Erros no Aprendizado de Inglês

Você já deve estar cansado de ouvir (ou ler) as pessoas dizendo (ou escrevendo) que errar faz parte do processo de aprendizado. Tem ainda aqueles que dizem que é errando que se aprende. Enfim, todo mundo que ensina ou aprende inglês fala isso. O curioso é que embora todos digam isso, na prática eles parecem esquecer esse discurso. Isso faz com que as pessoas não tenham medo de errar, mas sim medo do que os outros vão pensar.

Na cabeça da maioria dos estudantes passa algo assim: “Meus colegas de classe vão rir de mim. O meu professor vai apontar o meu erro. Se eu falar algo todo mundo vai tentar identificar os meus erros. Enfim, meu nível de ansiedade e estresse vai aumentar e, consequentemente, vou cometer mais erros do que deveria. Então, o melhor é fechar a boca e falar o mínimo necessário.

Infelizmente, essa nossa Cultura do Erro é na verdade uma doença a ser tratada. Para mudar esse quadro, as pessoas devem sair da teoria e partir para a prática. Ou seja, errar é humano! É preciso ver os erros de forma natural e como fatos decorrentes do aprendizado.

Erros no Aprendizado de Inglês

Uma maneira de deixar essa doença de lado é entender os diferentes tipos de erros cometidos por todos que usam uma língua (sejam estes usuários nativos ou não). Conhecer e identificar os diferentes tipos de erros quando você fala ou escreve algo tornarão você um aprendiz mais consciente e crítico do seu próprio aprendizado e do aprendizado dos outros.

Portanto, vamos falar um pouco sobre os tipos de erros que qualquer pessoa pode cometer ao usar uma língua. Espero que com essa dica sua forma de encarar os erros mude para melhor e com menos medo. Para começar bem, anote aí os diferentes tipos de erros que podem ser cometidos ao usarmos uma língua:

  • Omission: ocorre quando a pessoa se esquece de escrever/falar uma palavra em uma sentença: “download clicking here” (download BY clicking here), “is very cold here” (IT is very cold here).
  • Addition: ocorre quando a pessoa acrescenta uma palavra a mais na escrita/fala: “I can to help you”, “he told to me that”.
  • Mis-selection: ocorre quando uma palavra errada é usada em uma combinação ou sentença: “roundly mistaken” (very much mistaken, profoundly mistaken), “he prefers fairs” (he prefers blondes).
  • Misformation: ocorre quando a pessoa usa a forma errada da palavra certa: “he is a good cooker”, “she runs fastly”.
  • Misordering: ocorre quando uma palavra é escrita/falada fora da ordem correta na sentença: “I like very much you” (I like you very much), “she studies also English” (she also studies English).

Os tipos de erros acima podem ser cometidos por qualquer pessoa que usa uma língua (seja essa língua sua língua materna ou sua segunda língua). Eles ocorrem geralmente por falta de atenção, cansaço, estresse e outros fatores banais.

No entanto, há um tipo de erro que é comum entre quem usa uma língua como sua segunda língua: transfer errors, erros causados por influência da língua materna do estudante.

Uma pessoa cuja primeira língua é o português pode usar a palavra “pretend” por achar que significa “pretender” em inglês. Essa pessoa associa uma palavra da língua portuguesa à outra da língua inglesa e acha que está certo. Ela comete um transfer error. Afinal, em inglês “pretender” é “intend” e “pretend” significa “fingir”. Uma pessoa que diz “I’m living here for ten years” ao invés de “I have been living here for ten years” também comete um transfer error. Ela está usando a gramática do português para se comunicar em inglês.

Transfer errors são muito comuns quando estamos aprendendo uma segunda língua. como aprendizes, nossa luta constante é reduzir a ocorrência de transfer errors. Para isso temos de nos envolver com a segunda língua e comparar como as ideias são comunicadas entre ambas. A redução dos transfer error é o que fará a diferença no seu aprendizado. Para isso não adianta se perguntar o porquê disso ou daquilo. O jeito é colocar na cabeça que em português dizemos algo de um jeito, mas em inglês diremos de outro.

Tenho ainda mais o que falar sobre esse assunto. Mas por ora, você já tem bastante coisa para pensar a respeito. Para encerrar essa dica saiba que os erros sempre acontecerão. Não temos como evitá-los. Procure reduzir os transfer errors. Já os outros, também chamados de deslizes (slips) serão comuns ao longo da sua vida. Não ria dos erros alheios e nem seja apressado demais para corrigir os outros. Compreender os erros e suas possíveis causas (estresse, cansaço, falta de atenção, não saber o assunto, nervosismo, etc.) fará uma grande diferença no seu jeito de aprender inglês e no modo como você passará a encarar os erros dos outros.

Take care, you all! 😉

Artigos Relacionados
Comentários
  • Nicole Santana

    It’s a piece of advice! Thanks.

  • Clau

    Obrigada!!! Para quem começa a aprender e principalmente a conhecer uma nova língua, esse teu artigo é um estimulo. Ah o “JULGAMENTO in loco” isso é fato e precisa ser tratado, afinal, muitos agora que estão tendo a oportunidade de aprender e conhecer o novo. Obrigada

  • denilsolima

    Cada uma tem usos e significados diferentes.

  • denilsolima

    Continue nesse caminho, Igman! Quando vencemos nossos medos os resultados são mais significativos, rápidos e profundos. 🙂