Mito: O Inglês Britânico é Mais Fácil de Entender

Espaço Publicitário

Após escrever o post sobre as diferenças entre o inglês britânico e americano, inúmeras pessoas enviaram email querendo saber por que o inglês britânico é mais fácil de entender. Confesso que já ouvi muitas pessoas dizendo isso por aí. Quando comecei a estudar inglês, eu também pensava assim. Mas, com o tempo, percebi que esse é o mito mais absurdo que existe dentro do ensino e aprendizado da língua inglesa. Ou seja, o inglês britânico pode não ser tão fácil assim de entender. Saiba mais lendo o restante desse post.

Antes de qualquer coisa é preciso entender o que é o inglês britânico. Para ser sincero eu não faço a menor ideia do que realmente seja esse inglês. Por quê? Bom, tenha em mente que a Inglaterra é apenas um dos países que faz parte do Reino Unido. Dentro da própria Inglaterra há diferentes sotaques e variantes da língua inglesa. Essas diferenças são divididas em dois grandes grupos: Northern England (norte) e Southern England (sul). Mas, dentro desses dois grandes grupos há ainda subgrupos e cada um com características próprias. Portanto, o que é mesmo o inglês britânico se dentro da Inglaterra encontramos diferenças!?

Mito: O Inglês Britânico é Mais Fácil de Entender

Um pouco mais para cima temos a Escócia que também possui um inglês próprio (sotaque, vocabulário, usos gramaticais, etc.). Não podemos esquecer a Irlanda do Norte e o País de Galês que também possuem uma língua inglesa própria deles. Todos esses países – Inglaterra, Escócia, Irlanda do Norte e País de Galês – formam o que chamamos de Reino Unido. Embora politicamente unidos, cada país tem cultura própria e quando falamos de cultura temos de entender que a língua se inclui no conjunto; ou seja, cada país terá um inglês com características regionais próprias.

Isso significa que a coisa é tão complexa que não sabemos exatamente o que é o tal inglês britânico. O que realmente sabemos é que as pessoas chamam de inglês britânico, o que os especialistas chamam de Received Pronunciation (abreviado para RP). E o que é essa tal de Received Pronunciation?

RP é uma das variantes da língua inglesa, comum dentro do Reino Unido, e tido como a variante de prestígio social e educacional. Ou seja, é a variante usada por pessoas das altas classes sociais e/ou com bom nível de educação escolar. É a variante usada pela rainha em seus discursos. É também a variante usada pela BBC (British Broadcasting Corporation). É a forma usada nas escolas (Eton e Harrow, por exemplo) e faculdades (Oxford e Cambridge, por exemplo). O serviço militar também o adota em suas incursões pelo mundo. Enfim, é um modo padrão da língua inglesa.

Uma das características marcantes da RP é que ela é “pura”. Isto é, quem a usa procura pronunciar as palavras de modo claro e utilizar um vocabulário que seja reconhecido por todos. As estruturas gramaticais são organizadas de acordo com o “padrão”. Trata-se, portanto, de um inglês mais “limpo” (pronunciado com calma e de modo padrão), menos complicado (o falante fala mais devagar), sem interferências regionais (gírias, expressões, pronúncia, etc.). É por conta dessas características que a RP é, sem dúvidas, mais fácil de entender do que qualquer outra forma. No entanto, ela é apenas uma forma da língua inglesa!

Para ficar mais claro esse assunto, vamos fazer um paralelo com a língua portuguesa. O menino da favela e o filho do camponês do interior do estado falam uma língua portuguesa própria deles (vocabulário, pronúncia, gramática, etc.). Essa é a língua portuguesa que eles usam com os amigos e familiares nas relações cotidianas. Ao entrarem na escola, eles passam a ter contato com a normal culta da língua portuguesa. Nesse momento, o professor de português deve mostrar a esses alunos que o português deles não é “errado” ou “feio”; mas, o fato é que nas relações sociais neutras e formais do dia a dia (trabalho, faculdade, reuniões de negócios, etc.) eles devem usar a norma culta da língua. Ou seja, eles então aprendem outra forma da língua sem que a deles seja menosprezada ou ridicularizada.

O que acontece no dito “inglês britânico” (leia-se RP) é justamente isso: cada pessoa pode falar o seu inglês regional; mas nas relações sociais neutras ou formais utilizam a Received Pronunciation. Isso demonstra mais educação, mais respeito com o interlocutor e evita ruídos na comunicação (más interpretações no que é dito).

Durante anos, a maioria dos materiais didáticos voltado para o inglês britânico tem utilizado o RP nas suas atividades de compreensão auditiva, leitura, escrita, pronúncia, etc. Trata-se do inglês considerado padrão entre os países que formam o Reino Unido e também os países por eles colonizados (Canadá, Austrália, Índia, etc.).

Como o RP é mais “limpo”, falado com calma, etc., as pessoas tem a sensação de que o inglês britânico é mais fácil de aprender e entender. Na verdade, é apenas essa variante que aparenta ser fácil. Mas, garanto a você que se você for para uma região da Inglaterra e começar a conviver com as pessoas, você terá a sensação de que inglês britânico não é tão fácil assim. Somente com o tempo você se acostumará com o modo como eles falam inglês. Enquanto isso o RP será a sua salvação e torça para que alguém o use ao falar com você; caso contrário, você terá de se virar nos trinta (ou muito mais tempo) para entender o que eles dizem.

Será que ficou claro esse assunto? Quer comentar algo? Então, deixe seu comentário abaixo! Quero realmente saber o que você tem a dizer sobre esse assunto! Take care!

Artigos Relacionados
Comentários
  • Hi Denilso,Admiro muito o seu trabalho e acompanho suas matérias com muito interesse.Contudo, nessa em particular, conhecendo você pessoalmente e sabendo das suas experiências com o Inglês Americano, achei essa matéria um tanto quanto parcial ao abordar o tema “Received Pronunciation” em contraste com as variantes linguisticas dentro do Reino Unido. Minha colocação se explica pensando em uma situação muito parecida no caso do jornal da CNN e dos falantes nos Estados Unidos. A CNN, assim como a BBC utiliza-se de uma linguagem formal, e ou padrão que seja entendida por todo seu publico. Inclusive, nos jornais estadunidenses existe também a presença de profissionais canadenses, o que faz que muitas pessoas afirmem que isso aconteça pelo fato de os canadenses falarem mais “claro” o inglês que os próprios estadunidenses. Concluindo, achei muito interessante e enriquecedora suas explicações, contudo entendo que a questão de se entender melhor uma linguagem formal feita para um grande publico, não é um fato exclusivo no Reino Unido, tampouco da língua inglesa, pois se quisermos falar em língua vernácula podemos observar essa diferença também no jornalismo brasileiro, quando ao passar de um jornal local para um jornal nacional, nota-se a preocupação dos profissionais da TV de amenizar sotaques e linguagem regional. Posso acrescentar a experiência que tive na ilha de Barbados, onde assistir TV ou ouvir as noticias pelo radio era algo muito tranqüilo para um falante de inglês avançado, contudo conversar com os locais, as vezes, era uma tarefa que requeria muita atenção e aprendizado constante, pela forma quase que exclusiva de lidar com a língua e de seus usos, sotaques e mistura de dialetos. Em suma, como você sabe esse assunto de entender “um inglês” mais ou menos “fácil” que “outro” abre um leque de questões a serem abordadas. Para finalizar, gostaria de comentar também sobre o material que encontramos atualmente no mercado de origem britânica, como livros, áudios e vídeos, principalmente na área business que contemplam sotaques estrangeiros, como forma do estudante se habituar e compreender sotaques diferentes. Grande abraçoPriscila Micaliski

  • Era um dos pensamentos que eu tinha, talvez porque toda hora eu esteja em contato apenas com o inglês britânico no seu modo padrão, ou seja, RP. Obrigado Denilso pelo esclarecimento.

  • Olá Priscila, Obrigado por seus comentários e colocações. No entanto, permita-me dizer algumas coisas.Infelizmente, em um blog não dá para escrever tudo aquilo que desejamos. Caso contrário, deixará de ser um simples post e se tornará um artigo mais elaborado e com muito mais informações. Isso cansa o leitor; afinal, o texto é longo e com muitas informações.Portanto, o texto acima se preocupa em falar de um tema apenas: o mito de que inglês britânico é mais fácil do que o inglês americano. Tenho aqui um outro texto, que será publicado amanhã ou terça-feira, falando justamente sobre o inglês americano e suas variantes, bem como a versão padrão.Nesse segundo texto, menciono um email que recebi de um leitor questionando por que o inglês do Presidente Obama é mais fácil de entender do que de um cidadão comum. Aproveito justamente isso para mostrar às pessoas que no inglês americano também tem uma forma padrão (mais clara, mais clean, sem a interferência de regionalismos, etc.).Se eu escrevesse tudo em um só texto, tenho plena certeza que as pessoas não leriam o texto até o fim. Portanto, tem de ser uma coisa de cada vez e assim fecharmos o pacote no final.Enfim, é isso! O texto acima não é imparcial, só falta a ele um complemento. E esse complemento será publicado na sequência.=]

    • Angela

      Não achei seu post imparcial, achei que a Priscila não entendeu o título. Estudei inglês na Irlanda e certa vez um professor meu (Irish) contou que conheceu uma moça da Irlanda do Norte e ele não conseguia entender o que ela falava por causa da diferença de sotaque.
      Abraço.

  • Muito bem colocado, apesar de eu praticamente nunca comentar no blog,eu leio sempre todos os posts e acho o seu blogmuito bom, e sempre recomendo para meus amigos.Sobre este post, acho também que o que ajuda a criar essa ilusão é o ingles britanico usado nos filmes, que parece mais claro. Uma profª minha passou um tempo na Escócia, onde o namorado estava morando por um tempo, e ela tb teve dificuldade em entender certas girias e expressoes, principalmente falando com pessoas na faixa dos 20-30anos.Enfim, obrigado pelo seu trabalho, com certeza vc ajuda muita gente.abraços

  • Anonymous

    Olá Denilso!Muitas vezes também entro nesse assunto com meus amigos e sinceramente não entendo como uma pessoa que mora no Brasil, país que tem em sua cultura muita influencia da cultura americana (pelo menos quando estamos falando de inglês) nas músicas, cinema, sitcoms nos canais a cabo… pode achar o inglês britanico mais fácil do que o americano.Sempre que me perguntam sobre isso respondo que para mim é basicamente é uma questão de exposição ao idioma, e é inegável que estamos muito mais expostos ao inglês americano do que o americano.Abraço,Márcio Alessandro

  • Um post certamente muito construtivo para o estudante do idioma inglês, noto muito a diferença de sotaque e na gramática dentro do UK, muitas vezes me questaiono sobre meu inglês quando assisto TV e tem um inglês falando no jornal ou em series em geral, esses post ajudou a esclarecer não só a dúvida que tinha a respeito dos sotaques internos do UK, quanto ajuda a dar um animo já que tenho preferencia pelo inglês americano e cinceramente entendo pouco o inglês britânico.Obrigado pelas dicas que você posta aqui, você ajuda muito com esse blog……abraços

  • Olá Denilso,Sempre preferi o Inglês Britânico por achar a pronúncia mais elegante, coisa pessoal apenas, sem fundamento. Mas a minha professora de Inglês já havia me falado do RP, pois ela o utiliza em suas viagens ao exterior. É realmente uma pronúncia mais pausada e clean por isso, mais "fácil". Quando estamos em aula ela utiliza esta forma padrão, no entanto sempre procura mostrar as diferentes formas de pronúncia das variações linguísticas entre os países, em especial Inglaterra e EUA.Já tive a oportunidade de ouvir o inglês de pessoas da África do Sul e da Indonésia e se levarmos ao pé da letra essas diferenças na pronúncia nunca aprenderemos outro idioma, pois levaremos mt mais tempo para "reaprender" a nossa própria língua materna que surpreende com tantas variações espalhadas pela vastidão do território brasileiro, sem falar em Portugal, Angola… uau, esse tema rende!!!Abraço e parabéns pelos posts, acompanho quase todos desde que descobri este blog.Carina Gonçalveshttp://pescadordeinformacao.blogspot.com

  • Anonymous

    Olá Denilso,Parabéns pelo post. Conciso e claro 😉 Sempre acesso o ingles na ponta da língua, mas quase nunca comento. Hoje, porém, estava ouvindo uma música da Rita Red Shoes e fiquei embaralhada com uma expressão: cast someone's spell. Já tentei buscar na net e em alguns dicionários online mas não consegui, então, lógico, lembrei-me de vc rsrs. Você saberia explicar? Muito obrigada!(a música é a Bad Lila)Abçs, Carolina Carvalho

  • Eu nunca achei o inglês britânico mais fácil que o americano, muito pelo contrário.Eu tenho mais experiências com o americano e já me acostumei a tudo… Já com o britânico, são poucas as palavras que consigo escutar, embora que ache um sotaque bem elegante.^^'Adorei o post!

  • João de Arauj

    Isto acontece com qualquer língua e, mais ainda, com línguas colonizadoras.

  • Anonymous

    Olá, Denilso. Sou sua admiradora.Gostaria de saber se a forma abreviada "gonna" e "wanna" é usada no dia-a-dia tanto do americano quanto do inglês do Reino Unido.É que já ouvi o presidente Obama usar várias vezes essa abreviação em seus discursos, e ele fala muito bem e com clareza.Obrigada.Laurici Colen

  • Anonymous

    Denilso….estou aqui de novo.Na minha concepção, se usarmos o inglês americano que tem o som do 'ri' em rosário e 'ra' em roseira e noso interlocutor não entender, então basta pronunciarmos o 't' e nosso inglês passará a soar como o inglês do Reino Unido. O que você acha disso?

  • Anonymous

    Ah, desculpa, Denilso.Esqueci de mencionar meu nome. Comentei como anônimo agora à pouco porque não consegui fazer o log-in com minha ID do google.Meu nome é: Laurici Colen

  • Muito bom o post, quando recebi o anterior sobre as diferenças entre o inglês estadunidense e o "britânico" essa questão já me passou pela cabeça. Estudo vernáculo Cockney e mantenho contato com falantes dele, bem como o inglês do norte da Inglaterra. Mesmo assim não consigo ver absolutamente NADA de mais fácil nesse inglês, muito pelo contrario, ate posso dizer que apos conversar com um inglês falante dessas variações, um estadunidense me soa claro como água cristalina ha ha

  • carol

    Estudo num curso focado no inglês britânico e os exercícios em sala de aula em RP (acabei de aprender aqui rs) sempre me pareceram mais fáceis. Contudo, ao ler autores ingleses (contemporâneos), como o Nick Hornby e a Sophie Kinsella, reparei q há várias gírias e expressões q eu desconhecia. Da mesma forma, é muito mais fácil entender o que falam na série Friends do que num filme ou série da Inglaterra (Absolutely Fabulous, por ex).

  • Estudo Ingles em Londres há 4 meses e posso afirmar assim como você disso que isso é um mito. A diferença vai de pessoa para pessoa, depende muito do tom da voz da rapidez e o principalmente das girias.Um exemplo seria a palavra cigarette ou thank you ou pounds, é muito comum aqui usarem spliff para cigarette, Cheers! para thank you e quid para pounds.

  • Concordo, afinal de contas, o dialeto Cockney, por exemplo, é praticamente impossível para nós, meros mortais, entendermos. O inglês escocês também é doideira, mas, principalmente o galês, que junta com vários outros dialetos dos povos antigos que habitavam lá.Entretanto, como estudamos a norma padrão (ou culta) aqui no Brasil, e essa é, de fato, a Língua Portuguesa (embora ela seja abrangente, linguisticamente falando), creio que não há nada demais em dizer que prefere o inglês britânico, pois, assim como a LP, e como você mesmo disse, estudamos a norma padrão.Temos que entender que, quando fazemos um curso de qualquer idioma que seja (inclusive a LP que aprendemos na escola), estamos aprendendo sua norma culta, não as variações dela. Inclusive, estudamos assim conversação, dentre outras coisas. Se o RP é a forma como os ingleses utilizam a língua na norma culta e os americanos não a usam, que mal há em dizer que o inglês britânico é mais fácil de entender que o americano?!Abração e continue sempre com os excelentes artigos!

  • Bruna Iubel

    Bruno,Não há mal algum, na minha opinião, em dizer que o RP é mais facilmente entendível. No entanto, hoje em dia, ele é falado por menos de 3% da população britânica. Logo, o mais fácil vira o menos provável, pois, você pode muito bem estudar o RP, porém, vai ter dificuldades em entender o que o 97% restante da população fala.Então será que é de fato mais fácil?Abraços,Bruna.Curta o Inglês na Ponta da Língua no Facebook

  • Taiguara

    Isso é verdade! Quando morava em SP, eu jurava que o Inglês Britânico era o mais fácil, eu até escolhia as escolas de Inglês Britânico, agora que estou morando no Canadá por um tempo para estudar, acho que o Inglês Americano muito mais fácil do que o Inglês Britânico. (Engraçado, não?! rs) Conclusão, seja o Inglês Britânico ou Americano, as dificuldades sempre aparecerão no começo.

  • Cypher

    O ingles britanico e mais facil de entender sim ,sou professor e muita gente fla isso e tb morei em Londre por 8 anos.

  • Olá Cypher,Você pelo visto é um perpetuador do falso mito de que o "Inglês Britânico" é mais fácil de entender. Além disso, creio que seu accent e pronúncia sejam todos baseados no RP (um tipo de inglês britânico mencionado acima). Enfim, o que você me diz do Cockney English falado em Londres? É inglês britânico ou não? O que me diz do modo como os britânicos que moram no interior da Inglaterra, Escócia, País de Galês, Irlanda do Norte falam inglês? Cada um deles tem um vocabulário, um sotaque, uma gramática que se diferencia do RP por questões regionais. Logo, pergunto: esse pessoal não fala inglês britânico? Enfim, eu acho que você não entendeu bem o texto acima. O que é fácil de entender é o tal do RP (Received Pronunciation). Mas, caso uma pessoa que aprende o tal do RP comece a bater um papo com um jovem inglês de apenas 18 anos em pub terá grande dificuldades de compreender o que está sendo dito. Para isso, basta pegar um filme ou seriado de produção britânica que não se prende ao RP para perceber que os tipos de inglês usado no Reino Unido são assim tão fáceis.Tenho inúmeros amigos que moraram e que ainda moram na Inglaterra dizendo que no começo tinham dificuldades em entender o que as pessoas estavam dizendo quando a conversa era informal. Depois de algum tempo elas começaram a perceber as diferenças e começaram a entender e a falar como eles. Ou seja, para você que morou 08 anos em Londres entender o "Inglês Britânico" em algumas de suas variantes é fácil pela convivência que teve com a língua. Mas, experimente ensinar o RP, presente em livros para estudantes de inglês, e mande-os para a Inglaterra por duas semanas para falar inglês com as pessoas na rua e no interior do país. tenho certeza que eles ficarão atônitos, apreensivos e desanimados no começo.Enfim, a discussão é longa. Mas, creio que já deu para entender melhor a ideia apresentada no texto.Att.,Denilso de LimaCURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

  • Daniela Gonça

    Eu sou iniciante em inglês e não gosto do acento britânico e não acho fácil também. Prefiro muito mais o bom e velho americano,rrsrsrsrs.. Denilso, sou sua fã!Abraços..

    • Se vc pensa que todo mundo fala como os americanos, vc vai sofrer bastante e vai ficar limitada a conversar com americanos ou quem aprendeu ingles americano. De todos paises que tm a lingua inglesa como primeira lingua, so nos Estados Unidos se fala o ingles americano. Africa do Sul,Jamaica,Nigeria,India,Malasia,Indonesia,Australia,Nova Zelandia,Barbados etc…muitos outros o ingles falado e o britanico com variacoes regionais tirando isso, na Europa o ingles britanico e mais comum de ser ensinado nas escolas.

  • Janet Hakeney

    Se alguém estiver interessado em tentar entender o sotaque Inglês regeonal tentar ver este filme. Geordie é um dos mais impenetrável de acentos http://www.youtube.com/watch?v=bF4b2rpLXPc

  • Paula Dearo

    hmm faltou coisas aí amigo, mas seu ponto de vista é bom , minha opinião é a seguinte: Nossa isso é pura ilusão, o inglês americano é o inglês que agente lê, a pronúncia é corretíssima (não generalizando, pois isso depende de cada região dos EUA) mas no todo , é um inglês mais fácil porque é o inglês puro talvez, do jeito que aprendemos na escola ou nos cursos de inglês. Já o britânico … é cheio de vícios, pronúncias compleeeeetamente diferentes do que agente está "acostumado", e se os britânicos resolvem falar rápido então (a especialidade deles né?) … Já ouviram um escocês falando?? Se você tem um inglês avançado e já está se garantindo por causa disso , aposto que não vai entender bulhufas do que eles falam, porque seu cursinho de inglẽs não o deixou prepararado pra isso, sorry! Inglês britânico é o mais lindo na minha opnião, (Sou suspeita pra falar, sou da Geração Potter rs, enfim… ), é lindo mas é dificinho, dificinho …

    • Nada haver, me desculpe mas o ingles britanico e o ingles original. O americanos falam uma variacao e eles tm muito mais vicios que os britanicos, pois todas as palavras que tenham dois “t” em ingles americanos se pronuncia como “r”, exemplo: bottle eles pronunciam como “borou” e tm regra para isso? Nao, vicio dos americanos.

      • sorry, mas t/d/tt/dd são pronunciados como r em ambas línguas inglesas, a diferença é que no americano eles falam mais… melhor que falar como se tivesse um ovo quente na boca!

  • Juliana Pinheiro

    Olaa!Estou trabalhando com um britanico e nao entendo nadaaaa que ele fala! ME ajuda, o que eu faço??Nao sei de que regiao ele é, mas sempre que fala parece até uma outra língua, emenda uma palavra na outra e parece que tem uma batata na boca!!!Certamente não utiliza a RP!

  • Daniel Paniago

    Essa ideia de que alguma variante é mais fácil de entender é muito ultrapassada, tudo depende da exposição da pessoa a determinada variante. Pra mim o Inglês americano é muuuito mais fácil de entender pois estou acostumado a ele. Recentemente estou tendo mais contato com a variante britânica do que tinha antes, to tendo um hard time.

  • Joel Guilherme Velte

    Realmente isto é verdade.Não só no Reino Unido acontece isto. Percebi muito na Alemanha quando as pessoas dizem assim: " Ele fala o High German." Significa que ele fala um alemão limpo e claro. Principalmente porque lá existem tantos dialetos que Lutero acabou criando um alemão padrão usando a gramática latina e por esta razão o alemão se tornou uma língua dífícil, mas é um standart alemão.Já estive na Inglaterra e País de Gales. Não é tão fácil assim.Parabéns Professor DenilsoJoel Guilherme Velten

  • Damara

    KKKKKKKKK Juliana adorei seu comentario.. bom nao sou tao experiente no Ingles e nem nas diferencas que ah. eu MORO em londres e aqui voce ouvi uns 20 tipos de ingles diferente. rsrs… bom como no post acima realmente o ingles britanico nao e tao facil assim mas e claro… Nao sei qual seu nivel de ingles mas talvez ele esteja falando ate claro isso vai ter que se acostumar, porque o mais difici no britanico pra mim e a forma de falar de pronunciar a palavra…enfim ja ouvi um ditado que diz, quando aprendemos o ingles britanico e facil entender os outros como o americano, mas quando apredemos a falar da forma americana e muito dificiu entender o britanico e assim vai rsrsrsrs.

  • Levvi

    Ótimo post!
    Uma dúvida, para um iniciante em inglês qual a melhor variação linguística para ser adotada? (Americana, Britânica, Australiana, Canadense, etc)… Ou é possível aprender inglês (sem confusões) usando diferentes variações como fonte?
    Obrigado!

  • muito bom mesmo, eu sempre quis saber mais sobre isso…adorei!!!

  • Leandro

    Muito bom este post professor Denilso! Sou professor de inglês há 3 anos e em 2012 pude ir conhecer Londres, onde fiquei por alguns dias. Nas conversas com os locais, eu me sai bem, relativamente, e até fui elogiado por alguns deles. No entanto, um dia fui visitar uma loja de discos de segunda mão e, enquanto procurava alguns ítens, pude ouvir dois locais conversando. Eu não entendi NADA, e sai do local me sentindo frustrado. Depois, conversando com outro professor, pude me “perdoar” por não entender o que aqueles homens estavam conversando, mas ainda me sentia meio inseguro sobre contar minha experiência a alguém. No entanto agora o seu post reforçou tudo e me deixou muito mais confiante para compartilhar com meus alunos a minha experiência!
    Parabéns por seu trabalho!

    • denilsolima

      Olá Lenadro, obrigado por seu comentário.

      Fico feliz em saber que o texto o ajudou a compartilhar sua experiência. Pelo visto serviu de terapia! 🙂

      Qualquer coisa, estamos por aqui.

      Take care!

      • Leandro

        Com certeza professor!
        Thank you so much!

        😀

  • acho o americano digno… é rápido e acabou! tb tem a sua norma culta, mas não deixa de ser pronunciada de forma cool

  • ameiiiii, queria tirar uma dúvida… por quê já ouvi em músicas e em filmes os ‘britânicos’ usando a palavra around ao invés de round?