Dicas Para Aprender Inglês

Um pouco mais da Abordagem Lexical!

No artigo que publiquei no dia 30 de julho – Por que não sou tão fã de gramática? -, citei brevemente a Abordagem Lexical. Isto fez com que vários leitores – professores e alunos – me enviassem vários e-mails querendo saber mais a respeito dela.

Como sou um apaixonado por tal abordagem e estudioso da mesma desde 1998 decidi dedicar um pouco mais de palavras a ela. Vale dizer que este blog, meus livros, treinamentos, workshops, consultorias (para escolas de idiomas) e tudo mais que faço em termos de ensino da língua inglesa são baseados na Abordagem Lexical [Lexical Approach] e sua pulgação no Brasil.Este “lexical” no nome da abordagem quer dizer, de modo bem simples, vocabulário. No termo vocabulário é muito vago, então falamos léxico, que na Abordagem Lexical é algo que vai muito além das palavras isoladas. Ou seja, na Abordagem Lexical a ênfase é dada na aquisição de Itens Lexicais (vamos falar disto logo abaixo).

Pausa para reflexão (pule estas letras miúdas se quiser, mas é bom ler para pensar a respeito):
A maioria das abordagens de ensino de línguas no Brasil são o que chamamos de Abordagens Baseadas em Gramática. Até mesmo a mais utilizada no Brasil – a Abordagem Comunicativa – é baseada quase que 85% em gramática (por mais que digam que isto é mentira, eu continuo afirmando que é verdade). Um segredo a ser revelado: os pais da Abordagem Comunicativa a criaram para fugir da tradição gramatical ferrenha exigida nas décadas de 1960 para trás. Porém, o pessoal (professores, coordenadores, escritores, editoras, etc) não conseguiu se ver livre da gramática e acabaram metendo gramática dentro da Abordagem Comunicativa. Pois para este povo todo gramática é a base de sustentação (e aquisição) de uma língua. Assim, a “Abordagem Comunicativa” que muitas escolas dizem usar não se assemelham em praticamente nada com a Abordagem Comunicativa original conforme proposta pelos lingüistas da década de 1970 e 1980. Uma pergunta para este pessoal: se gramática é a base de sustentação e aquisição de uma língua, então meu filho quando nascer deve ganhar de presente uma gramática da língua portuguesa, certo? E ele só vai falar comigo depois de ler toda a gramática normativa, não é?

Na Abordagem Lexical, como você viu, o conceito de vocabulário é ampliado para Itens Lexicais . Os principais Itens Lexicais são: palavras isoladas, polywords, collocations e sentenças completas. Palavras isoladas são nada mais do que qualquer palavra. Sobre polywords já falei aqui no blog. Sobre collocations há também um artigo falando a respeito. Já sobre sentenças completas tem muita coisa neste site e no artigo do dia 30 de julho.

De acordo com os teóricos da Abordagem Lexical a gramática já esta integrada nos Itens Lexicais e, portanto, não há a necessidade de ficar fazendo a autópsia das sentenças. Ou seja, mais vale você aprender um monte de Itens Lexicais (frases prontas, expressões, sentenças, etc) que contém, por exmeplo, a estrutura conhecida como Present Perfect, sem ter que ficar pensando que aquilo é o Present Perfect, que deve ser usado quando isto e quando aquilo, que tem de pôr o verbo principal no partícipio passado, etc, etc, etc. Dê uma olhada no kit básico que fiz sobre o Present Perfect aqui no blog e você entenderá um pouco mais isto.

A vantagem para você, como aprendiz da língua inglesa, ao estudar em uma escola que usa a Abordagem Lexical é o fato de não ter de ficar decorando regras gramaticais, termos técnicos e lista disto e lista daquilo. Você simplesmente aprende expressões, collocations, frases, sentenças, etc que são usadas nas situações mais corriqueiras. O legal é que a Abordagem Lexical, quando aplicada corretamente, também ajuda você a se tornar um aluno autônomo, ou seja, você aprende técnicas para aprender inglês por conta própria depois que terminar o seu curso.

No Brasil, algumas escolas usam a Abordagem Lexical. Avaliando o material delas, eu noto que apenas uma chega realmente perto do que nós esperamos de um método baseado na Abordagem Lexical. Se a moda pega, vocês não têm idéia de como o ensino de inglês no Brasil vai mudar!

Tem muito a ser dito sobre a Abordagem Lexical. Falta falar do papel do cérebro na aquisição de uma língua (pesquisas recentes e sérias), do conceito de equivalência (tradução), a mudança de conceitos para os professores, etc. Releia este artigo quantas vezes quiser e mande par quem você quiser! Qualquer comentário, dúvida, crítica, sugestão, idéia, bronca, etc pode mandar que eu assumo a responsabilidade (rsrsrsrsrsrsrsrs).

Livros sobre a Abordagem Lexical:

Inglês na Ponta da Língua (em português) – a Abordagem Lexical explicada do ponto de vista do aluno, com dicas de aprendizado de vocabulário e muito mais.
The Lexical Approach (em inglês) – leitura obrigatória para professores de inglês que levam a profissão a sério e não apenas como um bico.
Implementing the Lexical Approach (em inglês) – seqüência de The Lexical Approach.

Botão Voltar ao topo
Fechar