Por que o verbo ‘to be’ é tão chato?

Você já se perguntou a razão pela qual o verbo to be é tão famoso? Aliás, você sabia que o verbo é só be? Nós costumamos falar to be por puro modismo. Portanto, para facilitar o que vamos aprender aqui acostume-se, com be; deixe o to de lado, ok?

Anotado isso, lembre-se de que a palavra [verbo] be, de modo geral, tem dois significados principais, que são: ser e estar. Lembre-se bem disso! Em português, temos duas palavras, mas em inglês temos apenas uma. Assim: be at work significa estar no trabalho e be married significa ser casado. O que vai definir o significado do be é o contexto [as palavras próximas a ela] e não ela sozinha. Veja mais exemplos:

  • be in love [estar apaixonado]
  • be tired [estar cansado]
  • be angry [estar com raiva]
  • be beautiful [ser bonita]
  • be blonde [ser loira]
  • be tall [ser alto]

Percebe como o be muda de sentido de acordo com a palavra que o segue? Percebe como podemos traduzir por ser ou estar? Para muitos estudantes de inglês uma das coisas que torna esse verbo tão chato é justamente esse fato dele ter dois significados.

O problema aumenta quando avançam nos estudos de inglês e acabam aprendendo que be pode ainda significa outras coisas:

  • be careful! [tome cuidado!]
  • be … years old [tem … anos de idade]
  • be quiet! [fica quieto!]
  • be good! [juízo!]
  • she’ll be very sad… [ela vai ficar muito triste…]

Não se desespere, por favor! Isso não é tão difícil o quanto você pensa ser. O segredo para aprender isso é um só: acostume com as expressões inteiras, aprenda a equivalência em português, aprenda a usar na prática e use sempre que tiver oportunidades.

O verbo be é uma das palavras mais usadas em inglês. Além disso é o verbo com o maior número de formas em inglês, oito no total: be, am, is, are, was, were, been, being. Portanto, é importante aprender a conjugá-lo bem e também os significados que ele possui em determinadas sentenças.

Você pode aprender mais sobre o verbo be lendo os posts indicados abaixo:

Para aprender ainda mais lembre-se que essa dica continua com mais detalhes no livro indicado acima. E quem puder ir ao lançamento do livro, saiba que será um prazer vê-los lá [veja onde e quando nas letras miúdas acima]. Have a wonderful week, you all!

Mostrar mais

5 Comentários

  1. Olá Denilso,Tenho uma amiga que era professora de inglês. Ela sempre falava que não começava as aulas com o verbo "be", já que ele é exceção. Todos os outros verbos são iguais na maneira de utilizá-los, conjugação e tals, só ele muda. Eu achei interessante isto.

  2. sem duvida alguma esse livro sera de muita ajuda para nós principiantes a aprender os principios da gramatica inglêsa.para mim o verbo be é a base do aprendizado da lingua inglêsa,ele é o verbo que possui mais formas,no começo parece dificil e complicado de entender mas vale a pena estuda – lo porque esse verbo abre as portas para entendermos outros verbos e outros assuntos da gramatica inglêsa.isso é muito bom!

  3. Tá bom então, Denilso. Mas note que em Português a gente pode dizer uma frase como: "Eu não sou pobre, eu estou pobre". Para expressar que o estado de pobreza é transitório e não permanente.A tradução ("ao pé da letra") para o Inglês resultaria em uma frase sem sentido e contraditória:"I am not poor, i am poor".E agora, como tu se sai dessa?Qual seria a tradução mais fiél possível, mas sem prejuízo à lógica da frase:"Eu não sou pobre, eu estou pobre".Acredito que o fato de o verbo "Be" ter que representar as duas idéias (ser e estar) é uma deficiência da Língua Inglesa.What do you think?Thank you.ChDod.

    1. ChDod,

      Eu acredito que o problema está na falta das pessoas não saberem usarem a língua inglesa de modo mais preciso para expressar as ideias.

      Minha saída para isso seria:

      "I'm not poor, I'm just temporarily poor."
      "I'm not poor, I'm just temporarily not millionaire."
      "I'm not poor, I'm just temporarily economically challenged."

      Como você pode ver o que manda no sentido é o modo como brincamos com as palavras e até mesmo as estruturas gramaticais da língua. Fora isso, eu acrescento ainda o fato de que o modo como isso é dito em uma conversa (entonação) e o contexto em que é dito deixa muito clara as intenções de quem fala.

      Enfim, o grande problema é que as pessoas veem a uma língua de uma forma única (como se fosse matemática) e se esquecem que o significado (as ideias, intenções) é interpretado e comunicado levando em conta não apenas as palavras em sim, mas todo um conjunto de fatores que tornam a língua dinâmica e viva: contexto, entonação, ambiente, pessoas, etc.

      🙂

  4. Também tenho a mesma dúvida do comentário acima!!!

    se vc puder ajudar!!!

    thank you !!!

Botão Voltar ao topo
Fechar