Uso de DON’T com HE, SHE e IT

Se você assiste a filmes em inglês ou ouve músicas em inglês com frequência, já deve ter notado o uso de don’t com he, she e it em vários momentos. Ou seja, é comum ouvirmos “he don’t”, “she don’t”, “it don’t”. Mas, se aprendemos que o certo é “he doesn’t”, “she doesn’t” e “it doesn’t”, por que eles às vezes usam don’t no lugar de doesn’t? Esse é o assunto desta dica! Então, continue lendo.

Para início de conversa saiba que o certo – de acordo com as regras da gramática normativa da língua inglesa – é dizer “he doesn’t”, “she doesn’t” e “it doesn’t”. Portanto, aprenda o certo, use o certo, fale o certo, escreva o certo e nunca – jamais! – duvide do certo. Em resumo: o certo é o certo e não se fala mais nisso.

Leia também » Quando usamos don’t e doesn’t?

Mas, como a dica é para falar sobre o uso de don’t com he, she e it, vamos ver o que dizem os estudiosos no assunto.

Grammar for TeachersA citação abaixo – já traduzida para o português – foi tirada da página 05 do livro “Grammar for Teachers: a guide to American English for native and non-native speakers” (Andrea deCapua. Ed. Springer) [os destaques são meus]:

“Para muitos falantes nativos do inglês americano, a sentença ‘he don’t know it they can come’ representa uma forma não-padrão do inglês que é tida como um indicador de um status socioeconômico baixo e/ou marginalizado. Em outras palavras, isto é uma forma de linguagem estigmatizada que é considerada pelo público em geral como inglês americano ‘incorreto’, tanto na forma falada quando na escrita’.

Resumindo isso tudo, a ideia que está sendo apresentada é a de que o uso de don’t com he, she e it é algo característico de pessoas com baixo nível de escolaridade, baixo poder aquisitivo e mesmo marginalizadas pela sociedade. Assim, para o público em geral, esse uso é considerado como “incorreto”. Logo, deve ser evitado no inglês falado ou escrito.

Até aí tudo bem! Mas, digamos que você esteja ouvindo a canção Hello, da Adele, e se depara com o seguinte:

But IT DON’T matter, it clearly doesn’t tear you apart anymore.

Então, você pensa: “Pera aí! A Adele é uma cantora famosa, super rica, educada e tudo mais. Então, por que ela canta ‘it don’t?

Leia também » Inglês com Música: Hello, de Adele

No mesmo livro citado acima, na mesmíssima página, a autora nos diz que:

Até mesmo falantes com alto nível de formação escolar produzem sentenças assim, com exceção quando estão em contextos formais”.

Então, saiba que a Adele está apenas servindo como uma prova de que o uso de don’t com he, she e it é comum entre os falantes de inglês, independentemente de quem seja. Isso pode até ser considerado um “erro”, mas é comum entre os falantes nativos. Isso, claro, apenas em contextos extremamente informais e nos quais as tais regras podem ser deixadas de fora. Já em contextos mais formais, o certo é usar o certo: “he doesn’t”, “she doesn’t” e “it doesn’t”.

Você pode ainda estar pensando assim: “Denilso, você citou como fonte um livro que trata do inglês americano. Então, isso aí é coisa só de americano. Afinal de contas, americano fala tudo errado mesmo! O britânico não! O britânico fala tudo certinho, bonitinho e tal!

Ok! E aí, eu faço a seguinte e pergunta: “A Adele é de onde mesmo?

Se estivermos falando da mesma Adele, então você sabe que ela é uma cantora britânica nascida em Tottenham, Londres e criada no sul da cidade.

Longman Grammar of Spoken and Written EnglishPortanto, o uso don’t com he,  she e it não é uma exclusividade do inglês americano. Para provar isso, cito abaixo outra gramática, Longman Grammar of Spoken and Written English – que na página 1123 diz:

“The invariant use of the base form of the present tense, where the –s form occurs in standard English, the form don’t instead of doesn’t is especially current.”

Ou seja, essa gramática reforça que o uso de don’t com he, she e it é algo um tanto quando comum no inglês não-padrão. Para exemplificar isso, os exemplos abaixo são mostrados:

  • He don’t have no manners. (American English)
  • She don’t know much about him. (British English)

Por fim, em uma página de erros comuns em inglês mantida pela Washignton State University, eles escrevem o seguinte sobre don’t e doesn’t:

But in popular song lyrics “don’t” prevails: “she don’t like the lights,” “he don’t love you like I love you,” “it don’t come easy.”

Ou seja, no mundo musical o uso de o uso de don’t com he, she e it é mesmo algo muito frequente, independentemente de ser americano, britânico, australiano, irlandês etc. Isso nada tem a ver com licença poética. Trata-se apenas de uma questão de escolha.

Ok! Então, isso significa que agora você poderá sair por aí dizendo “he don’t”, “she don’t” e “it don’t” sem problemas?

Claro que não, né!? Não é bem assim!

Na verdade, isso apenas significa que assim como em português, na língua inglesa é comum as pessoas falarem algumas coisas fora do padrão (fora das regras). Contudo, você deve saber que se quiser causar uma boa impressão, deverá usar aquilo que é considerado certo. Então, acostume-se com o certo, que foi justamente o que eu deixei bem claro no segundo parágrafo deste texto.

That’s it! Espero tem ajudado você a entender um pouco mais sobre o uso de don’t com he, she e it. Agora quando você ouvir isso em uma música, filme, seriado, desenho animado etc., saberá que é algo comum. Entretanto, se quiser falar certo e do modo apropriado, deverá evitar isso.

Até a próxima! 😊

Artigos Relacionados
Comentários