Não²! A Dupla Negação em Inglês

Uma característica do inglês informal que quebra explicitamente as regras gramaticais é a tal da dupla negação. Mas, você sabe de onde vem essa ideia? Você sabe qual a origem dessa “regra” em inglês? Se você gosta de aprender sobre o inglês informal e também curiosidades sobre a língua, continue lendo esta dica.

Para começar, saiba que essa história de dupla negação em inglês teve origem nas leis da matemática. Pode parecer estranho, mas é isso mesmo! Foi justamente de uma regra matemática que surgiu esta regra na gramática. A história começa com um bispo de nome Robert Lowth, que em 1761 publicou “A Short Introduction to English Grammar“. Mr. Lowth tinha a intenção de reduzir a língua inglesa a um sistema uniforme, algo que fosse prático para todos os usuários da língua. Assim, ele começou a sugerir certas regras para o uso da língua.

E assim a regra que diz que não pode haver duas palavras de negação em uma mesma sentença em inglês, ele tirou da matemática, que na época do Mr. Lowth  era tida como a ciência mãe. Ou seja, a matemática era a ciência de todas as ciências; portanto, a gramática deveria curvar-se diante da matemática.

A regra matemática de onde o Mr. Lowth tirou isso e aquela regrinhas dos jogos de sinais. Se você não lembra das regras, veja a lista abaixo para relembrar.

  • + com + igual a +
  • + com – igual a –
  • – com – igual a + (esta é a que nos interessa aqui nesta dica de inglês!)
  • – com + igual a –

Foi assim que o Mr. Lowth resolveu que duas palavras negativas em uma mesma sentença resultam em sentido positivo, contradizendo o que está sendo referido! Ficou confuso!? Então, vamos a um exemplo do que Mr. Lowth disse que não podia ser dito em inglês:

  • I do not like nobody.

Para ele se você usar ‘not‘ (-) e ‘no‘ (-) juntos, como no exemplo acima, o resultado será positivo (+). Pois, – com – igual a +. Assim, a intenção é dizer ‘eu não gosto de ninguém‘ mas o sentido será positivo ‘eu gosto de alguém‘. Logo, de acordo com o Mr. Lowth o correto deveria ser:

  • I do not like anybody.

Ou ainda,

  • I like nobody.

E é isso o que nos diz a gramática formal! Portanto, em situações e textos formais essa regra deve ser seguida à risca. Não podemos usar duas palavras negativas em uma sentença. Pois, isso é considerado um erro na gramática da língua inglesa.

  • I don’t have anything to say.
  • I have nothing to say.
  • She doesn’t have any money.
  • She has no money.
  • We didn’t do anything.
  • We did nothing.

Lembre-se: em situações formais como reuniões de negócio, entrevistas de emprego, emails corporativos, palestras, trabalhos acadêmicos, etc., temos de evitar o uso dessa coisa conhecida como dupla negação em inglês. Siga sempre a regra.

Já no inglês informal essa mesma regra é quebrada descaradamente! No dia a dia a dupla negação é usada desde os tempos de Shakespeare. Aliás, não se assuste se encontrar esta construção nos próprios  escritos shakesperianos. Portanto, essa coisa de dupla negação em inglês sempre existiu e existirá nos contextos mais informais.

No passado, pessoas – maldosas e preconceituosas – espalharam a ideia de que o uso da dupla negação em inglês era algo comum apenas entre os negros. Outros, ainda afirmavam que se tratava de algo que só a ralé – o povo sem educação e cultura – usava. Não podemos negar que esse fenômeno é mesmo comum dentro de determinados grupos; mas, sabemos também que a dupla negação tem ganhado força dentro da língua inglesa em vários contextos.

Se você tiver a oportunidade de assistir a programas de entrevistas e programas policiais em inglês perceberá como é frequente ouvir alguém dizendo coisas assim:

  • I don’t have no money.
  • There isn’t nobody in here!
  • He doesn’t like no fruits.
  • You don’t know nothing about that.
  • We didn’t do nothing to solve the problem.

Em músicas também é comum ouvirmos alguns cantores usando a dupla negação em inglês. Isso serve para nos mostrar que assim que a dupla negação – ou o não² – é uma das peculiaridades do inglês informal, do inglês falado no dia a dia.

Vale acrescentar aqui que em uma fala mais controlada e planejada todos os grupos evitarão o uso de tal construção gramatical. Portanto, lembre-se: em situações formais nada de usar a dupla negatividade; policie-se. Já em contextos mais informais, não se preocupe tanto. Comunique-se! Se você achar que isso é um erro grotesco, evite-o sempre a todo custo. Contudo, esteja preparado para ouvir falantes nativos usando isso!

That’s all for now! Take care!

Artigos Relacionados
Comentários
  • Marçal

    Caro amigo Denilso,Dupla negativa talvez seja o nó na cabeça da grande maioria dos estudantes. Porém, a nossa querida língua portuguesa faz sim essa distinção, o problema é que na linguagem falada essa regrinha, há muito não é usada, e na escrita é cada dia mais raro de se ver também.Assim, em português: – com – não chega a ser +, e sim uma baita redundância!Vejamos: "Eu não vi nenhum dos rapazes na festa". Quando o certo seria: "Eu não vi um dos rapazes na festa" e por aí vai.Particularmente, eu só aprendi isso em inglês após entender que isso também não era possível em português.Vai aí uma dica pros nossos professores da língua mãe. O duro vai ser quebrar paradigmas!!!!Abraços.See you around.

  • Diogo

    Olá Denilso, Eu tenho 16 anos e estudo inglês por conta própria a mais ou menos 8 meses, pretendo entrar em um curso em breve. A respeito do tema de hoje, eu tenho reparado isso a algum tempo no português, com essa sua dica eu prestarei mais atenção ao conversar com um americano para evitar qualquer erro do tipo.See you

  • bianca

    Eu vim aqui dizer a mesma coisa que o Marçal disse haha,. Existe sim essa regra no português e em outras línguas também. Se não me engano, Sócrates usa desse jogo de palavras pra dar uma certa enganada no povo…mas não me recordo o nome do livro onde li isso. Bom, amanhã então o ain't! Grande abraço!

  • Oops, vivendo e aprendendo, pessoal! Eu sempre achei que havia algo de estranho na língua portuguesa! Mas nunca encontrei em gramática alguma uma regra ou algo parecido. Assim pensei que a regra não se aplicasse a nós… rsrsrsrsrsrs… Enfim, agora eu sei… Valeu… Sócrates!? Nossa!! Já vi que o nível de cultura dos leitores aqui é extremamente alto… Sinto-me honrado! ——————————-Diogo, é isso! Continue estudando bastante e prestando atenção ao modo como os gringos falam! Você vai longe! E conte com a gente pro que der e vier… Take care…

  • bianca

    =)vou tentar dar uma procurada pra lembrar onde eu li isso, Denilso… ai eu te falo pelo orkut. Só pra não passar informação errada, né? =Pbeijo

  • mas é engraçado como, com a mudança natural pela qual todas as línguas passam, isso vai se perdendo. Por exemplo, no inglês isso ainda soa horrível, mas no português virou uma regra ultrapassada. Inclusive, acredito que, hoje em dia, se alguém falar "Eu não vi um dos rapazes na festa" está querendo dizer que "eu vi todos os rapazes menos um." A não ser que enfatize o UM na fala.

  • Eliana

    É, Ju, mas já seria menos esquisito (só um pouco) falar assim: "Eu não vi rapaz algum na festa". Eu não falo assim, mas se fosse escrever talvez usasse esse formato. Mas realmente seria mais fácil usar a dupla negativa em português. Só que em inglês fica horrível!

  • Marylin Lima

    De fato essa regra não se aplica a nós… a dupla negação em português não é considerada um erro e está incorporada tanto na fala quanto na escrita…É muito importante também destacar que escrita e fala são "coisas" distintas. A escrita é mais "estática" enquanto a fala sofre (num bom sentido!) a ação dos falantes da língua o tempo todo. Assim sendo, por exemplo, o que em inglês pode soar estranho aos falantes de inglês poderia não ser considerado estranho por falantes de português. No entanto, é necessário reconhecer que são sistemas linguísticos diferentes e usar a nossa língua como parâmetro é inevitável…mas por vezes caimos em armadilhas!Sou linguista, mestranda em linguística e professora de redação e inglês. E simplesmente adoro o "inglês na ponta da língua" – recomendo aos meus alunos, utilizo como referência e aprendo todos os dias algo novo! Parabéns pelo trabalho, Denilso!

  • Anonymous

    Eu NÃO sei NÃo hem!!

  • Anonymous

    Então quando um americano dizI'dont have no money, ele está querendo dizer(pela dupla negação) que tem dinheiro?E o certo seria ele falar então I'dont have any money ou I not have money

  • Tiago Rodrigues

    Anonimo acima,O certo seria:I have no money; ouI don't have money."I don't have any money" creio que gramaticalmente não esteja errado, mas não é usado o "any" nesse caso.Abraços.