Importância de Ensinar Chunks of Language (Lexical Approach)

Hello guys, how are you all doing?

Dias atrás, me enviaram um email perguntando qual a importância de ensinar chunks of language. Achei a pergunta interessante. Afinal, esse assunto tem se tornado cada vez mais comum entre teachers of English. Mas, infelizmente, muita gente ainda olha com certa desconfiança para ele.

Essa desconfiança acontece, pois todos pensam saber o que são chunks of language. Mas, a verdade é que apenas acham saber e por isso não reconhecem a real importância do assunto.

O que são chunks of language?

Para começar, chunks of language é um nome que temos usados cada vez menos para nos referirmos a esse tema. Hoje o termo mais comum é FORMULAIC SEQUENCES (FS).

De acordo com Wray (2000) aprendemos que

“[A Formulaic Sequence is] a sequence, continuous or discontinuous, of words or other meaning elements, which is, or appears to be, prefabricated: that is stored and retrieved whole from the memory at the time of use, rather than being subject to generation or analysis by the language grammar.

Ou seja, FS é um conjunto de palavras que é armazenado na mente (memória) do falante de modo natural e que é puxada da memória de modo automático para ser usada no momento real da interação comunicativa. Essa sequência não é formada por meio de análise gramatical e nem mesmo palavra por palavra.

Exemplos de Formulaic Sequences

Em se tratando de língua inglesa, podemos citar os seguintes exemplos:

  • by the way (polyword)
  • for the most part of (polyword)
  • trenchant criticism (collocation)
  • strike up a conversation (collocation)
  • haste make waste (proverb)
  • if I were you, I’d… (skeleton sentence)
  • so far so good (institutionalized expression)
  • long time no see (institutionalized expression)
  • how old a re you? (fixed sentence)
  • safe and sound (binomial)
  • take the bull by the horns (idiom)
  • day in, day out (phrase)
Ensinar Chunks of Language

Enfim, os exemplos são inúmeros. Estima-se que as 2000 palavras mais comuns da língua inglesa gerem cerca de 250 mil a 300 mil combinações, ou seja, formulaic sequences

Em parentêses, encontram-se algumas categorias de Formulaic Sequences usadas para fins de pesquisa e também pedagógicos.

Mas, qual  importância disso no ensino de inglês?

Umas das maiores contribuições do estudo nessa área é a do desenvolvimento da fluência oral (speaking) e, consequentemente, da melhora do listening.

Estudos realizados por vários professores e pesquisadores mostram que learners expostos a formulaic sequences ao longo dos seus estudos apresentaram uma melhora significativa nas habilidades de speaking e listening. Claro que há também melhoras nas duas outras hablidades: reading e writing. No entanto, os estudos visam sempre comprovar os resultados nas habilidades que os learners dizem ter mais dificuldades para desenvolver.

Além disso, estudos também comprovaram que os learners que se conscietizam em aprender FS tornam-se mais autônomos e capazes de continuar aprendendo nos mais variados ambientes, dentro e fora de sala de aula.

Há também estudos que relatam a melhora na memória dos learners, independentemente da idade. Ou seja, aprender FS ajuda na capacidade de retenção e recuperação dos itens adquiridos. Logo, se a memória retém o conteúdo de forma mais satisfatória, a recuperação (o uso) desses itens no ato comunicativo será muito mais natural.

Enfim, são inúmeros os benefícios do ensino por meio da teoria de Formulaic Sequences. Nos últimos 30 anos, pesquisadores e professores têm se juntado no mundo todo para comprovar os benefícios da teoria lexical.

Claro que tem muito a ser dito sobre isso! Tem muito a ser discutido! Tem muito a ser estudado! Portanto, se você – professora ou professor de inglês – deseja aprender muito mais sobre tudo isso, participe do curso online COMO ENSINAR INGLÊS LEXICALMENTE. Mude o modo como seus alunos aprendem inglês.

Clique no botão abaixo para saber mais sobre o curso e como participar. 

Lexical Approach (Abordagem Lexical): o que é e quais seus fundamentos?

MWhat is the Lexical Approach? O que é a Abordagem Lexical? Afinal, que abordagem é essa que nos últimos 25 anos tem influenciado tantos professores de inglês ao redor do mundo?

Nesse artigo, farei um breve resumo do que é a Abordagem Lexical – Lexical Approach. Portanto, se você sempre teve interesse em conhecer a história e também alguns dos fundamentos que sustentam essa abordagem, continue lendo.

As Origens da Abordagem Lexical

De modo prático, nós colocamos o início da Lexical Approach no ano de 1993. Foi quando Michael Lewis publicou o livro The Lexical Approach: the state of ELT and a way forward [Heinle ELT].

Por meio dessa obra, Lewis não só cunhou o termo Lexical Approach, como também colocou em xeque uma das mais sólidas bases do ensino de inglês: a Gramática. Afinal, para ele, a gramática como ensinada no ensino de inglês não deveria ser o centro do aprendizado e ensino de língua.

Essa ideia é inteligentemente resumida na frase:

A língua consiste de léxico gramaticalizado, não de gramática lexicalizada”.

Lewis procurava deixar claro que a base de uma língua é o seu léxico (vocabulário) e não as estruturas gramaticais e os termos técnicos repassados de modo mecânico e analítico aos alunos.

Esse “ataque” fico ainda mais forte quando Lewis afirma que:

O principal mal-entendido no ensino de língua inglesa é acreditar que a gramática normativa é a base da lingua e que o domínio do sistema gramatical é pré-requisito para uma comunicação efetiva.

1997 marca o lançamento de seu segundo livro sobre o assunto: Implementing the Lexical Approach – putting theory into practice [Heinle ELT]. Se no livro anterior, o foco estava em apresentar a teoria, neste o objetivo era mostrar o lado prático da Abordagem Lexical. Como suas ideias estava sendo aplicadas em salas de aula em vários cantos do mundo.

Foi assim que o ensino tradicional da gramática e das palavras soltas – juntamente com phrasal verbs e idioms – começou a ser questionado.

Fundamentos Básicos

Muitas pessoas passam a acreditar que a Lexical Approach deixa de lado o ensino de gramática nas aulas de inglês. Na verdade, isso não é bem assim!

O que a Lexical Approach é apenas mudar o modo como a gramática é ensinada.

Para isso, é preciso compreender dois conceitos essenciais no ensino de inglês: gramática e vocabulário.

Gramática Normativa vs. Gramática de Uso
Lexical Approach (Abordagem Lexical)

A gramática deixa de ser vista apenas como um conjunto de regras e termos técnicos e passa a se tornar algo vivo. Logo, torna-se algo a ser adquirido de modo natural e não mecânico.

Temos então de entender a diferença entre gramática normativa e – o que eu chamo informalmente de – a gramática de uso. Na primeira, o estudante decora regras, termos técnicos e faz atividades para avaliar se aprendeu os conceitos. Ele está assim aprendendo sobre a língua e não como usá-la naturalmente.

Já na segunda – a gramática de uso – o estudante aprende a usar a gramática de modo mais natural. Sem a necessidade de decorar os conceitos técnicos da gramática normativa.

Mas, como isso é possível?

Chunks of Language

Por meio dos chunks of language, formalmente chamados de formulaic language. Essa nada mais é do que a forma como o vocabulário (o léxico) da língua inglesa é visto dentro da Abordagem Lexical.

Os chunks são de vários tipos: collocations, fixed sentences, semi-fixed sentences, polywords, gambits e muitos outros. Os chunks podem ser organizados de acordo com situações do cotidiano, assuntos/temas específicos, conversacionais, etc.

Por meio dos chunks, os aprendizes internalizam (memorizam) a gramática de uso, as frases e palavras comuns em determinadas situações e também outras frases usadas para fins comunicativos ao falar e ouvir alguém na língua alvo.

Entender os chunks é a base da Abordagem Lexical. Afinal, ao entendê-los o profissional de ensino de inglês é capaz de ensinar a língua de uma maneira muito mais significativa aos seus alunos e alunas.

Vantagens da Lexical Approach

A Lexical Approach quando bem compreendida oferece ao professor maiores e melhores possibilidades de ensinar a língua.

Ela torna a aquisição da língua muito mais dinâmica, prática, e significativa para o aluno. Há, portanto, uma completa guinada na forma como o aprendiz adquire e usa a língua alvo.

Cumpre observar que através da Lexical Approach é proposta a ideia de que a proficiência em uma língua estrangeira é adquirida e desenvolvida mais rapidamente ao se dar total ênfase no ensino e aprendizado dos chunks of language.

O aprendiz adquire não só o léxico (chunks), mas também a gramática de uso e a pronúncia. Por essa razão, Lewis diz que a Abordagem Lexical é um abordagem integrada. Pois, o professor ensina vocabulário, gramática e pronúncia de modo integrado e não como “entidades” separadas.

A Lexical Approach pode revolucionar o modo como você enxerga o vocabulário e a gramática no ensino de inglês. Mais que isto: pode revolucionar o modo como você aprende/adquire inglês. Afinal, ela ajudará você a compreender o que é vocabulário, a aprender gramática através do vocabulário e muito mais.

Críticas à Lexical Approach

O trabalho de Michael Lewis chamou claro a atenção do mundo do ELT. Muitos autores e estudiosos começaram a prestar a atenção ao que ele dizia: fosse para elogiar ou para criticar.

Umas das principais críticas feitas estava no fato de que o nome Lexical Approach não era apropriado. Afinal, para alguns, não se tratava de uma abordagem propriamente dita.

Alguns dos críticos diziam que a Lexical “Approach” era apenas uma série de ideias sobre como ensinar vocabulário em sala de aula. Portanto, não deveria ter o status de abordagem.

Scott Thornbury, em 1998, publicou um artigo “The Lexical Approach – a journey without maps?”. Para esse autor, a Abordagem Lexical não apresentava um método (um mapa) mostrando como fazer as teorias funcionaram de modo sistemático em aulas.

Eu arrisco dizer que faltou aos críticos da Lexical Approach um pouco mais de maturidade para entender a riqueza das ideias de Lewis, um homem à frente de seu tempo.

Digo isso, pois hoje – 2019 –, muitas ideias de Lewis permeiam livros de ensino de inglês e muitas salas de aula ao redor do mundo.

Claro que isso não acontece de modo explícito. Mas, hoje é possível notar que temas como collocations e chunks of language estão presentes em vários obras e treinamentos de professores.

Muitos dos que criticavam a Lexical Approach em seu início, hoje se rendem a muitos de seus conceitos. Isso prova como a Abordagem Lexical realmente influenciou e continua influenciando profissionais de ensino de inglês em todo o mundo.

» Leia mais: A Diferença entre Método e Abordagem

Conclusão

O objetivo neste artigo foi apenas o de apresentar uma noção básica sobre a Lexical Approach.

Caso você seja profissional de ensino de inglês e esteja interessado em saber ainda mais sobre tal abordagem, recomendo que participe do curso Being a Lexical Teacher. Nele eu apresento muito mais conteúdo teórico e prático sobre esse assunto. Leia mais, clicando aqui.

Até a próxima! Keep learning!»