Aprender a Pronúncia do Inglês

Como aprender a pronúncia do inglês sozinho? Como dominar a pronúncia da língua inglesa? Como fazer para aprender a pronúncia do inglês como um nativo? Uma das grandes dificuldades de quem estuda inglês é a tal da pronúncia. A dificuldade fica ainda muito maior quando você decide estudar sozinho. Sem o auxílio de um professor, a coisa pode ficar mais complicada.

A maioria de vocês que acompanha o meu trabalho sabe que eu – Denilso – aprendi inglês sem frequentar escolas e sem morar fora do país. Tudo o que eu aprendi foi com a ajuda de livros que me eram doados ou que eu comprava após economizar uma graninha. Quando eu falo isso, muita gente pergunta como eu aprendi a pronúncia. Assim, vou dar abaixo algumas dicas do que eu fazia (e ainda faço). Vou indicar livros, sites, atividades e o que mais der para incluir neste post.

» LIVROS

Quando eu comecei a estudar inglês, eu tinha um dicionário que mostrava como a palavra era pronunciada. A tal pronúncia era escrita em português e isso me ajudou bastante. No meu dicionário eu lia a palavra “I” (eu) e do lado vinha a pronúncia [ai]; eu lia “house” (casa) e a pronúncia [raus]; home (lar), [roum]; think (pensar, achar), [finq]. E assim eu ia aprendendo inglês ao meu modo. Eu me virava. Para começar estava de bom tamanho! [ATUALIZAÇÃO: Esse tipo de dicionário não é mais publicado; atualmente, a tecnologia ajudou a produzir dicionários que vêm com CD e, assim, você pode aprender ouvindo. Portanto, os dicionários mais atuais não colocam mais a pronúncia de maneira aportuguesada.]

Pronúncia do InglêsCom o passar do tempo, fui aprendendo mais e mais coisa. Comecei a ficar mais crítico e exigente em relação à pronúncia. Eu sabia que tinha de melhorar e tomei as medidas necessárias para isso. Identifiquei os sons que eu errava com mais frequência. Percebi que não eram tantos e foquei no aprendizado deles. Para me ajudar, comprei livros de fonética, fonologia, pronúncia e entonação.

O primeiro livro foi “English Phonetics and Phonology” (Peter Roach, ed. CUP). Com esse livro aprendi a diferenciar os sons vocálicos, consonantais, aprendi como cada som deveria ser produzido corretamente, aprendi sobre entonação e muito mais. Depois adquiri “Pronunciation for Advanced Learners of English” (David Brazil, ed. CUP) e “Intonation in Context: intonation practice for upper-intermediate and advanced learners of English” (Barbara Bradford, ed. CUP). Todos esses livros são voltados para a pronúncia britânica (Received Pronunciation) e foram fundamentais para que eu fizesse e passasse nos exames de Cambridge (FCE, CAE e o temido CPE).

Depois, quando fui trabalhar no CCAA, passei a focar também na pronúncia americana. Foi aí que comecei a adquirir livros voltados para a pronúncia dessa variante do inglês: “Focus on Pronunciation: principles and practices for effective pronunciation” (Linda Lane, ed. Addison Wesley Publishing Company), “American Accent Training” (Ann Cook, Barron’s) e “American Accent Training: Grammar with Audio CDs” (Ann Cook, Barron’s). Esse livros foram o alicerce para eu aprender a diferenciar os sons do inglês americano para o britânico. Simplesmente fantásticos!

Há hoje no mercado inúmeros livros de pronúncia. Há livros escritos por autores brasileiros e livros de autores internacionais. Você pode encontrar livros que focam apenas nos sons isoladamente ou em livros que já vão para a pronúncia da comunicação real. Eu particularmente recomendo aqueles que focam na pronúncia real. Os sons isolados você pode aprender por meio de sites dedicados ao assunto.

» WEBSITES

Eu não tinha acesso à internet quando estudava inglês. Portanto, acessar websites era inimaginável. Atualmente há também vários sites, blogs, podcasts, apps para smartphones e tabletes, e canais no Youtube dedicados à pronúncia. Seguem abaixo alguns sites que considero excelentes para o aprendizado da pronúncia do inglês americano:

Caso não goste desses sites, ou seu foco seja o inglês britânico, encontre outros que estejam de acordo com o seu estilo. Faça buscas no Google, na AppStore, na Google Play, iTunes, etc., e você encontrará inúmeros serviços gratuitos e pagos para ajudar você a melhorar a pronúncia.

» IDENTIFIQUE SEUS PONTOS FRACOS

Ter um bom material é fundamental. Mas, eu também recomendo que você identifique os seus pontos fracos e trabalhe-os aos poucos. Não se esqueça dos seus pontos fortes. Torne-os cada vez melhores. Assim, você melhorará em praticamente tudo. Além da produção de alguns sons, eu também encontrava problemas com a entonação. Eu então me esforçava ao máximo para dominar isso. Confesso que até hoje me esforço. Afinal, ainda não deixei de aprender.

» ESCUTE INGLÊS O MÁXIMO QUE PUDER

Não adianta fugir! Não adianta dizer que não consegue! Não adianta dizer que é chato! Não adianta dar desculpas! Se você quer mesmo melhorar na pronúncia do inglês, você deverá ouvir inglês o máximo que puder. Escute músicas, filmes, seriados, desenhos animados, entrevistas e o que mais der para ouvir em inglês. Escutar a língua-alvo com frequência ajuda seus neurônios a se acostumarem com a nova língua. Sobre isso, recomendo que você leia a dica “Por que listening é difícil?“. Há inúmeras outras dicas sobre listening aqui no blog, portanto, encontre-as e leia-as.

» DEDIQUE-SE

Dedicação é fundamental para seu progresso. Não basta ter livros excelente e acesso à internet. Você deve estudar, ouvir os CDs, repetir exaustivamente o que deve ser repetido, fazer anotações e tudo mais. Leia textos em voz alta, grave-se e depois corrija a sua pronúncia baseando-se nas gravações feitas.

Uma atividade que eu fazia muito era o voice-over. Essa atividade é muito interessante e ajuda muito se você a fizer com frequência. Nela você deve repetir simultaneamente o que ouve. Ao mesmo tempo que ouve, você deve repetir o que está ouvindo. Procure manter o mesmo ritmo, entonação, pronúncia dos sons e tudo mais enquanto escuta um diálogo, trecho de um filme, música, comercial em inglês…

Como você pode ver, essa coisa de melhorar a sua pronúncia do inglês depende mais de você meter a cara e fazer do que ficar esperando bater a cabeça na parede, desmaiar e acordar falando inglês como um americano, inglês, australiano, canadense, neozelandês, indiano, etc. Dedique-se! Invista tempo e dinheiro! Corra atrás! Você pode não falar inglês como um nativo, mas certamente conseguirá enganar muita gente. No entanto, lembre-se que muitas coisas você poderá não dominar em relação à pronúncia. Saiba por que isso pode acontecer, lendo a dica “Por que aprender a pronúncia do inglês é difícil?“.

É isso por enquanto! Bons estudos e muito aprendizado para você.

Artigos Relacionados
Comentários