Exames de Proficiência em Inglês: Qual fazer?

Ontem escrevi uma dica sobre livros preparatórios para o TOEFL. Curiosamente, a dica gerou inúmeras perguntas e eu quase enlouqueci. Então, para resolver o assunto – ou pelo menos tentar resolvê-lo – mudei a programação de textos do blog e estou escrevendo a dica de hoje em caráter emergencial. Então vamos lá!

As perguntas mais comuns que recebi foram: Qual exame de proficiência em inglês fazer? Qual o melhor? Qual o recomendado para quem quer ser professor de inglês? Qual a melhor pontuação? Qual a diferença entre um exame e outro? O exame tal não serve de nada? Vamos às respostas.

» Qual exame de proficiência em inglês fazer?

De modo geral, você pode fazer o exame que quiser. Não há uma sequência. Portanto, estabeleça alguns objetivos e corra atrás deles.

Quando eu decidi fazer um exame de proficiência em inglês, optei pelo FCE. Minha opção foi baseada nos seguintes fatores: 1) o centro aplicador ficava perto da cidade na qual eu morava, 2) o FCE é um exame de nível intermediário a pré-avançado, 3) todo o material que eu tinha era de inglês britânico; logo, o FCE era o exame perfeito para mim. Tomada a decisão,  estabeleci objetivos, arrumei os materiais necessários, organizei o tempo e peguei firme nos estudos. Fiz o exame e passei.

Exames de Proficiência em Inglês

Mas, caso você trabalhe em uma empresa na qual um exame específico (TOEIC, BULATS, etc.) é exigido, então estude para fazer esse exame. Está pensando em fazer uma pós-graduação, MBA, curso de graduação, etc., em um país de língua inglesa? Verifique com a instituição qual o exame que eles exigem e estude para ele. A pontuação exigida pode variar de uma instituição de ensino para outra. Portanto, leia as exigências da instituição na qual você deseja se matricular e prepare-se para o exame exigido.

» Qual o melhor exame de proficiência em inglês?

Não há o melhor! Tudo dependerá de uma série de variáveis. De modo mais direto, a principal variável é o seu objetivo.  Quando eu fiz o FCE, eu o fiz por achar que seria o adequado para mim na época. Eu queria saber como estava meu inglês. Eu poderia ter optado pelo TOEFL, mas teria de viajar muito para poder fazer a prova. Fiz o FCE e passei. Então, estudei para fazer o CAE. Passei! E aí estudei para o CPE. Também passei! Obter essas certificações eram meus objetivos pessoais. Não segui uma ordem por um ser melhor que o outro. Fiz nessa sequência por ser uma questão de objetivos.

Você pode se preparar para o TOEIC, o TOEFL, o IELTS, etc. A decisão é sua! Você deve apenas estabelecer objetivos. Ou seja, você pode se preparar para o TOEFL e estabelecer uma pontuação a ser atingida (seu objetivo pessoal). A pontuação vai de 0 a 120. Logo, você pode se preparar para alcançar 80 pontos. Estude, prepare-se, faça o exame e veja como se saiu. Após isso, estude para alcançar 100 pontos. E busque os 100 pontos. Continue estabelecendo objetivos e alcance-os. O exame que você tiver é uma vitória pessoal sua; logo, todos valem a pena.

Lembre-se: no caso de uma faculdade ou empresa, o melhor exame será aquele que eles exigem. Se eles pedem o TOEFL e não aceitam outros, estude para o TOEFL.

» Qual a melhor pontuação?

Depende do que é exigido ou do seu objetivo! Como dito antes cada instituição exige uma pontuação diferente. As empresas avaliam o inglês dos candidatos de acordo com a pontuação alcançada em um exame. Seu objetivo pessoal também conta. Você não vai fazer um TOEIC para tirar 20 pontos; seu objetivo é alcançar mais de 50% dos pontos válidos. Portanto, tudo é uma questão de estudar.

Cada exame tem um sistema de pontuação diferente. Portanto, procure entender o sistema do exame que você pretende. Entender a mecânica do exame ajuda você a não correr o risco de pagar pelo exame e tirar uma nota ruim.

» Qual a diferença entres os exames existentes?

Os exames existentes atender as mais variadas necessidades. KET, PET, FCE, CAE e CPE avaliam o inglês de modo geral. O IELTS e o TOEFL avaliam o inglês para fins acadêmicos. Tem ainda os BECs, BULATS e  TOEIC para o mundo dos negócios. O ILEC serve para o pessoal da área de direito. Há inúmeros exames disponíveis de mercado. As diferenças entre eles está no formato, no modo de darem os resultados finais, no tipo de inglês sendo avaliado (específico, geral, profissional, etc.). Portanto, é preciso pesquisar cada exame.

» O exame tal não serve para nada?

Todos os exames servem como conquista pessoal. Você estudou e passou. Você atingiu um objetivo. Portanto, todos valem. Mas, há exames que não são aceitos por uma faculdade ou outra. Afinal, assistir a uma aula em uma faculdade ou participar de grandes negociacões você precisa ter um bom conhecimento e desenvoltura com a língua. Em resumo, para fins pessoais todos os exames valem muito a pena. Já para fins acadêmicos e profissionais, você precisa correr atrás daquele que é mais exigido.

» Eu quero ser professor de inglês, que exame devo ter?

Pense bem! Um professor de inglês que fez um TOEFL e alcançou a nota 95 está feliz da vida. Mas, se ele quer ser um profissional na área deverá procurar melhor sempre. Quando começar a tirar 120 pontos, deverá manter a nota. Como profissional na área, esse professor deve estar estudando e procurando se manter atualizado sempre. Uma professora pode pensar em fazer o FCE, mas se quiser progredir na carreira deverá ir atrás de um CPE e melhorar a nota sempre. Os professores podem ainda fazer exames/cursos específicos para a área: TKT, CELTA, DELTA entre outros. O céu é o limite para o aperfeiçoamento profissional.

» Para finalizar, leia as dicas abaixo:

Artigos Relacionados
Comentários