Perguntas dos Leitores

    Por que não sou tão fã de Gramática?

    Alguns leitores me questionam o fato de eu não ser muito fã de gramática e por não falar muito de regras gramaticais aqui no blog. Diante disto, decidi compartilhar a resposta com todos.

    Antes de continuarmos veja só o que um lingüista brasileiro tem a dizer sobre o conhecimento de Gramática Normativa para quem quer se comunicar em português:

    Para a grande maioria dos falantes nativos de uma língua, o que importa é ser comunicativamente competente em sua língua. Ter conhecimento sobre a língua e/ou ser analista da mesma importa a pouca gente (lingüistas, gramáticos, teóricos da língua em geral, professores de língua materna e estrangeira e em menor grau a alguns profissionais que se valem diretamente da linguagem, tais como jornalistas, publicitários, revisores, etc). [Gramática – Ensino Plural, Travaglia]

    São por causa de palavras assim que eu, como Profissional de Ensino da Língua Inglesa, evito mencionar os tecnicismos da língua inglesa. Acredito que uma pessoa que queira aprender uma segunda língua para se comunicar com outras pessoas não precisa saber da teoria gramatical.

    Uma pessoa que deseja se comunicar em inglês pode aprender a dizer “have you ever been to…?” (você já foi para…?), sem ter a necessidade de analisar gramaticalmente a sentença. Como diria um amigo meu: “a gente quer é se comunicar e não ficar fazendo a autópsia das sentenças“.

    Claro que conhecimento de Gramática Normativa (regras e os nomes dos termos técnicos) pode ajudar o aluno em algum momento. Porém, não faz a menor diferença na hora de expressar uma idéia (se comunicar).

    Antes que alguém me chame de louco, tenho de dizer que há uma abordagem de ensino de idiomas conhecida como Lexical Approach (Abordagem Lexical) que, em resumo, afirma o seguinte:

    Para se aprender uma língua o importante é aprender vocabulário. Porém, isto não significa que você deve ficar decorando palavras isoladas. Você deve, na verdade, ver vocabulário como algo maior, algo mais abrangente, mais amplo. Este ‘algo’ nós chamamos de Itens Lexicais (Lexical Items). Muitas vezes uma sentença completa é um item lexical (ou seja, é um vocabulário). Pense nas pessoas que nunca estudaram inglês e são capazes de dizer ‘the book is on the table’. Elas aprenderam a dizer a sentença por completo, elas não tem a menor noção da teoria gramatical por trás da sentença. Tem ainda as pessoas que entendem (e falam) ‘what’s your name?’ e dão a resposta sem titubear. Isto mostra que uma sentença completa pode ser facilmente aprendida por quem quer que seja e sem a necessidade de conhecimento dos tecnicismos da gramática.[Denilso de Lima em workshop a professores]

    A Abordagem Lexical em termos mais simples é uma abordagem de ensino de idiomas no qual você aprende vocabulário, gramática e pronúncia de modo integrado. Isto é, você aprende os três juntos e não isoladamente. A vantagem para o aprendiz é que o curso dura menos tempo (dependendo da vontade do aluno pode durar até 1,5 ano). Outra vantagem, é o fato de você aprender a se comunicar de modo real e natural e não mecânico. Sem contar que tudo o que você aprender não tem de ficar analisando minuciosamente e decorando as regras gramaticais e os nomes esquisitos da nomenclatura gramatical.

    Vocês já devem ter entendido a razão pela qual eu não falo muito de Gramática Normativa por aqui. Sou contra enfia teoria gramatical na cabeça de alunos. Sou adepto ferrenho da Abordagem Lexical (meu primeiro livro até explica tal abordagem de modo simples para alunos e professores).

    Como sei que o assunto é polêmico e tem professores que visitam este blog, fiquem à vontade para perguntar, criticar, sugerir o que bem quiserem na área de comentários, ok? Have a nice day, you all!

    19 Comentários

    1. Concordo com vc… Minha professora de Inglês inclusive disse que adquiriu fluencia primeiro, morando nos EUAs e aprendeu as regras gramaticais quando começou a lecionar. Sabia fazer as colocações corretas, mas não sabia explicar o porque.Estou apredendo a lingua e confesso que fiquei um pouco frustada ao ingressar no módulo Avançado e ao ouvir um video em inglês não conseguir entender quase nada, pegar uma revista como a newsweek e tb não conseguir saber o que era verbo, substantivo.. mas entender o assunto… Hj tenho me desenvolvido melhor na lingua, estou estudando e parei de fazer "autópsia" nas frases…rsrsHeloisa Motoki

    2. Bom dia caro professor Denilso.Gostei muitíssimo do seu artigo sobre gramática. Desde que inicie meu curso de inglês alguns vinte anos atrás tinha essa dificuldade, o professor só insistia em questões gramaticais. ficava fulo da vida. até hoje tenho aprendido mais por ouvir, ler, errando e nos últimos dois anos tenho apendido mais com o blog inglês na ponta da língua do que meus váriso colegas de trabalho que vão a escola bacana. Certa ocasião minha chefe me propôs um curso de inglês avançado, eu agradeci, e respondi, já tô fazendo, ela perguntou onde. No blog inglês na Ponta da Língua, lá não tem gramatiquês…

    3. Hello Everyone,Obrigado pelos comentários! Vamos esperar que mais pessoas se manisfestem!Take care…=====Dear David,Se não fosse boa não apareceria neste site! Eu recomendo! Caso você venha estudar em uma unidade InFLux e não considere tão boa assim, favor me avisar que tomaremos as devidas providências para saber o que houve!Denilso

    4. Boas, Denilsoprimeiro, Ótimo trabalho!gosto do conceito do Lexical Approach, porém conheço pouco sobre a metodologia prática, ou seja, como ensino meus alunos usando o lexical approach? Estou pesquisando mais a fundo e gostaria de algumas dicas de livros que posso utilizar de apoio ao ensino e qualquer material que me guie para preparar as aulas!meu email é [email protected] se preferir.Obrigado! Rafael Saito

    5. Boas, Denilsoprimeiro, parabéns pelo ótimo trabalho!gosto do conceito do Lexical Approach e gostaria de ensinar meus alunos através desse método. Porém ainda tenho muitas dúvidas. Tem algum livro para os alunos que segue essa metodologia? E também, gostaria de mais fontes que me guiassem para preparar as aulas… tenho pesquisado sobre o conceito do lexical approach, mas ainda não tenho conhecimento prático desse método!pode responder no meu email, se [email protected] Saito

    6. Partilho com você a mesma opnião.Tenho como meta a boa comunicação, formal e informal. De forma correta é claro. Destrinchar gramática eu deixo para aqueles que que vivem disso.

    7. Oi Denilso,Parabéns pelo site e pelas dicas. Estava enferrujada no inglês pois há 10 anos não estudava. Recomecei a estudar pela gramática e estava quase desistindo quando encontrei o seu site. Estou adooorando! Também gostaria de mais informações sobre o Lexical Approach.ObrigadaMirian

    8. Ola, Denilso!Já acompanho seu blog há algum tempo, e uma das coisas que me atraem nele é justamente essa sua atitude para com a gramática.Só tive aulas formais de inglês na escola, e me lembro de achar um absurdo os professores tentando enfiar na nossa cabeça aqueles negocios de past simple, present perfect, etc (que diga-se de passagem, até hoje eu não sei identificar hahaha)! Aposto que a maioria dos native speakers também não sabem isso!No mais, keep up the good work, see you!

    9. Boa tarde a todos. Tenho facilidade com o idioma Inglês, o q sei aprendi sozinho, só não entendo tudo o q os nativos falam. Gostaria de dar aula, é necessário que eu saiba tudo tudo de gramática? Bye !

    10. Caro Colega Denilso!Também como profissional do ensino da Língua Inglesa há 24 anos, permita-me discordar das "enormes vantagens" da "Lexical Approach", corrente que , bastante popular há cerca de 15 anos na Europa, provou não ser totalmente a mais adequada, quando abordada na sua vertente mais pura! Isto pk não basta saber uma lista, um grupo de palavras ou expressões para nos fazermos comunicar com alguma eficiência numa lingua estrangeira. Regras gramaticas servem para explicar como a língua funciona, tornando-a mais transparente e algo com sentidopara quem a aprende como Lingua II. Nem tudo é vocabulário e nem tudo é gramática. Uma lingua compõem-se de ambos os aspectos, pois o aprendente de Lingua 2 não a adquire da mesma forma que um Native Speaker!Your European Colleague, Isabel. Cheers!

    11. Estou viajando no seu blog,você realmente abriu minha mente para muitas dúvidas que existiam dentro da minha cabeça estudo inglês a tantos anos e sempre procurei respostas pra tantas dúvidas e achei a pessoa certa!Caramba vc nem imagina como ta muito legal aprender collocation uma das cadeiras que estou pagando na faculdade com um professor que é craque nisso tudo e muito mas,eu simplismente estava perdida mas agora tenho vc valeu!Abraço Vou navegar agora!kkkk sim Vou comprar seu livro!Luciana Sá

    12. Como os colegas citaram acima, também gostei do conceito da Lexical Approach e gostaria de ensinar meus alunos através desta abordagem. Como faço para obter mais informações acerca? Como preparar aulas e coisas assim? Obrigada e parabéns pelo blog!!Meu e-mail:[email protected]!!Selma Bastos.

    13. Isso é verdade, o importante pra gente é se comunicar, nisso eu quero saber do professor, como fazer entao para aperfeçoar mais o meu ingles, estou num nivel avançado mas ainda tenho deficuldade em exprimir o meu ingles para fora.Se muitos outros outros colegas souberem a maneira como eu posso me enquadrar no meu ingles, por favor agradecia imenso.Aqui fica o meu e-mail para mais sugestoes, para quem souber de algo para me [email protected]

    14. Ola Denilson Nossa seu blog eh MARAVILHOSO To aprendendo muitas coisas aki So q eu tenho um problema …. Eu consigo entender muitas coisas em ingles mas na hora d fala tenhi muita dificuldade eu travo muito sei la um poko eu acho q eh d vergonha …Como vc poderia me ajudar nisso?!Obrigada Bruna Fonseca…

    15. Caro anônimo. Antes de você se "aperfeIçoar" em inglês, aprenda o português, então você irá se "exprimir" melhor, e, me "agradecerá imensamente"! ou não…

    16. O lexical approach, recorte linguistico sao sim interessantes, porem a gramatica nao pode ficar de lado, caso muito simples no qual a gramatica impera é no seguinte contexto:If they travel, I will buy a houseIf they traveled, I would buy a houseIf they had traveled, I´d have bought a houseNesse caso, o Lexical approach nada pode fazer! Acho que tudo deve ser levado em consideracao: Listening, gramatica, lexis (vocabulario), e conversacao. O que tem de vantajoso no lexical approach é que vc estuda conjunto de palavras e nao palavras isoladas. O motivo de o aluno demorar muito a aprender é pq estuda as palavras isoladamente, nao percebe as collocations, grau de formalidade do texto, etc.Acho que ensinar a gramatica é valido desde que nao seja o foco, nao se prenda a terminologias (noun, subjunctive, etc), o que vale é entender como funciona. É O CONJUNTO DA OBRA

    17. Prezado Anônimo acima, muito obrigado por seu tempo e comentário aqui nessa postagem.Permita-me dizer que a Lexical Approach pode sim fazer muita coisa pelo ensino das if-clauses ou conditional sentences. Jimmie Hill, também especialista em Lexical Approach, escreveu um artigo mostrando aos professores como é possível ensinar essas construções sem mencionar Gramática Normativa (termos técnicos e regras).Tudo é uma questão de entender bem a diferença entre Gramática de Uso e Gramática Normativa. Tem a ver também com o modo como o professor vê a língua e a repassar para o aluno de forma lexical.Enfim, a Abordagem Lexical ensina gramática sim. O problema é que as pessoas até hoje não entederam como a gramática é vista pelos teóricos e praticantes da Abordagem Lexical.Denilso

    Botão Voltar ao topo
    Fechar