Entendo Inglês, Mas Não Falo! – Será isso possível?

Você já ouviu alguém dizendo “Eu entendo inglês, mas não falo?“. Será que você vive essa situação de estudar inglês, ser capaz de entender as coisas, mas ser uma negação na hora de falar?

Será que isso é mesmo possível? Será que alguém pode realmente entender inglês e ser incapaz de falar?

Esse é um assunto que dá muito o que discutir. Afinal, nos campos da Linguística e Neurociência – assim como nos afins –, há muitos estudos sobre isso. Portanto, não podemos ficar apenas nos achismos e dizer basear uma resposta apenas no que pensamos.

Entendo Inglês, Mas Não Falo!

Abaixo, está um vídeo no qual eu dou o pontapé para esse assunto. Digo pontapé, pois ele merece ainda outros complementos. Trata-se também do pontapé para uma série de vídeos no qual eu – Denilso – vou abordar mais temas relacionados à Linguística e ao Ensino/Aquisição de Língua Inglesa.

Sou defensor da ideia de que quanto mais soubermos sobre como o cérebro funciona, mais nos tornamos conscientes sobre como aprender melhor.

Assim sendo, aguardem novidades!

O vídeo foi publicado originalmente em nosso canal no Youtube. Ele já recebeu mais de 60 comentários e muitas curtidas. Então, peço que vocês também deixem lá seus comentários e curtam o vídeo.

Chega de conversa e vamos ao que interessa!

Aprenda mais!

Recomendo a seguir outras dicas que você pode ler – ou assistir – e assim continuar aprendendo muito mais.

Essas são apenas algumas das várias dicas que você pode ler por aqui para aprender mais sobre como aprender inglês. O site tem mais de 2300 dicas. Então, você certamente encontrará muitas outras.

That’s all for now, guys! Take care and keep learning!

Quer aprender inglês!? Então, pense duas vezes!

Você quer aprender inglês? Quer muito aprender a falar inglês!? Quer aprender inglês para assistir aos seus filmes e seriados favoritos!? Quer aprender inglês para poder viajar e curtir o mundo sem medo se comunicar!? Quer aprender inglês para se dar bem nos trabalho e também nos estudos!?

Você certamente respondeu sim para a maioria das perguntas acima, não é mesmo? Ou seja, claro que você quer aprender inglês! Que pergunta mais imbecil essa!

Ok! Então, antes de você sair por desesperadamente, pense duas vezes. Ou melhor, pense muito bem antes de querer realmente aprender inglês! Pense com cuidado!

Por quê?

Deixe-me elaborar – explicar – isso com calma. Vamos por partes!

Todo mundo quer aprender inglês

Essa coisa de querer aprender inglês é algo que todo mundo deseja. Afinal, os benefícios são vários e nem preciso listá-los aqui. Todos sabem quais são.

Mas, já que todo mundo quer aprender, por que nem todo mundo aprende?

Será que o problema é a língua inglesa em geral? Será que tem algo a ver com a pronúncia – os sons – da língua inglesa? Será a gramática do inglês? A quantidade de palavras talvez?

A culpa é das escolas que só enrolam pensando em ganhar dinheiro? Será culpa da quantidade de professores e professoras online que oferecem cursos com seus “métodos próprios e inovadores“?

Enfim, onde está o problema? De quem é a culpa? Se você quer aprender inglês, por que será que você não aprende?

Pense duas vezes!

Quer aprender inglês!? Pense duas vezes!

Muita gente me procura dizendo que quer aprender inglês. Geralmente, elas chegam até mim dizendo que sou um excelente profissional e que tenho conhecimento e experiência o bastante para ajudá-las a aprender inglês. Uma espécie de guru! Além disso, essas pessoas também falam que dinheiro não é problema.

Quando eu ouço isso, eu falo para a pessoa pensar muito bem no que ela realmente quer. Quando digo isso, costumo ouvir um sonoro “Eu quero aprender inglês!“.

É aí que eu entro com algumas perguntas para ajudar a pessoa a pensar bem no que ela quer. Pois, querer aprender inglês não se resume a ter um excelente professor ou professora e nem ser capaz de pagar bem por isso.

Aprender inglês vai muito além desses dois pontos!

Aprender Inglês não é só aprender inglês

Quando você pensar em querer aprender inglês, pense também no seguinte:

  1. Você tem tempo para estudar fora da aula? Você vai se dedicar a fazer as tarefas propostas pela professora? Você vai ler o material extra que seu professor eventualmente possa pedir para você ler?
  2. Você vai procurar se envolver com o inglês ao longo do dia? Você vai procurar deixar seu smartphone, tablet, computador, aparelho de TV configurados em inglês para foçar seu cérebro a se acostumar com a língua inglesa?
  3. Você vai participar ativamente das aulas de inglês sem medo de errar e sempre buscando colocar em prática aquilo que aprende?
  4. Você vai parar com a mania de sair baixando tudo que encontrar em sites, blogs, Facebook, Instagram e salvar para estudar depois?
  5. Você vai manter o compromisso com você mesmo de não faltar às aulas ou bater papo via Skype com seu professor online?
  6. Você vai deixar de lado a mania de achar que inglês é uma língua difícil e que você não dá conta de aprender?
  7. Você vai parar de culpar o professor ou professora e passar a observar se você está sendo um bom estudante de inglês?
  8. Você vai estabelecer objetivos de aprendizado e assim procurar alcançá-los de acordo com seus limites e até mesmo ir além disso?

Pense bem! Você quer aprender inglês! Isso é excelente! Mas, você está disposto a se dedicar o máximo possível para fazer isso acontecer?

De quem é a culpa?

Pense muito bem! Todo mundo quer aprender inglês. As oportunidades são várias: sites, podcasts, canais no youtube, escolas de idiomas, cursos online, página no Facebook, perfis no Instagram.

Mesmo com toda essa montoeira de possibilidades, nem todo mundo aprende. No entanto, nem sempre a culpa é do professor, da escola ou do livro.

A culpa muitas vezes pode ser sua mesmo. Afinal, você quer aprender inglês, mas será que você está se dedicando para isso?

Ah! Não adianta dizer que você se inscreveu em 10 canais de inglês no Youtube, segue 30 perfis no Instagram, está em 15 grupos no Facebook, participa de 10 grupos no WhatsApp, baixou 100 ebooks e coisas assim. Afinal, a gente sabe que quantidade não é qualidade. Não se torne um acumulador de conteúdo!

Quando eu decidi aprender inglês – por conta mesmo, pois minha família não tinha dinheiro para pagar um curso –, nós não tínhamos as inúmeras facilidades que temos hoje. Eu estudei com apenas 3 livros (não tinha internet). Eu tirava dúvidas lendo e relendo os livros que tinha até entender o conteúdo ou ainda com meu professor na escola (mas isso foi bem depois).

Eu ouvia a BBC de Londres usando um rádio no qual para conseguir ouvir com mais clareza era necessário colocar um bombril na antena. Quando não funcionava direito, eu encostava a antena com o bombril na minha testa. Isso de alguma forma melhorava o sinal. Não muito! Mas, melhorava!

Quer aprender inglês!? Pense duas vezes!

Acredito que você já entendeu a ideia, não é mesmo? Se você quer aprender inglês, você precisa pensar bem no seu papel como estudante de inglês.

Não seja preguiçoso! Não espere por um milagre! Não seja um acumulador de materiais! Não culpe os outros ou a língua se você não estiver fazendo a sua parte!

O simples fato de querer aprender inglês não é o suficiente. Afinal, querer todo mundo quer; mas nem todo mundo está disposto a fazer a sua parte.

Portanto, Pense duas vezes!

Phrasal Verbs: entenda e aprenda de uma vez por todas

Phrasal verbs!? Vamos falar sobre isso novamente!? Sim, mas desta vez é um podcast! Portanto, clique no player abaixo para ouvir. Ou você pode ouvir na plataforma que desejar: Spotify (clique aqui), Google Podcast (clique aqui) ou iTunes (clique aqui).

Agora que falamos isso, você pode continuar lendo ou ouvindo esta super dica para aprender tudo sobre como aprender phrasal verbs e muito mais! I hope you enjoy all this!

Phrasal Verbs: podcast

Hello, guys! This is Denilso speaking and welcome to another episode of Inglês na Ponta da Língua podcast.

Desta vez, quero bater um papo com vocês sobre phrasal verbs. Eu já escrevi muito aqui no site sobre isso. Lembro que o primeiro texto publicado a respeito é de 2007. Mas, esse assunto nunca deixa de ser um tormento para estudantes de inglês.

Então, eu vou meio que juntar todas as dicas que já dei aqui e falar a respeito. Por isso, eu também digo que esse aqui é o Guia Definitivo Para Você Aprender Phrasal Verbs.

Tudo o que eu vou falar aqui é praticamente tudo o que nós – pesquisadores, especialistas e linguistas – temos a dizer sobre phrasal verbs. Aqui vou responder as seguintes perguntas:

Vou dar ainda algumas informações relevantes para que você simplesmente mude a sua mente – o seu mindset – sobre como o que são e como aprender phrasal verbs em inglês.

Phrasal Verbs: entenda e aprenda de uma vez por todas

Lembrando que o texto deste podcast pode ser encontrado lá em nosso site. Então, acesse www.inglesnapontadalingua.com.br, procure pelo texto Phrasal Verbs: entenda e aprenda de uma vez por todas e você terá todo esse conteúdo para guardar e revisar sempre que quiser.

Para começar, vamos à pergunta que todos sempre fazem.

O que são phrasal verbs?

e modo bem simples, um phrasal verb nada mais é do que a combinação de um verbo com uma preposição ou um advérbio ou os dois e que juntos possuem um único significado.

Ou seja, não adianta traduzir – interpretar – o verbo e a preposição ou advérbio separadamente. Nós temos de interpretar o conjunto.

Portanto, “look down on” é um exemplo de phrasal verb. Pois, trata-se de da combinação de um verbo (look) e duas preposições (down on). Mas, não podemos traduzir (interpretar) isso palavra por palavra. Temos de ver como um conjunto. Esse conjunto tem um significado próprio.

Dessa forma, “look down on” significa “menosprezar”. Uma mãe pode aconselhar seu filho a never look down on people. Ou seja, nunca menospreze as pessoas.

Resumindo: phrasal verbs são pequenas combinações de palavras formadas por um verbo, um advérbio e/ou uma preposição que devemos aprender como se fossem uma coisa só e que possuem um significado próprio.

Em minha opinião, uma pessoa que deseja ser fluente em inglês não tem a obrigação de saber definir o que são phrasal verbs. Isso equivale a dizer que para falar português fluentemente, ninguém precisa saber definir o que são verbos defectivos, verbos anômalos ou verbos abundantes. Você certamente não sabe o que são esses verbos, mas mesmo assim fala e ouve português ao longo do seu dia sem o menor problema.

Saber a definição de phrasal verbs é algo para professores e linguistas. Já os alunos não precisam ficar sabendo desses detalhes técnicos. A não ser que realmente queiram.

O problema dos phrasal verbs

Essa explicação técnica é uma das maiores causas para que estudantes de inglês odeiem os phrasal verbs e também perpetuem a crença de que jamais aprenderão phrasal verbs.

Um outro problema é o fato da maioria dos phrasal verbs possuírem vários significados ou usos. Alguns são fáceis de aprender. Afinal, têm apenas um significado. Já outros possuem vários significados e isso causa revolta em muitos estudantes.

O phrasal verb “flag down” pode ser citado aqui como exemplo de phrasal verb com apenas um significado. “Flag down” significa “acenar para que o motorista pare seu veículo”. Veja o exemplo:

  • We’ve been trying to flag down a cab for hours. (A gente está tentando parar um táxi há horas.)

Lembrando que nesse caso, o aceno é feito com a mão. Imagine-se esperando por um ônibus. Quando você o avista, você acena – faz um gesto com a mão – para que ele pare e você possa entrar nele.

Até aí tudo bem! O problema é que a maioria dos phrasal verbs não são assim tão simples. Veja “look up” por exemplo.

Na sentença, “If you don’t know what ‘flabbergasted’ means, you can look it up in the dictionary”, “look up” nesse caso significa procurar uma palavra no dicionário.

Já ao dizer, “Things are looking up”, o sentido de “look up” é melhorar. Portanto, a sentença toda significa “As coisas estão melhorando”.

Em “I’ll look you up next time I’m in São Paulo”, o significado de “look up” é “visitar”. Logo, a tradução é “Eu vou te visitar na próxima vez que eu estiver em São Paulo”.

Acabei de mostrar 3 significados de “look up”: procurar em um dicionário, melhorar e visitar.

Muitos estudantes simplesmente não conseguem entender como uma só combinação de palavras pode ter tantos significados. Eles até dizem que isso é loucura.

Será mesmo loucura?

Quando eu escuto alguém dizendo isso, eu olho para a pessoa e digo que não é loucura. Isso é normal em qualquer língua. Em português, temos palavras que também possuem vários significados.

Um exemplo clássico disso é a palavra “manga”. Como você bem sabe, manga é uma fruta. Mas, temos ainda a manga de uma camisa. Na região norte do Brasil, se alguém diz “o João manga de todo mundo” o significado é “o João zoa todo mundo”, “o João tira sarro de todo mundo”. Em outras regiões manga pode ser uma chuva forte ou ainda um cercado que conduz o gado para o curral.

Ou seja, o fato de “look up” – e outros tantos phrasal verbs – ter três significados ou mais não é loucura. Afinal, em nossa língua também temos palavras com vários significados e usos.

Ao aprender uma outra língua, isso pode ser sim um problema. Mas, esse problema é causado pelo modo como nós fomos e continuamos sendo “ensinados” a aprender phrasal verbs.

Isso nos leva então à pergunta de um milhão de reais!

Afinal, como aprender phrasal verbs?

A maneira mais comum que todo mundo usa para aprender phrasal verbs é fazendo listas. Assim, você faz uma lista com 10 ou mais phrasal verbs e os decora. Depois, você faz mais uma lista com 10 ou mais phrasal verbs e os decora também. E assim você segue fazendo dia após dia. Certo? É assim que você faz?

Outra maneira comum é aquela de fazer uma lista de phrasal verbs com get e passar um tempo decorando. Depois, faz-se uma lista de phrasal verbs com take e passa-se um tempo decorando. Então, cria-se uma lista de phrasal verbs com cut e mais uma vez as decora.

Seja lá como for, o que a maioria das pessoas faz é LISTAS DE PHRASAL VERBS. Elas decoram 10, 20, 30, 40, 50, etc., phrasal verbs e acabam desistindo. Cria-se aí a crença de que aprender phrasal verbs é impossível.

Em meu primeiro livro, Inglês na Ponta da Língua – método inovador para melhorar o seu vocabulário –, eu escrevo que se você quiser esquecer alguma coisa, basta colocar em uma lista. No caso dos phrasal verbs, ocorre isso. Se você coloca vários deles em uma lista para decorar, depois de um tempo você terá esquecido boa parte deles.

Tem aí toda uma teoria sobre o estudo da memória para explicar o porquê disso acontecer. Mas, vamos deixar esse assunto para outro momento. Por ora, quero apenas que você saiba que se você está tentando aprender phrasal verbs por meio de listas, pode parar agora. Você só está criando motivos para desanimar e desistir de aprender inglês. Deixe-me te dar uma dica sobre como realmente aprender phrasal verbs.

Como realmente aprender phrasal verb?

A dica é a seguinte: você aprende phrasal verbs da mesma maneira como aprende palavras, gírias ou expressões novas em português. Sim! Eu disse português! Como assim?

Quando você encontra – lê ou ouve – uma palavra que nunca encontrou antes em português, o que você faz?

Eu acredito que você pergunta a alguém – ou procura no dicionário – o que significa. Você nunca leu ou ouviu aquilo; mesmo assim, você quer saber o que significa. Curiosamente, você começa a notar que seus amigos, familiares, pessoas em entrevistas, etc., estão usando aquela palavra, gíria ou expressão.

Seu cérebro começa a assimilar naturalmente o significado e o uso daquilo. Com o tempo, você se pega usando aquela palavra, gíria ou expressão naturalmente. Ou seja, ela acaba se tornando parte do seu vocabulário ativo.

Mas, como é em inglês?

Em inglês, acontece a mesma coisa. Quando você se depara com um phrasal verb, a primeira coisa a aprender é qual o seu significado dentro daquele contexto.

Assim, ao ler a sentença “If you don’t know what ‘flabbergasted’ means, look it up in the dictionary”, você aprende que “look up” significa “procurar”. Além disso, você também nota que o contexto é o de procurar por uma palavra em um dicionário. Logo, you look up a word in the dictionary. Esse “look up” não tem nada a ver com o procurar por algo que você perdeu. Vou repetir: o contexto de “look up” é o de procurar uma palavra no dicionário.

Você pode procurar mais exemplos de “look up” com o significado de “procurar” e aprender que além de “procurar em um dicionário”, pode também ser usado no contexto de procurar por algo em uma lista: seu nome na lista de aprovados do ENEM, por exemplo.

Com o tempo, você pode encontrar “look up” sendo usado com o sentido que não se encaixa naquele que você aprendeu. Isso significa que você precisa agora aprender esse outro uso de “look up”. Trata-se de algo natural: aprender novos significados para um phrasal verb já conhecido. É o mesmo que aprender que “manga” é outro nome que damos para uma peça de metal também conhecida como “bucha”.

É assim que aprendemos phrasal verbs!

Aos poucos, um de cada vez, e sempre dentro do contexto. Temos de aprender lendo exemplos. Temos de nos envolvermos com a língua e assim aquele phrasal verbs que lemos em um texto ou ouvimos em uma conversa vai se tornando parte de nosso vocabulário ativo. Com o tempo, estaremos tão acostumados com ele que nos pegaremos usando-o naturalmente sem o menor problema.

Não é preciso ter pressa e nem medo!

Sua pergunta agora deve ser a seguinte: “Denilso, a minha professora vai fazer uma prova semana que vem e ela disse que temos de decorar uma lista de 50 phrasal verbs que ela passou?”

Se esse for o seu caso, eu sinto muito! Se sua professora mandou e vai cair na prova, então eu desejo um bom teste de memória para você. Afinal, essa prova não é uma prova de inglês; mas, sim um teste de memória para saber se você é capaz de memorizar o maior número possível de itens colocados em uma lista. Repito: isso é um teste de memória e não uma prova de inglês. Boa sorte!

Tipos de Phrasal Verbs

Para deixar esse papo aqui mais completo, eu tenho de falar sobre os tipos de phrasal verbs. Afinal, esse assunto também complica a vida de muita gente. Então, vamos lá!

Os phrasal verbs podem ser divididos tecnicamente em duas categorias: separáveis e inseparáveis.

Lá no começo, a definição técnica que dei para os phrasal verbs é que eles são combinações de palavras formadas por um verbo, uma preposição e/ou um advérbio. Assim, “look up” e “look down on” são exemplos de phrasal verbs. O interessante é que “look up” é um phrasal verb separável. Já, “look down on” é inseparável.

Como assim?

O verbo “look” e a preposição “up” em “look up” pode ser separadas por outra palavra. Por exemplo, “Look this word up in the dictionary, if you don’t know it’s meaning”. Note que eu disse “Look this word up…”. Look e up estão separados por “this word”. Isso é natural em inglês. Você aprende isso naturalmente e sem complicações. Você observa isso aconteça e se acostuma de tanto ver.

Por outro lado, o phrasal verbs “look down on” não pode ser separado em momento algum. As três palavras que o forma – look, down e on – devem sempre estar juntas. O certo será sempre “Never look down on people”. Nada de dizer “Never look people down on” ou “Never look down people on”. “Look down on” é inseparável.

Como dito acima, isso você aprende naturalmente. Não precisa entrar em desespero achando que é complicado demais. Lembre-se: a gente aprende isso naturalmente e com o tempo ficamos com tudo isso na ponta da língua. O importante é não desistir. Fácil pode até não ser no começo, mas impossível não é!

Considerações Finais

Para encerrar, quero pedir para que você tome muito cuidado com as promessas feitas pela internet.

Tenho visto pelo Youtube, Instagram, Facebook, Twitter, etc., muita gente vendendo ebooks com os 100, 200, 600 phrasal verbs em inglês. Cuidado com isso!

O que esses materiais geralmente têm é uma lista de phrasal verbs aleatórios que o autor juntou e colocou dentro do ebook. Ou seja, trata-se apenas de uma lista com vários phrasal verbs que você vai querer decorar e no final o resultado será o mesmo: frustração por ter comprado mais um material que serviu para mostrar que você é simplesmente incapaz de aprender phrasal verbs.

Não encare esses materiais como soluções definitivas. Ele servem como referência de aprendizado. Mas, não como soluções milagrosas. Nada contra o material ou seu autor.tenho contra vender isso como água santa do Rio Jordão que resolverá seus problemas com os phrasal verbs.

Ufa! Acho que é isso! Caso você ainda tenha alguma dúvida sobre esse assunto, acesse o site e envie sua pergunta. Você pode ainda mandar sua dúvida pelo Facebook ou Instagram. Basta procurar por Inglês na Ponta da Língua nessas redes e você nos encontrará por lá.

Well, thanks a bunch for listening. So, take care and keep learning!

Como Pronunciar OFTEN? Com o t ou sem o t?

Como pronunciar OFTEN? Será que temos de fazer o som do T e falar /ˈɔftən/? Ou será que o T é mudo e falamos apenas /ˈɔfən/? Se você tem dúvidas, vamos às respostas.

Como Pronunciar OFTEN?

Para encontrar a resposta e aprender, você não precisa pesquisar muito. Afinal, as duas pronúncias estão corretas. Ou melhor, as duas pronúncias são aceitas e usadas onde a língua inglesa é falada.

Isso significa que em alguns locais as pessoas pronunciarão /ˈɔfən/ e outras preferirão /ˈɔftən/.

Portanto, independentemente de como você faz a pronúncia de often, você não estará errado.

»Leia também: Como Pronunciar MONTHS

Qual é a mais comum?

Essa pergunta já é bem diferente. Portanto, merece um pouco mais de atenção.

De modo geral, a pronúncia mais comum é /ˈɔfən/. Ou seja, a pronúncia na qual o som do t desaparece é a mais conhecida em todos os cantos onde o inglês é falado.

Já a pronúncia com o som do t – /ˈɔftən/ – é menos comum.

Logo, se você quiser pronunciar como a maioria, fique com a pronúncia sem o t – /ˈɔfən/.

» Leia também: Sons do TH em Inglês: verdades não ditas

Um pouquinho de história

Como Pronunciar OFTEN em InglêsEssa confusão em como pronunciar often teve início ao longo do desenvolvimento da língua inglesa

Até início dos anos de 1500, a palavra em inglês era oft. Todos pronunciavam o t. Com o tempo oft foi recebendo o sufixo –en e acabou sendo escrito como often. A maioria das pessoas manteve o som do t e pronunciava /ˈɔftən/.

Mas, a Rainha Elizabeth I, que reinou de 1558 a 1603, não pronunciava o t. Assim, a turma – bando de maria vai com as outras– começou a copiar o modo como a rainha falava. Teve início aí a mudança da pronúncia de /ˈɔftən/ para /ˈɔfən/.

Curiosamente, a “discussão” sobre como pronunciar often se manteve ao longo dos tempos. Em 1791, foi publicado um dicionário em inglês dizendo que o correto era /ˈɔfən/. Já em 1926, a pronúncia /ˈɔftən/ era muito comum e isso fez com que os gramáticos e policiais da língua começassem a criticar. Eles insistiam que o correto era /ˈɔfən/.

No ano de 1996, um editor do Oxford English Dictionary afirmou que as duas pronúncias estavam corretas; no entanto, a pronúncia /ˈɔfən/ era a mais comum. Isso fez com que muitos puristas ficassem loucos e eles então passaram a dizer que o correto era pronunciar /ˈɔfən/. Alguns críticos até chegaram listar palavras nas quais o t é mudo para sustentar a ideia de que o correto será sempre /ˈɔfən/. Essas palavras são:

  • listen, hasten, fasten, christen, chasten, moisten, Christmas

Em todas elas o t não é pronunciado; logo, o t em often também não deve ser pronunciado.

» Leia também: A Diferença na Pronúncia de CAN e CAN’T

Conclusão

Minha palavra final sobre esse assunto é a seguinte: pronuncie sempre /ˈɔfən/; pois, essa é tida a pronúncia padrão, a mais comum, a mais aceita. Embora seja possível ouvir e até dizer /ˈɔftən/, tudo indica que muita gente ainda não gosta muito dela.

Ou seja, é a mesma situação que temos com algumas palavras no português brasileiro. Em algumas regiões, uma palavra pode ser pronunciada de uma forma, já em outra pode ser outra pronúncia.

Por fim, saber como pronunciar often não é mais um problema para você. Afinal, depois de ler esta dica você está com seu Inglês na Ponta da Língua.

» Fontes

Aprender Inglês em 7 Dias!? Como assim!?

Será possível aprender inglês em 7 dias? O que fazer para conseguir aprender inglês em 7 dias? Qual o segredo para aprender inglês em 7 dias?

Você deve estar estranhando isso tudo. Mas, também deve estar morrendo de curiosidade. Afinal, será que podemos mesmo aprender inglês em sete dias? Vamos aos poucos para você entender o porquê desse assunto aqui novamente.

» Leia também: Fluência em Inglês em 3 meses! É possível!?

Aprender Inglês em 7 Dias

A Folha de São Paulo publicou recentemente uma matéria (link) com o seguinte título:

Presidente de rede de fast food aprendeu língua inglesa em sete dias

Veja que a chamada é forte. Pois, aparentemente ela falará sobre um grande milagre no aprendizado de inglês: alguém que aprendeu inglês em sete dias e o que esse alguém fez.

Assim como a grande maioria, eu fui tomado pela curiosidade. Afinal, como especialista no assunto, eu sei que em 7 dias alguém pode aprender algumas coisas em inglês. Mas, ser fluente em 7 dias já é algo que impossível. Cliquei no link compartilhado no Facebook e fui ler o texto.

Já no começo, fico sabendo que essa é mais uma daquelas matérias feitas para chamar atenção à trajetória profissional de alguém. No caso, trata-se de Paulo Camargo, atual executivo responsável pelo McDonald’s no Brasil.

A ideia é apresentar a personagem real da matéria e sua caminhada desde que estava desempregado até chegar onde está hoje. Enfim, um exemplo de profissional que, claro, tem muito a nos ensinar. Então, vamos aprender com ele. Pois, a matéria diz que ele aprendeu inglês em 7 dias, então temos de saber como isso aconteceu. O que nosso modelo tem a nos ensinar?

Indo aos Fatos

No primeiro parágrafo da matéria lemos que Paulo Camargo, em 1993, com 25 anos de idade, estava desempregado. Dessa forma, ele se candidatou a uma vaga no McDonald’s. Como todo processo seletivo, o recrutador perguntou como estava o inglês de Paulo.

Paulo, brasileiro que deixava tudo para o último momento, certamente disse que não estava nada bem. Mas, como bom brasileiro, ele disse que daria um jeitinho. Ele conta que disse ao recrutador que precisava de uma semana (7 dias) para se preparar. O recrutador estranhou, mas aceitou o pedido de tempo. Logo, Paulo tinha 7 dias para aprender inglês.

Aprendendo Inglês em 7 Dias

Aprender Inglês em 7 DiasNa sequência da matéria o nosso protagonista diz o que fez quando recebeu a oportunidade. Leia,

Juntei todo o dinheiro que tinha guardado enquanto estava no exército, paguei um professor de inglês e passei a estudar 15 horas por dia.

Muita gente ao ler isso já começa a achar que ele descobriu o professor mágico que o ensinou a falar inglês em sete dias. Ou ainda que ele simplesmente recebeu uma luz vindo do céu para operar esse milagre em sua vida.

Curiosamente, mais à frente ele diz que conseguiu a vaga. Mas, acima de tudo, ele afirma que:

Falei o suficiente para passar, mas consegui a vaga pelo esforço, não pelo inglês que falei.

Veja bem o que ele diz: consegui a vaga pelo esforço, não pelo inglês que falei. Ou seja, Paulo reconhece que não foi o inglês que o ajudou. Certamente, seu inglês não convenceu muito.

Entendendo os Fatos

Paulo Camargo sabe que em 7 dias ele aprendeu algumas coisas de inglês. Eu acredito que devido ao seu esforço, motivação, força de vontade, oportunidade dada, etc., ele aprendeu muito mais do que muita gente aprende em 3 meses. No entanto, ele não descobriu a fórmula para ser fluente em inglês em 7 dias.

O que ele aprendeu foi o suficiente para conseguir uma vaga no McDonald’s. O recrutador deve ter se admirado muito mais com seu esforço, garra e iniciativa. Dessa forma, deu a Paulo Camargo a chance de trabalhar na rede. Se ele continuaria trabalhando para o McDonald’s era incerto. Tudo dependeria dele mesmo.

Paulo certamente continuou estudando inglês por muito mais tempo. Assim foi se aperfeiçoando. Conforme foi subindo dentro da empresa, foi vendo a necessidade de aprender mais e mais inglês. Até chegar ao ponto de ser fluente. Ou melhor, de desenvolver a fluência dia após dia. Ele manteve o foco! Não foi medíocre em sua(s) conquista(s).

Veja bem! O título da matéria chama muita atenção. Contudo, não deve ser interpretada ao pé da letra. Infelizmente, ninguém consegue aprender inglês (fluente) em 7 dias. Isto é, ninguém consegue ser fluente em inglês em 7 dias de estudo.

O que Paulo fez?

Como especialista na área, o que eu observo são as atitudes de Paulo Camargo diante da oportunidade dada pelo recrutador. Vamos analisar isso!

Em primeiro lugar, Paulo tinha uma motivação muito forte: conseguir o emprego. Essa motivação serviu de trampolim para que ele assumisse um compromisso. Na verdade, ele assumiu dois compromissos: um com ele mesmo (eu vou conseguir!) e outro com o recrutador (me dê a oportunidade e te mostro do que sou capaz!).

Além disso, ele investiu suas economias e buscou ajuda (contratou um professor). Se ele não tivesse a motivação necessária ou se ele desanimasse e não acreditasse nele mesmo, ele usaria o dinheiro para outros fins. Durante o curto período de tempo que tinha (apenas 7 dias), Paulo se organizou, administrou o tempo e se esforçou para aprender o máximo que podia e assim conseguir atingir seu objetivo: ser empregado na rede.

Isso faz com que algumas perguntas surjam:

  1. Qual sua motivação para aprender inglês?
  2. Você tem assumido o compromisso de realmente aprender inglês?
  3. Você tem investido algo para aprender inglês ou fica só se enchendo de materiais da internet sem saber o que fazer direito com tudo?
  4. Como você tem se organizado para aprender inglês?
  5. Como tem administrado o tempo – seja o ocioso ou não– para aprender inglês?

Pense nisso! Tenho certeza que se você agir como o Paulo, você aprenderá muita coisa em 7 dias. Já terá o suficiente para começar se destacar. Aí, é só continuar se dedicando e não parar jamais. Pois, o aprendizado de inglês é contínuo e não deixa de acontecer em certo ponto da vida (só se você parar ou morrer!). No entanto, o que será que você está disposto para aprender inglês em 7 dias?

Se quiser mais que isso, contrate um professor. Valerá a pena! Eu posso ser seu professor. Basta se inscrever no curso Aprender Inglês Lexicalmente clicando na imagem abaixo. Até a próxima!

Aprender Inglês Lexicalmente

Inglês para Aviação – English for Aviation

Inglês para Aviação, ou English for Aviation, é uma busca recorrente no Google. O assunto é clássico. Os profissionais dessa área precisam ser bons em inglês; pois, como sabemos, o inglês é a língua para comunicação internacional.

Mas, o que difere o Inglês para Aviação – English for Aviation – do inglês normal que aprendemos em cursos? Será que há alguma particularidade envolvendo essa área da língua inglesa?

Se você quer entender um pouquinho mais sobre Inglês para Aviação, continue lendo esta dica.

» Leia também: Frases de Inglês no Aeroporto e no Avião

Inglês para Aviação – English for Aviation

Esse tipo de inglês é, claro, um inglês mais técnico. Ou seja, vai além do inglês geral que normalmente aprendemos. Por conta disso, espera-se que a pessoa já tenha um conhecimento básico – e até mesmo intermediário – da língua inglesa para começar a se aventurar no Inglês para Aviação.

Em muitos caso, exige-se até mesmo um inglês mais avançado. Isso porque a depender do que o profissional faz, ele ou ela precisa ter o inglês na ponta da língua.

No entanto, nada impede que o estudante do English for Aviation, comece a fazer um curso básico no qual já vai aprendendo alguns termos, frases e expressões comuns à área. Em outras palavras, você pode aprender o que é ensinado em um curso geral e ao mesmo tempo focar no vocabulário específico da área.

Nesse caso, o ideal é focar no vocabulário mais básico: partes de um avião, palavras usadas frequentemente, frases e expressões comuns em situações corriqueiras, etc. Com o passar do tempo, você vai aprendendo coisas novas e assim tornando isso parte do seu vocabulário ativo.

Vale ainda lembrar que o Inglês para Aviação muda de acordo com cada área de atuação. Ou seja, temos o inglês para pilotos, controladores de tráfego aéreo, comissários de bordo, mecânicos, equipes de solo das empresas aéreas e todos os demais.

Cada uma dessas áreas terá um conhecimento técnico diferenciado. Portanto, caso seu interesse seja aprender inglês para aviação deverá também levar isso em conta.

» Leia também: Vocabulário Específico – Airline English

Como Aprender Inglês para Aviação?

Inglês para Aviação – Aviation English

Conforme dito acima, você precisará aprender o inglês dito geral. No entanto, você pode já ir aprendendo o vocabulário específico dessa área.

Leve em contam qual será (ou é) sua área de atuação. Assim, caso seu objetivo seja se tornar uma comissária de bordo, então foque no vocabulário, sentenças e expressões comuns às situações do comissariado de bordo. Caso esteja indo para o lado de equipe de solo, então aprenda o vocabulário específico dessa área.

Já os pilotos e controladores de tráfego aéreo precisam ser mais cuidadosos e atenciosos no modo como se comunicam. Assim, eles devem aprender também um vocabulário específico desenvolvido pela ICAO (International Civil Aviation Organization), uma agência das Nações Unidas que lida com a aviação civil. Esse vocabulário é formado por cerca 300 palavras usadas na comunicação via rádio e servem para evitar mal-entendidos. Alguns exemplos são:

  • wilco » abreviação de “I will comply”, ou seja “recebi a informação e a executarei”.
  • affirm » não diga “yes” ou “positive”, diga “affirm”.
  • mayday » deve ser dito três vezes seguidas e significa que há perigo grave na aeronave, vidas podem ser perdidas.
  • pan pan » deve ser dito três vezes seguidas e significa que há um perigo na aeronave mas não a ponto de perder vidas.
  • deadhead » funcionário da empresa viajando como passageiro.
  • squawk » termo usado para “ajustar/ligar o transponder”; o controlador poderá dizer “squawk mode Charlie” ou “squawk ident”, que são ajustes específicos para localizar a aeronave.
  • roger » o mesmo que “understood” (entendido); a pessoa recebeu a mensagem, mas provavelmente não a executará.

Portanto, para você aprender o Inglês para Aviação, você tem de:

  1. estudar o inglês geral como todo mundo faz;
  2. aprender o vocabulário da área que você atua ou deseja atuar;
  3. ler e ouvir material relacionado a área de seu interesse;
  4. continuar aprendendo constantemente.

Livros de Inglês para Aviação

Há no mercado materiais voltados para o Aviation English. Portanto, você pode adquirir alguns desses livros e estudá-lo.

A Cengage Learning tem  um livro chamado General English for Aviation [clique aqui]. De acordo com a descrição no site, esse material é voltado para estudantes de nível básico ao intermediário e atende as necessidades de equipes de bordo, pilotos, controladores de tráfego aéreo e equipes de solo. Ou seja, trata-se de um material mais amplo e que serve de porta de entrada para todos os profissionais dessa área.

Para pilotos e controladores de tráfego aéreo, um material mais específico é o Aviation English, publicado pela Macmillan. Além de ser um livro voltado especificamente para esse público, ele é também mais avançado. Já para o pessoal de bordo (comissários e comissárias), um livro recomendado é o English For Cabin Crew, publicado pela Oxford University Press. Curiosamente, a Cengage Learning também tem um material com título idêntico – veja aqui.

Não há – pelo menos não encontrei ainda! – um material específico para engenheiros, mecânicos, técnicos de aviação. No entanto, pesquisando pelo Google encontrei um Aviation Maintenance Technician Handbook no site da Federal Aviation Administration. Não se trata de uma material de curso, mas certamente pode ser usado para estudos. Afinal, tudo depende do interesse do estudante.

Inglês para Aviação – Conclusão

Como você pode notar o Inglês para Aviação pode ser dividido em diferentes tipos. Nesta dica o objetivo foi apenas apresentar essa modalidade de inglês e dar algumas ideias para você se organizar.

Há cursos (escolas) – tanto físicas quanto online – voltadas justamente para o público que precisa desse inglês mais técnico. Portanto, faça uma busca e avalie o que há disponível no mercado.

Aqui no Inglês na Ponta da Língua, voltarei vez ou outra com mais dicas para o público dessa área. Portanto, fique de olho no que publico por aqui e você certamente aprenderá muito mais.

Usar o Anki Para Aprender Inglês vale a pena?

Usar o Anki para aprender inglês vale a pena? Será que o Anki pode mesmo ajudar você a aprender inglês? Afinal, o que é esse tal de Anki? Se você estão procurando a resposta a essas perguntas, continue lendo. Depois de ler esta dica, leia também Google Tradutor é Bom? Será que podemos confiar?

O que é o Anki?

O Anki é um software gratuito que ajuda a memorizar qualquer coisa mais facilmente. Ele implementa um conceito chamado SRS (Spaced Repetition System) que combate a “malvada” curva do esquecimento, aumentando, assim, a nossa eficiência nos estudos.” [Fonte: site oficial do Anki no Brasil]

Simplificando isso tudo aí, o Anki é um programa que você instala em seu computador ou um app que baixa em seu smartphone. A função desse programa é ajudar você a memorizar as coisas que deseja aprender. O Anki pode ser usado para tudo. Ele não serve apenas para aprender inglês. Tudo depende das suas necessidades e interesses. Mas, nosso interesse aqui é saber como usar o Anki para aprender inglês. Então, vamos lá!

» Leia também: Aplicativos para Aprender Inglês

Usar o Anki Para Aprender Inglês (1)

Usar o Anki Para Aprender InglêsNo aprendizado (estudos) de inglês o Anki serve como uma ferramenta de apoio que ajudará você a memorizar expressões, collocations, chunks of language, phrasal verbs, gírias, palavras soltas etc.

Dentro do Anki, você cria um deck (baralho). Não se preocupe! Isso é só o nome dado dentro dele! Esse deck (baralho) pode ser chamado, por exemplo, de phrasal verbs em inglês. Depois de criado o deck, você criará os cards (cartas) dentro dos decks. Assim, digamos que você encontrou o phrasal verb run into em uma sentença:

  • I RAN INTO your mom at the mall last night.

Você aprende no momento que ran into, forma de run into no passado, significa “encontrei” (run into = encontrar por acaso). Você então colocará essa sentença toda no card e não apenas o phrasal verb isolado. Em um outro espaço na mesma tela, você escreverá a tradução da sentença:

  • Eu ENCONTREI sua mãe no shopping ontem à noite.

Essa informação ficará no deck que você salvou como phrasal verbs em inglês. Dentro desse deck, você cria mais cards. Todos eles tendo um phrasal verb como foco de aprendizado.

Usar o Anki Para Aprender Inglês (2)

De tempos em tempos, você abre o Anki em seu computador e escolhe o deck phrasal verbs em inglês para estudar. O programa vai mostrar os cardsum por vez. Primeiro, ele mostra a sentença em inglês. Sua tarefa é usar a memória para lembrar o significado (o sentido ou a tradução) daquela frase. Claro que o foco está nos phrasal verbs em contexto.

Você então confere a resposta e o Anki mostrará o outro lado do card no qual você anotou a tradução. Nesse momento, você terá as opções “errei”, “bom” e “fácil”. Se errou – ou teve muita dificuldade para lembrar –, clique em “errei”. Se acertou, mas ainda não está muito seguro, clique em “bom”. Se acertou e está certo de que aprendeu, clique em “fácil”.

Concluído os cards e as respetições, o Anki vai encerrar o deck. Depois é só esperar o momento certo que ele mostrará aquele deck novamente para que você o estude. Você deve abrir o programa ou o app todos os dias. Ou seja, isso deverá ser incorporado à sua rotina de estudos.

Você pode criar quantos decks quiser. Basta focar em algo que queira memorizar e assim criar o deck com os cards correspondentes. Apenas cuide para não encher de conteúdo e depois não saber o que estudar primeiro. Ou seja, o segredo não é quantidade de decks, mas sim a qualidade como você estuda.

Usar o Anki Para Aprender Inglês vale a pena?

Sim, vale a pena! Eu acredito que tudo aquilo que você usar bem para auxiliar nos seus estudos de inglês vale muito a pena. Portanto, usar o Anki para aprender inglês é uma boa. Trata-se de uma ferramenta útil. Claro que ele não responderá a todas suas expectativas em termos de ser fluente em inglês, mas é algo que ajudará nessa caminhada.

Para tirar mais proveito do Anki, você precisa saber como registar as informações (o que coloca nos cards) inteligentemente. Não adianta anotar apenas palavras soltas, fora de contexto. O ideal é que você anote as sentenças e coloque a palavra que deseja aprender em negrito, letras maiúsculas, cor diferente ou o que achar melhor. Assim, você visualiza o que focar.

O ideal ainda é que você anote chunks of language e até mesmo frases usadas em contextos diferentes. Enfim, isso é o que os participantes do nosso curso aprendem. Portanto, se você quiser aprender mais, considere participar do curso Aprender Inglês Lexicalmente. Clique aqui para saber mais a respeito.

Outras funcionalidades do Anki

Há uma série de outras funcionalidades do programa. Na internet, você encontra vários tutoriais sobre como usar o Anki.

Uma funcionalidade excelente do Anki é que você pode sincronizá-lo com o app em seu smartphone. Para isso você precisa criar uma conta (é grátis!) e colocar seus dados de acesso tanto no programa em seu computador e no app em seu smartphone. Assim, todos os decks e cards estarão com você em todos os cantos. Não tem como fugir do aprendizado, pois você só terá de pegar o celular para repassar as sentenças anotadas no Anki.

Para Android, o app é o Ankidroid (gratuito). Para iPhone, o app oficial é o AnkiMobile Flashcards (custa US$24,99 – sim para usuários de iPhone não é gratuito! Não sei o porquê dessa injustiça!). Usuários de iPhone, que não queiram pagar pelo app, podem usar o Ankiweb pelo navegador do celular. Não é a mesma coisa que ter o aplicativo, mas quebra o galho! Há outros apps similares ao Anki, mas esses genéricos não sincronizam as informações com o Anki oficial.

Sua Cara em Inglês (Anitta e Pabllo Vittar)

Sua Cara em inglês: versão da música da Anitta!? Como assim!? Que dica é essa!? Calma, gente! Vou explicar!

Recentemente, Anitta e Pabllo Vittar lançaram juntas a canção “Sua Cara”. A repercussão foi tão grande que os falantes de inglês decidiram querer entender o que a canção quer dizer. Ou seja, o jogo inverteu e eles estão atrás da versão da música para o inglês.

Portanto, pensando nesse público – e também em você que curtiu e curte a canção –, eu – Denilso – decidi fazer minha versão de Sua Cara em inglês. A ideia é justamente ajudar o pessoal que quer saber a letra da música em inglês. E, claro, dar a você – fã da Anitta e/ou de Pabllo Vittar – a oportunidade de aprender uma possível versão de Sua Cara em inglês.

Ready!? So, keep reading!

» Participe do Sorteio de uma Bíblia Bilíngue. Clique aqui para saber como participar!

Antes, um aviso!

Tentei captar o sentido da música em português para depois vertê-la para o inglês. Ou seja, outros tradutores e intérpretes podem sugerir algo diferente em alguns momentos. Mas, do modo como está é a minha percepção de como melhor levar o sentido para o inglês. Caso alguém aí queira fazer perguntas ou sugerir algo, é só usar a área de comentários abaixo.

Leia a letra da canção em português clicando aqui.

» Aprenda: Várias expressões com CARA em inglês

Sua Cara em inglês

Sua Cara em Inglês (Anitta e Pabllo Vittar)You get ready, but you don’t go for it
You notice it, but you don’t stare at me
Think you’re the man, but you don’t stop me
You’re pure evil, but you don’t look at me

You feel like it and so do I
But you’re only ifs, ands or buts
You got cold feet, I want it
But you’re taking too long

If you don’t come, I’ll put the heat on you
I won’t wait for you, I’ve got lotsa options
I’m not the kinda woman who takes dressing-downs
Look at me, get ready

’Cause I’ll do it right in front of you
Right in front of you
I’ll shake my booty right in front of you
Right in front of you
Today I’ll do it right in front of you

I’m here
Ready to attack
When the beats drop, I’m gonna bounce
Right in front of you I’ll shake and twerk.
I feel gorgeous, free and light-hearted
Crazy about kissing your lips
Gorgeous, free and light-hearted
Crazy about kissing your lips
Gorgeous, free and light-hearted
Crazy about kissing your lips
Gorgeous, free and light-hearted

I’ll shake and twerk right in front of you
Right in front of you
I’ll shake my booty right in front of you
Right in front of you
Today I’ll shake it right in front of you

You get ready, but you don’t go for it
(Right in front of you)
You notice it, but you don’t stare at me
(Right in front of you)
Think you’re the man, but you don’t stop me
(Right in front of you)
Think you’re the man, but you don’t stop me
(Right in front of you)

If you don’t come, I’ll put the heat on you
I won’t wait for you, I got lotsa options
I’m not the kinda woman who takes dressing-downs
Look at me, get ready
’Cause I’ll do it right in front of you

Vídeo da Música

Agora que você tem a letra da canção em inglês, pode ouvi-la no vídeo abaixo e assim tentar cantá-la em inglês. Será que você consegue.

Por que eu não consigo aprender inglês?

Você já parou por alguns instante e se perguntou: Por que eu não consigo aprender inglês? Se sim, vamos conversar um pouco sobre isso. E, claro, tentar ajudar você a encontrar algumas respostas para solucionar o problema.

Por que eu não consigo aprender inglês?

Anos atrás, escrevi um texto – Por que Brasileiro Não Aprende Inglês? – no qual mencionei duas razões cruciais que atrapalham muita gente: perfeição gramatical e perfeição na pronúncia.

Estou na área de ensino de inglês há mais de 20 anos. Ao longo desse tempo, eu sempre encontrei estudantes que diziam “só vou abrir a boca para falar inglês quando eu estiver falando como um nativo (pronúncia igual a de um americano, por exemplo) e saber toda a gramática (para evitar erros e não ser julgado)”.

Essas duas razões por si só já ajudam a responder a pergunta título deste texto. No entanto,  esses dois problemas geram outros. Então, vamos falar sobre eles.

Medo

As pessoas querem aprender inglês, mas têm medo de colocar em prática o que aprendem. A pessoa não fala inglês – usa o pouco que aprende – pois tem medo de errar na gramática ou na pronúncia. Além disso, ela tem medo de estar sendo avaliada o tempo todo. O pensamento que impera é mais ou menos este: “A outra pessoa está prestando mais atenção nos meus erros do que no que estou querendo dizer.

Não vou falar muito sobre esse assunto; pois, já o abordei com certa propriedade no texto “Você Tem Medo de Falar Inglês?”. Portanto, leia-o. Permita-me apenas fazer uma comparação.

Aprender a dirigir não é algo que acontece de uma hora para outra. Até a pessoa pegar o jeito com o carro, ela terá dificuldades. Ao trancos e barrancos, ela vai aprendendo a colocar o carro em movimento. Aprende umas coisas aqui e outra ali e segue colocando tudo em prática. Um belo dia ela faz o teste e tira a carta (carteira, habilitação). Mas, ainda assim, ela não se sente confiante para sair dirigindo tranquilamente por aí. No entanto, ela continua se esforçando. Com o tempo perde o medo e começa a dirigir com mais e mais confiança.

Por que eu não consigo aprender inglês?Aprender inglês é quase a mesma coisa. Aprende-se de pouquinho em pouquinho e vai colocando em prática dia após dias. A diferença, claro, é que um motorista descuidado pode matar muita gente. Já um estudante de inglês que se arrisca a colocar em prática o que aprende não mata ninguém. Portanto, não tenha medo de usar o que sabe desde o primeiro momento. Pratique sempre!

Vergonha

A vergonha e o medo andam quase juntos.

Se você faz parte dos tímidos, infelizmente não tenho muito o que te dizer. Não é uma dica dada aqui que mudará o seu comportamento. Essa vergonha é você quem tem de trabalhar e se resolver com ela.

Uma coisa que posso dizer aqui é o seguinte: se você quer mesmo aprender inglês e se comunicar com o mundo, precisa vencer essa timidez. Nem eu e nem ninguém mais podemos fazer algo por você. Cabe a você somente vencer isso.

Limitação

Muitas pessoas costumam dizer coisas como

  • Inglês não é meu forte
  • Não aprendi o português direito até hoje, imagine o inglês
  • Já tentei de todos os jeitos aprender inglês, mas inglês não é pra mim”.

Se você tem esses pensamentos (crenças) limitantes, está na hora de rever seus conceitos. O problema não é a língua inglesa em si (o ato de aprender inglês). Evite colocar dificuldades e achar que você não consegue. Se aquilo realmente é algo que você não consegue, então por que continuar tentando? Assim como no caso da timidez, esse é um problema de atitude. Cabe a você mudar o modo como encara o aprendizado de inglês e parar com essas limitações.

Faltam Oportunidades

Já vi muita gente reclamando que não consegue aprender inglês por faltar oportunidades para praticar ou encontrar um bom material. A essas pessoas, eu gosto de contar uma história verídica.

Eu – Denilso – comecei a aprender inglês sozinho – sem curso, sem professor, sem muitos livros, etc. – em 1990. Naquela época, internet e TV por assinatura eram coisas de gente muito rica. Não tinha Netflix, Youtube, sites de dicas de inglês, rádios online no smartphone, pessoas com quem falar inglês, etc. Comprar livros para estudar era uma tormenta: eram extremamente caros e eu morava em uma cidade que nem livraria especializada na área de idiomas tinha. Em resumo, faltavam oportunidades.

Se naquela época faltavam oportunidades, o que dizer dos dias de hoje?

Portanto, saiba que o problema não está na falta de oportunidades. Na verdade, o grande problema está na falta de administração do tempo para estudar inglês, na utilização correta das ferramentas disponíveis (internet de modo geral), no estabelecimento de um roteiro/plano de estudos, na dedicação e força de vontade para aprender e continuar aprendendo sempre.

Não faltam oportunidades. Falta atitude.

O Verdadeiro Grande Problema

Para encerrar, vou falar qual é na verdade o grande problema: VOCÊ.

Sim! Você é o grande problema. Cabe a você mudar isso tudo. A próxima vez você se perguntar Por que eu não consigo aprender inglês?, eu recomendo que você se olhe no espelho. Fique olhando atentamente para a imagem que estiver no espelho. Pois, é essa aí a causa maior do seu problema de aprendizado de inglês.

Identifique suas dificuldades. Estabeleça objetivos. Organiza-se. Não tenha pressa para aprender. Estude com calma. Não se culpe. Não se exija muito. Seja paciente. Mude sua atitude. Use suas capacidades de aprendizado. Dedique-se. Não seja você o seu maior empecilho (inimigo).

Para começar a mudar isso o quanto antes, veja algumas das várias recomendações no texto 80 Dicas Para Aprender Inglês Sozinho.

Sentenças Comuns com o Present Perfect

Você já pensou em simplesmente aprender sentenças comuns com o Present Perfect? Você sabia que isso vale muito mais à pena do que ficar decorando regras e termos técnicos de livros de gramáticar?

Aprender sentenças comuns com o Present Perfect ajuda seu cérebro a assimilar (internalizar) o Present Perfect de modo mais natural e prático. Em outras palavras é uma maneira muito mais interessante de deixar o Present Perfect realmente na ponta da língua.

Na dica do vídeo abaixo, mostro a você algumas estruturas nas quais obrigatoriamente, em inglês, devemos usar o Present Perfect. Não adianta se perguntar o porquê. O que você deve entender é que em inglês é assim o correto de se dizer e pronto.

Portanto, são estruturas que você deve anotar em seu Lexical Notebook, criar exemplos baseados na sua realidade (experiência de vida) e usar sempre que tiver a oportunidade.

Assista ao vídeo para entender melhor como aprender o Present Perfect lexicalmente. Tenho certeza que você perceberá que esse tempo verbal não é assim tão assustador o quanto parece.

» Veja também: Past Simple ou Present Perfect: qual a diferença?

Sentenças Comuns com Present Perfect (vídeo)

Caso não esteja vendo o vídeo abaixo, clique aqui e assista-o em nosso canal no Youtube

Sentenças comuns com o Present Perfect (texto)

 Algumas dessas sentenças comuns com o Present Perfect são as que seguem abaixo. Claro que há ainda muitas outras. Mas, as que seguem abaixo já darão uma boa ideia a você que o que realmente vale é aprender os chunks of language e não [apenas] as regras e termos técnicos da gramática.

Antes, lembre-se que aara aprender muito mais sobre como aprender o Present Perfect lexicalmente, você deve participar do curso Aprender Inglês Lexicalmente, um curso que mudará o modo como você aprender inglês. Saiba mais a respeito, clicando aqui! Vagas limitadas!

Sentenças Comuns com o Present PerfectUma das sentenças comuns com o Present Perfect é,

  • I’ve known [somebody] for [time span]

Ela é usada para expressar a ideia de que você conhece alguém há um determinado período de tempo. Por exemplo,

  • I’ve known João for ten years. (Eu conheço o João há 10 anos.)
  • I’ve known Maria for 8 months. (Eu conheço a Maria há 8 meses.)
  • I’ve known Rafaela for 15 years. (Eu conheço a Rafaela há 15 anos.)

Claro que você pode ainda dizer:

  • We’ve known each other for 10 years. (A gente se conhece há 10 anos.)
  • We’ve known each other for 6 months. (A gente conhece há 6 meses.)
  • We’ve known each other for 20 years. (A gente se conhece há 20 anos.)

» Veja também: 5 Fatos sobre o Present Perfect

Outras sentenças comuns com o Present Perfect que você pode aprender e modificar de acordo com sua experiência de vida são os seguintes:

  • I’ve been married for 8 years. (Eu estou casado há 8 anos.)
  • We’ve been together for 6 months. (Nós estamos juntos há 6 meses.)
  • I’ve never seen such a thing. (Eu nunca vi uma coisa dessa.)
  • I’ve never done such a thing. (Eu nunca fiz uma coisa assim.)

Conclusão

Assista ao video para aprender ainda mais sobre essas sentenceas comuns com o Present Perfect. E, claro, lembre-se que no curso Aprender Inglês Lexicalmente, além do Present Perfect, você aprenderá muito mais coisas para ajudar o seu inglês a se desenvolver de modo muito mais natural. Portanto, clique na imagem abaixo para saber mais a respeito. Well, guys! That’s all for now. So, bye bye, take care, and keep learning.

Curso Aprender Inglês Lexicalmente