Como ser professor de inglês no Brasil?

Como ser professor de inglês no Brasil? Essa é uma pergunta que recebo com muita frequência de pessoas que desejam dar aulas de inglês e não sabem o que é necessário.

Eu sempre digo que há duas diferentes respostas para essa pergunta. Independentemente da resposta algumas pessoas podem se sentir ofendidas. Confesso que eu também me ofendo. No entanto, trata-se da realidade da profissão professor de inglês aqui no Brasil. Vamos a elas

Como ser professor de inglês no Brasil? [1]

A primeira resposta pode ser um surpreendente “nada”. Ou melhor, “nada” também é demais, então podemos dizer que não é preciso fazer muita coisa para ser professor de inglês no Brasil. Basta fazer um currículo e nele colocar informações relacionadas à sua experiência com a língua inglesa (saber falar, por exemplo) e mencionar que você morou fora do Brasil por uns seis meses (ou até menos). Feito isso, deixe seu currículo em uma escola de idiomas. Se você fez tudo bem certinho, espere ser chamado para fazer uma prova escrita e uma entrevista (que pode ser) em inglês.

Se você tiver o perfil que a escola procura e ter um nível de inglês satisfatório (avaliado na prova escrita e entrevista) será convidado a participar do treinamento de professores. Nesse treinamento você aprenderá sobre a utilização do material da escola, o passo a passo das aulas, a parte burocrática em relação à administração da escola e assuntos relacionados a esses.

Como ser professor de inglês no Brasil?Em muitos casos o treinamento dado é algo que serve apenas para dizer que teve. Pois, na maioria das vezes os treinandos não aprendem sobre abordagens de ensino, pedagogia de ensino, identificação básica de alguns distúrbios da aprendizagem e essas “chatices” que muitos acham irrelevantes e desnecessárias em um curso de inglês. Afinal, a ideia é ensinar inglês e that’s all there is to it.

Nem todas escolas são assim!

Justiça seja feita, gente! Afinal, o que foi dito acima não vale para todas as escolas de idiomas. Afinal as mais sérias (e são poucas) certamente exigirão algo a mais. Formação acadêmica em Letras/Inglês ou Pedagogia e áreas afins podem ser apenas uma das exigências.

Além disso, podem ainda pedir que você tenha uma certificação internacional em língua inglesa (TOEIC, TOEFL, CAE, CPE, IELTS, etc.). Nessas escolas os treinamentos costumam ser bem mais sérios e profissionais. Sem contar que são também constantes e não apenas no início de cada semestre letivo. Ter morado no exterior pode não ser requisito básico para dar aulas nessas escolas; afinal, morar fora do Brasil não é sinal de que você esteja preparado para ser Professor de Inglês. Lembre-se: falar uma língua é uma coisa, ser professor é outra.

Como ser professor de inglês no Brasil? [2]

Por outro lado, a segunda resposta é: você precisa ser formado em Letras/Inglês. Pois, as secretarias de educação (municipais ou estaduais) ao abrirem vagas para o cargo de professores de inglês e fazer os concursos, exigirão o seu diploma e histórico acadêmico. Logo, ser formado em Letras/Inglês é o requisito básico para ser professor de inglês no sistema público de ensino regular. Nesse caso, saber inglês (falar, ler, escrever, ouvir, etc.) pode não ser (e talvez nem seja) um requisito essencial. A verdade é que na teoria (lá no edital  do concurso) saber inglês é essencial; todavia, na prática não é bem o que acontece.

Por mais duro que possa ser isso, a realidade é que há no Brasil inúmeros professores de inglês que não falam inglês. Isso acontece tanto em escolas de ensino regular do setor público e do privado. Não estou generalizando, estou apenas dizendo que na maioria das escolas do país podemos encontrar professores de inglês que não falam inglês. Esses professores apenas repetem o conteúdo que está nos livros (isso quando há um livro). E assim perpetua-se a velha história do “só aprendi o verbo to be”.

E aí!? Como fica!?

Como você pode notar, para ser professor de inglês no Brasil não é nada muito complicado. Tudo depende de onde você deseja dar aulas: escolas de idiomas ou escolas de ensino regular. Dependendo de onde for, cada um tem um critério.

É bem provável que você aí esteja louco para saber a razão dessa bagunça. Então, continue lendo.

No Brasil não há uma política pública de ensino da língua inglesa. Há alguns tapa-buracos. Ou seja, documentos que na prática não funcionam ou finge-se que funcionam. Portanto, não havendo uma política pública rigorosa, focada em resultados (população falando inglês) e nas pessoas (os aprendizes), não há muito com o que se preocupar em relação a ser professor de inglês. Deixa-se do jeito que está e ficamos por isso mesmo. O governo finge que ensina inglês, as pessoas não aprendem nada e a vida segue em frente.

Do outro lado da moeda, temos as escolas de idiomas. Algumas são extremamente exigentes com a formação de seus profissionais. Outras nem tanto. Essas mais relapsas, às vezes, são as que mais crescem no Brasil (em termos de business, não em termos pedagógicos e qualidade de ensino). Essas são também mais relaxadas em relação a assuntos que envolvem o ensino/aprendizado de inglês para crianças, adolescentes e adultos. Isso significa que a bagunça só tende a continuar e a piorar!

Que tipo de professor de inglês você quer ser?

Dito tudo isso, a pergunta principal não é como ser professor de inglês no Brasil. A verdadeira pergunta é: que tipo de professor de inglês você quer ser: um Profissional verdade ou um meia boca que dá aulas para passar o tempo e ter um dinheirinho extra?

Como ser professor de inglês no Brasil?A resposta a essa pergunta fará a diferença não só na sua vida mas também na vida das pessoas que desejam aprender inglês de verdade. Se você optar por ser um Profissional de verdade, lembre-se de:

  • Investir na sua formação (faça cursos de capacitação, participe de workshops, encontros, etc.);
  • Afilie-se a uma associação de professores de inglês (Braz-TESOL, por exemplo) e acompanhe as atividades realizadas por elas;
  • Estabeleça o networking com os profissionais da área e compartilhe conhecimento e experiências;
  • Invista em livros (estou me referindo a livros sobre o ensino de inglês e não romances do tipo John Green)
  • Reflita criticamente sobre o processo de ensino e aprendizado de uma segunda língua;
  • Pense em diferentes maneiras de como você pode tornar as coisas mais simples para seus alunos (eles odeiam o Present Perfect; então pense em como ensinar isso de um modo diferente);
  • Envolva-se com a profissão e procure melhorá-la em termos de qualidade de ensino e capacitação profissional;
  • Jamais pense no dinheiro (se você entrar nessa pensando no dinheiro, procure outro trabalho; mas, se você entrar nessa com ânimo e desejo de crescer profissionalmente, então no futuro o retorno poderá ser bom).

Enfim, há muito sobre o que se pensar. Contudo, o principal é você saber que a sua resposta para o tipo de professor que você quer ser influenciará a vida de muitas pessoas: aprendizes que veem você como um profissional no qual confiar e não em apenas mais um aventureiro na sala de aula.

E aí!? Será que esse texto ajudou você a entender como ser professor de inglês no Brasil? Espero que sim! Aliás, espero que ele sirva de ajuda para que você se questione que tipo de professor de inglês você realmente deseja ser. Até a próxima!

Mostrar mais

21 Comentários

  1. Você pode ser o melhor e mais dedicado professor de ingles do mundo, mas sua missão se fará completa somente se o aluno se dedicar. A cerca de 1 ano e meio atras eu comecei meu curso de ingles numa escola de medio porte (ela se dizia top rsss) a cada semana eu me dedicava a estudar aquela materia de forma particular, encontrando outras opiniões, e procurando o conteudo em outros lugares. Eu tinha aqueles professores como um guia, uma fonte de conhecimento, mas sabia que aprender ingles estava mesmo dentro de mim. E sei que meu caminho ainda nem chegou na metade mas vou seguir em frente.

    1. “Você pode ser o melhor e mais dedicado professor de ingles do mundo, mas sua missão se fará completa somente se o aluno se dedicar.”

      Falou e disse.
      Sempre falo com meus alunos que aprender Inglês é igual academia. O que adianta malhar 1x por semana? Se quiser ficar forte, tem que malhar no mínimo 3x por semana ou mais. É rever as matérias, estudar e praticar em casa. Se não houver empenho deles, não há o Conde de Cambridge que fará entrar o Inglês na cabeça.

  2. A mais pura verdade e nada além da verdade.
    Existem escolas que só querem saber da quantidade de alunos matriculados em cada turma e só. A quantidade é que conta, não a qualidade das aulas.
    Qualquer pessoa que saiba um pouquinho de Inglês pode ir lá e dar as aulas, o importante é o aluno estar com a mensalidade em dia.

  3. À primeira vista sua resposta pareceu estranha. Quer dizer… para ser professor de inglês não precisa de nada? Então a pergunta foi mal formulada. Um profissional “meia boca” como você disse, não pode ser chamado de professor. E ter vivido por seis meses ou menos lá fora, em hipótese alguma pode ser considerado pre-requisito para um bom professor de inglês, salvo é claro o contato com culturas diferentes da nossa. Na verdade esse “nada”, não também pode e nem deve ser considerado pré-requisito.
    Como ser então um professor de inglês no Brasil? São necessários anos de estudos, reciclagens, preparação e dedicação. Ao dizer que “nada” é necessário, na verdade você está incentivando que cada vez mais péssimos profissionais, mal preparados e sem experiência pedagógica entrem no mercado de trabalho.

    1. Pois é, James! Trata-se aí de uma questão de interpretação e sarcasmo. É preciso sim muita coisa para ser um excelente profissional de ensino de língua inglesa. Mas, no Brasil isso não é tão valorizado o quanto deveria ser. A valorização não vem dos governos e muito menos das escolas de idiomas (salvo algumas rara exceções). Portanto, para ser professor de inglês no Brasil qualquer coisa que conte como suficiente já está de bom tamanho: ter morado fora por uma semana, saber conjugar alguns verbos, saber de cor e salteado algumas palavras e coisas. Quem sabe no dia que o pessoal acordar e ver que o ensino de inglês é algo extremamente sério, os requisitos não sejam maiores e mais técnicos e científico. No momento, as escolas não exigem muito e algumas exigem praticamente nada. Infelizmente! 🙁

  4. Olá, obrigada por compartilhar conosco sua experiência e conhecimento da língua inglesa. Esclareceu muitas dúvidas que eu tinha. Mas gostaria de uma ajuda. Estou terminando meu curso de inglês (Fisk) e em breve estarei fazendo o exame de proficiência – MET de CaMLA- e tenho o desejo de tornar-me uma professora, porém não quero ser só mais uma, e fazer parte do grupo que não fizeram “nada”, quero se uma professora de excelência. Porém não tenho muita direção do que preciso fazer, o ideal seria eu cursar a faculdade de letras, após o término do meu curso?

    1. No Brasil, Kamilla, você pode fazer o curso de Letras; mas, tenha em mente que ele não será o suficiente para você ter formação como professora de inglês. Os cursos de Letras geralmente focam muito mais em literatura e pouco em assuntos voltados para o ensino de inglês como segunda língua. O ideal é que você faça o curso de Letras e paralelamente (ou depois) faça um curso de TESOL ou curso voltado para formação de professores de inglês e que são reconhecidos no mundo todo (TKT, CELTA e outros).

  5. Adorei tudo que eu li… Era exatamente o “norte” que eu estava procurando. Eu planejei passar o segundo semestre nos EUA para estudar inglês e fazer alguma certificação, e depois que voltar ao Brasil vou começar o curso de pedagogia. Mas ainda não estou certa qual o tipo de certificação escolher. Você sabe dizer se o CELTA é interessante para minha situação? Estou mudando de carreira e por isso preciso investir no melhor possível. Por enquanto não pretendo trabalhar na rede pública.

    1. Olá, Aline! O CELTA é sim uma excelente certificação. Portanto, você poderá procurar saber mais sobre ela e assim decidir o que fazer! Go for it, girl! 😀

  6. Eu moro a 4 anos em Liverpool na Inglaterra, e ainda vou ficar mais alguns anos,mas pretendo volta para o Brasil e eu realmente tava pensando em ser professora de ingles.
    Aqui faco diversas aulas de ingles,e ja sou fluente na lingua, no momento curso Functionals Skills Level 2 English – Nivel 2 de habilidades Funcionais de ingles – tirando as notas da escola na qual estudei ingles, e diversas vezes ajudo as pessoas -incluindo a minha familia- a falar a lingua,e as vezes sou chamada para ser interprete em alguma coisa ou ate mesmo acompanha em algun compromisso, como ir ao medico ou ir ao banco que re-quer alto nivel de ingles, alem de fazer uns cursos online.
    Sera que mesmo apos tudo isso que fiz e faco, eu ainda nao seria uma ‘boa candidata’ a ser professora de Ingles? eu ainda teria que fazer algun curso ai? Por que ja me disseram que os cursos de Ingles que faco aqui nao valem nada no Brasil, nem os diplomas que tenho nao valem nada.
    Quando eu voltar terei que me forma em Ingles?

    eu realmente adorei seu texto, mas tenho muitas duvidas sobre como de fato posso ser professora de Ingles, que e algo que eu amo e sei que posso ser e fazer.
    Sei que quando eu voltar terei que fazer algun curso para ao menos ter algun curso de ingles brasileiro mas tudo isso que fiz e faco aqui seria um desperdicio no Brasil?

    1. Vamos fazer assim, tu me leva pra Liverpool e te faço mudar de idéia de voltar pro Brasil 🙂

    2. Oi Jassi. Se você pretende voltar ao Brasil para dar aula no ensino público, sim, você precisará do diploma de letras, fazer concurso e toda a burocracia envolvida. Agora caso você queira trabalhar em escolas/cursos de inglês, o que é avaliado em escolas grandes é o seu preparo com relação ao idioma, e em geral a própria escola providencia o treinamento (como o Denilso mencionou, nem sempre é um treinamento como deveria ser, mas pra quem nunca deu aula ajuda bastante). E o resto é questão do seu interesse mesmo, pesquisar bastante sobre técnicas de ensino, procurar formas diferenciadas de abordagem para cada aluno e aspecto do idioma e por aí vai. Os cursos de inglês que temos por aqui estão sempre em buscas de professores, infelizmente a rotatividade nessa área é grande, mas vagas não faltam.

  7. BOA NOITE, EU SOU PEDAGOGA , PORÉM TENHO UM CURSO DE INGLÊS NÃO CONCLUÍDO E DOU AULAS PARTICULARES DE INGLÊS GRAMATICAL E ENSINO AS PESSOAS A FALAR UM POUCO O IDIOMA, PORÉM EU GOSTARIA DE SABER SE POSSO EMITIR ALGUM CERTIFICADO DE CURSO BÁSICO DE INGLÊS DADO POR MIM?

  8. já dou aulas de inglês e é claro sendo verdadeira aqui dou mais aula de gramática de que qualquer outra coisa há quase 10 anos , porém até hoje me pergunto se posso dar certificado para aquele aluno que está aprendendo um pouco do que sei .

  9. Olá, boa tarde! Eu estou em dúvidas de que graduação fazer: pedagogia e letras (grande dilema de muitas pessoas). Mas tenho interesse em aprender inglês, por isso a duvida com relação a letras/inglês ou pedagogia. Amo português/literatura, tenho interesse em aprender inglês, mas também amo a ideia de ensinar crianças, coordenar uma creche, e etc. Então gostaria de saber se caso ou optasse por fazer pedagogia, e um curso tecnico (acho que assim que é denominado) a parte disso de inglês, desses tipo fisk, cca ou outros que sejam, com a faculdade de pedagogia, se seria possível dar aula de inglês caso quisesse, no ensino regular municipal/estadual? Obrigada.

  10. Olá Denilso
    Adoro tudo que leio aqui!
    Gostaria de uma ajuda sua, se possível, como faço para entrar para o CELTA,DELTA ou TESOL? Eu moro em uma cidade de interior no RS não tenho aulas para fazer ou um professor capacitado para me especializar. Venho sendo autodidata mas não sei se estou no caminho certo. Tenho muitos alunos, amo dar aulas privadas de Inglês e sei bem qual o tipo de profissional que busco ser (muito boa sua pergunta, na verdade ela é uma resposta)… Por tudo isto que disse busco me especializar! Por mim e por todos que aprendem a amar a língua inglesa através de mim.
    Thanks in advance
    Viviane.

  11. Eu dou aula de Inglês particular, mas eu gostaria de dar aula em cursinho, mas o problema é que eu não tenho experiencia de intercâmbio, e ainda nao fiz nenhum desses exames com reconhecimento internacional, então eu nao sei como eu montaria o meu curriculo, a única maneira que eu posso provar o meu nivel de Inglês e fazendo uma avaliação ou entrevista, mas isso nao é o suficiente, ou é?!

  12. Cara, que show de artigo. Sou professor de inglês há bastante tempo, mais de sete anos. Hoje, leciono em uma escola pública de ensino médio na Estônia. Pois é, também me pergunto às vezes como um brasileiro dá aulas de inglês na Europa?! Tenho me deparado com algumas dificuldades em ensinar a língua, até porque é a primeira vez que leciono para pessoas que não falam português. Anyway, estou pesquisando maneiras de abordagem mais prática, mais incisiva, e mais abrangente aos meus alunos, pois é algo que sinto que posso e preciso melhorar. Agradeço pelo trabalho de vocês, porque é um trabalho que inspira e faz crer! Um abraço.

  13. É incrível o mercado de professores aqui na minha cidade. Aqui parece não importar muito se você tem um pouco de experiência em escolas como Microcamp, um certificado de Cambridge (CAE) e estar cursando Letras. O que as escolas de idiomas ainda preferem é uma pessoa que tenha vivido no exterior, mesmo que não tenha certificado nenhum de proficiência. Triste!!!!

Botão Voltar ao topo
Fechar