Para Professores de Inglês

    Método ou Abordagem: qual a diferença?

    Método ou Abordagem!? Qual a diferença entre elas!? Será que há alguma diferença!? Por que isso importa!? Professores de inglês precisam mesmo se preocupar com isso!?

    Respondendo a essa última pergunta, eu costumo dizer que professores de inglês só precisam saber disso para entender questões técnicas da sua profissão. Fora isso é bem possível que não fará muita falta saber a diferença entre método e abordagem.

    No entanto, como profissional na área de inglês de língua inglesa, eu tenho de escrever sobre isso e ajudar aqueles colegas que buscam por conhecimento.

    Dito isso vamos ao que interessa!

    Método ou Abordagem: qual a diferença?

    Para início de conversa, saiba que uma das maiores confusões existentes no Brasil com respeito ao ensino de idiomas é justamente essa dicotomia método x abordagem.

    Para muitos as duas significam a mesma coisa e a diferença está apenas no nome. Ou seja, é um tecnicismo que em nada muda o que fazemos.

    Mas, diversamente dessa crença comum, há sim diferença entre método e abordagem. Portanto, para entender isso, vamos ver cada uma de modo separado.

    O que é approach?

    De acordo com Richard & Rogers [Approaches and Methods in Language Teaching, Second Edition 2001], approach (abordagem) refere-se às

    teorias sobre a natureza da língua e do aprendizado da língua que servem de fonte para as práticas e princípios no ensino de idiomas.

    Michael Lewis [The Lexical Approach, 1993:2] diz que abordagem

    é um conjunto integrado de crenças teóricas e práticas, que envolvem syllabus e método

    De modo bem simples, esse autor ainda nos diz que “abordagem é o porquê” de ensinarmos o que ensinamos e do modo como ensinamos.

    Assim, podemos afirmar que approach (abordagem) responde perguntas de natureza mais filosóficas em relação ao ensino da língua. Precisamos entender o que língua, por que a usamos, como os indivíduos a aprendem, como se dá o aprendizado na mente dos aprendizes, contexto social e político da língua.

    Como diz Lewis [op. cit],

    “uma abordagem fornece princípios que ajudarão a definir que tipo de conteúdo e quais procedimentos são apropriados ao ensino.

    Indo um pouquinho mais além, pode ser acrescentado aqui que abordagem descreve como as pessoas adquirem conhecimento acerca da língua e, a partir destas observações, declara as condições que promoverão um aprendizado satisfatório. Respondendo ao por quê de ser de uma forma e não de outra.

    Tipos de Abordagens

    Diante disto podemos falar em diferentes tipos de abordagens notadamente existentes no ensino de língua inglesa. São elas:

    • grammar-based approaches, abordagens que vêem na gramática o ponto central da língua.
    • genre-based approaches, abordagens que primam mais pela aquisição dos vários gêneros linguísticos.
    • lexical-based approaches, abordagens que encaram o léxico [vocabulário] da língua como sua espinha dorsal.

    Cada uma destas abordagens responde a vários porquês previamente procurados por seus proponentes.

    Um exemplo

    A abordagem mais conhecida no Brasil é sem dúvida a Communicative Approach, cujo nome atualmente é Communicative Language Teaching.

    Todos os conteúdos, métodos, procedimentos e princípios, assim como o papel e a atitude do professor e dos alunos e uma série de características estão voltados para enfatizar o aspecto comunicativo da língua.

    Nessa abordagem, preza-se por atividades comunicativas (the information gap activities) pois ela estabelece que a comunicação (troca de informações entre os usuários da língua) é a parte central do uso de uma língua. Logo, as pessoas precisam aprender a se comunicar.

    Lá na década de 1970, os linguistas, baseando-se em teorias linguísticas mais modernas e outras observações, sugeriram a Communicative Approach como uma resposta ao Audiolingualismo. Essa novidade à época trouxe uma série de novidades nas práticas de ensinos.

    Em outras palavras, tivemos aí mudanças nos métodos.

    O que é method?

    Jeremy Harmer [The Practice of English Language Teaching, 2001:78], nos ensina que

    método é o que nos permiti colocar a abordagem na prática […]. Métodos incluem vários procedimentos e técnicas como parte de seu corpo padrão”. 

    Assim, após identificarmos por que devemos dar mais atenção ao lado comunicativo da língua, temos de encontrar maneiras para pôr a teoria (approach) na prática.

    Quais são meios que farão com que o professor ensine eficazmente aos seus alunos? Qual a melhor maneira para que os alunos aprendam? Como fazer para que aquilo que eu considero importante seja aprendido e retido pelos aprendizes da língua?

    Enfim, identificando o(s) como(s), chegamos aos procedimentos e técnicas.

    Sendo que procedimento é a sequência a ser seguida para apresentar o conteúdo aos alunos. Esse pode ainda ser resumido em termos de “primeiro fazemos isso; então, aquilo; depois, isto aqui; finalmente, aquilo lá”.

    Técnica, por sua vez, é o que o professor usa para ensinar aos alunos: escrever no quadro e pedir para todos repetirem em voz alta, apresentar um vídeo sem que eles escutem o áudio, mostrar nos dedos o que acontecem na forma contrata (I am » I’m, he is » he’s…), pedir que leiam um texto em voz alta, grifem expressões novas em um texto, etc.

    Um exemplo de método

    Conforme dito acima, a Communicative Language Teaching. é a abordagem mais conhecida no Brasil. Ressalte-se aqui o fato de se trata de uma abordagem (approach). 

    Então, qual é o método que esse abordagem propõe? Como podemos colocar os princípios teóricos dessa abordagem em prática?

    O método mais conhecido é o PPP, ou seja PresentPractice, Produce.

    É através deste método – às vezes chamado curiosamente de procedimento, modelo, framework, soft approach – que uma aula ocorre.

    Todo o conteúdo a ser ensinado (syllabus) deve se apresentado, praticado e produzido seguindo os procedimentos e técnicas que levem o aprendiz a adquirir fluência comunicativa nas 4 habilidades (speaking, listening, reading, writing).

    Conclusão

    Quero concluir este artigo dizendo que acima está um resumo da diferença entre método e abordagens.

    Alguns autores podem discordar de alguns pontos. Assim como eu discordo de pontos levantados por outros colegas.

    No entanto, o importante é sabermos a diferença entre os pontos e sermos capazes de avaliar as diferentes abordagens e métodos que podem nos serem propostos ao longo da carreira.

    Por fim, convido você a ler também o artigo Como Criar um Método de Ensino de Inglês. Você certamente entenderá ainda mais a diferença entre método e abordagem.

    Take care and keep learning!

    Etiquetas
    abordagens e métodos formação de professores linguística

    4 Comentários

    1. Muito bom o seu esclarecimento!!! Realmente, as pessoas confundem muito a utilização dessas palavras.

    Botão Voltar ao topo
    Fechar