Pronúncia do Inglês

Pronunciation Tip: Avoid the Extra Syllable

Nesta dica a professora estadunidense (tem gente que se irritará se eu escrever americana!) Kristen Hammer dá uma dica bem legal de pronúncia. A dica é sobre aquilo que chamamos de vogal de apoio. Ou seja, muitos brasileiros ao pronunciar palavra como book, big e live tem a mania de colocar um “i” no final. Aí, ao invés de pronunciar de modo correto, eles acabam pronunciando: buquiii, biguiii e liviiii. Para entender melhor o assunto, leia a dica abaixo.

Ah! Para ficar ainda melhor e mais fácil. A professora americana (digo, estadunidense!) também gravou tudo em áudio. Assim, além de ler, você poderá também ouvir a dica e aprender muito mais. E só para você ver como nós do Inglês na Ponta da Língua nos preocupamos com o aprendizado de vocês, disponibilizamos os arquivos em formato PDF e MP3 para download gratuito. Legal, né!? Só não aprende quem não qué, por falta de oportunidade que não é. [O qué no lugar de quer foi proposital!] Chega de conversa e vamos à dica!

Pronunciation Tip: Audio

Pronunciation Tip: Texto

I’ve been teaching English in Brazil now for over 6 years. During this time, I would say that at least 80% of my students make the same error in pronunciation. If you are someone who makes this error, this tip will help you in not only improving your pronunciation, but will also help your communication skills in general.

In a nutshell, the error is adding an extra syllable to the end of many words. This extra syllable spoken always has the sound of the letter “E”. Examples are:

  • Big
  • Book
  • Ship
  • Wood
  • Knife
  • Live

Como Pronunciar Word e WorldIn these examples, ALL of the words have just ONE syllable. They all end with a consonant sound at the end. In Portuguese, words don’t end with these sounds, so the tendency for someone learning English is to simply ADD them! But this is a big error. Let’s look at each of the words:

  • Big (one syllable), not Big-EE (two syllables)
  • Book, not Book-EE
  • Ship, not Ship-EE
  • Wood, not Wood-EE
  • Knife (the K in the beginning and the E on the end are silent), not Knife-EE
  • Live (again the E is silent), not Live-EE

You see, when you speak with a native speaker of English, pronouncing this extra syllable not only makes it hard for them to understand, but it also “hurts” their ears. It makes the listener “tired” of listening and can affect communication.

This gets a little more complicated with the use of the consonants T and D. Not only does the student pronounce the extra syllable, but they change the whole sound of the consonant! the D sound becomes a “dzh” sound, and the T sound becomes a “tsh” or “ch” sound. Examples are:

  • Red
  • Out
  • Eat
  • Linked

Let’s go through these one by one:

» Red – is one syllable, not “Hedge-EE” The R sound we use is what some Brazilians call a “caipira R” (depending on what region they live in)

» Out – is one syllable with a stop consonant, not “Ouch-EE” (not only is this pronunciation wrong, it’s also a different word. “Ouch” is the sound we make when something hurts. Similar to your “ai” exclamation sound. (Leia: Sounds and Interjections in English). Ouchie is a [baby] word that a child uses to refer to his wound.

» Eat – is one syllable with a stop consonant. Not Each or Each-EE. Again, the word EACH is a different word altogether, and can cause problems in communication.

» And finally, Linked is also ONE syllable. The sound is /linkt/ (Leia: Pronúncia de -ED em Inglês) It is not pronounced “Link-edge”. I can almost guarantee you that if you talk to a native speaker and say the name of the popular social network “LinkedIn” with the pronunciation of “link-edge-eem”, they won’t have any idea what you are talking about! It is pronounced, /linkt-in/

As a side note, if the person is already familiar with a Brazilian accent, you’ll have a better chance at being understood.

Well, I hope this post helped clear things up! If you need more help with pronunciation or any other topic in English, I offer classes online. Feel free to contact me. Thanks!

Until next time!

» Entre em contato com a prof. Kristen Hammer pelos meios abaixo:

Pronunciation Tip: Download

Clique nos botões abaixo para baixar os arquivos dessa dica gratuitamente. Se gostou, curta nossa página no Facebook. Para isso é só clicar aqui.

Baixar MP3  Baixar PDF

16 Comentários

    1. Lucas, realmente tinha um erro em algum lugar! Já consegui corrigir! Tente baixar o áudio novamente e diga se deu certo, ok? Take care!

      1. Olha, ouvir eu consigo sim… Agora baixar para o computador e ficar guardado como um arquivo igual o link do PDF funcionou não… Por mim não tem problema, obrigado pela dica do tópico acima.. Muito boa…

  1. Essa besteira de chamar americano de estadunidense é culpa do comunismo do PT. Há 11 anos querendo que o Brasil seja Cuba e forçando que “a presidente” seja “a presidenta”.
    Espero que essa Dilma saia da presidência pra ver se as coisas se endireitam um pouco.

    1. Eu falo dos dois jeitos, americano mais por costume, mas prefiro estadunidense, mas no meu caso não tem nada a ver com política, e sim com o fato que todos nós somos americanos, afinal todos estamos na América. Quando me refiro a eles como americanos soa estranho pra mim e quando se fala norte americano me parece uma referência a América do Norte e não aos EUA.

  2. Olá Denilson.

    Gostaria de ouvir sua opinião a respeito de assunto que é parecido com o do tópico, mas não é exatamente a mesma coisa.

    Faz parte do cotidiano do brasileiro utilizar termos de origem inglesa, termos emprestados, palavras que estão na boca de todo mundo (inclusive dos não falantes de inglês).

    Alguns exemplos seriam: Check-in, Red Bull, Washington, Self-service (o
    clássico), chip, Full HD (tá na moda), ketchup, notebook (veterano de guerra), download(vovô), Facebook (é só que se fala agora).

    Eu procuro pronunciar essas palavras que eu citei acima da forma mais correta possível. Bem diferente das coisas que eu ouço por aí – feicibuqui (Facebook), xéquin (check-in) – mas acontece que tem gente que estranha, não entende ou faz comentários do tipo: “ah cara, pra que falar assim, tu tá no Brasil.” ou “Tu tá falando igual gringo”.

    Da parte de alguns eu até entendo esse tipo de reação, seja pelo fato
    de serem pessoas com pouca escolaridade/instrução ou terem quase
    nenhum contato com a língua inglesa. Mas de outras, isso é
    definitivamente inaceitável. Colega de classe, quase fechando a
    graduação, colega de trabalho com duas, três pós-graduações nas
    costas o.O Uma vez tentei me explicar, mas fui tachado de “metido”.
    haha #nuncamais

    Com o perdão da palavra, mas isso É DE F0DER!

    Acho que já basta de explicação. Então aí vão minhas perguntas: que
    fazer nessas situações? Como você reage/reagiu/reagiria quando
    isso acontece?

    Abraço e parabéns pelo blog e pelo artigo!

    1. Olá, Raphael! Obrigado por seu comentário e palavras aqui.

      De forma bem simples, eu não esquento muito a cuca com esse tipo de coisa não. Eu simplesmente pronuncio do jeito que eu pronunciaria em inglês mesmo.

      As pessoas sabem o que faço, conhecem minha profissão, me respeitam por isso e, portanto, sabem que eu estou pronunciando do modo correto. Muitos amigos meus riem, mas acham legal pois sabem que o modo como falo é o correto.

      Dias atrás, estava em uma roda de cerveja e eu falei Budweiser como se diz em inglês mesmo. Na hora alguns falaram que pela primeira vez estavam ouvindo a palavra sendo pronunciada de modo correto e pediram para que eu os ensinasse. Claro que além de meio bêbados, a maioria saiu com o Inglês na Ponta da Língua.

      Enfim, nunca tive problemas em relação a isso. Se alguém ao menos pensou que eu era metido a besta, não me disse! E se pensaram, eu nem ligo! Simplesmente sigo caminhando e cantando e seguindo a canção.

      😉

        1. E as palavras originadas de outras línguas que também usamos no dia-dia? Você aprende a pronúncia das outras línguas também? Ou só do inglês? Bom, a linguagem, não só a fala, mas os gestos, escrita, etc, serve para transmitir e receber informações e ideias. Se você usa uma pronúncia, ainda que correta pela origem da palavra, que não é entendida plenamente pelo seu ouvinte você estará fazendo uso errado da linguagem. Acho que você deveria refletir se quer transmitir uma ideia ou demonstrar seu nível de inglês.

          1. Eu costumo pronunciar da forma mais parecida com a do idioma original, independente da língua, embora eu tenha um certo preconceito com estrangeirismos, especialmente os inventados aqui no Brasil, tipo office boy, smoking, outdoor e etc. Se tem um termo equivalente, legítimo da língua portuguesa, não tem motivo para eu usar um termo de outra língua, mas se eu tiver de usar, vou tentar usar da forma mais correta possível.

  3. Hi Denilso … I may be wrong or may be doing it the wrong way, but after trying to have the MP3 downloade thru Internet Explorer or Google Chrome only the intro is downloaded lasting about 47 seconds. Nothing wrong with the PDF-Adobe which is complete … If you could have a look I’d appreciate that . Thanks in advance! And always good stuff being posted in your site! Congratulations and regards!

    1. Hey, Mario! I checked the whole thing here and they’re all ok. I could listen and download the mp3 file. No problem! That’s kinda weird, ain’t it?

      🙂

  4. Excelente tópico… estou nos EUA a alguns meses e lembro bem a cara de “interrogação” de alguns americanos quando eu disse “LinkedIn”. 🙂

    1. kkkkk… A prova viva de que o texto acima acertou na mosca! Obrigado pelo depoimento, Danilo! Assim, muita gente vai ver que isso não é bobagem! Take care and keep learning!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar