Ter Um Bom Vocabulário em Inglês: o que é isso?

Ter um bom vocabulário em inglês!? O que isso realmente quer dizer!? Você certamente já se fez essa pergunta, não é mesmo? Afinal, o que significa ter um bom vocabulário na língua inglesa? Você já parou para pensar nisso?

Esse assunto é um dos mais instigantes no mundo de aprendizado de inglês. O grande problema é que as pessoas de modo geral tem uma ideia bem errada do que realmente significa ter um bom vocabulário. A partir do momento que você entender isso e mudar o modo como encara o assunto, seu inglês mudará muito. Enfim, deixe-me falar um pouco sobre isso e você já vai começar – assim espero! – a mudar o seu pensamento.

» Concorra ao sorteio de uma Bíblia Bilíngue. Clique aqui para saber como participar!

Ter Um Bom Vocabulário em inglês: pensamento comum

Todo estudante de inglês – seja lá qual for o nível – costuma achar que ter um bom vocabulário em inglês significa saber um monte de palavras.

Por um monte de palavras, eles acreditam que saber as cores, as frutas, os legumes, as partes do corpo humano, as partes de uma casa, os utensílios de uma cozinha, peças de um carro, etc., em inglês faz parte desse bom vocabulário em inglês.

Ter Um Bom Vocabulário em InglêsMuita gente ainda acha que além de decorar listas de palavras, um bom vocabulário também se manifesta quando a pessoa sabe palavras esdrúxulas. Aquelas palavras que são raramente usadas em uma conversa cotidiana.

Assim, saber palavras como “acersecomic”, “gorgonize”, “infandous”, “agastopia”, “bibble”, “oxter”, “quire”, “absquatulate” indica que a pessoa tem um bom vocabulário em inglês.

Será mesmo isso?

Será que ter um bom vocabulário em inglês refere-se mesmo ao fato de alguém ter na ponta da língua uma lista de 2000, 3000, 4000, 5000 palavras? E também palavras raramente usadas?

Em parte, isso pode até ser verdade. No entanto, isso não é nem 80% do que nós, especialistas em aquisição lexical, definimos como ter um bom vocabulário em inglês.

Então, o que é ter um bom vocabulário em inglês?

No vídeo abaixo, eu – Denilso – explico do modo mais simples possível o que significa ter um bom vocabulário em inglês. Você vai entender ter um bom vocabulário não se resume a esses dois pensamentos comuns – e falhos – mencionados acima.

Resumindo um pouco o assunto, ter um bom vocabulário em inglês significa ser capaz de usar de como correto e natural as palavras mais simples e comumente usadas no dia a dia da língua inglesa.

Ou seja, saber usar palavras como “all”, “can”, “just”, “mean”, “get”, “will”, “tell”, “say”, “know” e outras mais é o que faz uma grande diferença no seu modo de se comunicar em inglês. Esse é o assunto que trato no curso Aprender Inglês Lexicalmente – participe do curso clicando aqui. Afinal, o segredo para o desenvolvimento da sua fluência está na qualidade de como você usa as palavras e não na quantidade de palavras que tem decorada na cabeça.

Assista, ao vídeo para entender melhor. Caso queira dizer algo a respeito do assunto, deixe seu comentário aí abaixo. Let’s keep talking about this issue. [Não está vendo o vídeo abaixo? Então, assista clicando aqui!]

» Inscreva-se em nosso canal no Youtube: clique aqui

 

Dicas Para Pensar em Inglês? Encontre aqui as dicas que você precisa!

O que fazer para pensar em inglês? Como deixar de pensar em português e começar a pensar em inglês? Quais são as dicas para pensar em inglês?

Estou na área de ensino de inglês há mais de 20 anos e essa pergunta é uma das perguntas que mais ouço. Há um desejo enorme entre os estudantes de inglês de querer pensar em inglês e para isso eles procuram dicas que ajudem. Se você está em busca de respostas a essa pergunta, darei abaixo algumas dicas para pensar em inglês.

Infelizmente, você já deve ter notado que não existe um botãozinho dentro de nossa cabeça que mude o nosso cérebro para deixar de pensar em português e começar a pensar em inglês. Não existe uma espécie de tecla SAP para isso. Se existisse, seria simplesmente MA-RA-VI-LHO-SO, não é mesmo?

Eu e Minhas Ideias

Dicas Para Pensar em InglêsMesmo não tendo tal botão, ao longo dos meus estudos de inglês, eu desenvolvi estratégias para fazer com que meu cérebro usasse o inglês que eu sabia e aprendia.

Caso você não saiba, eu – Denilso – aprendi inglês sozinho. Nunca viajei para o exterior para aprender inglês. Nem mesmo frequentei uma escola de inglês. Todo o inglês que aprendi foi enfiando a cara nos livros, observando a língua sendo usada, cometendo erros de pronúncia, de gramática, de uso das palavras e tudo mais.

Assim, uma coisa que fiz desde o começo foi fazer meu cérebro “pensar” em inglês. Mas, como eu fazia isso? Seguem abaixo algumas das “maluquices” que eu costumava fazer. São dicas para pensar em inglês desde que você realmente queira isso. Claro que você não precisa fazer todas elas, mas experimente algumas por algum tempo e me conte depois qual foi o resultado.

Dicas Para Pensar em Inglês

» Dica 01

Quando estiver parado em algum local – fila de banco, consultório médico, esperando alguém em algum local –, tente descrever as pessoas e o local (o ambiente) em inglês. Não se preocupe se você não souber uma palavra ou outra; simplesmente faça uso daquilo que você já sabe.

» Dica 02

Quando estiver assistindo a uma aula ou ouvindo uma palestra, experimente fazer as anotações em inglês. Se for anotar algo importante que você ouviu, anote em inglês usando as palavras e expressões que você já sabe. Não se preocupe com a gramática; apenas use aquilo que você sabe.

» Dica 03

Ao ver um número de telefone ou placa de um carro, leia os números e letras em inglês. Uma das maiores dificuldades que as pessoas tem ao falar inglês é quando se deparam com números; portanto, acostume-se a ler os números e as letras em inglês. Soletre as palavras de vez em quando apenas para praticar o alfabeto mentalmente.

» Dica 04

Ao começar o seu dia, procure descrever em inglês para você mesmo como será o seu dia.. Fale de coisas que terá de fazer ou acha que terá de fazer. Você pode dizer mentalmente algo como “Today I’m going to work by car. At midday, I think I’ll go to the bank. I also have to call my friend Miguel and…“. Enfim, use o inglês que você já sabe para dizer como será seu dia, coisas que terá de fazer.

» Dica 05

No final do dia, ao deitar na cama – ou um pouquinho antes – repasse seu dia mentalmente em inglês. Pense nos principais momentos do dia e descreva-os em inglês. Por exemplo, “Today, I woke up really early. I went to the dentist. I had lunch at a restaurant and then I went back to work and solved some problems there. I also went to the gym and had a wonderful time“. Enfim, repasse seu dia falando inglês com você mesmo.

Conclusão

O que estou sugerindo a você é que você se acostume a usar o inglês que já sabe para começar a pensar em inglês. Essa coisa de pensar em inglês não ocorre da noite para o dia. Pensar em inglês é uma questão de hábito e hábito é algo que você adquire aos poucos.

Há muitas outras dicas para pensar em inglês. Por exemplo, no horário do almoço, descreva o que você está comendo em inglês. Se você vai ao trabalho de metrô ou ônibus, descreva as pessoas usando o inglês que você sabe. Enfim, brinque mentalmente com o inglês que você já sabe e faça seu cérebro pensar em inglês aos poucos.

Caso queira ouvir mais dicas para pensar em inglês, assista ao vídeo do link abaixo.

»» Como pensar em inglês?

Participe do Curso

Para muito mais dicas para pensar em inglês, conheça o curso Aprender Inglês Lexicalmente. Nele você aprenderá como aprender inglês por meio de chunks of language, aprender gramática sem gramática, usar inglês com naturalidade, desenvolver sua fluência e muito mais. Já estão abertas as inscrições para novas turmas. Saiba mais clicando aqui ou na imagem abaixo.

Aprender Inglês Lexicalmente

 

Google Tradutor é bom? Será que podemos confiar?

Google Tradutor! Aí está uma ferramenta que muita gente usa para aprender inglês. Mas, será que podemos confiar tanto assim nessa ferramenta? Afinal, o Google Tradutor é bom, meia boca ou péssimo?

O que é o Google Tradutor?

Para quem não sabe, o Google Tradutor é o serviço online do Google que permite fazer tradução instantânea de textos e sites em diversos idiomas. Ele tem ainda algumas outras funcionalidades: pronúncia, contextualização de algumas palavras e expressões e outras coisinhas mais.

É, sem sombra de dúvidas, algo bom para quem precisa de uma tradução rápida ou ainda ouvir a pronúncia de uma palavra. Portanto, o Google Tradutor tem suas vantagens. Mas, ele também tem algumas desvantagens.

Colocando o Google Tradutor à prova

Para nos certificarmos se essa é uma boa ferramenta, vamos colocá-la à prova. Portanto, o primeiro passo é, claro, acessar a página do Google Tradutor (clique aqui)

Na caixa de texto, digito “Eu quero aprender a falar inglês”. A tradução sugerida é: I want to learn to speak English. Sem problemas! É compreensível! Mas, algumas pessoas dirão que o mais natural é dizer “I want to learn how to speak English”. No entanto, isso não afeta a comunicação. As duas formas são possíveis.

O Google Tradutor é bom?Vamos tentar algo mais complexo: “Se você acha que eu vou te ajudar, você está redondamente enganado”. Desta vez a sugestão foi “If you think I’m going to help you, you’re deeply mistaken”. Mais uma vez, tiro o chapéu para o Google Tradutor. O collocation “redondamente enganado” não foi traduzido literalmente como em outros serviços de tradução online. Isso é ótimo!

A próxima frase é “Eu acho que você deveria fazer uma dieta”. Confesso que neste caso vez a sugestão me decepcionou um pouco: “I think you should diet”. Essa sugestão é compreensível, mas não é muito natural. O que soaria melhor aí é: “I think you shoud go on a diet?”. Não que esteja errado, mas temos de notar sempre o que é mais natural.

Resolvi complicar um pouco mais e pedi a tradução de “Sei lá! Acho que de deu problema na rebimboca da parafuseta”. Desta vez, o Google Tradutor se enrolou: “I do not know! I think it gave trouble in the screwdriver rebimboca”. Neste caso, o problema não está apenas na tradução de “rebimboca da parafuseta”, que ele desconhece; mas também, na tradução de “deu problema”. A tradução foi muito ao pé da letra. Uma sugestão humana mais natural poderia ser: “I don’t know! I guess there’s something wrong with the whatchamacallit”.

O Google Tradutor é bom?

De modo geral, eu digo que o Google Tradutor é bom. No entanto, ele não é excelente. Por quê?

Pelo lado mais simples – sentenças não muito complexas –, o serviço de tradução do Google consegue se sair muito bem. Veja mais alguns exemplos:

  • Eu odeio estudar inglês. » I hate studying English.
  • A gente nunca mais vai falar com ela. » We’ll never talk to her again.
  • Estou morrendo de fome. » I’m starving.
  • Quando foi que isso aconteceu? » When did this happen?
  • O poder executivo não tem autoridade para isso. » The executive branch has no authority for this.
  • Você pode baixar o volume um pouquinho? » Can you turn the volume down a bit?
  • Estava um breu quando chegamos lá. » It was pitch black when we got there.

Por outro lado, quando incluímos algumas gírias, expressões idiomáticas, collocations mais complexos, o Google Tradutor pode deixar a desejar. As traduções em parênteses são as minhas sugestões.

  • Gostaria de te ajudar, mas eu estou duro. » I would like to help you, but I’m hard. (I’d like to help you, but I’m broke.)
  • Isso vai dar rolo! » This will roll. (This will be terrible. | This will be a huge problem.)
  • Ela vive falando mal dos outros. » She lives speaking ill of others. (She’s always speaking ill of other.)
  • Ele ganhou as contas semana passada. » He won the bills last week. (He was fired last week. | He got fired last week.)
  • Eu não vou bater boca com ela. I’m not going to mouth her. (I’m not going to have an argument with her.)

Conclusão

Como dito acima, o Google Tradutor é bom. No entanto, para traduções mais sérias é óbvio que não podemos contar com ele 100%.

Para quem está começando a aprender inglês, ele é uma mão na roda. Aliás, ao pedir a tradução para “Ele é uma mão na roda”, a sugestão dada foi “He’s a hand on the wheel”. Em inglês, o melhor é dizer “It’s really useful” ou “It’s really handy”.

Ou seja, há expressões, combinações (collocations), chunks of language, gírias, etc., que o Google Tradutor ainda não reconhece. Claro que isso não desmerece o trabalho feito pela equipe que cuida dessa ferramenta.

Vale ainda ressaltar que qualquer pessoa pode colaborar para a melhoria das traduções sugeridas. Ou seja, nós podemos fazer parte da comunidade e assim ajudar na tradução das expressões. Com isso, o Google Tradutor vai ficando melhor cada vez mais e mais.

No entanto, lembre-se que para fins profissionais e mais sérios nada substitui um tradutor de verdade. Portanto, caso você precise traduzir documentos, contratos e coisas assim, procure um profissional da área de tradução.

E você? Faz uso do Google Tradutor nos seus estudos? Como você o utiliza? O que você tem achado dele? Enfim, fale sobre sua experiência com o Google Tradutor deixando um comentário na área abaixo.

That’s all for now, guys! Bye bye, take care, and keep learning.

Fluência em Inglês em 3 meses! É possível!?

Há hoje na internet vários anúncios de cursos oferecendo fluência em inglês em 3 meses (ou até em menos tempo). Você certamente já viu esses anúncios. Deve até ter assistido a vídeos nos quais o autodeclarado profissional, professor ou expert em fluência diz que vai te contar o segredo para ser fluente em inglês, mas depois de 15 a 20 minutos ele não fala nada. Pura enrolação!

Pois bem! Depois de um tempo, vendo isso tudo em silêncio, decidi me posicionar a respeito e falar algumas verdades sobre essa coisa de Fluência em Inglês em 3 Meses.

O vídeo – que está no final desta dica – foi publicado em nosso canal no Youtube. No entanto, como muitos de nossos leitores não nos seguem por lá, decidi compartilhá-lo aqui. Afinal, eu acredito que muita gente deve começar a abrir os olhos para essas ofertas milagrosas e vazias. Principalmente, quando o assunto é fluência em inglês em 3 meses.

Em 15 minutos (eu sei que é longo!), eu falo sobre esse assunto. Mas, antes de assistir ao vídeo, permita-me fazer um convite.

Evento ao Vivo no Youtube: PARTICIPE

Fluência em Inglês em 3 MesesNa sexta-feira – 20 de janeiro – às 20:00 (horário de Brasília) farei um evento ao vivo no Youtube falando sobre fluência. Nessa apresentação, abordarei os seguintes temas:

  • O que é fluência?
  • Quais as características da fluência?
  • Como desenvolver a fluência?
  • Quanto tempo leva para ser fluente em inglês?
  • Como sei que sou fluente?

Se você deseja entender melhor o que os especialistas e verdadeiros profissionais da área de ensino e aprendizado de línguas falam sobre isso, participe desse evento. Salve aí o link e junte-se a nós na sexta: https://youtu.be/JAp0OCWPyaM

Fluência em Inglês em 3 Meses

 

Como escolher um professor de inglês?

Você já se perguntou como escolher um professor de inglês? Como saber se você está diante de um professor ou professora que realmente atenderá suas expectativas e objetivos de aprendizado? Que perguntas você pode fazer a um profissional da área para ter certeza que seu investimento valerá à pena?

Esse é um assunto que pode gerar muitas ideias, discussões e rumos diferentes. Afinal, escolher um professor de inglês envolve uma série de coisas. No entanto, algumas coisas são bem básicas e você deve sem levar em conta.

Portanto, convidamos a professora americana Christina Lorimer, profissional super competente e com mestrado na área de ensino de língua inglesa, para ajudar, você que quer ficar com o Inglês na Ponta da Língua, a saber como escolher um professor de inglês. No vídeo abaixo, ela dá algumas sugestões e dicas sobre o que devemos levar em conta na hora de escolher um professor de inglês. Assista ao vídeo e curta as recomendações e perguntas que devem ser feitas.

São apenas três perguntinhas, mas com elas você poderá avaliar bem o profissional que está pensando em contratar. Veja o vídeo!

Como escolher um professor de inglês?

Para encerrar a dica, saiba que somente mesmo com uma boa conversa você poderá decidir se aquele professor vale mesmo à pena ou não. Se quiser, você pode ainda ter mais algumas ideias lendo o texto “Professor Particular de Inglês: vale a pena?”. Nela eu dou mais algumas dicas de como você pode escolher um professor de inglês e assim fazer valer o seu investimento.

Como escolher um professor de inglês?Gostou das dicas da professora Christina Lorimer? Então, acesse o site Step Stone Languages. Lá você encontrará muito mais informações sobre a Christina e sobre seu trabalho como professora de inglês.

Quer aprender ainda mais com nossos vídeos? Então, assista também as dicas recomendadas abaixo:

Collocations com Breakfast: melhore seu vocabulário

Que tal melhorar o vocabulário em inglês aprendendo alguns collocations com breakfast? Para isso, basta continuar lendo esta dica.

 O que são collocations?

De modo bem simples, collocations refere-se ao modo como as palavras se combinam naturalmente em inglês. Por exemplo, em português, nós falamos “fazer uma festa”; já em inglês, o mais comum é que você diga “throw a party” ou “have a party”. Nem pense em dizer “make a party” ou “do a party”. Pois essas combinações não soam nada natural em ingles.

Outro exemplo é quando queremos dizer “estar de dieta”. Nada de dizer “be of diet”; afinal, em inglês o mais natural é dizer “be on a diet”. Tem também “entrar de greve” que é “go on a strike” e não “enter of strike”.

Enfim, de modo geral os collocations ajudam você a falar e escrever inglês de modo mais natural. Outra coisa interessante é que os collocations ajudam você a desenvolver sua fluência em inglês de modo mas dinâmico e real.

Para você ter uma ideia melhor de como os collocations funcionam, aprenda abaixo alguns collocations com breakfast.

Collocations com Breakfast

Você sabe que “breakfast” é “café da manhã”. Mas, o que você talvez ainda não saiba é que palavra se combinam mais naturalmente com “breakfast” em inglês. Como você diria, por exemplo, “ficar sem o café da manhã” ou “tomar o café das manhã às pressas”? Ou ainda como falar que você tomou um café da manhã reforçado hoje? É nessas horas que a ideia dos collocations ajuda você a se expressar melhor.

Portanto, seguem abaixo alguns collocations com breakfast para você saber o que dizer quando for preciso.

Collocations com Breakfastverbo + breakfast

  • finish breakfast » terminar de tomar o café da manhã
  • fix breakfast » preparar o café da manhã
  • get breakfast ready » preparar o café da manhã
  • have breakfast » tomar o café da manhã
  • make breakfast » fazer o café da manhã, preparar o café da manhã
  • start breakfast » começar a tomar o café da manh
  • skip breakfast » ficar sem o café da manhã

Exemplos:

  • Get the kids dressed and I’ll fix breakfast. (Arrume as crianças e eu preparo o café da manhã.)
  • Do you always have breakfast before leaving home? (Você sempre toma café da manhã antes de sair de casa?)
  • I’m starving. I skipped breakfast this morning. (Estou morrendo de fome. Eu não tomei café hoje de manhã.)

adjetivos + breakfast

  • a light breakfast » um café da manhã leve
  • a quick breakfast » um café da manhã rápido, apressado
  • a long breakfast » um café da manhã demorado
  • a solid breakfast » um café da manhã reforçado
  • a healthy breakfast » um café da manhã nutritivo, saudável
  • an enormous breakfast » um café da manhã gigante
  • a hasty breakfast » um café da manhã às pressas, rápido, apressado

Exemplos:

  • We had a light breakfast this morning. (Tomamos um café da manhã leve hoje.)
  • It was a hasty breakfast. (Fou um café da manhã bem rápido.)
  • I had a solid breakfast this morning, so I’ll skip lunch. (Tomei um café da manhã bem reforçado hoje, então vou ficar sem o almoço.)
  • What an enormous breakfast! (Que café da manhã gigantesco!)

common expressions

  • have (sth) for breakfast » ter (algo) no café da manhã
  • discuss (sth) over breakfast » discutir (algo) no café da manhã
  • go without breakfast » ficar sem tomar o café da manhã
  • (jog, swim, work out, etc.) before breakfast » (correr, nadar, malhar, etc.) antes do café da manhã
  • have breakfast in bed » tomar o café da manhã na cama
  • cesta café da manhã » breakfast gift basket

Exemplos:

  • I usually have bread and butter for breakfast. (Eu costumo comer pão com manteiga no café da manhã.)
  • What did you have for breakfast this morning? (O que você tomou no café da manhã de hoje?)
  • He sent her a wonderful breakfast gift basket. (Ele mandou uma cesta café da manhã maravilhosa para ela.)
  • My sister always plays tennis before breakfast. (Minha irmã sempre joga tênis antes do café da manhã.)

Segue abaixo um imagem para ajudar você a manter na memória alguns dos collocations com brekafast apresentados acima. Espero que tenha gostado desta dica. E não se esqueça: você pode aprender muito mais sobre collocations e, portanto, melhorar ainda mais o seu vocabulário em inglês participando do curso INGLÊS NA PONTA DA LÍNGUA. Para saber mais, clique aqui!

Collocations com Breakfast: melhore seu vocabulário

[Entrevista] Dicas Para Aprender Inglês

[fbvideo link=”https://www.facebook.com/denilsolima/posts/759756917495442?pnref=story” width=”500″ height=”400″ onlyvideo=”1″]Hello, guys! Recentemente dei mais uma entrevista aqui em Porto Velho, Rondônia, dando dicas para aprender inglês. Afinal, como aprendi inglês sozinho e sem ter morado fora do país, muitas pessoas tem curiosidade em saber como eu consegui essa proeza. Quais são os meus segredinhos? 😊

Quem acompanha meu trabalho a mais tempo sabe da minha história e também das inúmeras dicas que compartilho aqui sobre como aprender inglês sozinho ou como se envolver com o inglês para assim ir aprendendo inglês.

» Leia também: 80 Dicas Para Aprender Inglês Sozinho e Como Aprender Inglês em 1 Ano

[Entrevista] Dicas Para Aprender InglêsSobre a entrevista, se você tiver um tempinho (12 minutinhos), espero que assista! Compartilho-a abaixo, mas caso você não esteja vendo o vídeo, clique aqui para ver diretamente em meu perfil no Facebook. Caso queira, você pode ainda assistir a outros vídeos no qual dou dicas para aprender inglês sozinho ou mesmo estudando em escola de idiomas. Afinal, essas dicas valem para todos os casos e níveis.

Por fim, se você tiver interesse em adquirir meus livros, saiba que eles estão à venda em todas as livrarias do país e também pela internet. Clicando nos títulos abaixo, você saberá onde comprar com preços mais em conta.

Segue o vídeo (12 minutinhos) com a entrevista dada à Sandra Santos nos estúdios do Rondoniaovivo.

Aprender Expressões Idiomáticas em Inglês

Você gosta de aprender expressões idiomáticas em inglês? Será que vale mesmo a pena aprender expressões idiomáticas em inglês? Será possível aprender todas as expressões idiomáticas da língua inglesa? As expressões idiomáticas em inglês são usadas em todos os países que falam inglês?

Aprender Expressões Idiomáticas em Inglês

Encontre as respostas para essas e outras dúvidas assistindo ao vídeo que segue abaixo. Caso não esteja vendo o vídeo, clique aqui para assistir diretamente no canal Inglês na Ponta da Língua no Youtube. Detalhe: no final do vídeo eu falo sobre um dicionário de gírias em inglês e expressões em inglês que será sorteado entre aqueles que fizerem o que eu falo no final do vídeo. Portanto, assista até o fim.

Aprender Expressões Idiomáticas em InglêsAh! Além das respostas às perguntas que estão no parágrafo de abertura, você aprenderá ainda 5 expressões idiomáticas em inglês que ajudarão a deixar o seu inglês mais natural. Enfim, você tem várias razões para assistir ao vídeo. Então, não perca essas oportunidades!

Depois que assistir ao vídeo com a dica sobre Aprender Expressões Idiomáticas em Inglês, você poderá ainda assistir a outras dicas em vídeo que eu – Denilso – já andei publicando lá no Youtube. Seguem algumas sugestões abaixo. Espero que goste! Se gostar mesmo de verdade, curta o vídeo e inscreva-se no canal. É de graça e que ganha é você!

Sugestões:

Vídeo: Aprender Expressões Idiomáticas em Inglês

Polissemia em Inglês: o que é?

Um erro comum de muitos estudantes de inglês é achar que uma palavra terá sempre um único significado. Tratam as palavras como se a relação entre elas fosse algo matemático. Algo como, 1 = 1. O problema é que em se tratando de línguas, essa relação não existe. Portanto, está na hora de você começar a entender sobre polissemia em inglês.

O que é polissemia?

Polissemia é o nome que damos para o fato de uma determinada palavra ter vários significados. Em português, posso citar como exemplo a palavra “manga”, que pode parte de uma camiseta, uma fruta, conjugação do verbo mangar (tirar sarro de alguém), uma tromba-d’água, bucha e outras coisas. Logo, nós podemos entender o significado de “manga” quando observamos a palavra sendo usada em contexto.

Polissemia em Inglês

Polissemia em InglêsEm inglês, um exemplos clássico de polissemia é o verbo GET. Você certamente já deve ter se perguntado o que ele significa.Mas, fora de contexto é praticamente impossível dizer o que significa GET. Pois, trata-se de um verbo polissêmico – ou seja, verbo com muitos significados. Para aprender mais sobre GET, leia a dica “O que significa GET”.

Há em inglês inúmeros verbos polissêmicos que você deve prestar muita atenção. No livro Inglês na Ponta da Língua – método inovador para melhorar o seu vocabulário (à venda em todo Brasil), falo sobre os principais verbos polissêmicos e como aprendê-los. Portanto, fica aí a dica caso queira aprender mais sobre o assunto.

» Leia também: O que significa SET?

Substantivos Polissêmicos

Em relação aos verbos, a maioria dos estudantes de inglês estão cientes. Todos sabem que os verbos podem realmente ter vários significados. O problema é quando aprendemos substantivos. É nesse momento que muitos acreditam haver uma relação do tipo 1 = 1. Mas, não é bem assim!

Só para você compreender isso, responda-me o que significa PEN? Uma palavra básica que faz parte de qualquer curso básico de inglês.

Você certamente deve ter dito que PEN significa CANETA. Muito bem! É isso mesmo! Trata-se de uma das primeiras coisas que aprendemos. Mas, com o tempo temos de ficar atento com isso; pois, podemos encontrar PEN sendo usado em outros contextos e assim interpretarmos errado um texto. Veja a sentença abaixo:

  • Without cattle in the pen, he had nothing else to do.

Veja que traduzir PEN por caneta na sentença não faz muito sentido. Logo, é preciso aprender que PEN aí significa CURRAL (local para confinar animais em uma fazenda, haras, etc.). Dessa forma, a sentença acima será interpretada corretamente.

  • Sem gado no curral, ele não tinha mais o que fazer.

Outra palavra (substantivo) que pode gerar confusão é LOVE. Você sabe que LOVE significa AMOR. Mas, se você curte tênis (o esporte, não o calçado), deve saber também que LOVE é como dizemos o número ZERO nesse esporte. Logo, quando alguém diz que o placar de um jogo de tênis está em FIFTEEN-LOVE, devemos entender que está 15 a 0.

E que tal a palavra PLANT?

Você olha para ela e logo pensa que significa PLANTA. Nada mal! É um cognato. No entanto, é preciso ainda saber que PLANT pode ser FÁBRICA, MONTADORA, USINA, ESTAÇÃO, INSTALAÇÃO. Por exemplo,

  • a nuclear plant (uma usina nuclear)
  • a car assembly plant (uma montadora de carros)
  • a power plant (usina elétrica)
  • a sugar plant (uma usina de açúcar)
  • the plant building (o prédio da fábrica)
  • water treatment plant (estação de tratamento de esgotos)
  • a fruit juice processing plant (uma fábrica de processamento de sucos)

Eu poderia dar vários outros exemplos sobre essa coisa de polissemia em inglês. Mas, acredito que você já percebeu que a relação 1 = 1 nem sempre será verdadeira. Agora a pergunta é a que segue abaixo.

Por que estar ciente sobre Polissemia em Inglês?

O problema – como eu mencionei rapidamente acima – está na hora de ler e interpretar um texto. Se você não estiver ciente disso, poderá interpretar textos de modo errado ou simplesmente não entender uma sentença dentro de um texto ou ao conversar com alguém.

Estar ciente sobre polissemia em inglês ajuda você a melhorar o seu vocabulário e também o modo como você usa as palavras em textos escritos ou falados.

» Leia também: Coletânea de Textos em Inglês

Claro que nem sempre seremos capazes de saber tudo sobre uma palavra. Mas, estar ciente sobre a polissemia em inglês nos ajudar a evitar erros. Imagine-se, por exemplo, lendo um texto em uma prova e você então se depara com uma palavra cujo significado você pensa saber. Mas, ao interpretar dentro do contexto você percebe que o significado que você sabe para ela não se encaixa na interpretação. O que fazer?

Nesses momentos, saber sobre polissemia em inglês é essencial. Pois, você poderá reler o texto e procurar achar outro significado para a palavra. Muitas vezes o texto se encarrega disso e tudo o que você precisa fazer é desenvolver suas habilidades de interpretação de texto e, claro, melhorar cada vez mais seu vocabulário em inglês.

Contudo, lembre-se que melhorar o vocabulário em inglês não significa apenas aprender novas palavras todos os dias. Na verdade, melhorar o vocabulário em inglês está muito mais para aprender novos usos para as palavras que você já sabe do que decorar 10 novas palavrinhas todos os dias.

» Leia também: Aprender 2000 Palavras em Inglês e a Fluência

Polissemia em inglês é um fenômeno linguístico real e você precisa estar atento a isso.

Que comentar algo sobre essa dica!? Então, registre seu comentário ali abaixo! Caso tenha recebido esta dica por email, acesse o site e deixe lá suas observações sobre o assunto. Let’s keep learning together, shall we? 👍🏽

That’s all for now, guys! Bye bye and take care! 😊

Collocations em Inglês: Falando sobre Rotina

Você certamente já deve saber o que são COLLOCATIONS em inglês. Caso ainda não saiba assista ao vídeo “O que são collocations?” que está no final desta dica. Você vai entender como isso pode simplesmente ajudar você melhorar ainda mais o seu vocabulário e fluência em inglês.

Uma coisa interessante sobre aprender collocations em inglês é que podemos identificar aqueles que são comuns em determinados contextos. Assim, ao identificá-los temos de criar o hábito de usá-los para falar de nós mesmos. Essa é uma maneira poderosa para você desenvolver sua fluência em inglês. Claro, que para isso você deve colocar em prática o que aprende!

Por exemplo, digamos que você queira falar sobre sua rotina, o seu dia a dia. Em termos mais simples, as coisas que você faz diariamente. Você pode – ao longo de seus estudos – encontrar um texto como o que segue abaixo:

I usually get up early during the week. After getting up, I take a shower and have breakfast with my family. Around 7:30am, I leave home for work. I get to work about 8:45. The first thing I usually do is to check my e-mails. Then, I make some phone calls, I talk to some clients, and that kind of thing. At 1pm, I always have lunch with my workmates. After that, we all get back to work. I leave work at 5:30pm. From there, I go to the gym and then I go home. I get home around 7:30pm. On weekdays, I never go out, so I stay home and watch TV. I never have dinner. I go to bed around 11pm.

É um texto simples. Nada tão complicado assim! Mas, a maioria dos estudantes de inglês quando encontra um texto assim, logo começa anotar as palavras novas. Ficam presos em palavras soltas. Se você faz isso, saiba que o melhor a fazer é anotar as combinações de palavras (collocations) que sejam relevantes para você e procurar criar frases com elas.

Todas as combinações em destaque (negrito) no texto acima podem ser consideradas exemplos de collocations em inglês. Aprender a identificar collocations em textos é algo que você deve desenvolver como aprendiz de inglês. Uma vez identificadas as collocations em inglês que são interessantes para você, anote-as em seu caderno de vocabulário (lexical notebook), escrever (à lápis) a tradução delas e criar sentenças que se encaixam à sua rotina (à sua vida).

Como exemplo, veja abaixo algumas sentenças com os collocations em inglês encontrados no texto acima.

  • I never get up early on Sundays. (Eu nunca acordo cedo nos domingos.)
  • I always take a shower in the morning. (Eu sempre tomo um banho pela manhã.)
  • I sometimes have breakfast with my family. (Eu às vezes tomo café com minha família.)
  • I leave home for work at 5 o’clock in the morning. (Eu saio de casa para o trabalho às 5 da manhã.)
  • I check my e-mails three times a day. (Eu verifico meus emails três vezes ao dia.)
  • I have to make some phone calls right now. (Tenho de fazer algumas ligações agora.)
  • I usually have lunch at a restaurant next to work. (Eu costumo almoçar em um restaurante perto do trabalho.)

Veja que com um pouquinho de criatividade e conhecimento você será capaz de escrever frases em inglês sem muitas dificuldades. Essa é uma das grandes vantagens de você aprender collocations em inglês. Os especialistas no assunto dizem que aprender collocations é uma das melhores maneiras para você desenvolver sua fluência em inglês para falar, ouvir, escrever e ler em inglês.

Combinando Palavras em Inglês: seja fluente em inglês aprendendo colocationsNesta dica, compartilhei com você apenas um pequeno exemplo da importância dos collocations em seus estudos de inglês.

Se quiser continuar aprendendo mais sobre collocations em inglês, adquira o mais rápido possível o livro Combinando Palavras em Inglês – seja fluente em inglês aprendendo collocations. Este livros esta à venda em todas as livrarias do Brasil e também em inúmeros sites. Clique aqui para comparar os preços caso tenha interesse.

Lembre-se: collocations é sem sombra de dúvidas o tema mais importante para quem deseja aprender e melhor o vocabulário de inglês de modo mais natural.

Agora, para encerrar, assista a um vídeo no qual eu – Denilso – falo um pouco mais sobre a ideia de collocations em inglês.