, quanto mais nos envolvermos com cada variante, vamos perceber muitas outras diferenças. Algumas são fáceis de perceber. Outras nem tanto!

Algumas dessas estão em palavras como dueduketuneattitudenewnuclearenthusiasminstitute. Em todas elas, os britânicos pronunciam a letra u com o som /ju/ antes dos sons /d/, /t/, /n/, /s/ e /θ/. Já no inglês americano o som /j/ é deixado de fora ficando apenas /uː/.

Tem o caso de palavras como bottlebuttercitydaughterlettermeeting e outras tantas nas quais os americanos pronunciam o t com o som do no r em carocaretacara. No inglês britânico, o som é de /t/ mesmo.

No caso das sílabas tônicas, também encontramos diferenças. A palavra address para os britânicos tem a tônica em /əˈdres/, mas para os americanos está em /ˈæd.res/. Outro exemplo é a palavra weekend, cuja tônica para os britânicos está em /ˌwiːkˈend/, já os americanos pronunciam /ˈwiːk.end/.

Como aprender isso!?

Como você pode ver, as diferenças entre inglês britânico e inglês americano são realmente várias.

Logo, a pergunta é: como aprender isso?

Minha dica é a seguinte:

No começo dos seus estudos, aprenda inglês naturalmente. Não se preocupe muito com essa coisa de inglês britânico e inglês americano. Preocupe-se em aprender inglês dês modo geral. Aí, conforme você for aprendendo mais e mais, poderá sim se ater a essas diferenças e optar por uma variante que mais agrade a você.

Quando eu comecei a estudar inglês, eu me envolvi com o material que eu tinha. Eu pouco me importava se era americano ou britânico. Eu queria mesmo era aprender inglês.

Um dia, decidi fazer os exames de Cambridge. Assim, sabendo que o inglês era predominantemente britânico, eu me dediquei a aprender o inglês britânico padrão.

Mesmo enquanto me preparava para fazer esses exames, eu comecei a trabalhar em uma escola de inglês americano. Então, comecei a aprender as peculiaridades do inglês americano.

Dessa forma, eu aprendi as duas variantes e de acordo com a situação, eu usava uma ou outra. Com o tempo, devido ao contato maior com americanos, eu passei a ficar mais com o inglês americano. Mas, nada me impede de falar e escrever como um britânico.

Mesmo assim, quando surgem dúvidas, eu recorro aos dicionários para saber como é em cada variante.

Resumindo: aprenda inglês de modo geral; depois de um tempo, você optar por uma variante ou outra. Pode ser americano, britânico, irlandês, australiano, canadense, sul-africano… Há inúmeras variantes; portanto, escolha aquela com a qual você mais se aproxima.

That’s all for now guys! Take care and keep learning!

Etiquetas
Botão Voltar ao topo
Fechar