Inglês Indiano: Características e Curiosidades

A Índia está na moda. Roupas, maquiagem, incensos, comida, música, massagens… Enfim, tudo por causa de Caminho das Índias. Com certeza a a cultura indiana é realmente marcante e exótica; portanto, vale a pena saber a respeito dela.

Infelizmente, ninguém ainda falou da literatura indiana e seus maravilhosos escritores: Jhumpa Lahiri, Salman Rushdie, Bharati Mukherjee, Vikram Seth, Shashi Tharoor, Raj Kamal Jha, Khushwant Singh entre outros. Vai ver que não deram interesse a este aspecto, tendo em vista que o público brasileiro não lê muito mesmo.

Outro aspecto cultural que ainda não falaram é o Inglês Indiano. Talvez porque ninguém quer ir para lá! Ou talvez porque para muitos só há duas variantes da língua inglesa no mundo: americano e britânico. Quando não mencionam o australiano ou o canadense. Deixando muitas outras variantes de fora.

Porém, como este blog é sobre inglês, então por que não falar sobre o Inglês Indiano? Por que não mencionar o que tem de diferente nesta variante tão curiosa da língua inglesa mas que é tão pouco conhecida e raramente [ou nunca] mencionada nas salas de aula?

No que se refere ao vocabulário todo mundo já deve estar sabendo do are baba, baldi, atchá, tchalô, firanghi, namastê, baguan keliê, etc. Mas isto tudo aí é Hindi, uma das línguas faladas na Índia. Já o inglês começou a se espalhar muito porlá devido a colonização britânica que ocorreu desde meados do século 19 até o ano de 1947, resultando em um inglês com gramática, palavras, expressões, gírias, escrita e pronúncia próprias.

Por exemplo, enquanto as gramáticas tradicionais dizem que não podemos colocar ~ing em certos verbos quando no Present Continuous, no Inglês Indiano esta regra não prevalece. Portanto, lá você pode dizer “I’m understanding you now”, “You are knowing the answer”, “I’m working at ABC Company”. Certamente, seu professor de inglês indiano não dirá que isto está errado.

No inglês tradicional também aprendemos que o certo é “pay attention to” [prestar atenção a, prestar atenção em]. A preposição correta é ‘to’. Porém, no inglês indiano o certo é “pay attention on”. Viu que a preposição agora é ‘on’ e não ‘to?

As tag questions dão lugar a “no” ou “na”: “you live here, no?”, “they study English, na?”. Dependendo da região usa-se também o “ah”: you live here, ah?”, “they study English, ah?”. Ainda em relação à gramática eles usam, às vezes, o “would” no lugar do “will” para se referir ao futuro. Muitas vezes deixam de usar o artigo definido em sentenças como “let’s go to city” ao invés de “let’s go to the city”. Interesting, ah?

Não se assuste se um indiano falar “open the air conditioner” [ligue o ar condicionado] ou ainda “open your shirt” [tire sua camisa]. “Open” na Índia também significa “ligar” [um aparelho eletrônico] ou “tirar” [uma peça de roupa]. Sabe aquela diferença entre “say” e “tell”? Na Índia não existe! Para eles pode ser tudo “tell”: “he told he was tired” ao invés de “he said he was tired”.

O que dizer se um indiano chegar para você e falar “I was just joking but” ou “I didn’t go only”? Nada demais! As palavras ‘but’ e ‘only’ são usadas para enfatizar o que foi dito. Portanto, estas sentenças significam “eu estava só brincando mesmo” e “eu não fui mesmo”.

Complica também o fato de que eles misturam muitas palavras do Hindi ou dialetos locais com inglês: “the taxi-wala” [o motorista de táxi], “the music-wala” [o colecionador de CDs e discos], “the grocery-wala” [o quitandeiro], “have some chai-vai” [tomar chá] e outras tantas.

Em se tratando de pronúncia o negócio é muito louco. Uma das grandes curiosidades [e a mais fácil de mencionar aqui] é o tal do “w” ter som de “v”. Assim, o pronome pessoal “we” é pronunciado /vi/; o verbo “want”, /vant/; e, “water”, /vater/. Desta forma, se um indiano falar /vi vant vater/, não se assuste ele está dizendo “we want water”.

Para encerrar, seguem algumas gírias e expressões típicas do inglês indiano: “my near and dear” [meus amigos e família], enjoy [transar, ter relações sexuais], hair fall [queda de cabelo, no inglês tradicional é ‘hair loss’], tortoise coil [repelente de mosquitos em forma de espiral], bank holiday [feriado nacional], lady’s finger [quiabo, em inglês tradicional ‘okra’], convent English [inglês bem falado, geralmente aprende-se com missionários vindo de outros países por isto o nome ‘convent English’], kitty party [um encontro de mulheres], non-veg joke [piada suja], deadly [very good].

Poderia escrever mais. No entanto, o objetivo era apenas o de chamar a sua atenção para esta rica variante da língua inglesa. Variante esta que não pode deixar de ser mencionada e comentada. Vale a pena saber a respeito, vai que amanhã ou depois você recebe um indiano por aqui ou acaba indo para lá! Nunca se sabe!

PS: A personagem dos Simpsons que ilustra este post é o Dr. Apu Nahasapeemapetilon. Ele é o dono do Kwik-E-Mart e possui doutorado em Ciência da Computação. Nascido no Paquistão, porém sua família foi morar na cidade de Ramatpur, Índia, quando ele ainda era uma criança. Por isto, ele é mais indiano do que paquistanês. Por causa disto tudo, Apu representa muito bem este post aqui no Inglês na Ponta da Língua.

Artigos Relacionados
Comentários