Platô Intermediário no Inglês

Platô intermediário! Você faz alguma ideia do que é isso? Já ouviu falar a respeito? Será que esse problema é sério? Continue lendo para saber.

O tal platô intermediário – também conhecido como efeito intermediário – é definido como aquele momento no qual um estudante de inglês é tido como avançado, mas ele mesmo não se sente avançado. É o momento no qual o estudante parece estar patinando no gelo sem sair do lugar.

Algumas das características desse platô são:

  • por mais que estude inglês, o aprendiz parece não progredir da mesma forma como antes;
  • tem-se a sensação de que o conteúdo é sempre o mesmo: gramática e lista de palavras;
  • o vocabulário se restringe a lista de palavras complicadas, raras, e estranhas;
  • baixa motivação no aprendizado causada pela falta de progresso mais aparente;
  • mesmo tendo a sensação de sabe muito inglês, o aprendiz não se sente à vontade para falar e ouvir inglês naturalmente.

Platô Intermediário no InglêsSe você se identificou com algumas dessas características, você certamente está no nível intermediário.

O interessante é que quando você começou a estudar inglês, você aprendia tudo com muita facilidade. O seu aprendizado parecia acontecer de modo mais imediato; portanto, o progresso era bem aparente e evidente. Você percebia isso. Mas, agora – depois de algum tempo já estudando inglês – parece que é tudo a mesma coisa. Você parece saber tudo – regras gramaticais e um monte de palavras. Aprender algo novo se resume a decorar alguns phrasal verbs, expressões idiomáticas, gírias, regrinhas complicadas de gramática e coisas assim.

Enfim, você já entendeu como é. Afinal, o platô intermediário é uma pedra no sapato de praticamente todos os estudantes de inglês ao redor do mundo. Mas, o que fazer para sair dele?

No novo vídeo publicado em nosso canal no Youtube – clique aqui para se inscrever gratuitamente –, eu dou sete dicas para você sair desse tal platô intermediário. Se você ainda não chegou nele, recomendo que coloque as sete dicas também em prática para assim não sofrer tanto as consequências dele.

Umas das dicas que dou é que você deve aprender collocations e chunks of language. Pois, por meio do aprendizado disso, você melhorará de modo muito mais natural o vocabulário, a gramática, a pronúncia e o listening em inglês. Isso é possível pois quando você se dedica ao aprendizado de chunks, você adquire (aprende) tudo em conjunto e não separadamente. Se você quiser, aprender inglês por meio dos chunks of language, participe do curso APRENDER INGLÊS LEXICALMENTE: um curso voltado para estudantes de todos os níveis de inglês. Vagas Limitadas!

Para as outras dicas, assista ao vídeo abaixo. Tenho certeza que você entenderá ainda mais a ideia de platô intermediário e como se ver livre dele! 😊

Preposições em Inglês: a dica definitiva

As preposições em inglês é um dos assuntos que mais incomoda estudantes de inglês. Eu trabalho na área de ensino de inglês há mais de 20 anos. Ao longo desse período, a única coisa que mudou foi as pessoas. Já as perguntas sobre as preposições em inglês continuam sendo as mesmas.

» Como aprender as preposições em inglês?
» Quais as regras das preposições em inglês?
» Como usar as preposições em inglês?

Já escrevi inúmeras dicas sobre esse assunto. Eles estão presentes em todos os livros que escrevi e até escrevi um ebook no qual o tema central são as preposições. Aliás, se você quiser continuar aprendendo sobre o assunto depois de ver o vídeo, conheça o Preposições em Inglês: dicas para aprender tudo sobre elas.

Para resumir todas as dicas já escritas e também para dar uma orientação aos estudantes de inglês, resolvi gravar um vídeo no qual abordo as três perguntas acima. Portanto, se você está procurando as respostas para elas, assista ao vídeo e aprenda. [Sem tempo para assistir ao vídeo!? Então, ouça o arquivo de áudio que está no final da dica.]

O vídeo ficou um pouco longo: 15 minutos. Mas, confesso que não dá para falar sobre esse assunto em apenas 5 minutinhos. Então, se você tiver realmente interesse, assista ao vídeo e depois deixe um comentário ali abaixo dizendo o que você achou das dicas dadas. Será um prazer enorme, continuar a conversa e assim irmos nos entendendo.

That’s it! Clique no play e aprenda a aprender as preposições na língua inglesa sem traumas e dificuldades. Bons estudos! Ah! Não se esqueça que o Inglês na Ponta da Língua também está no Youtube. Portanto, assine o canal e receba os vídeos assim que forem sendo publicados. 😉

Abaixo, está o arquivo de áudio da dica, caso você prefira apenas ouvir. 😉

O Melhor Livro Para Aprender Inglês: qual é?

Qual é o melhor livro para aprender inglês? Será que existe o melhor livro para aprender? Que livro usar para aprender inglês?

Você já deve ter percebido que o mercado de livros de inglês é gigantesco. Se pensarmos em livros de inglês por temas, vamos encontrar inúmeras opções: dicionários, livros de vocabulário, gramáticas, livros sobre phrasal verbs, expressões idiomáticas, collocations, gírias, como se diz isso ou aquilo em inglês, phrasebooks, livros com dicas de aprendizado, livros de pronúncia, livros textos (coursebooks) e muito mais.

Melhor Livro Para Aprender InglêsComo se não bastasse a quantidade de livros, há também uma “guerra” travada entre as editoras, que lançam livros muito parecidos. Isso nos faz perguntar se o dicionário da editora A é melhor que o das editoras B, C e D. Ou, se o livro de phrasal verbs da editora W é superior aos das editoras X, Y e Z.  A batalha pela venda é tão acirrada que assim que uma editora lança um livro que tenha alta probabilidade de vendas, a concorrente logo pública um livro com título parecido.

No meio dessa confusão toda, está você – estudante de inglês – procurando saber qual é o melhor livro para aprender inglês. Portanto, anote aí que a resposta para essa pergunta é:

O melhor livro para aprender inglês é aquele que atenderá suas necessidades. Logo, é importante que você defina seus objetivos de aprendizado. Nem adianta reclamar! Afinal, quem realmente faz a diferença é você com suas atitudes e não essa coisa de melhor livro para aprender inglês. Portanto, use o livro que você achar mais legal e aproveite-o ao máximo!

Mas, para não ficar só nisso, seguem algumas possível sugestões!

Inglês na Ponta da LínguaPara começar, você pode comprar um livro que vá te ajudar na organização dos seus estudos e até mesmo trabalhar sua motivação, ideias de aprendizado e coisas assim. Dois livros que conheço são: Inglês na Ponta da Língua – método inovador para melhorar o seu vocabulário em inglês (Denilso de Lima) e 101 Dicas para Você Aprender Inglês com Sucesso (Carlos Gontow). Ler esses livros ajudará você a saber o que fazer ao longo da sua caminhada.

Além disso, você ainda terá de encontrar um livro que atenda suas necessidades de aprendizado, seus objetivos e claro seu nível de conhecimento da língua.

Se você está começando a estudar inglês agora – está no básico –, recomendo que leia a dica Livros de Inglês Básico para Estudar Sozinho. Nela eu recomendo um dicionário, duas gramáticas e um phrasebook para quem quer aprender inglês do início e com foco em situações corriqueiras.

Combinando Palavras em InglêsJá os alunos de nível intermediário terão de procurar livros que ajude-os a melhorar o que já sabem e aprendam coisas novas a cada dia. A ideia aqui é sair do que chamamos de platô intermediário no aprendizado de inglês. Assim, um livro que recomendo é o “Combinando Palavras em Inglês: seja fluente em inglês com collocations” (que é, na verdade, indicado a todos níveis). Depois desse, eu tenho certeza que qualquer estudante de nível intermediário vai saber que livro adquirir para continuar aprendendo inglês.

Por sua vez, os estudantes de nível avançado só precisam mesmo – em minha opinião – ler e ouvir inglês com mais frequência para se acostumarem com a língua inglesa e assim irem reforçando o que aprenderam. Nesse nível o aprendizado (aquisição) da língua inglesa deve ser natural e não apenas baseado em livros.

Caso você queira uma gramática para auxiliar nos seus estudos, leia a dica Gramáticas de Inglês. Nela eu sugiro algumas gramáticas de acordo com o nível e interesse de cada um. Lembrando que a escolha da melhor gramática fica mesmo por sua própria conta e risco. Claro que eu faço minha parte em recomendar aquelas que eu – profissional na área de ensino de inglês – considero excelentes (na verdade eu tenho todas elas).

Por fim, a última dica é a seguinte: o melhor livros para aprender inglês é aquele que você vai usar como base para seus estudos. Quando eu comecei a estudar inglês, tinha um livro simples. Estudei todo ele, fiz as atividades, ouvi as fitas-cassetes (sim fitas!), li e reli várias vezes. Depois, comprei outro livro e fiz a mesma coisa. Quando me dei conta já tinha mais de 10 livros todos rabiscados, com atividades feitas, dúvidas anotadas, informações extras nas bordas e tudo mais. Portanto, o melhor livro para aprender inglês não existe. O que existe a melhor atitude para aprender inglês a cada dia. A pergunta é: qual é a sua atitude?

That’s all for now! Take care and keep learning!

80 Dicas Para Aprender Inglês Sozinho

Vira  e mexe, recebo emails de pessoas querendo dicas para aprender inglês sozinho. Confesso que já escrevi aqui no site inúmeras dicas sobre como aprender inglês sozinho. Já até dei dicas de livros para estudar inglês. Tem também dicas de atividades para ser fluente em inglês. Enfim, desde janeiro de 2007, quando o site entrou no ar, sempre me preocupei em dar não apenas dicas de gramática da língua inglesa ou do vocabulário de inglês, mas também dicas relacionadas à atitude do estudante de inglês e das ferramentas que podem ser usadas tanto para quem estuda inglês.

Portanto, se você não leu todas essas dicas, resolvi compilar esta lista com 80 Dicas Para Aprender Inglês Sozinho. a lista possui itens já mencionados aqui no site e também itens novos. Na lista há dicas para melhorar todas as habilidades que você precisa para se comunicar em inglês: speaking, listening, writing e reading. Além disso, há também dicas para melhorar  seu vocabulário e sua gramática. Clique nos links para ler e assim descobrir outras várias dicas que ajudarão você a ficar cada vez mais com seu Inglês na Ponta da Língua.

80 Dicas Para Aprender Inglês Sozinho

  1. Dicas para Aprender Inglês Sozinho
    Vá com calma! Não queira aprender tudo de uma só vez.
  2. Organize-se para aprender inglês.
  3. Não seja um acumulador de materiais de inglês.
  4. Envolva-se com a língua inglesa o máximo que puder.
  5. Arranje tempo para estudar inglês.
  6. Aprenda inglês em casa mesmo.
  7. Não se preocupe com essa coisa de quanto tempo leva para ser fluente em inglês.
  8. Preocupe-se em ser você o melhor aluno de inglês e não em saber qual o melhor livro, a melhor escola de inglês, o melhor professor e coisas assim. Jamais seja o pior estudante de inglês.
  9. Leia um texto curto todos os dias.
  10. Memorize frases usadas em situações específicas.
  11. Mantenha um diário em inglês.
  12. Aprenda a montar frases em inglês sem estresse.
  13. Assine a canais de dicas de inglês no Youtube.
  14. Faça cópia de textos curtos em inglês.
  15. Ouça músicas em inglês.
  16. Aprenda a letra de suas canções favoritas em inglês.
  17. Cante suas canções favoritas em inglês.
  18. Assista a filmes em inglês.
  19. Assista a desenhos animados em inglês.
  20. Leia dicas de inglês regularmente.
  21. Faça pesquisas no Google em inglês.
  22. Tenha um bom dicionário de inglês.
  23. Aprenda collocations.
  24. Mude o sistema operacional de seus eletrônicos para o inglês.
  25. Leia textos em inglês em voz alta.
  26. Ao ouvir uma palestra, faça anotações em inglês.
  27. Use um ator ou atriz como modelo e imite o modo como ele/ela fala.
  28. Troque mensagens via Whatsapp em inglês com aqueles seus amigos que também estudam inglês.
  29. Estabeleça objetivos.
  30. Faça um exame de proficiência internacional.
  31. Fale sozinho em inglês (tenha um amigo imaginário e converse com ele/ela).
  32. Quando estiver esperando em algum local, descreva o local e as pessoas em inglês.
  33. Leia um site de notícia em inglês diariamente.
  34. Decore um discurso ou poema em inglês.
  35. Ouça programas de rádio em inglês.
  36. Aprenda o alfabeto fonético internacional para o inglês.
  37. Escreva pequenas histórias em inglês.
  38. Acesse sites de atividades de inglês e faça-as.
  39. Aprenda as principais regras de ortografia.
  40. Grave-se falando em inglês e compare os áudios de tempos em tempos.
  41. Ensine a outra pessoa o que você estiver aprendendo.
  42. Ouça inglês sem se preocupar com as palavras, mas sim com o contexto geral do que está sendo dito.
  43. Escreva textos falando sobre sua cidade, sua família, sua escola, seu trabalho.
  44. Assista, em inglês, a filmes que você já assistiu em português.
  45. Memorize e repita com frequência diálogos curtos em inglês.
  46. Leia histórias em quadrinhos em inglês
  47. Tente repetir mentalmente em inglês algo que você esteja ouvindo.
  48. Divirta-se com seus videogames favoritos em inglês.
  49. Assista a filmes com as legendas em inglês.
  50. Repita para você mesmo em inglês as coisas que pretende fazer ao longo do dia.
  51. Ao deitar na cama para dormir, repasse os principais fatos do dia pensando em inglês.
  52. Assista em inglês ao mesmo episódio de um seriado várias e várias vezes.
  53. Leia livros em inglês.
  54. Reconheça o seu nível de conhecimento da língua.
  55. Preste atenção ao modo como as palavras são usadas em conjuntos e não isoladamente (chunks of language)
  56. Mantenha uma lista de coisas que você deseja aprender e estabeleça um tempo para cada item.
  57. Coloque rótulos com o nome das coisas em inglês por toda sua casa.
  58. Descreva em inglês as fotos que você vê em revistas, sites, Facebook etc.
  59. Fale em inglês sobre um tema específico durante um minuto.
  60. Não se preocupe com os erros.
  61. Não tenha medo de pronunciar algo errado (mas procure aprender a pronúncia certa).
  62. Não se desculpe por não saber inglês direito (você é um estudante e não um criminoso).
  63. Não traduza absolutamente nada palavra por palavra.
  64. Nunca desista. Continue aprendendo e melhorando cada vez mais.
  65. Comece com o que você realmente precisa (quer aprender inglês para quê?).
  66. Tenhas arquivos de áudio em inglês no seu celular para ouvir enquanto vai para o trabalho, escola, faculdade, igreja, boteco, restaurante etc.
  67. Quando estiver sozinho, experimente pensar em inglês.
  68. Mantenha em mente que saber se comunicar é muito melhor do que saber as regras gramaticais de cor e salteado.
  69. Não se preocupe com as preposições.
  70. Não se preocupe com os sons do th.
  71. Entenda diferença entre gramática normativa e gramática de uso.
  72. Tenha por objetivo falar inglês naturalmente.
  73. Desenvolva o seu vocabulário de várias maneiras.
  74. Divirta-se! Não encare os estudos de inglês como obrigação.
  75. Entenda por que a maioria dos brasileiro não aprende inglês.
  76. Relaxe! Você não precisa falar inglês como um americano.
  77. Entenda que o inglês é uma língua internacional. Não esquente com essa coisa de inglês americano ou inglês britânico.
  78. Leia os livros do prof. Denilso de Lima.
  79. Acompanhe as dicas do site Inglês na Ponta da Língua.
  80. Inspire-se.

Pronto! Essas são apenas algumas das dicas para prender inglês sozinho que conheço. Há ainda outras! Mas, com as listadas acima, você terá muito o que fazer. Você também pode compartilha suas dicas com a gente! Para isso, basta deixá-la na área de comentários aí abaixo.

Pratique Inglês com Batman v Superman

Que tal aprender inglês assistindo ao trailer do filme Batman vs Superman: Dawn of Justice? O filme será lançado em breve, mas isso não impede que você já vá se acostumando com algumas frases (falas) para identificar o que será dito em certos trechos do filme, não é mesmo? Então, vamos lá! [O vídeo15 está no final da dica!]

» Leia também: Aprender Inglês com Filmes

Antes de você ler as frases que estão no trailer, aprenda os chunks of language abaixo. Entenda o significado deles e tente lê-los por completo (não palavra por palavra). Quanto mais rápido você conseguir pronunciar melhor.

  • a figure of controversy » uma figura/pessoa controversa
  • the being » o ser, a entidade
  • have a horrible track record of » ter uma história terrível de
  • Maybe he’s just a guy… » Talvez ele seja apenas um cara…
  • We know better now, don’t we? » Agora nós sabemos muito bem, não é?
  • come from hell beneath us » surgir do inferno abaixo de nós
  • has been so caught » está tão envolvido
  • the feeling of powerlessness » o sentimento de impotência

» Leia também: Assisto aos Filmes com Legendas em Inglês ou em Português

Pratique Inglês com Batman vs SupermanAbaixo, você encontra as falas que são ditas em um dos trailers oficias do filme. Sua tarefa é praticar essas falas várias e várias vezes. Leia-as em voz alta. Repita uma a uma. Preste atenção à pronúncia. Repita quantas vezes quiser. Ouça com atenção. Enfim, explore ao máximo esse pequeno texto durante alguns dias até o ponto de você meio que ter internalizado (memorizado) boa parte dele.

Is it really surprising
that the most powerful man in the world
should be a figure of controversy?
We, as a population on this planet,
have been looking for a savior.
We are talking about the being whose very existence
challenges our own sense of priority
in the universe.
Human beings have a horrible track record
of following people with great power.
And absolute power corrupts absolutely.
Maybe he’s just a guy trying to do the right thing.
We know better now, don’t we?
Devils don’t come from hell beneath us.
– They brought their war here. –
No, they come from the sky.
The world has been so caught up with what he can do
that no one has asked what he should do.
“Go home, go home, go home, go home!”
That’s how it starts.
The fever,
the rage,
the feeling of powerlessness
that turns good men
cruel.
Tell me,
do you bleed?
You will!

E agora, para ficar melhor, assista ao trailer. Enquanto estiver assistindo procure reconhecer os chunks que você aprendeu acima. Você vai notar que quanto mais você praticar mais fácil ficará de ouvir o que é dito. Se você repetiu tudo várias vezes, haverá partes que você conseguirá até falar junto com as personagens. Enfim, divirta-se com isso!

» Leia também: Como Aprender Inglês Sozinho?

Ah! Se você quiser aprender mais sobre como aprender inglês com chunks, venha fazer parte do Inglês na Ponta da Língua Premium. Nessa área exclusiva do site, você receberá semanalmente várias dicas e conteúdo exclusivo para ficar cada vez mais com seu inglês na ponta da língua. Clique aqui para saber mais.

Agora veja o trailer.

Aprender a Falar Inglês Naturalmente: é possível?

Falar inglês naturalmente! Esse certamente é o sonho de muita gente. Você mesmo deve estar lendo este texto pois quer saber o que significa fala inglês naturalmente. O que está envolvido nesse processo? O que deve ser feito? O que aprender? Por onde começar?

Minha intenção neste textão é apresentar a você algumas ideias que os pesquisadores na área falam sobre isso tudo. Falo de coisas que foram essenciais para mim como aprendiza de inglês. Então, para ficar mais interessante, vou te contar antes uma pequena história sobre mim e assim a gente vai se entendendo. Se achar que minha história não tem nada a ver com você, pode parar de ler o texto a hora que quiser. Vamos lá!

MINHA PEQUENA HISTÓRIA

Eu comecei a estudar inglês (sozinho, sem curso, sem viajar para o exterior, só eu e os livros) no começo de 1991. Até o final de 1997, eu tinha aprendido muita coisa.

Denilso de LimaMinha gramática era excelente. Ao fazer testes e atividades gramaticais, eu conseguia acertar 95% das questões. Eu até discutia com propriedade e desenvoltura tópicos gramaticais com falantes nativos. Gramática para mim não era problema. Eu era também muito bom com as palavras. Meu vocabulário era extremamente rico. Eu sabia palavras que muita gente – inclusive nativos – não sabiam. Quando alguém perguntava como se dizia algo em inglês, eu tinha a resposta na ponta da língua. Modéstia à parte, eu era extremamente bom nesses dois pontos.

O curioso é que mesmo sendo extremamente bom, eu não conseguia falar inglês naturalmente. Minha fala era arrastada. As palavras saíam de modo desengonçado. Eu sabia inglês; mas, mas era incapaz de falar inglês com desenvoltura. Entender um filme, seriado ou música era algo sofrível. Quando conversava com um nativo, eu engasgava e mal entendia a pessoa. Mas, ao falar inglês com brasileiros, achava muito fácil. Teve uma época que eu preferia falar com brasileiros a ter de falar com um nativo. Confesso que até pensei em deixar esse tal inglês de lado.

Lá por volta do começo de 1998 – por meio da leitura e do aperfeiçoamento profissional –, percebi o que eu tinha feito de errado até aquele momento.

Eu havia passado 7 anos da minha vida decorando palavras soltas (e também algumas expressões, frases, phrasal verbs, gírias e essas coisinhas), memorizando regras gramaticais (quando for um verbo consoante + vogal + consoante dobre a última consoante antes de acrescentar o –ing: getting, running etc.) e os termos técnicos dos livros de gramática (Present Perfect, Passive Voice, Past Participle, Prepositions, Past Simple…).

Como eu lia muitos livros de metodologia, aquisição de uma língua adicional, neurociência, psicolinguística e afins, percebi que precisava ter incluído, desde o início do meu aprendizado, tópicos que iam muito além da simples gramática com suas regras e termos técnicos e da decoreba mecânica de palavras em inglês.

Esses pontos extras que eu estava descobrindo teriam me ajudado a falar inglês naturalmente muito mais cedo do que eu imaginava. Se quiser saber quais são, continue lendo. Mas, antes vou falar sobre dois pontos que são sempre lembrados quando alguém decide aprender inglês.

GRAMÁTICA e VOCABULÁRIO

Gramática e VocabulárioGramática e vocabulário são as duas primeiras coisas que vêm à cabeça quando alguém diz que vai aprender inglês. Mas, o que exatamente é gramática e vocabulário?

Para a grande maioria das pessoas, gramática é o conjunto de regras que determina o uso da correto da língua. É o famoso falar certo. Já vocabulário são as palavras que precisamos aprender para usar do jeito certo com a gramática.

Assim, a gramática (com suas regras e termos técnicos) é uma espécie de esqueleto sobre o qual acrescentamos a carne e a pele (as palavras soltas que decoramos).

Não tenho nada contra essa visão! No entanto, se você quer mesmo falar inglês naturalmente precisará ir muito além desses dois pontos. Para usar um jargão do momento: você precisa pensar fora da caixinha.

E assim, chegamos aos outros pontos que são extremamente importantes pra quem quer aprender a falar inglês naturalmente. Estes novos itens não são difíceis de serem compreendidos ou aprendidos. O problema é que geralmente os estudantes de inglês (e muitas escolas também) os deixam para os níveis mais avançados. Na verdade, há estudantes que nunca ouviram falar sobre isso e escolas de inglês que não fazem a menor ideia desses pontos.

Essa é a razão pela qual muitos têm a impressão de que estudam inglês há anos e ainda assim não conseguem falar ou entender algo que é dito. Podem ler e escrever bem, mas falar e ouvir é complicado. Sabem muitas palavras e muita gramática, mas na hora de bater um papo naturalmente, engasgam.

Que pontos adicionais são esses? Vamos a eles!

FORMULAIC LANGUAGE

Atualmente, este é o nome que damos para algo também conhecido como chunks of language, lexical items, lexical phrases, multi-word items e outros tantos.

O conceito de vocabulário como palavras soltas  foi ampliado para o tal do formulaic language. Hoje, não devemos focar demasiadamente no ensino/aprendizado de palavras soltas.

Aprender que “go” significa “ir”, não é nada. Pois, ao ler algo como “he’s going grey”, é preciso entender que “go grey” significa “ficar grisalho”. Ao ouvir “I’m going for a walk in the park”, tem de saber que “go for a walk” significa “dar uma caminhada” ou “caminhar”.

Formulaic LanguageA ideia de formulaic language não se limita apenas às palavras isoladas e seus diferentes usos e significados. Quando falamos de formulaic language, estamos incluindo aí coisas como collocations, phrasal verbs, idioms, slang words, phrases, fixed sentences, semi-fixed sentences e tudo mais relacionado ao universo lexical da língua inglesa.

Além disso, formulaic language está também relacionada à gramática da língua. No entanto, não se trata da gramática de regras e termos técnicos. Formulaic language ajuda você a aprender a gramática natural da língua inglesa (mesmo sem decorar regras e termos técnicos). Para entender melhor, leia o texto Aprender Inglês Sem Gramática.

Se eu soubesse disso no começo dos meus estudos de inglês, teria aprendido logo cedo a me expressar de modo muito mais natural. Ao invés de ficar montando as frases palavra por palavra e pensando nas regras gramaticais, eu teria sido capaz de dizer exatamente o que queria do modo certo, no momento certo com a maior clareza do mundo.

Só depois que passei a aprender formulaic language, percebi o quanto meu inglês melhorou. Com isso, tomei coragem para fazer os exames de Cambridge e passei em todos (FCE, CAE e CPE). Além disso, percebi também que meu listening melhorava cada vez mais e eu era capaz de compreender as filmes, músicas, seriados, conversas etc., com muito mais naturalidade.

GAP FILLERS

Os gap fillers poderiam ter sido incluídos na categoria de formulaic language. No entanto, resolvi escrever sobre eles à parte.

De modo bem simples, gap fillers são pequenas palavras ou expressões que usamos naturalmente ao conversarmos e muitas vezes nem percebemos. Em português, palavras como “bem…”, “bom…”, “tipo…”, “tipo assim…”, “olha só…”, “veja bem…”, “então…” e outros mais são exemplos de gap fillers.

Em inglês, alguns gap fillers geralmente usados ao falar inglês naturalmente são: “well…”, “hmmm”, “er…”, “you know…”, “I mean…”, “it’s kind of…”, “it’s sort of…”, “you see” e outros tantos.

O uso de gap filler em inglês é tão comum e frequente que quando passei a percebê-los eu perdi o medo de falar inglês com as pessoas. Eu também consegui fazer e perceber as pausas ao falar ou ouvir inglês.

De acordo com vários, pesquisadores os gap fillers são uma das melhores maneiras para identificar o nível de proficiência de um falante de inglês como língua adicional.

Se eu tivesse aprendido isso no começo dos meus estudos de inglês, não teria passado boa parte do tempo achando que as frases em inglês deveriam ser ditas do começo ao fim sem pausa. Nem teria penado para entender o que as pessoas me falavam.

Eu ia escrever um texto falando só sobre gap fillers, mas o Daniel Silva, do site Inglês no Teclado, já fez isso. Então, leia o texto dele: GAP FILLERS – por que você deve usá-los para falar Inglês (áudio).

PRONÚNCIA

Não quero aqui falar sobre aspectos básicos da pronúncia da língua inglesa. Ou seja, não vou falar nada sobre diferenciar o som de “shit” e “sheet”, “man” e “men” ou fazer os sons do “th” com perfeição. A ideia é falar sobre o que chamamos tecnicamente de características suprassegmentais da língua.

Pronúncia da Língua InglesaCalma! Esse nome horroroso refere-se a um nível mais profundo da pronúncia: stress, intonation, connected speech, rythm, pitch. Enfim, tópicos relacionados à pronúncia que geralmente são tratados quando chegamos aos níveis avançados.

Se desde o começo eu tivesse dado atenção à entonação (intonation), eu não teria tido tantos problemas ao falar inglês naturalmente com alguém. Se eu tivesse aprendido sobre connected speech, não teria ficado boa parte da minha vida achando que os falantes nativos falavam rápido demais. Se eu não tivesse passado boa parte do tempo focado em aprender coisas simples como “os sons do th”, “a diferença entre beach e bitch”, “a diferença entre man e men”, eu certamente teria desenvolvido meu inglês de modo mais natural muito antes de 1998.

Felizmente, aprendi a tempo de me corrigir e ir melhorando. Confesso que ainda hoje não sou perfeito nesses pontos. Mas, nem por isso sou incapaz de falar inglês naturalmente com quem quer que seja. Não sou 100% perfeito (se é que alguém é!), mas causo uma boa impressão.

CONCLUSÃO: falar inglês naturalmente

Se eu soubesse dessas coisinhas simples quando comecei a aprender inglês lá em 1991, eu certamente não teria demorado tanto para começar a falar inglês naturalmente. Esse itens certamente teriam me ajudado muito no começo.

Falar Inglês NaturalmenteNo entanto, não vejo isso como um erro. Valeu a pena! Aprendi muita coisa e esse conhecimento serviu para hoje eu fazer o que faço: dar palestras, escrever livros, pesquisar o processo de aprendizado, manter este site, dar dicas de aprendizado, orientar professores e estudantes de inglês, dar cursos, workshops e muito mais.

Foi interessante passar por tudo isso e hoje – 26 anos depois – ter adquirido essa experiência como estudantes de inglês e como profissional de ensino da língua inglesa.

Claro que isso tudo não servirá para absolutamente nada se você não se dedicar, se envolver com a língua inglesa, estudar com afinco e manter a motivação para aprender inglês. Se tiver tempo, leia Como eu Me tornei Fluente em Inglês.

Fiz inúmeras maluquices para poder aprender e desenvolver a minha fluência em inglês. Já escrevi muito sobre isso aqui no Inglês na Ponta da Língua. Agora, vou começar a falar ainda mais – e de modo mais prático – por meio do Inglês na Ponta da Língua Premium, uma área exclusiva para assinantes que terá dicas e informações sobre tudo o que escrevi acima e muito mais. Portanto, inscreva-se no Premium e mude o modo como você aprende inglês. Não ofereço fluência de modo milagroso (em 18 horas, 4 semanas, 3 meses – isso é papo de quem quer só ganhar dinheiro!). O que ofereço é um conteúdo diferenciado para você também ficar com o Inglês na Ponta da Língua assim como eu e muitos outros também ficamos.

banner inplpremium

Fala inglês naturalmente não é impossível. Mas, é preciso pensar fora da caixinha para perceber como o processo se dá. Espero que tenha gostado do texto. Até a próxima! 😉

Texto em Inglês: Obama on Gun Violence

Nesta dica você encontrará um texto em inglês (com as expressões chaves traduzidas), um vídeo (para treinar o listening e também o speaking) e outras dicas mais para ajudar você a ficar com seu Inglês na Ponta da Língua.

O material é baseado em um discurso que o presidente americano Barack Obama proferiu em um evento para os oficiais de polícia de Chicago.

O tema central do discurso é a violência com armas nos EstadosUnidos. Mas, como a ideia aqui não é entrar na discussão política, vamos apenas estudar e aprender algo. Afinal, o objetivo principal aqui é que você – leitor do Inglês na Ponta da Língua – melhore um pouco e cada vez mais o seu inglês.

[Se quiser mais ler mais algum texto em inglês, visite nossa Coletânea de Textos em Inglês]

O TRECHO DO DISCURSO

» as expressões (palavras) em destaque (negrito) encontram-se explicadas abaixo do texto.

Texto em Inglês: Obama on Gun ViolenceThere are those who criticize any gun safety reforms [1] by pointing to my hometown as an example. They say, well, look, Chicago had a spike in homicides [2] this year, they’ve got gun safety laws, so this must be proof that tougher gun safety laws don’t help, maybe make things worse [3]. The problem with that argument, as the Chicago Police Department will tell you, is that 60 percent of guns recovered in crimes come from out of state. You’ve just got to hop across the border [4]. As I said before, it is easier for a lot of young people in this city and in some of your communities to buy a gun than buy a book. It is easier in some communities to find a gun than it is to find some fresh vegetables at a supermarket. That’s just a fact.

And that’s why the IACP [5 ] and the overwhelming majority of [6] the American people – Democrat and Republican –believe we should require national criminal background checks [7] for anybody who wants to purchase a gun [8]. That’s why the IACP believes we shouldn’t sell military-style assault weapons to [9] civilians. They don’t need them. They don’t need them to hunt a deer [10]. It’s just a simple proposition [11] – cops should not be out-armed by the criminals [12] that they’re pursuing.

As I said, earlier this afternoon I met with families of police officers who gave their lives in the line of duty [13] And I met with families of children here in Chicago who were taken from us by gun violence [14]. And I do this too often [15], meeting with grieving families [16]. I’m proud to be able to express to them that the entire country cares about them and that they’re in our thoughts and prayers, and that we’re sorry for their loss [17]. But I have to tell you – and I know some of you have heard my frustration in the past here – when I meet with these families I can’t honestly tell them that our country has done everything we could to keep this from happening [18] again – from seeing another officer shot down [19], from seeing another innocent bystander [20] suffer from a gunshot wound [21]. And that’s a travesty [22].

Thirty-two cops have been shot and killed this year. At least a dozen children have been shot and killed this month. About 400,000 Americans have been shot and killed by guns since 9/11 [23] – 400,000. Just to give you a sense of perspective [24], since 9/11, fewer than 100 Americans have been murdered by terrorists on American soil – 400,000 have been killed by gun violence. That’s like losing the entire population of Cleveland or Minneapolis over the past 14 years.

And I refuse to accept the notion that we couldn’t have prevented [25] some of those murders, some of those suicides, kept more families whole [26], protected more officers if we had passed some common-sense laws [27].

CHUNKS & WORDS

[01] reformas (mudanças) no controle de armas
[02] teve um aumento nos homicídios
[03] leis relacionadas ao controle de arma
[04] dar um pulinho do outro lado da fronteira
[05] International Association of Chiefs of Police [Associação Internacional dos Chefes de Polícia]
[06] a grande maioria de, a maioria avassaladora de
[07] exigir análise da ficha criminal de qualquer pessoa
[09] comprar uma arma (purchase é um modo formal de dizer buy)
[09] vender armas de uso militar ao cidadão comum (civis)
[10] caçar um veado
[11] É uma proposta bem simples
[12] não deveriam ter armas menos potentes que os criminosos
[13] no cumprimento do dever
[14] foram tiradas de nós devido à violência com armas
[15] faço isso com frequência
[16] famílias enlutadas
[17] lamentamos muito suas perdas
[18] evitar que isso continue acontecendo
[19] baleado
[20] pessoa na proximidade, espectador, pedestre (aqui ele se refere a alguém próximo a um tiroteio)
[21] ferimento a bala
[22] isso é uma zombaria grotesca (travesty » farsa, arremedo, simulacro, paródia)
[23] onze de setembro (dia dos ataques terroristas nos EUA no ano de 2001)
[24] só para dar a vocês uma ideia da proporção
[25] evitado
[26] mantido mais famílias inteiras
[27] aprovado algumas leis mais sensatas

VÍDEO

Agora, assista ao vídeo. Aqui no Inglês na Ponta da Língua já foram dadas várias dicas sobre como usar vídeos em seu aprendizado de inglês. Uma delas é a seguinte: 1) leia o texto acima várias vezes, 2) estude o vocabulário (observe mais as sentenças e como elas são formadas, não foque apenas nas palavras isoladas), 3) tente ler o texto em voz alta e observando o ritmo das sentenças, 4) use o vídeo para aprender esse ritmo e o modo como o discurso é proferido, 5) depois de ouvir e praticar várias vezes, experimente repetir o discurso juntamente com o Mr. President, 6) Pratique, pratique e pratique!

[fbvideo link=”https://www.facebook.com/WhiteHouse/videos/10153865829149238/?permPage=1″ width=”800″ height=”640″ onlyvideo=”1″]

É isso aí! Espero que você tenha gostado desta dica com um texto em inglês. Agora cabe a você, usar esse texto para aprender o máximo que puder e assim melhorar o seu listening, speaking, pronunciation e muito mais.

Assisto aos filmes com legendas em inglês ou em português?

Quem estuda inglês sozinho e faz uso da internet para isso, certamente curte assistir a séries e filmes online. O problema é que muita gente não faz a menor ideia de como tirar proveito disso para aprender inglês. Assim, uma das dúvidas mais frequentes está relacionada às legendas: assistir aos filmes e séries com as legendas em inglês ou em português?

A pergunta parece simples e inofensiva; já a resposta não é tão simples o quanto muitos pensam que é. Infelizmente, não há uma resposta satisfatória.

Mas, antes de seguir este assunto, tenho de tocar em um ponto que muita gente ignora.

Por que você assiste a filmes e seriados?

Você assiste a filmes por prazer ou sempre para aprender algo?Você já parou para pensar nisso? Quando você decide tirar um momento para assistir ao seu filme ou série favoritos, por que você faz isso? É para relaxar ou para aprender inglês?

Essas perguntam soam como absurdas, mas as pessoas tendem a achar que todas as vezes que vão assistir a um episódio de sua série favorita o objetivo é o de estudar inglês.

É preciso saber diferenciar as coisas: assistir por prazer (por simples diversão) é uma coisa e assistir com fins de aprendizado é outra.

O curioso é que na maioria das vezes as pessoas estão tão presas a essa coisa de aprender inglês que acham que todas vezes que forem ao cinema (ou assistir a algo em casa) elas terão a obrigação de estudar o inglês usado nos filmes.

Não sei você, mas eu frequentemente assisto a um filme ou seriado por prazer. O objetivo é relaxar, distrair, sair da rotina. Então, por que é que tenho de me preocupar se coloco as legendas em inglês ou português? a intenção é apenas assistir a algo e passar o tempo (relaxar). Naquele momento a ideia não é fazer uma análise das palavras, expressões, gírias, estruturas gramaticais usadas no filme. Nada disso!

Quando você começar a diferenciar essa coisa de assistir por prazer e assistir para fins de aprendizado, você certamente passará a aprender muito mais coisas naturalmente. Seu cérebro saberá que em um momento não há obrigação de estudar, mas sim de relaxar, curtir o filme (ou seriado) .

Claro que ao assistir a um filme por prazer você poderá aprender algo. Quando eu estou assistindo a algo em inglês, acabo aprendendo alguma coisa que não sabia. Mas, eu não paro de assistir para procurar no dicionário ou ler a gramática. Eu simplesmente continuo assistindo e depois – se eu lembrar! – posso pesquisar aquilo. O fato é que naquele momento, eu quero apenas relaxar.

[Dica » Às vezes, muito raramente, quando eu ouço algo interessante e quero estudar aquilo depois, eu anoto em meu celular ou em um bloquinho de papel que esteja por perto. Faço isso apenas quando algo – expressão, frase, gírias, combinação de palavras etc – realmente chama minha atenção.]

Assistir para Aprender Inglês

Legendas em inglês ou em português??Você está lendo esta dica porque deseja usar filmes para aprender inglês. Logo, quer saber se deixa as legendas em inglês ou em português. Então, vamos lá!

Antes saiba que cada pessoa tem um estilo de aprendizado. Portanto, você poderá usar as legendas de um jeito enquanto sua amiga usará de outro.

Quem está fazendo certo?

As duas pessoas! Se vocês estiverem aprendendo e se beneficiando do modo (método) que cada uma tem, parabéns! Sigam fazendo isso e vão adaptando o que foz preciso adaptar.

O fato é que assistir algo com as legendas em inglês ou em português dependerá de algumas coisas: seu nível de conhecimento da língua inglesa, sua capacidade de ouvir, ler e entender inglês. Além disso tudo, dependerá muito mais da sua força de vontade para usar as legendas a seu favor.

Para facilitar, vou dar algumas dicas de acordo com os níveis de inglês de cada um. Acho que vai ficar mais fácil.

Iniciantes

Seu inglês é básico. Você ainda não sabe muitas palavras, muitas expressões, muitas gírias que a língua inglesa tem. Você também não consegue perceber a malícia no tom como algo é dito. E aí!? O que fazer!?

Nesse caso, você pode escolher uma cena de seu seriado favorito e copiar as legendas em inglês para um caderno. Depois, estude o diálogo. Procure entender as palavras, expressões e tudo mais que estiver nele. Para isso é só usar as legendas em português para entender melhor.

Depois de copiar e estudar as falas, ouça o diálogo várias vezes para aprender o modo como ele é pronunciado. Não foque apenas no som das palavras, vá além. Ou seja, nada de ficar preocupado em ver como o ator faz o som do “th” ou a diferença entre beach e bitch. Preste atenção ao modo como cada frase é dita: pronúncia, entonação, ritmo, velocidade etc. Isso ajudará você a melhorar a sua capacidade de ouvir inglês.

Após ouvir o diálogo várias vezes, tente repeti-lo em voz alta. Procure imitar ao máximo o modo como os atores interpretam cada fala. Isso ajudará você a desenvolver o speaking em inglês.

Enfim, aqui o importante é usar as legendas em inglês e em português para ajudar você a comparar como as duas línguas são colocadas na prática. Você deverá usar as legendas nas duas língua e assim tirar proveito das informações que conseguir colher.

Na dica Aprender Inglês com Filmes, dou um exemplo de como fazer usando uma cena do filme The Avengers. Clique aqui para ler.

Intermediário

Você já sabe um pouco mais de inglês. É capaz de acompanhar com mais naturalidade um diálogo. Para você a dica é a mesma que dei aos iniciantes. No entanto, podemos dificultar um pouco mais.

Para isso, basta repetir as falas da cena escolhida ao mesmo tempo que os atores falam. Você pode fazer isso mentalmente (para entrar no ritmo) e depois partir para a prática e falar em voz alta mesmo.

Isso ajudará você a melhorar o seu speaking e rapidez na fala. Em outras palavras, é uma maneira interessante de você destravar o seu inglês. Para facilitar deixe as legendas em inglês para ajudar a lembrar cada frase.

Depois, quando achar que está com todas as falas na ponta da língua (ou pelo menos as mais interessantes) retire as legendas e tente repetir tudo de memória.

Se você fizer isso com um trecho de 20 minutos de duração, você passará um bom tempo estudando o filme ou episódio da série. Garanto a você que será um aprendizado e tanto. Um salto no desenvolvimento da sua fluência em inglês. Experimente!

Avançado

Ok! Você já é o cara no inglês. Sabe coisa pra caramba! Entende bem! Já manja de muitos paranuês. Então, por que é que você está querendo saber se deve deixar as legendas em português ou em inglês.

É óbvio qua a dica para você é que tente assistir com o som original e sem legendas. Use as legendas em inglês apenas quando precisar tirar uma dúvida, confirmar algo que não entendeu direito e que julga necessário aprender.

Enfim, no nível avançado as coisas mudam e seu cérebro passar a aprender de outro jeito. Vai por mim! O nível aqui é outro e você não precisará bater a cabeça com essas coisas de legendas em inglês ou em português.

Conclusão

Como dito antes, cada pessoa tem um jeito de aprender inglês. Isso tem a ver com o texto Qual o Melhor Método para Aprender Inglês, que escrevi aqui tempos atrás. Ou seja, você certamente, em algum momento ao longo dos seus estudos, encontrará uma maneira interessantes de usar as legendas em inglês ou em português.

O importante é experimentar várias ideias e assim ficar com aquela(s) que considerar interessante e que se adeque ao seu estilo de aprendizado.

O resto é tudo uma questão de se envolver com o inglês, melhorar o seu vocabulário e nunca desistir. Para ajudar mais, leia os textos dos links abaixo.

Ah! Se você tem alguma dica sobre como usa as legendas dos filmes para aprender (estudar) inglês, deixe-a aí na área de comentários abaixo. Sua dica poderá ajudar e estimular outros estudantes. Até a próxima! 😉

Dicas para Melhorar o Vocabulário em Inglês

Perguntei recentemente aos leitores do Inglês na Ponta da Língua quais dicas eles sugerem para quem deseja melhorar o vocabulário em inglês. A pergunta foi feita em nossa página no Facebook e também em nosso perfil no Instagram. Foram várias as respostas dadas.

Decidi então listar algumas delas e assim compartilhá-las com quem não nos acompanha nas mídias sociais. Espero que as ideias dadas por nossos leitores e as dicas complementares que podem ser encontradas no site sejam extremamente úteis para você também melhorar o vocabulário em inglês.

Vamos às dicas!

Ler Muito

Boa parte dos leitores são categóricos em dizer que lê de tudo para melhorar o vocabulário em inglês. O leitor Luiz Fittipalidi escreveu o seguinte:

Ler bastante, mesmo que sejam matérias curtas. E as palavras que não souber procurar num dicionário, de preferência inglês-inglês, procurando o significado no contexto da leitura.

Dicas Para Melhorar o Vocabulário em InglêsEssa dica do Luiz é super legal! Afinal, as palavras podem mudar de significado de acordo com o contexto. Assim, é sempre bom encaixar o significado correto dentro do contexto e evitar as confusões que podem surgir.

Então, faça com a leitora @silnanuvens que enviou a seguinte dica via Instagram:

Read, read and maybe … read a little bit more

Quer mais dicas sobre ler em inglês, então clique nos link abaixo:

Assistir a Seriados e Filmes

A leitora Bia Alarcon escreveu o seguinte:

Vejo seriados em inglês na Sky. Gosto de saber as gírias e expressões do momento.

A dica é muito boa! Pois, seriados e filmes são repletos de expressões e gírias que são comuns entre os falantes nativos de inglês. Mas, se você tem dúvidas sobre como tirar proveito de filmes e seriados, o leitor Lucian Correa manda uma sugestão:

Eu estudo a legenda de algumas séries, pego ela em forma de texto e vou lendo e pesquisando as palavras que não conheço, depois assisto o episódio.

A sugestão dele é parecida com a dica Aprender Inglês com Filmes. Clique aí e leia a dica para saber o que fazer!

O leitor Samuel Vasconcelos Souza deu também uma dica bem bacana:

Anoto as frases dos diálogos das séries que assisto e tento reescrever frases parecidas.

Fazendo isso, o cérebro acaba reencontrando determinadas palavras e expressões. O que ajuda a reter tais palavras e expressões na memória. Tire proveito dos seriados e filmes. Você tem muito a aprender com isso tudo.

Escrever em Inglês

Além de ler, parece que o pessoal também gosta de fazer redações para melhorar o vocabulário em inglês. Foi isso que escreveu a leitora Rayane Lazaro Barros Silva:

Escrever redações de diversos assuntos. Sempre haverá palavras que você não sabe em inglês, você é “obrigado” a pesquisar sobre aquela palavra, afinal você precisa concluir o texto. Resultado: você terá mais facilidade em guardar aquelas palavras estudadas.

O interessante aqui é que ela sugere escrever textos de diversos assuntos. Eu concordo com ela: você pode descrever suas família, seu trabalho, sua vizinhança, você mesmo, seus amigos, sua melhor amiga, sua casa, sua cidade etc. Pode ainda ir para temas mais complexos e aprender o vocabulário (expressões, jargões, palavras, collocations…) de uma determinada área: meio-ambiente, biologia marinha, exército, energia eólica, organização sindical, refugiados e coisas assim. Enfim, a ideia é escrever algo sem pressão. O objetivo é melhorar o vocabulário em inglês e não escrever um romance ou artigo científico.

» Leia também: Dicas Para Melhorar a Escrita em Inglês e Dicas Para Escrever no Business English 

O Uso da Tecnologia

Alguns leitores fazem uso de aplicativos e sites. O leitor Deives Lopes Barbosa deu a seguinte dica:

Ouço músicas pelo app Musixmatch (player de músicas que mostra a letra ao mesmo tempo em que ela toca), sigo páginas internacionais (USA, CANADA, UK) e leio os posts sem o uso do tradutor, costumo usar o Duolingo também.

A leitora Paula Trancolin foi um pouco mais longe. Ela sugeriu uma rede social na qual é possível trocar informações com falantes nativos da língua inglesa. Veja só:

Tem uma rede social chamada Interpals onde a pessoa se cadastra e coloca o idioma que deseja aperfeiçoar e se esta disposta a ensinar o seu idioma. Gostei bastante dessa rede social pois podemos aprender a cultura dos países que falam o inglês com pessoas nativas do lugar.

Marcela Borges Ferreira vai no mesmo rumo,

Converso com estudantes de outros países pelo Skype. Trocar ideias, culturas e o melhor você é obrigado a falar em inglês, não tem moleza.

Como você pode ver a tecnologia deve ser usada para ajudar você a melhorar o vocabulário em inglês. São inúmeros os sites e aplicativos que podem ser usados gratuitamente. Use a tecnologia a seu favor. Se quiser conhecer outros sites e aplicativos para estudar inglês, leia as dicas abaixo:

Ouvir Músicas

Essa é também uma das maneiras favoritas de grande parte dos estudantes de inglês. Um dos que sugeriu isso foi o Giovani Vasconcelos:

Ouço músicas em inglês e canto ao mesmo tempo, assim pratico um pouco.

Essa ideia de cantar ao mesmo tempo ajuda você a desenvolver a sua pronúncia em inglês. O seu cérebro tem de estar ligado no vocabulário, na pronúncia, no ritmo e tudo mais. A minha dica no entanto é que você escolha músicas fáceis, mais calmas, mais lentinhas. Se você inventar de cantar um rap, sinto muito! Você poderá ter problemas! 🙂

» Leita também: Dicas Para Aprender Inglês Ouvindo Músicas

Outras Dicas

Algumas pessoas sugeriram ser curioso, ter um bom dicionário e usá-lo, acompanhar blogs e sites com dicas de inglês, envolver-se com a língua inglesa etc. Enfim, foram várias as dicas dadas. Bem que eu gostaria de publicar todas elas aqui. Mas, não dá! Infelizmente!

Mas, caso você ainda tenha tempo, é só ler as dicas sugeridas por cada leitor na postagem feita no Facebook. Você certamente encontrará algo que para você poderá funcionar bem.

Para encerrar, agradeço a todos que tiraram um tempinho para responder a pergunta feita no Facebook e no Instagram. A participação dos leitores é fundamental para que o Inglês na Ponta da Língua continue ativo. Thank you so much! Ah, se você quiser dar sua dica, escreva-a na área de comentários aí abaixo. 🙂

O Inglês na Ponta da Língua quer saber! E aí!? Qual sua dica para melhorar o vocabulário em #inglês? O que você faz para…

Posted by Inglês na Ponta da Língua on Wednesday, October 14, 2015

5 Erros Comuns de Quem Estuda Inglês

Aqui no Inglês na Ponta da Língua há várias dicas para aprender inglês. Algumas dicas parecem repetidas, mas curiosamente elas sempre trazem algo novo para quem acompanha este site. Isso significa que sempre há algo novo para aprender. Na dica de hoje, você conhecerá 5 erros comuns de quem estuda inglês (ou qualquer outro idioma). Então, vamos começar!

Não ter uma boa base

Ter uma boa base servirá de pontapé para o desenvolvimento que ocorrerá ao longo dos seus estudos. O ideal é que você invista em um curso de inglês ou mesmo em um professor particular. Afinal, você precisa de uma orientação profissional no começo.  Se você tem seus objetivos de aprendizado bem estabelecidos, então a ajuda de um profissional será muito bem vinda. Após algum tempo, nada impede que você siga sozinho. O importante é que você tenha uma boa base para assim ser capaz de saber para que lado realmente ir quando tiver de se virar sozinho.

» Participe do nosso curso online: Aprender Inglês Lexicalmente

Traduzir ao pé da letra

Erros Comuns de Quem Estuda InglêsAntigamente, acreditava-se que traduzir não era nada bom para quem estava aprendendo uma nova língua. Escolas, professores e alunos abominavam as traduções. Não precisa ser assim! Traduzir é uma maneira fácil de ajudar você a compreender algo. Não estamos falando aqui de tradução ao pé da letra. A ideia é traduzir comparando as duas línguas.

Por exemplo, em português falamos “eu sempre quis fazer isso“, já em inglês dizemos “I’ve always wanted to do this“. Se você traduzir a frase em inglês ao pé da letra ficará louco tentando entender o porquê de ser “eu tenho sempre querido fazer isso“. Não faz muito sentido! O segredo é comparar as duas línguas. Ou melhor, entender que em inglês usamos uma estrutura gramatical diferente da do português. O porquê não nos interessa agora. Assim, você poderá criar exemplos para comparar e praticar as duas estruturas:

  • I’ve always wanted to meet her. » Eu sempre quis conhecê-la.
  • I’ve always wanted to read that book. » Eu sempre quis ler esse livro.
  • I’ve always wanted to go there. » Eu sempre quis ir lá.
  • I’ve always wanted to be part of the team. » Eu sempre quis fazer parte da equipe.

Não tenha medo de fazer essas comparações. Você certamente compreenderá de modo mais fácil e natural como as coisas são ditas na língua que você está aprendendo.

Ter medo da gramática

Ok! Gramática é mesmo uma coisa complicada! Afinal, ninguém gosta de aprender aquele monte de termos técnicos sem sentido: Present Perfect, Future Continuous, Passive Voices, ConditionalsPast Simple, Irregular Verbs etc. E as regras!? Ninguém merece decorar um monte de regras meio que sem sentido e depois tentar usar mecanicamente ao montar uma frase.

Gramática é mesmo algo muito chato!

Mas, calma! Você não precisa ter medo da gramática. Na verdade, você não precisa ver a gramática apenas como algo chato e cansativo. Há outra maneira de ver e aprender gramática. Aliás, nos exemplos que dei sobre o “I’ve always wanted to…” acima, você já viu a gramática de outra maneira.

Essa outra maneira é o que chamamos de gramática de uso da língua inglesa. Enfim, não tenho medo da gramática; mas, comece a ver a gramática com outros olhos. Saia da gramática vista como uma coisa (um objeto) e passe a ver a gramática como um processo (algo que acontece naturalmente). Leia mais sobre isso na dica Aprender Inglês sem Gramática.

Não focar na pronúncia

Aqui temos os dois lados da moeda. Não focar na pronúncia é um grande erro. Mas, focar demais na pronúncia é outro grande erro.

Não ignore a pronúncia totalmente. Desde o começo, procure notar os sons da língua inglesa. Aprenda a diferenciar um som do outro. Reconheça os sons que são diferentes na língua portuguesa e na inglesa. Preste atenção ao modo como as palavras são pronunciadas. Não só as palavras mas também as frases completas, expressões, gírias, collocations, phrasal verbs e tudo mais. Fique atento ao modo como a entonação pode mudar o significado do que está sendo dito. Enfim, foque na pronúncia! Isso ajudará seus ouvidos a se acostumarem com a língua.

Por outro lado, não seja tão exigente na pronúncia consigo mesmo. Ou seja, se você não consegue fazer aquele negócio do th igualzinho a um inglês, não se preocupe. Os sons do th não existem em português, logo é natural que muitas pessoas não consigam reproduzi-los da mesma maneira que um americanos. Não seja tão exigente a ponto de desistir de aprender inglês por causa de um som ou outro. Tenha paciência! Hoje você pode ter dificuldades, mas amanhã poderá ver que está se comunicando sem problemas. Aí é só continuar se aperfeiçoando para melhorar cada vez mais e mais. Uma coisa é certa: não tente ser perfeito logo de primeira; seja paciente!

Desistir fácil

Aprender uma língua não é algo que acontecerá de uma hora para outra. Então, não desista; persista! Você terá dificuldades em alguns momento; mas e daí? Quem não tem? O erro da maioria é sempre desistir no começo. Não caia nesse erro! Quando estive se sentindo desanimado, procure ver o quanto você progrediu desde que começou. Não importa se foi pouco ou se foi muito; o que realmente importa é que a cada dia você está aprendendo algo novo e uma hora tudo isso valerá a pena. Então, siga em frente! Não pare!

Esses são os 5 erros comuns de quem estuda inglês. Em minha opinião, são os 5 erros que desanimam muita gente a continuar aprendendo. Se você vencer combater esses 5 erros, tenho certeza que você aprenderá inglês da melhor maneira possível e do modo como sonha.

Leia também:

» 5 Dicas Para Você Aprender Inglês em Casa
» Como se organizar para aprender inglês?
» [Vídeo] 7 Pecados Capitais de Quem Estuda Inglês
» Como Aprender Inglês Sozinho?
» Como Desenvolver o Hábito de Estudar Inglês
» O que significa se envolver com o inglês?