Connected Speech: o que é isso?

O que é connected speech? Será que isso é realmente importante no seu aprendizado de inglês? Leia esta dica para aprender um pouco sobre connected speech e a importância desse assunto no desenvolvimento da sua fluência em inglês. Antes, porém, vamos introduzir esse assunto para você entrar no clima.

Ao longo dos meus anos como profissional de ensino de língua inglesa, ouço vários e vários estudantes de inglês falando coisas assim: “Não consigo entender o inglês falado. É muito rápido”, “Eles falam rápido demais. Não consigo acompanhar” ou “Por que eles falam tão rápido?”. Você certamente já deve ter dito algo assim, não é mesmo? Mas, saiba que o problema não está em você ou na fala rápida do inglês. O problema está no fato de não terem falado sobre connected speech para você no início dos seus estudos de inglês.

Caso você queira aprender mais sobre a pronúncia do inglês, conheça o ebook Pronúncia Básica do Inglês (pdf e áudio). Nele você encontra todos os sons da língua e também aprende sobre as dificuldades de pronúncia que os brasileiros têm e como superá-las. Clique no botão abaixo para saber mais.

Mas, o que é connected speech?

Connected Speech

Connected speech é uma característica da fonética da língua inglesa no qual as palavras são conectadas (ligadas) uma à outra ao serem pronunciadas em uma sentença. Se traduzirmos connected speech para o português teremos algo como “fala conectada” ou “discurso conectado”. Na prática isso refere-se às ligações, uniões, conexões que há no inglês falado para fazer com que a língua flua muito mais natural e rapidamente.

Em outras palavras, também podemos dizer que connected speech tem have com o modo como simplificados a pronúncia das palavras dentro das sentenças. Para você entender bem, vamos passar para alguns exemplos.

Connected speech: exemplos

As sentenças abaixo são comuns em livros de inglês básico. Você certamente conhece a maioria delas. O que eu quero que você faça é que leia em voz alta cada uma delas.

  • What’s your name?
  • My name is [Ana].
  • Where are you from?
  • What did you do?
  • Don’t you like it?
  • Who’s your friend?
  • What are you going to do about it?
  • I’ve got to help them.
  • We have to get out of here.
  • I asked her out.

Se você for como a maioria dos estudantes de inglês, certamente leu as sentenças palavra por palavra. Deve ter repetido as sentenças e prestado atenção à pronúncia de cada som em cada palavra. Enfim, você deve ter lido mais ou menos assim [clique no botão abaixo para ouvir]:

No entanto, quando a gente vai para o mundo real e ouvimos as pessoas falando inglês naturalmente, a gente pode se perder. Pois, o inglês do dia a dia não é falado assim palavra por palavra. Isso se deve justamente por causa do fenômeno conhecido como connected speech. Portanto, as sentenças acima são faladas da seguinte maneira [clique no botão abaixo para ouvir]:

Percebeu a diferença!? Tenho certeza que sim! Não tem como não perceber! No segundo momento, procurei fazer uso dos aspectos relacionados ao connected speech. Não falei as sentenças de modo lento e nem as li palavra por palavra. Procurei conectar os sons das palavras em cada sentença e assim chegar mais perto do modo como um nativo fala.

Por que aprender connected speech?

Quando aprendemos a fazer uso do connected speech naturalmente, no jeito de falar inglês fica muito mais próximo ao de um nativo. O listening (habilidade de ouvir) fica mais apurado. Nós podemos até perder uma coisa aqui e ali, mas no geral somos capazes de acompanhar uma palestra, um filme, um diálogo, uma música, etc., sem muitas dificuldades.

Portanto, os aspectos relacionados ao connected speech são, em minha opinião, algo que todos estudante de inglês deveria aprender desde o nível básico. Ou seja, desde a primeira aula de inglês em uma escola.

Para isso é preciso mudar os hábitos de aprendizado. Pois, quando alguém decide aprender inglês, ela começa a aprender com os olhos. Ela cria o hábito de ler sentenças e textos palavra por palavra. Assim, acostuma-se a pronunciar tudo de modo mais lento e nada natural. Mas, ao dar atenção ao connected speech, a pessoa começa a aprender inglês com o ouvido. Logo, isso fará uma grande diferença no desenvolvimento de sua fluência em inglês.

Isso significa que você deve aprender a ouvir inglês do modo como é falado e não do modo como é escrito. Aprenda e entenda que o inglês escrito e o inglês falado são coisas diferentes. Assim, você deve aprender os dois juntos. Contudo, preste muito mais atenção ao inglês falado; pois, é ele que ajudará você a se sentir mais à vontade para interagir com as pessoas em inglês: falando e ouvindo.

Infelizmente, não dá para falar tudo sobre connected speech em um só texto. Então, voltarei a escrever outros textos relacionados a esse assunto para que você comece a entender ainda mais. A ideia é apresentar alguns aspectos dessa parte da pronúncia da língua inglesa e ajudar você a mudar ainda mais o seu jeito de aprender inglês.

Por enquanto, pense nisso: Não são os nativos que falam inglês rápido demais. Na verdade, é o modo como nós aprendemos inglês que nos condiciona a sermos lentos para entender, ouvir e falar. Temos, portanto, de mudar isso.

 

Etiquetas
dicas de pronúncia dicas para aprender inglês melhorar o listening em inglês pronúncia do inglês

33 Comentários

  1. "What are you going to do about it?" foi tenso. rsrs
    Na verdade eu já havia percebido que da mesma maneira como nós falamos ligando palavras e muitas vezes até comendo letras (eu mineira que o diga rsrs), os nativos de lingua inglesa tb falam desta maneira. O triste é saber que praticamente em todas as escolas de inglês os audios que acompanham livros são falados de maneira mais lenta, totalmente fora da realidade. Deveria vir do modo como os nativos realmente falam. Um pena! Poderíamos ter muito mais pessoas fluentes.

    1. Mais isso depende muito Raíssa. Por exemplo, eu faço curso de Inglês no CCAA e os áudios de lá são de norte-americanos nativos e eles falam com uma velocidade exorbitante. Inclusive eu tive uma certa dificuldade no começo para me adaptar, hoje em dia não tenho dificuldade nenhuma para compreende-los. E sobre o "What are you going to do about it" Ele falou "What you're gonna do about it" que tem o mesmo significado de "What are you going to do about it" Só que "gonna" é uma slang.

  2. Excelente assunto Denilso. Eu mesmo já me perguntei algumas vezes por que os cursos de inglês desprezam tanto esse assunto. No final das contas, na minha opinião ele é um dos principais responsáveis por deixar as pessoas a ver navios quando têm que se comunicar verbalmente no inglês do dia-a-dia, assumindo que estou falando de alguém que já recebeu a bagagem teórica de um nível avançado. Na prática, eles não vão te perguntar: "what-are-you-doing?". Outro ponto tem a ver com a própria fluência. Falar corretamente sílaba por sílaba diminui a fluência mesmo na nossa língua nativa. Com o tempo a gente vê que pode usar desse artifício pra se comunicar com mais fluidez em inglês também.
    Me lembrei agora de um exemplo quase extremo que aconteceu comigo nos EUA. Um grupo havia combinado de jogar racquetball depois do expediente e mais tarde alguém me perguntou: "- Playin' 'night?". No inglês aprendido nos nossos cursos: "- Are you going to play tonight?". É uma diferença gritante.

  3. Olá Denilso, tudo bem?

    Eu conheci o seu blog há cerca de 1 mês (ou melhor, o blog não, a página do facebook), então fui acompanhando suas postagens e ao clicar em um dos links contido nelas, cheguei a este ótimo site no qual deixo este comentário. Um pouco depois do natal acessei o inglesnapontadalingua para ver um post, depois cliquei em alguns links que tinham no decorrer do texto e embaixo, e então abri várias páginas do mesmo! Nesse dia tirei várias dúvidas de inglês: coisas que não me lembrava, coisas que vi na escola mas não aprendi muito bem, e coisas que não conhecia. Inclusive,peguei o caderno que eu uso no meu curso de inglês e passei a fazer anotações e resumos do que eu via aqui. E peguei esse costume. Depois procurei os podcast’s e pdf’s e baixei-os. Nos dias seguintes (27,28,29/12…), inclusive hoje, continuei acessando o seu blog para estudar e conhecer e tirar dúvidas. Quero aproveitar para te parabenizar e agradecer, pela forma diferenciada que você ensina inglês, por oferecer material de alta qualidade gratuitamente e por mostrar que aprender não é dificil! Você já me ajudou muito, e aposto que a tantas outras pessoas também.

    Obrigado Denilso!

    A propósito, o post de hoje de certa forma responde uma pergunta que eu ainda ia fazer no blog. xD

    Já vi num seriado alguns dos personagens falarem frases como “what you doing?” e ficava me perguntando : eles tão apenas falando rápido, ou falaram errado?

    Mas acho que depois deste post já está resolvido.

    Valeu Denilso, take care!

  4. Existe realmente uma contração no uso de palavras terminadas em 'n' com palavras que começam com 't'? Sempre noto isso, mas não sei que nome dar. Tem relação com Connnected Speech?
    ;D

  5. Muito interessante seu texto! É exatamente esta a minha aflição. Me preocupo muito com a pronuncia que não compreendo e já pensei por inumeras vezes desistir de estudar inglês. Como neste momento retorno por grande necessidade, vou passar por uma prova de proficiência em lingua inglesa e não tenho mais como adiar isso, me vejo angustiada. Mesmo sendo a parte escrita que será cobrado, o fato de não compreender dialogos, me encomoda bastante. Prestarei mais atenção em suas dicas daqui para frente. Não faz muito tempo que conheci seu espaço. Parabéns e obrigada pela grande ajuda. Abraços

    1. Thanks Lúcia! Boa sorte na prova e nunca desista de estudar e aprender inglês. Se você desistir aí é que nunca aprenderá mesmo! 🙂

      1. Obrigada Denilso pelo incentivo. Desta vez não vou desistir, agora, como disse, é uma questão de necessidade. Não pode ser mais adiado. Preciso me organizar com o tempo e tudo dará certo. Uma ótima semana.

  6. nossa bom texto e boas dicas, vc teria sites em que possamos ouvir inglês e até ver, jornais, rádios, etc, assim acredito que estaríamos mais em contato com a língua.. thanks!!!!

  7. nossa bom texto e boas dicas, vc teria sites em que possamos ouvir inglês e até ver, jornais, rádios, etc, assim acredito que estaríamos mais em contato com a língua.. thanks!!!!

  8. Bom Dia, Denilso
    Dois motivos me levaram à aprender Inglês, um deles foi o fato gostar muito do idioma, o outro foi uma oportunidade de morar nos Estados Unidos, porém um dos requisitos era o domínio do idioma. O sindicato da categoria em que trabalho, iniciou um curso de Inglês(Básico) o material é simples, mas o pessoal tem muito boa vontade e dão dicas muito interessantes, te confesso estou aprendendo muitas coisas com eles e também por conta própria. Um dia saindo de uma aula, fui até um sebo e lá encontrei o livro Gramática de Uso da Língua Inglesa, adorei o livro e a forma como você abordou os temas, Parabéns pelo livro e pelos temas postados na internet., o artigo sobre Connected Speech foi muito esclarecedor. Como ainda estou no nível básico, gostaria que você me tirasse uma dúvida:: Um professor me disse que palavras com TH a pronúncia tem som de F, assim nothing seria pronunciado como nofing, think ficaria fink, então eu o questionei se thankyou seria pronunciado como fankiu? me ajude a resolver este dilema. Por favor me informe como faço para adquirir os livros: Porque Assim e Não Assado? e Inglês na Ponta da Língua.
    Um abração e mais uma vez parabéns pelo seu trabalho.
    Gil.

    1. Olá gildésio,
      Tomei a liberdade de responder…
      Olha, o TH sound se parece com o F sound em algumas palavras, mas as formas de pronunciar são diferentes.
      Para o F, nós colocamos o lábio de baixo nos dentes de cima, certo? Entretanto, para o TH em palavras como nothing, colocamos a ponta da língua na ponta dos dentes de cima. Assim o som (somente) se aproxima do F
      Se o TH estiver no início da palavra, como em thanks, pressione UM POUCO mais a língua nos dentes, pro som se aproximar do T.
      Espero ter ajudado…

      1. Bom Dia, Edvaldo,
        Obrigado por ter respondido a minha pergunta, ouço músicas e assisto à filmes com o som original em inglês e realmente não consegui perceber este TH com som de F.
        Valeu pela iniciativa, obrigado.

    2. Não sou o Denilso, mas fico maluco com quemensina que "th" se fala como "f". É simplesmente ridículo e cômodo alguém ensinar deste modo, fazendo com que as pessoas falem de modo errado.
      Na verdade, "th" tem som de "th" mesmo, coisa que não temos em Português. É o que se chama de som línguo-dental.
      Imagine-se falando as palavras que têm "s" com a língua no meio dos dentes da frente (daí o som línguo-dental).
      Esse é o som que o "th" deve ter, nada muito exagerado, mas rápido, fazendo o som característico.
      Me perdoe, Denilso, mas não pude resistir.

  9. Bom Dia, Denilso
    Dois motivos me levaram à aprender Inglês, um deles foi o fato gostar muito do idioma, o outro foi uma oportunidade de morar nos Estados Unidos, porém um dos requisitos era o domínio do idioma. O sindicato da categoria em que trabalho, iniciou um curso de Inglês(Básico) o material é simples, mas o pessoal tem muito boa vontade e dão dicas muito interessantes, te confesso estou aprendendo muitas coisas com eles e também por conta própria. Um dia saindo de uma aula, fui até um sebo e lá encontrei o livro Gramática de Uso da Língua Inglesa, adorei o livro e a forma como você abordou os temas, Parabéns pelo livro e pelos temas postados na internet., o artigo sobre Connected Speech foi muito esclarecedor. Como ainda estou no nível básico, gostaria que você me tirasse uma dúvida:: Um professor me disse que palavras com TH a pronúncia tem som de F, assim nothing seria pronunciado como nofing, think ficaria fink, então eu o questionei se thankyou seria pronunciado como fankiu? me ajude a resolver este dilema. Por favor me informe como faço para adquirir os livros: Porque Assim e Não Assado? e Inglês na Ponta da Língua.
    Um abração e mais uma vez parabéns pelo seu trabalho.
    Gil.

  10. Olá! Muito legal o post de hoje!

    Gostaria de parabenizá-lo também, e a toda sua equipe. Sou leitor assíduo do Inglês na Ponta da Língua. O Curso de Pronúncia do ano passado me ajudou muito! Infelizmente consigo estudar menos do que gostaria, mas todos os dias acompanho suas dicas e seus posts.

    Sobre o Connect Speech, como treinar mais especificamente?

    Abraço

  11. Olá Denilso, muito interessante esse post. Realmente a tendência dos nativos em inglês é juntar as palavras na hora de falar, por isso que é tão importante praticar muito listening. Já havia lido sobre isso antes e fiquei com uma dúvida: Connected Speech é o mesmo que Relaxed Pronunciation?

  12. Como sempre a explicação é excelente! Você poderia por gentileza traduzir para o português as seguintes frases:
    •What are you going to do about it?
    •I’ve got to help them.
    •We have to get out of here.
    •I asked her out.

    1. Carolina, a ideia não era traduzir as sentenças acima, pois o objetivo do texto era apenas discutir essa coisa de connected speech. Por isso, procurei fazer uso de sentenças de nível básico, sentenças ensinadas em menos de 6 meses de curso de inglês. A ideia era fazer com que os leitores também se acostumem a entender inglês e procurem suas próprias traduções (procurem entender o que essas sentenças significam). Enfim, para facilitar, seguem as traduções solicitadas:

      > O que você vai fazer a respeito?
      > Eu tenho que ajudá-los.
      > Temos que sair daqui.
      > Eu a convidei para sair.

      😉

  13. Grande Denilso.
    Uma dica para quem gosta de baixar apostilas da internet. Tem um site – http://www.filecrop.com – onde basta voce escrever grammar, dicionary etc… que aparecerão uma quantidade enorme de opções para baixar. Espero agradar aos interessados.

  14. Mestre Denilso. Se eu tivesse um professor como voce desde o inicio, quando comecei a estudar no colégio, tenho certeza que estaria falando muito bem hoje em dia, Gosto deste idioma. Incrível, mas quando saí da Faculdade de Letras, onde fazia português e inglês, um estrangeiro ficou abismado pois eu não conseguia manter um diálogo com ele. Me senti muito mal com isso. O que me consola um pouco é que estamos todos, nos brasileiros, com ensino formal que temos, no mesmo barco. Entretanto, depois que eu conheci suas "aulas", renasci com entusiasmo para continuar o aprendizado. Parabéns pelo seu esforço pessoal e pelo coletivo. Todos nós seus seguidores o agradecemos.

  15. Conheci seu blog e página no Facebook apenas há pouco tempo. Concordo integralmente com a sua forma de abordar o ouvir e falar inglês. É a realidade escancarada. Tanto se ajusta a meu modo de pensar, que comprei o e-book sobre preposições e me inscrevi no curso Aprender Inglês Lexicalmente (espero que a informação de pagamento via PayPal já esteja em suas mãos). Gostaria de saber se há alguma forma de aula na forma de videochat ou conferência com vídeo de forma a podermos por em prática esse método. Agradeço a atenção! P.S.: Vi que os comentários estão datados de meses atrás, mas esse link apareceu para mim agora no meu feed de notícias do FB.

    1. Olá Miguel, obrigado por seu comentário.

      Você aprenderá muita coisa interessante no curso. Espero que ele atenda realmente as suas necessidades.

      🙂

Botão Voltar ao topo