O significado de I mean e quando usar essa expressão

Qual é o significado de I MEAN? Como usar essa expressão corretamente em inglês? Se você já se fez essas perguntas e outras mais sobre I MEAN, chegou a hora de aprender. É só continuar lendo.

Essa dica está também em vídeo. Sim, eu gravei uma aula falando sobre o significado e usos de I mean. Portanto, se você quiser assistir a essa aula é só clicar aqui ou ir até o final da dica e assistir ao vídeo por aqui mesmo. Fica a seu critério!

Fillers em Inglês

Não dá para falar sobre I MEAN sem antes falar sobre os fillers em inglês – também conhecidos como discourse markers. Eu já escrevi uma dica aqui sobre isso – até publiquei um vídeo! –, então serei bem breve.

Fillers são palavras e pequenas expressões que nós usamos para preencher as pausas enquanto falamos naturalmente. Ou seja, os fillers ajudam a mostrar que a pessoa fala inglês – ou qualquer outra língua – com naturalidade. Pesquisas recentes mostram que o uso de fillers é um indicativo de que a pessoa é fluente na língua que está aprendendo.

Mas, para que isso seja feito de modo bem natural – nada mecânico! –, a pessoa tem de entender bem como e quando usar cada filler. Portanto, nesta dica, você aprenderá sobre o filler I MEAN, um dos mais frequentemente usados em inglês.

Para saber mais sobre fillers, leia a dica O que são fillers no inglês falado.

O significado de I MEAN

O significado de I MEANEssa pequena expressão – filler – possui vários significados. Portanto, para aprendê-los temos de ver como ela é usada. Só assim a gente consegue achar os equivalentes em português e, portanto, entender bem como ele funciona.

De modo bem simples e direto, eu posso dizer que o significado de I MEAN pode ser quer dizer, digo, tipo, tipo assim. O problema é que só isso não ajuda você a entender como esse filler é realmente usado na prática. Então, vamos aprender algumas situações.

Uso 1

Quando falamos algo e imediatamente percebemos que erramos na informação, nós usamos essa expressão para fazer a correção. Por exemplo:

  • You live in Brazil? So, you must speak Spanish… I mean, Portuguese, right? (Você mora no Brasil? Então, você deve falar espanhol… Quer dizer, português, né?)
  • It cost 200 bucks. I mean, 300. Got mixed up with the numbers here. (Custou 200 dólares. Digo, 300. Me embaralhei com os números aqui.)
  • Are you free on Friday? I mean, Saturday? (Você está na sexta? Digo, no sábado?)
  • We met in São Paulo. I mean, in Campinas. (A gente se conheceu em São Paulo. Quer dizer, em Campinas.)

Uso 2

O segundo uso desse filler se refere ao fato de querermos enfatizar algo que acabamos de dizer. 

  • The town is great. I mean, it’s fantastic. (A cidade é ótima. Ou melhor, ela é fantástica.)
  • That new guy at the office… He’s really handsome. I mean, he’s a real hunk. (O novato do escritório… Ele é lindão. Ou melhor, ele é gostosão mesmo.)
  • He has to stop drinking. I mean, he’s going to kill himself if he keeps it up. (Ele tem de parar de beber. Tipo, ele vai acabar se matando se continuar assim.)

Nesse caso, como você pode ver, nosso pequeno filler é usado para fazer uma pausa e assim complementar o que foi dito com algo mais enfático. A tradução de I MEAN nesse caso é meio complicado, mas a gente sempre tente achar algo que dê certo.

Uso 3

Também usamos o I MEAN no final do que acabamos de dizer apenas para deixar em aberto o que acabou de ser dito. Ou seja, já falamos o que queríamos e não sabemos o que mais acrescentar. Veja:

  • The place was filthy! There was no one to help us, no seats, no information table, I mean… (O local era imundo! Não tinha ninguém para ajudar a gente, não tinha cadeiras, não tinha balcão de informações, Tipo)
  • I’m not mad. No! I’m not angry. It’s just that… I mean… (Eu não estou zangado. Não! Eu não estou p. da vida. É só que… Tipo assim)

Uso 4

Em momentos nos quais queiramos explicar melhor o que acabamos de dizer, o I MEAN também pode ser usado.

  • You’re more of an expert than me. I mean, you’ve got all that experience. (Você é mais especialista que eu. Tipo assim, você tem toda a experiência.)
  • It’s such a great place. I mean, the waiter was wonderful and the food delicious, but it’s too expensive.  (É um lugar excelente. Tipo, o garçom foi fantástico a comida deliciosa, mas é bem carinho.)

Conclusão

Esses são os usos de I MEAN mais frequentes em inglês. Para aprendê-los bem, você precisa se envolver com a língua inglesa. Nesse caso, você deve ouvir inglês com bastante frequência para ir entendendo melhor o significado de I MEAN. 

Confesso a você que esse é o tipo de coisa que a gente leva um tempinho para aprender a usar naturalmente. Mas, garanto que aos poucos você vai começar a fazer uso disso sem nem ao menos perceber. I mean, it’s a thing that happens naturally.

Gostou desta dica!? Então, deixa um comentário aí abaixo. Vamos continuar aprendendo juntos. que tal continuar aprendendo muito mais em nosso canal no Youtube? Clique aqui para se inscrever.

That’s all I have for now! So, take care and keep learning!

Draw It Out For You – significado e uso

Draw it out for you: o que significa e como usar corretamente essa expressão. Você certamente já tem uma noção do seu significado, mas só isso não ajuda você a usar corretamente uma expressão em inglês.

Portanto, para aprender e não correr nenhum perigo, continue lendo para aprender algumas coisas mais em relação a ela.

Essa dica tem um arquivo de áudio. Para ouvir, acesse nosso site e clique no play que está bem abaixo do título da dica.

Lay it out for you

Em uma dica anterior, eu falei sobre o significado e uso da expressão lay it out for you.  Isso fez com que alguns leitores perguntasse se ela poderia ser usada com o sentido de “desenhar para você”.

Ou seja, quando ficamos meio irritados com o fato de alguém não entender algo, a gente pergunta de modo sarcástico (irônico) se a pessoa quer que a gente desenhe o assunto para ela. Afinal, se explicando em palavras a pessoa não entende, talvez desenhando ela seja capaz de compreender.

Embora, a expressão lay it out for you tenha um sentido parecido, ela não é a mais comumente usada para expressar esse sarcasmo (ironia) que a expressão “quer que eu desenhe para você” tem. Em inglês, precisamos de uma outra expressão para sermos sarcásticos neste momento.

Draw it out for you

Draw It Out For You – significado e usoÉ aí que entra a expressão draw it out for you. Essa é a expressão que tem uma conotação mais sarcástica (irônica). Alguns dicionários até recomendam que tenhamos cuidado ao usá-la; pois, algumas pessoas podem considerá-la ofensiva.

Geralmente, essa expressão aparecerá assim:

  • Do I have to draw it out for you? (Eu tenho de desenhar para você?)
  • Want me to draw it out for you? (Quer que eu desenhe para você?)

Mas, para ficar mais apropriado no contexto sempre diremos algo assim:

  • Is that understood or do you want me to draw it out for you? (Está entendido ou você quer que eu desenhe para você?)
  • Well, if it’s not clear enough, I can draw it out for you. (Bom, se não estiver claro o bastante, eu posso desenhar para você.)
  • Got it? Or want me to draw it out for you? (Entendeu? Ou você quer que eu desenhe para você?)

Esses são os chunks mais comuns com essa expressão. Claro que você encontrará outros ao longo de seus estudos de inglês, mas esses já são o suficiente para você entender o significado e uso da expressão.

Draw a picture

Uma outra expressão – combinação– que você pode usar para ser sarcástico nesses momentos é draw a picture.

  • Got it? Or do I have to draw a picture for you? (Entendeu? Ou eu tenho de fazer um desenho para você?)
  • As you don’t have the capacity to understand, I’ll draw a picture for you. (Como você não tem a capacidade para entender, eu vou desenhar para você.)
  • I don’t have to draw a picture for you of the importance of this agreement. I guess you got the whole point already. (Eu não tenho de fazer um desenho da importância deste acordo. Eu acho que você já entendeu a questão toda.)

Lembre-se que essas as expressões draw it out for you e draw a picture quando usadas nesses contextos são sarcásticas (irônicas). Já a expressão lay it out for you não tem essa conotação. Portanto, use-as com cuidado.

That’s all for now, folks! Espero que tenham gostado desta dica. Agora é só praticar para ficar ainda mais com seu Inglês na Ponta da Língua. So, take care and keep learning.

» Fontes:

Let Me Lay It Out For You – Inglês Falado

Let me lay it out for you? Você sabe o que isso significa? Caso ainda não saiba, leia esta dica para aprender não só o que significa, mas também como usar e pronunciar corretamente essa expressão.

Essa dica tem um arquivo de áudio. Para ouvir, acesse a dica diretamente em nosso site e clique no play que está bem abaixo do título da dica.

Lay Out: phrasal verb

Para facilitar, vou começar dando mais uma de nossas dicas de phrasal verbs em inglês. Afinal, a base da expressão let me lay it out for you está justamente neste phrasal verb.

Com a ajuda de um dicionário, aprendemos que a definição para o phrasal verb lay out é a seguinte:

to explain something carefully and clearly

Em bom português: “explicar algo de modo detalhado e claro”. Assim, lay out refere-se ao ato de explicar as coisas do modo mais claro possível. Evitando assim má interpretações.

Let Me Lay It Out For You – Inglês FaladoVocê certamente já entendeu o que significa lay out, não é mesmo? Então, veja alguns exemplos:

  • Lay out the plan very carefully, and don’t skip anything. (Explique o plano bem detalhadamente e não deixe nada de fora.)
  • Our social media approach was laid out in the agenda. (Nossa estratégia em mídias sociais estava bem explicada no programa.)
  • The documents lay out the principles clearly enough. (Os documentos explicam os princípios de modo bastante claro.)

» Leia também: O Uso da Palavra Explain

Let me lay it out for you

Se você entendeu bem o sentido do phrasal verb lay out, você certamente já sabe o que significa let me lay it out for you. Em todo caso, em português, essa expressão equivale ao nosso “deixe-me explicar isso para você” ou “deixa eu explicar isso para você”.

Ou seja, quando alguém não entende bem alguma coisa e a gente quer dizer que vai explicar de modo bem claro, detalhado e paciente, nós dizemos “deixe-me explicar isso para você”. Em inglês, a expressão é let me lay it out for you.

  • Here, let me lay it out for you, I guess you haven’t gotten the point yet. (Escuta, deixa eu explicar isso direitinho para você, eu acho que você ainda não entendeu a questão.)
  • As you can’t understand what’s really going on, let me lay it out for you. (Já que você não está entendendo o que está rolando, deixe-me explicar direitinho para você.)
  • Ok, hold on! Let me lay it out for you. (Beleza, espera aí! Deixa eu explicar isso bem direitinho para você!)

Note bem a pronúncia dessa expressão. Nós não falamos as palavras separadamente: let me lay it out for you. Na verdade, para ficar bem natural, você tem de juntar tudo e dar fim em alguns sons. Ouça como eu pronuncio e você vai perceber isso. (Preste atenção ao áudio desta dica!)

» Leia também: The Whole Nine Yards – significado e uso (dica c/ áudio)

Lay it out for someone

Para encerrar, aprenda também que o “you” no final dessa expressão pode ser trocado por outras pessoas (pronomes pessoais em inglês). Veja:

  • He didn’t understand that I was firing him, so I laid it out for him. (Ele não entendeu que estava dando as contas dele, então eu expliquei direitinho para ele.)
  • We’ll have to lay it out for her as soon as she gets here. (A gente vai ter de explicar bem isso para ela assim que ela chegar aqui.)
  • She tried to lay it out for her kids. (Ela tentou explicar aos filhos dela.)
  • I guess we’d better to lay it out for them and show them how to do it. (Acho melhor a gente explicar direitinho para ele e mostrar como fazer.)

Conclusão

Agora você já sabe o que significa a expressão let me lay it out for you e também o phrasal verb lay out. Ou seja, você aprendeu duas coisas – ou mais – em uma só dica. Espero que tenha gostado; afinal, a ideia aqui é deixar você cada vez mais e sempre com seu Inglês na Ponta da Língua.

That’s all for now! Take care and keep learning!

» Fontes:

O que são FILLERS no inglês falado? Aprenda aqui!

O que são FILLERS no inglês falado? Você já ouviu falar sobre isso? De modo bem direto, saiba que os FILLERS são essenciais no desenvolvimento da fluência em inglês. Portanto, independentemente do seu nível de inglês – básico, intermediário ou avançado –, você precisa saber sobre eles. Não é algo que você começará a usar naturalmente após aprender nesta dica; mas, certamente ficará mais consciente sobre eles. Então, continue lendo!

» Assista ao vídeo referente a este assunto no final desta dica ou clicando aqui.

O que são FILLERS?

Ao contrário do que muita gente acredita, ser fluente em inglês nada tem a ver com falar rápido e sem parar. Ou seja, ser fluente em inglês não é o mesmo que falar feito uma metralhadora. Nos estudos sobre o assunto, os estudiosos notaram que todo falante nativo faz uso de pausas enquanto conversa naturalmente com alguém ou fala sobre um assunto. Assim, hoje sabemos que fazer pausar de modo adequado e nos momentos certo ao longo de uma sentença é uma das características da fluência.

No entanto, para manter a fluência – a fala fluindo naturalmente – os falantes precisam evitar que as pausas sejam frequentes, longas e silenciosas. Caso as pausas sejam assim, a conversa fica cansativa, estranha e até meio sem sentido em alguns casos. Assim, para evitar que as pausas ocorram dessa maneiras estranha, os falantes nativos fazem uso natural – e até mesmo inconsciente, sem perceber – de um recurso que nós chamamos de FILLERS, também conhecido como PAUSE FILLERS (preenchedores de pausa) ou GAP FILLERS.

Portanto, os FILLERS são estratégias que um falante usa ao longo da fala para evitar que as pausas sejam longas, frequentes ou silenciosas. Além disso, os FILLERS são geralmente usados de modo imperceptível por parte de quem fala e quem ouve sabe que eles não são importantes na mensagem sendo comunicada.

Os principais fillers em inglês?

O que são FILLERS?Em inglês, assim como em qualquer outra língua, os FILLERS são palavras ou expressões usadas no meio das sentenças com o objetivo de preencher as pausas em uma sentença sendo falada.

Não basta saber o que são FILLERS, você tem de aprender quais são os principais. Então, anote aí!

  • Uh, ummm, er, erm, well, actually, you know, I mean, so, okay, right, sort of, kind of, like

Essas pequenas palavrinhas são os FILLERS mais comumente encontrados ao longo de uma conversa natural em inglês. Se você gosta de assistir a filmes, seriados, entrevistas, etc., em inglês, certamente os ouvirá sendo ditos de modo espontâneo. Tudo o que você tem a fazer é ouvir inglês e ir se acostumando com eles.

Agora que você sabe o que são FILLERS e quais os principais, está na hora de aprender como eles funcionam na prática.

» Leia também: Aprender a Falar Inglês Naturalmente: é possível?

Os Fillers na Prática

Como dito acima, falar inglês fluentemente não tem nada a ver com falar tudo de modo direto e rápido. Os falantes nativos fazem pausas para deixar a conversa mais natural. Dessa forma, você poderá dizer a sentença abaixo sem o menos problema:

  • I was tired of all that. (Eu estava cansado daquilo tudo)

Nada de errado em falar assim. Mas, para soar mais como um falante nativo e claro mostrar mais naturalidade, você poderá dizer assim:

  • I was, like, you know, tired of all that.

Veja que usamos dois FILLERS só para dar uma quebrada na sentença e assim demonstrar mais espontaneidade na falar. Ou seja, demonstrar um pouco mais de fluência. Vamos ver um outro exemplo. Observe o texto abaixo:

  • I don’t like when people tell me what to do. I like doing things my own way. I love being free to do things the way I want to. I don’t need someone telling me do this or do that. I hate that.

Mais uma vez, tenho de dizer que não há nada de errado em falar isso aí tudo dessa maneira. No entanto, para demonstrar mais naturalidade, podemos falar assim:

  • Well, you know, I just don’t like people uh people telling me what to do, right. I mean, I like doing things my own way, you know. Like, I just love uh I just love being free, you know, just to do things the way I want to. So, I don’t need, I mean, I just don’t need someone telling me “Do this or do that!”, right. I really hate that sort of thing, you know.

Claro que exagerei no uso dos FILLERS no texto acima. Mas, fiz isso apenas para que você tenha uma ideia de como os FILLERS podem aparecer em vários locais só para dar mais fluidez (fluência, naturalidade) no inglês falado (Spoken English).

Note ainda que um outro recurso usado como filler é a repetição de uma palavra ou expressão. Algo que fiz também no texto e que você pode reler para perceber tais repetições.

» Leia também: Como Manter a Fluência em Inglês

Vale a pena aprender FILLERS?

Será que vale a pena aprender (ensinar) isso? O que os especialistas na área dizem a respeito? Como é que você – estudante de inglês – aprende isso?

Para encontrar as respostas a essas perguntas, assista ao vídeo abaixo. Depois, convido você a deixar seu comentário aqui nesta dica ou em nosso canal no Youtube.

Agora está mais claro o que são FILLERS para você e a importância deles no desenvolvimento da fluência em inglês? Quero saber o que você achou dessa dica. Participe da conversa! Não fique de fora! Até a próxima!

Schwa Sound: o que é e sua importância? (com áudio)

Schwa sound!? Ao longo dos seus estudos de inglês, você já ouviu falar sobre isso? Faz ideia do que seja esse tal schwa sound ou som schwa? Será que é mesmo importante saber o que é e como fazê-lo?

Se você está em busca de respostas a essas perguntas, continue lendo este texto. Nele vou falar tudo e mais um pouco sobre o schwa sound.

O que é o Schwa sound?

O som schwa – também conhecido em português como xevá ou xuá – é um som vocálico muito frequente na língua inglesa. Por ser muito frequente, você realmente precisa saber a respeito dele.

Embora muita gente (professores) trate esse som como se fosse um monstro – algo como os sons do TH em inglês –, saiba que não é nada monstruoso e nem mesmo complicado. Você certamente faz esse som ao falar algumas palavras em inglês. Afinal, ele é um som muito simples.

[Clique no play abaixo para ouvir esta dica!]

Nos dicionários, você encontrará o schwa sound sendo representado por ə (um e de cabeça para baixo). Algumas palavras onde esse som aparece são:

  • about /əˈbaʊt/
  • banana /bəˈnɑnə/
  • original /əˈrɪdʒənəl/
  • problem /ˈprɑbləm/
  • camera /ˈkæmərə/

Schwa SoundEnfim, pegue um dicionário de inglês e você verá como o som schwa aparece em praticamente todas as palavras. Isso porque ele é o som vocálico de praticamente todas as sílabas átonas, aquelas sílabas que não são enfatizadas dentro de uma palavra.

Há algumas outras tecnicalidades sobre esse som. Mas, como você não quer ser um linguista, vamos deixar essa parte técnica de lado. O que importa é que você agora já sabe que som é esse. Mas, continue lendo para saber por que esse som é importante no inglês falado.

Qual a importância do som schwa?

Se você leu com atenção o que foi escrito na primeira parte deste texto, já sabe que o schwa sound em inglês é extremamente importante. Ele aparece em um grande número de palavras. Portanto, você tem de se acostumar com ele tanto ao falar quanto ao ouvir inglês.

No inglês falado (spoken English), o schwa sound acontece praticamente o tempo todo. Ele é o que faz com que algumas palavras praticamente sumam nas conversas em inglês. Por exemplo, você já deve ter se enrolado com a pronúncia de can e can’t em certos momentos. Veja as sentenças abaixo:

  • I can speak English.
  • I can’t speak English.

É comum estudantes de inglês não entenderem essas sentenças quando ditas naturalmente. Isso porque acham que há apenas uma pronúncia para can. Mas, se aprenderem que can tem duas pronúncias, então fica mais fácil de perceber a diferença. Vamos ver isso!

O som schwa na pronúncia de can

O modal verb can é pronunciado de duas maneiras: /kən/ e /kæn/. Isso nos leva à pergunta, quando usar uma pronúncia ou outra?

Em uma dica anterior, eu falei sobre sentence stress – que resumidamente podemos dizer que se trata da palavra que recebe a maior ênfase dentro de uma sentença. Assim, a pronúncia de can será de acordo com o que eu quero realmente comunicar. Levando em conta o que você aprendeu sobre sentence stress, você pode dizer:

  • I can speak English. (ênfase no pronome, pois quero deixar claro que sou EU)
  • I can SPEAK English. (ênfase em speak, pois quero deixar claro que FALO)
  • I can speak ENGLISH. (ênfase em English, pois quero deixar claro que é INGLÊS e não coreano, chinês, alemão ou outra língua)

Nesses três casos que você acabou de ver (ouvir), a pronúncia de can é feita com o schwa sound: /kən/. Can não é a palavra que quero enfatizar dentro da sentença. Caso eu queira enfatizar o CAN e deixar claro que eu sei, eu sou capaz, eu posso fazer algo, então eu uso a pronúncia /kæn/.

  • I CAN speak English. (ênfase em can, pois quero deixar claro que eu SEI fazer algo)

O schwa sound se torna extremamente importante nesses momentos. Pois, algumas palavrinhas possuem duas pronúncias possíveis. Assim, na hora de usarmos o inglês de verdade na vida real (o spoken English), saber isso faz toda a diferença.

Para deixar um pouco mais claro, vamos voltar a um outro assunto tratado aqui recentemente: content words e function words. Recomendo que leia a dica e assista ao vídeo para relembrar isso. Quero aqui ficar apenas nas function words.

 O schwa sound e as function words

De modo bem simples e direto, preposições, verbos auxiliares, artigos, pronomes e conjunções são function words. Na maioria das vezes, essas palavras – dentro de uma sentença – raramente são enfatizadas. Assim, algumas delas praticamente somem no inglês falado. Isso acontece porque elas são frequentemente pronunciadas com o schwa sound e não com o som que aprendemos desde cedo nos estudos de inglês. Por exemplo,

  • to é mais pronunciado como /tə/ do que como /tuː/ [leia também: A pronúncia de CHEW e TO]
  • for é mais pronunciado como /fər/ do que como /fɔːr/
  • of é mais pronunciado como /əv/ ou /ə/ do que como /ɒv/
  • have como verbo auxiliar é pronunciado /həv/ ou /əv/ ao invés de /hæv/
  • has como verbo auxiliar é pronunciado /həz/ ou /əz/  ao invés de /hæz/

Enfim, a grande maioria das function words costumam ter duas pronúncias: uma fraca e outra forte. A fraca é geralmente feita com o schwa sound. Já a forte será sempre com a vogal tônica que estamos acostumados. Esse assunto, no entanto, merece ser abordado em uma outra dica. Então, aguarde! Ela sairá em breve!

Por enquanto, eu acredito que você já começou a ter uma ideia da importância do som schwa na pronúncia da língua inglesa. Veja ainda que todos esses assuntos acabam se relacionando.  Assim, clique nos links desta dica para juntar tudo e assim ficar cada vez mais com seu Inglês na Ponta da Língua.

Aprenda mais sobre o som schwa no vídeo abaixo. Inscreva-se em nosso canal no Youtube.

 

 

O que significa Come again? Aprenda nesta dica!

O que significa come again? Esta expressão é aparentemente fácil de entender. Eu posso dizer que ela significa “Como é?” e deixar por isso mesmo. Mas, na verdade, Come again? é uma expressão que vai além do simples “Como é?” e, portanto, você precisa aprender a usá-la corretamente. Assim, continue lendo para aprender!

O que significa come again?

Antes de qualquer coisa, devo dizer que o COME AGAIN ao qual me refiro neste dica nada tem a ver com o COME AGAIN de VOLTE SEMPRE, que é a expressão usada por comerciantes para que o cliente retorne (come again) ao seu estabelecimento.

Como dito no início desta dica, o “Come again?” ao qual me refiro aqui equivale ao nosso “Como é?”. Ou melhor ainda, o nosso “Como é que é?”. Mas assim como em português, essa expressão tem usos um tanto quanto diferenciados. Logo, é importante você aprender como usar esse “Come again?”.

Uso de come again (1)

De modo geral, essa expressão é uma maneira informal de passar a ideia de que você não está acreditando muito no que acabou de ouvir. Em português, seria como se disséssemos “Como é que é?”, geralmente seguido de um “Tá doido?”. Tipo, “Como é que é? Cê tá doido?”.

No Urban Dictionary, essa expressão foi parafraseada da seguinte maneira:

Could you please repeat what you just said so I can use it as a pretext to beat the ever-loving shit out of you?

Algo como, “dá pra você repetir o que acabou de dizer só para eu usar como um pretexto para te dar uma surra?”.

Enfim, esse primeiro uso de come again tem uma mistura de incredulidade e surpresa. Para ficar mais fácil de entender, veja o exemplo:

O que significa Come Again?I think I’ll quit my job, sell my house and car, and start living in the jungle. Why don’t you join me? (Eu acho que vou largar meu emprego, vender a casa e o carro e passar a viver na selva. Por que você não vem comigo?)
Come again? (Como é que é?)

Ao ser usada nesse contexto, “Come again?” expressa a ideia de total surpresa diante do que foi dito. A pessoa simplesmente não acredita que ouviu o que pensa ter ouvido. Enfim, eu acho que você já entendeu a ideia.

» Leia também: 10 Expressões Comuns no Inglês Britânico

Uso de come again (2)

Em um contexto mais simples, come again significa o mesmo que “repeat, please!”. Ou seja, é uma maneira informal de pedir a alguém para que repita o que acabou de dizer. Afinal, você não ouviu direito o que foi dito.

Em português, seria como aquele nosso “Oi?” que falamos informalmente com a intenção de que a pessoa repita o que disse. Veja o exemplo:

So, would you like some more cake? (E aí, quer mais um pouquinho de bolo?)
Come again? (Oi?)
Do you want some more cake? (Você quer mais um pouquinho de bolo?)
Oh! No, thanks! That’s enough! (Ah, não! Obrigado! Isso aqui é o bastante!)

Como você pode ver, o significado de Come again? é realmente simples, mas é preciso prestar atenção aos seus usos. Pois de acordo com o contexto e o modo como é dito, ela pode passar ideias diferentes. Se você tem o hábito de assistir a filmes e seriados em inglês, certamente ouvirá muito essa expressão sendo dita. Afinal, ela é bem comum no inglês falado.

E aí!? Gostou de aprender o que significa Come again? Vai conseguir usar – se preciso for! – essa expressão ao conversar com alguém em inglês? Lembre-se de praticá-la com mais exemplos. Assim, você ficará com ela ainda mais na ponta da língua. 🙂

O que significa THERE’S NO TELLING?

A expressão (chunk of language) THERE’S NO TELLING costuma aparecer no inglês falado (spoken English) com certa naturalidade e frequência. Portanto, continue lendo esta dica para aprender como usar e o que significa THERE’S NO TELLING.

»» Vá até o final desta dica e assista ao vídeo no qual o prof. Denilso de Lima fala sobre essa expressão. ««

Significado

Indo direto à tradução, anote aí que THERE’S NO TELLING em português equivale a NÃO TEM COMO DIZER, NÃO DÁ PRA DIZER.

Exemplos

  • There’s no telling what you can do when you get inspired. (Não dá pra dizer o que você consegue fazer quando se sente inspirado.)
  • There’s no telling what will happen from now onw. (Não tem como dizer o que vai acontecer daqui em diante.)
  • There’s no telling if it will ever become a reality. (Não dá nem pra dizer se isso se tornará uma realidade.)
  • He’s very unpredictable. So, there no telling how he’ll react. (Ele é muito imprevisível. Então, não dá pra dizer como ele reagirá.)
  • There’s no telling how long the strike will last. (Não dá pra dizer quanto tempo a greve vai durar.)

Outras Expressões

O que significa THERE'S NO TELLING?Além de THERE’S NO TELLING, saiba que também temos outras expressões que podem ser usadas com o mesmo sentido:

  • THERE’S NO KNOWING (Não tem como saber; Não dá pra saber)
  • THERE’S NO SAYING (Não tem como dizer; Não dá pra dizer)

Seguem abaixo alguns exemplos:

  • There’s no knowing the exact number of victims. (Não tem como saber o número exato de vítimas.)
  • There’s no knowing what he gets up to in his spare time. (Não dá pra saber o que ele faz em seu tempo livre.)
  • There’s no saying what they might be capable of achieving. (Não dá pra dizer o que eles poderão conseguir.)
  • There’s no saying whether these two are just friends or something more. (Não tem como dizer se esses dois são apenas amigos ou algo mais.)

That’s it, boys and girls! Agora vocês já sabem o que significa THERE’S NO TELLING e também como usar essa expressão. Veja que não há muito segredo.

Portanto, anote aí em seu caderno de vocabulário. Procure por mais exemplos. Pratique. Fique com esse chunk na ponta da língua.

Take care and keep learning!

Expressões com TELL em inglês

TELL é um dos verbos mais usados em inglês. Ele costuma aparecer muito quando falamos de Reported Speech em inglês. Também é comum buscar informações sobre a diferença entre say e tell. Mas, raramente as pessoas notam que há expressões com TELL em inglês que são bem comuns e devem estar na ponta da língua. Portanto, nesta dica você aprenderá algumas dessas expressões, seus usos e significados.

Ah! Você pode ainda aprender a diferença entre say, speak e tell. Ou ainda ler uma dica exclusiva sobre o verbo tell em inglês e aprender muito mais.

Expressões com TELL em Inglês

» Tell you what ou I’ll tell you what

Expressões com TELL em InglêsEssa expressão é usada quando você quiser sugerir algo a alguém. Em português, soa como o nosso “deixa eu te falar”, “que tal…?”, “o que você acha de…?”, “tive uma ideia, e se…?”. Enfim, temos de usar expressões que também expressam a ideia de sugerir algo. Veja os exemplos:

  • I’ll tell you what – we’ll split the money between us. (O que você acha da gente rachar a grana?)
  • I’ll tell you what – let’s have the party here. (Que tal fazermos a festa aqui?)
  • I’ll tell you what. I’ll give you an extra 20 percent off the price. (Tive uma ideia – e se eu te der mais 20% de desconto sobre o valor?)

– Can I come too, Mom? (Posso ir também, mamãe?)
– Tell you what – if you get your homework finished by 6 o’clock, I’ll let you. (Tive uma ideia – se você fizer sua tarefa até as 6, eu deixo.)

» I tell you ou I’m telling you

Essas duas são usadas quando queremos enfatizar algo que acabamos de dizer. Em português, soa como o nosso enfático “tô te dizendo”, “tô te falando”. Os exemplos vão ajudar você a entender.

  • But I didn’t do it! I didn’t do it, I tell you. (Mas eu não fiz isso! Eu não fiz, tô te dizendo.)
  • I’m telling you, he’s the best player in the American League. (Tô te dizendo, ele é o melhor jogador na Liga Americana.)
  • We’ve been waiting a long time for this, I’ll tell you. (A gente está esperando muito tempo por isso, tô te dizendo.)

Anote aí que você ouvirá muito um tal de “I’m tellin’ ya” em diálogos:

– Hey, that guy over there said you’re gorgeous. (Ei, aquele cara ali disse que você é muito linda.)
– Yeah, right! Come off it! (É, sei! Larga mão!)
– I’m tellin’ ya! (Tô te dizendo!)

» I told you so

Essas duas podem ser odiadas por muita gente. Elas tem a ideia de “Eu te disse”, “eu te falei” ou “Eu te avisei”. Elas aparecem quando alguém fala que algo pode acontecer; mas, a gente não dá ouvidos e resolve seguir em frente. Aí quando a coisa acontece, a pessoa pode chegar e dizer “I told you so!”. Envim, vamos aos exemplos.

  • Soon enough it will be me laughing and saying “I told you so”. (Logo, logo vai ser eu rindo e dizendo “Eu te avisei”.)
  • See, it broke! I told you so. (Viu só, quebrou! Eu te avisei.)

Também é possível ouvirmos as pessoas dizendo apenas “told you!”:

– You’re right. The answer is 154. (Você tem razão. A resposta é 154.)
– Told you! (Eu te disse!)

» You never can tell ou You can never tell

Use isso quando você quiser dizer que não dá para saber algo a respeito de algum alguma coisa. Em português é como dizer “Não dá pra dizer”, “Não dá pra saber”, “Não tem como saber” e outras sinônimas.

  • They always seem very happy together, but maybe they’re not. You never can tell. (Eles parece estar sempre muito felizes juntos, mas talvez não estejam. Não dá pra saber.)
  • You can never tell what’s wron’g with this machine until you look inside. (Não dá pra dizer o que tem de errado com essa máquina até desmonstá-la.)
  • It sounds like a nice place to live, but you never can tell – we may end up hating it. (Parece ser um bom local para morar, mas não tem como saber – a gente pode acabar odiando.)
  • You can never tell how long these meetings will last. (Não dá pra dizer quanto tempo essas reuniões demoram.)

» You’re telling me!

Quando alguém diz algo e você deseja expressar a ideia de que concorda, solte um “You’re telling me!”. Isso soa como o nosso “Nem me diga!”, “Nem me fale!”. Podemos ainda incluir aquele famoso “Pois é!” só para deixar mais natural.

– Her latest movie was terrible. (O último filme dela foi horrível.)
– You’re telling me! (Pois é! Nem me diga!)

– Martha’s in a really bad mood today. (A Martha está num humor do cão hoje.)
– You’re tellig me. (Pois é! Nem me diga!)

– That was bad luck. (Isso é que é azar.)
– You’re telling me! (Pois é!)

Por fim, outra expressão que pode ser usada também com essa mesmíssima ideia está na dica Como dizer NEM ME DIGA em inglês. Então, clique aí o link e aprenda!

Conclusão

Todas as expressões com tell em inglês que você aprendeu nesta dica são usadas no inglês falado. Portanto, é bem certo que você as ouvirá nos diálogo em filmes, seriados, desenhos e na vida real mesmo.

Leia os exemplos! Repita-os em voz alta! Procure por mais exemplos! E acostume-se com o uso e significado de cada uma. Pois, você certamente as usará ao falar inglês com alguém.

Well, guess that’s all for now! So, bye bye, take care, and keep learning!

Americanos cometem erros de pronúncia?

Recentemente, recebi uma pergunta que me deixou pensativo: americanos cometem erros de pronúncia? A pergunta pode até causar estranheza, mas ela é um tanto quanto válida. Afinal, essa pergunta nos leva a outra tão interessante quanto: o que realmente é um erro de pronúncia?

Antes de continuar, você deve entender que nós somos estudantes brasileiros de inglês como língua estrangeira. O inglês não é nossa língua materna. Portanto, como não temos certos sons em nossa língua é comum que tenhamos dificuldades para reproduzi-los: os sons do th, o som do i curto e outras. Visto que nós não ouvimos e nem falamos inglês desde criança é mais do que natural cometermos erros uma vez ou outra.

Já no caso de um falante nativo – seja americano, britânico, australiano, irlandês, sul-africano etc. –, a situação é bem diferente.

Eles cresceram ouvindo e falando inglês. Então, nós aqui somos levados a acreditar que eles não cometem erros de pronúncia. Já que o inglês é a língua materna deles, acreditamos piamente que eles falam certo o tempo todo. Mas, será que é isso mesmo? Será que eles concordam com esse pensamento?

Como você bem deve saber, a língua inglesa possui diferenças regionais. E olhe que não estou me referindo apenas ao fato de inglês americano, inglês britânico, inglês australiano, inglês sul-africano, inglês irlandês e outros tipos. Eu estou me referindo a diferenças mesmo dentro de um único pais. Ou seja, uma determinada palavra pode ser pronunciada de um jeito em New York City, mas poderá ser pronunciado de outro jeito em Austin (Texas), em New Orleans (Lousiana), em Albuquerque (New Mexico) ou em Seattle (Washington). Assim, fica aquela “briguinha” entre um jeito ser o certo e o outro ser o errado. Contudo, isso apenas mostra que – assim como em português – o inglês também tem lá suas várias variações.

» Leia também: Esquisitices do Inglês Americano

Americanos Cometem Erros de Pronúncia?Ok! Então, isso significa que americanos cometem erros de pronúncia ou não?

Isso vai depender do ponto de vista de cada pessoa. Sabe aquela coisa de que o meu jeito de falar é o certo e o seu é errado? Pois é! Eles também tem isso em inglês! Em outras palavras, o modo como uma palavra é pronunciada em um local pode ser considerado errado em outro. No entanto, linguisticamente falando, isso não é bem um erro; tratam-se apenas de modos diferentes de pronunciar a mesma palavra: regionalismo.

» Leia também: Erros de Inglês Cometidos por Americanos

Espero que você tenha entendido que não se trata de um erro propriamente dito. Pois, agora, vamos ver algumas palavras que possuem diferentes pronúncias e, consequentemente, podem ser consideradas erradas por um grupo de pessoas, mas não para outro.

A primeira dessas palavras é forte que pode ser pronunciada de duas maneiras diferentes. Alguns dirão que a pronúncia correta é /fort/; já outros dirão que o correto é /fortei/. Quem está certo e quem está errado? Difícil dizer! O que nós – estudantes de inglês – temos de fazer nessas horas é ir com a maioria. Portanto, saiba que para a maioria o certo é /fort/. Ainda assim, tem gente que prefere dizer /fortei/.

Outra palavra curiosa é nuclear. A maioria dos americanos dirá que o certo é pronunciar /niukliar/. Mas, você ouvirá algumas pessoas – mesmo pessoas com vasta formação acadêmica e altos cargos políticos – pronunciando algo como /niuk-lar/. Aqui vale dizer que para 90% dos americanos a pronúncia /niuk-lar/ é a errada.

» Leia também: Erros Que Incomodam os Próprios Nativos

Como nem tudo são flores, há também uma flor nessa confusão toda: poinsettia. Para uns a pronúncia é algo como /poincétia/; mas, para outros a pronúncia deve ser algo como /poincéra/. O engraçado é que tem algumas pessoas que também pronunciam como /pointcéra/ (mas a palavra é ponsettia e não pointsettia). Portanto, nesse caso, muitos dirão que /pointcéra/ está errado e o certo deverá ser sempre /poincéra/. Ou seja, /poincéra/ é a pronúncia mais comum.

Outra palavrinha curiosa que pode sair diferente da boca de falantes nativos é iron. A pronúncia correta é algo como eye-earn. Mas, curiosamente, você poderá encontrar uma falante nativo dizendo algo como eye-run. Esse “erro” ocorre geralmente quando a pessoa está falando rápido demais e a língua – coitada! – acaba sendo atropelada no meio do caminho.

Por fim, pergunte a diferentes americanos como eles dizem mayonnase, been, library e February. Você poderá se surpreender com o fato dessas palavras terem pronúncias bem diferentes da que você acha a correta. Será que eles estão errados?

» Leia também: 5 Erros Comuns de Quem Estuda Inglês

Enfim, não dá para dizer quem está certo ou errado. Em outras palavras, não dá para afirma com 100% de certeza que americanos cometem erros de pronúncia. O que eu – como profissional de ensino de inglês – aconselho é que você sempre preste atenção ao modo como a maioria das pessoas pronuncia certas palavras. Sempre que tiver dívidas, leia a pronúncia da palavra em questão em um dicionário de inglês. Assim, você vai ficando cada vez mais com a pronúncia mais comum na ponta da língua. Também vale a pena sempre perguntar a alguém para assim saber o que é melhor.

That’s all for now! Se você gostou (ou não) da dica Americanos Cometem Erros de Pronúncia, deixe seu comentário abaixo. Thanks for reading! Take care and keep learning!

Uso de DON’T com HE, SHE e IT

Se você assiste a filmes em inglês ou ouve músicas em inglês com frequência, já deve ter notado o uso de don’t com he, she e it em vários momentos. Ou seja, é comum ouvirmos “he don’t”, “she don’t”, “it don’t”. Mas, se aprendemos que o certo é “he doesn’t”, “she doesn’t” e “it doesn’t”, por que eles às vezes usam don’t no lugar de doesn’t? Esse é o assunto desta dica! Então, continue lendo.

Para início de conversa saiba que o certo – de acordo com as regras da gramática normativa da língua inglesa – é dizer “he doesn’t”, “she doesn’t” e “it doesn’t”. Portanto, aprenda o certo, use o certo, fale o certo, escreva o certo e nunca – jamais! – duvide do certo. Em resumo: o certo é o certo e não se fala mais nisso.

Leia também » Quando usamos don’t e doesn’t?

Mas, como a dica é para falar sobre o uso de don’t com he, she e it, vamos ver o que dizem os estudiosos no assunto.

Grammar for TeachersA citação abaixo – já traduzida para o português – foi tirada da página 05 do livro “Grammar for Teachers: a guide to American English for native and non-native speakers” (Andrea deCapua. Ed. Springer) [os destaques são meus]:

“Para muitos falantes nativos do inglês americano, a sentença ‘he don’t know it they can come’ representa uma forma não-padrão do inglês que é tida como um indicador de um status socioeconômico baixo e/ou marginalizado. Em outras palavras, isto é uma forma de linguagem estigmatizada que é considerada pelo público em geral como inglês americano ‘incorreto’, tanto na forma falada quando na escrita’.

Resumindo isso tudo, a ideia que está sendo apresentada é a de que o uso de don’t com he, she e it é algo característico de pessoas com baixo nível de escolaridade, baixo poder aquisitivo e mesmo marginalizadas pela sociedade. Assim, para o público em geral, esse uso é considerado como “incorreto”. Logo, deve ser evitado no inglês falado ou escrito.

Até aí tudo bem! Mas, digamos que você esteja ouvindo a canção Hello, da Adele, e se depara com o seguinte:

But IT DON’T matter, it clearly doesn’t tear you apart anymore.

Então, você pensa: “Pera aí! A Adele é uma cantora famosa, super rica, educada e tudo mais. Então, por que ela canta ‘it don’t?

Leia também » Inglês com Música: Hello, de Adele

No mesmo livro citado acima, na mesmíssima página, a autora nos diz que:

Até mesmo falantes com alto nível de formação escolar produzem sentenças assim, com exceção quando estão em contextos formais”.

Então, saiba que a Adele está apenas servindo como uma prova de que o uso de don’t com he, she e it é comum entre os falantes de inglês, independentemente de quem seja. Isso pode até ser considerado um “erro”, mas é comum entre os falantes nativos. Isso, claro, apenas em contextos extremamente informais e nos quais as tais regras podem ser deixadas de fora. Já em contextos mais formais, o certo é usar o certo: “he doesn’t”, “she doesn’t” e “it doesn’t”.

Você pode ainda estar pensando assim: “Denilso, você citou como fonte um livro que trata do inglês americano. Então, isso aí é coisa só de americano. Afinal de contas, americano fala tudo errado mesmo! O britânico não! O britânico fala tudo certinho, bonitinho e tal!

Ok! E aí, eu faço a seguinte e pergunta: “A Adele é de onde mesmo?

Se estivermos falando da mesma Adele, então você sabe que ela é uma cantora britânica nascida em Tottenham, Londres e criada no sul da cidade.

Longman Grammar of Spoken and Written EnglishPortanto, o uso don’t com he,  she e it não é uma exclusividade do inglês americano. Para provar isso, cito abaixo outra gramática, Longman Grammar of Spoken and Written English – que na página 1123 diz:

“The invariant use of the base form of the present tense, where the –s form occurs in standard English, the form don’t instead of doesn’t is especially current.”

Ou seja, essa gramática reforça que o uso de don’t com he, she e it é algo um tanto quando comum no inglês não-padrão. Para exemplificar isso, os exemplos abaixo são mostrados:

  • He don’t have no manners. (American English)
  • She don’t know much about him. (British English)

Por fim, em uma página de erros comuns em inglês mantida pela Washignton State University, eles escrevem o seguinte sobre don’t e doesn’t:

But in popular song lyrics “don’t” prevails: “she don’t like the lights,” “he don’t love you like I love you,” “it don’t come easy.”

Ou seja, no mundo musical o uso de o uso de don’t com he, she e it é mesmo algo muito frequente, independentemente de ser americano, britânico, australiano, irlandês etc. Isso nada tem a ver com licença poética. Trata-se apenas de uma questão de escolha.

Ok! Então, isso significa que agora você poderá sair por aí dizendo “he don’t”, “she don’t” e “it don’t” sem problemas?

Claro que não, né!? Não é bem assim!

Na verdade, isso apenas significa que assim como em português, na língua inglesa é comum as pessoas falarem algumas coisas fora do padrão (fora das regras). Contudo, você deve saber que se quiser causar uma boa impressão, deverá usar aquilo que é considerado certo. Então, acostume-se com o certo, que foi justamente o que eu deixei bem claro no segundo parágrafo deste texto.

That’s it! Espero tem ajudado você a entender um pouco mais sobre o uso de don’t com he, she e it. Agora quando você ouvir isso em uma música, filme, seriado, desenho animado etc., saberá que é algo comum. Entretanto, se quiser falar certo e do modo apropriado, deverá evitar isso.

Até a próxima! 😊