Exames de Proficiência em Inglês

Certificação Internacional: Exames de Cambridge

Dias atrás escrevi aqui sobre A Importância de uma Certificação Internacional, texto no qual ressaltei o fato de que uma excelente escola de idiomas deve garantir que no final do curso você obterá um cerificado como TOEIC, TOEFL, Cambridge, etc. No mesmo texto, citei alguns dos mais importantes. No entanto, continuei recebendo inúmeros e-mails e mensagens de pessoas querendo saber mais sobre os famosos exames de Cambridge.

Para começo de conversa saiba que a Universidade de Cambridge, na Inglaterra, tem um departamento chamado Cambridge ESOL, que é o departamento responsável pela criação, aplicação e avaliação dos famosos exames de Cambridge.

A Cambridge ESOL administra exames que são voltados para estudantes e professores de inglês. Ou seja, há os exames gerais para determinar o nível de conhecimento linguístico de um aluno e há também exames voltados para professores de inglês que buscam aperfeiçoamento profissional. Os exames mais conhecidos são os voltados para General English: KET, PET, FCE, CAE e CPE.

Todos eles são exames que avaliam o conhecimento geral que uma pessoa tem sobre a língua inglesa. Vale dizer aqui que esse conhecimento geral não se refere a saber termos técnicos de gramática, regras gramaticais e coisas do tipo. Em cada exame o candidato é avaliado em relação às suas habilidades para usar a língua inglesa em várias situações.

O KET (Key English Test) e o PET (Preliminary English Test) são exames de nível básico. Por conta disso, não são exames aceitos por universidades e empresas no mundo todo. Os que realmente causam mais impacto no mundo profissional são FCE (First Certificate in English), CAE (Certificate in Advanced English) e CPE (Certificate of Proficiency in English).

Uma pergunta que muita gente faz é se há a necessidade de seguir a ordem para fazer essas provas da Cambridge. A resposta é não! Ou seja, você pode se candidatar para fazer o CPE mesmo sem ter feito os outros exames. Contudo, vá muito bem preparado para a prova; afinal, o CPE é tido como o exame de proficiência mais difícil do mundo. Meu conselho é que você vá com calma. Prepare-se para cada um deles e tenha como objetivo ir passando em cada um aos poucos. Assim, você além de melhorar no inglês, começa também a entender a mecânica das provas.

Cada prova tem formato e tempo específico. Por exemplo, o FCE (nível intermediário-superior) possui cinco partes (papers): Paper 1 – Reading (1 hora), Paper 2 – Writing (1 hora e 20 minutos – são duas redações), Paper 3 – Use of English (45 minutos), Paper 4 – Listening (40 minutos), e Paper 5 – Speaking (14 minutos). Como você pode ver são quase 4 horas de provas. Já o CPE são quase seis horas de prova.

No site Cambridge ESOL você pode baixar o manual do candidato para cada exame. Pode também baixar modelos completos das provas de cada exame. Há ainda uma área para testar o seu inglês. São 20 questões de múltipla escolha e no final o sistema diz qual o exame mais indicado para você. Qual será o nível indicado para você? FCE? CPE? Faça o teste e descubra!

8 Comentários

  1. Eu tenho uma dúvida sobre esses exames. Eu posso escolher entre inglês britânico e inglês americano? Existe algum teste que é aplicado no inglês americano?

  2. Rebeca, Essa dicotomia (divisão) – inglês britânico e inglês americano – hoje em dia praticamente deixou de existir. Atualmente falamos de Inglês Internacional. Ou seja, uma pessoa estuda inglês para falar com mundo todo e assim se comunicar e entender um italiano falando inglês a seu modo, ou um indiano falando inglês a seu modo, etc. Logo, a grande maioria dos exames privilegiam o inglês internacional e não apenas uma variedade ou outra. No entanto, saiba que o exames TOEIC e TOEFL são mais americanos e os da Cambridge são mais britânicos. Porém, cuidado; pois, na prova de listening você poderá ouvir um sul-africano ou mesmo um neozelandês falando inglês do jeito deles e acabar sendo surpreendida. O melhor é se acostumar a entender inglês em todas as sua variedades e falar uma que seja mais próxima do padrão internacional.=]

  3. Olá Denilso,Terminei meu curso de inglês tem uns 4 anos. Fiz o teste no site da Cambridge ESOL, que me indicou o FCE. Só que eu não estou me sentindo segura para fazer sem ver muitas coisas a um tempo.Tem algum curso específico para essas especificações?

  4. "Essa dicotomia (divisão) – inglês britânico e inglês americano – hoje em dia praticamente deixou de existir."Me lembro no meu primeiro dia da pós-graduação, na Birmingham University, Inglaterra. o meu year manager, na aula magna, perguntou: "quem aqui escreve em ingles americano? alguns levantaram a mão. Entao ele disse: "por favor, aqui nao!" Portanto, Denilso, quando falas que o a divisão praticamente nao existe, em muitos casos, ela ainda perdura, e o importante mesmo é saber os 2.

  5. Adoro quando pessoas com autoridade deixam comentários Anônimos. O que custa assinnar o comentário? Enfim, vamos lá!Infelizmente, algumas pessoas arcaicas continuam fazendo essa divisão e privilegiando uma à outra. Para mim são dinossauros que perduram em insituições de ensino e acham que a língua do passado é a mesma do present e continuará sendo a mesma do futuro.No entanto, devo admitir que se o cidadão está estudando em uma instituição britânica, ele deverá escrever de acordo com o padrão exigido pela instituição. É por isso que muitas faculdades no países de língua inglesa possuem os Writing Clinics, departamentos que ajudam os alunos a escreverem melhor e dentro do padrão exigido pela faculdade. Nesse caso, todos nós – defensores de uma variação linguística ou outra – teremos de passar por um Writing Clinic para aprendermos a escrever direito.Seu professor pelo visto não acomapanhou as novidades do tempo, as dicussões envolvendo a língua e coisas do tipo. Por isso, fez uma piada infeliz, sem graça, preconceituosa e passível de contestação.Por fim, fica a dica que dou em outros textos do blog: se vocë for estudar na Inglaterra, aprenda o inglês falado na Inglaterra; se for para a Austrália, aprenda o inglês da Austrália; se for para o Canadá, aprenda o canadense; etc. Se for a uma reunião de negócios de uma empresa irlandesa, procure falar um inglês neutro e que seja compreensível para todos os participantes. Em resumo, não aprenda o inglês padrão internacional e deixe o americano ou o britânico para quando você achar que precisa realmente se aperfeiçoar neles.Antes de encerrar, lembro que essa ideia é defendida por autores de renome internacional no ensino de línguas: Jeremy Harmer, Scott Thornbury, Michael Hoey, Michael Lewis, e tantos outros. Ou seja, a ideia não é de um blogueiro brasileiro, professor de inglês, autor de livros e palestrante. Eu apenas adapto a mensagem para o nosso contexto.Take care!

  6. Eu fiz o PET exam no começo de dezembro de 2011 e o resultado saiu dia 21 de janeiro, onde posso ver se passei?

  7. Oi Denilso! O que dizer sobre o EFCELT que é um teste da EF Englishtown que vem com o selo da universidade de Cambridge? Quem reconhece este certificado? Vale a pena ter? Até mais! Um abração.

  8. Olá Denilson,
    Tudo bom?

    Estou fazendo intercâmbio na Irlanda e gostaria de tirar o FCE. Andei pesquisando e consegui achar o livro first certificate in english 7, esses números indicam atualidade do livro ou coisa do tipo? Você tem alguma dica de material de estudo free?

    Obrigada!

    Abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar