Você é um bom estudante de inglês?

Tempos atrás publiquei aqui no blog uma série de três artigos falando sobre a qualificação dos professores de inglês. Foi uma série polêmica que chegou a mexer com os nervos de algumas pessoas. Muitos estudantes de inúmeras escolas de idiomas deixaram lá suas opiniões, reclamações, sugestões, etc. Donos de escolas e professores também opinaram. Enfim, deu o que falar.

No entanto, um tema ficou em aberto nas discussões: será que os atuais estudantes de inglês são realmente bons estudantes de inglês? Afinal, é fato notório e sabido que os estudantes reclamam das escolas, dos professores, dos materiais, dos preços e o que mais der para reclamar dos cursos de inglês. A pergunta então é a seguinte: e os alunos, como será que eles estão?

Será que os estudantes de inglês estão fazendo a parte deles ou estão apenas reclamando que nada presta? Será que estão fazendo a parte deles ou estão à espera de um milagre? Se você é estudante de inglês, a pergunta crucial para você é: você faz a sua parte no seu estudo de inglês?

No livro “Inglês na Ponta da Língua – método inovador para melhorar o seu vocabulário” sugiro aos leitores que vez ou outra façam uma autoavaliação para saber como eles estão se saindo no curso de inglês. Nessa autoavaliação algumas perguntas devem ser respondidas honesta e francamente:

  • Bom Estudante de InglêsEu leio as páginas da minha lição antes de ir para a a sala de aula?
  • Eu preparo minhas lições antes das aulas e faço anotações para tirar as dúvidas com o professor em sala de aula?
  • Aproveito as orientações e dicas de estudo que meu professor ou outros colegas de classe dão?
  • Leio livros recomendados para meu nível de conhecimento da língua inglesa?
  • Assisto a filmes em inglês para ir melhorando minhas habilidades de listening?
  • Escuto o CD que acompanha o material do meu curso de inglês?
  • Repito as sentenças que estão no CD objetivando melhorar minha pronúncia?
  • Escuto e repito os diálogos e textos presentes no material de áudio?
  • Aproveito os recursos disponíveis na internet que me ajudam desenvolver ainda mais o meu inglês?
  • Eu utilizo os recursos que minha escola coloca à minha disposição: biblioteca, aulas extras, sala multimídia, etc.?
  • Faço as tarefas de casa sem reclamar e dedico tempo para fazê-las com calma e afinco?
  • Quando chego na escola, procuro pôr em prática o inglês que estou aprendendo?
  • Se eu fosse meu professor, eu me consideraria um bom aluno, um aluno mediano ou um péssimo aluno?

Enfim, você é daqueles que tira proveito das oportunidades que tem para poder atingir o nível de conhecimento desejado na língua inglesa? Ou será você é daqueles que reclama da falta de tempo e gasta horas e horas fazendo coisas nem tão proveitosas assim? Você faz a sua parte ou espera que a língua inglesa entre na sua mente de modo mágico e sem esforço?

Lembre-se: ter vontade de aprender é uma coisa, mas dedicar-se para aprender é outra. Você pode ter uma vontade louca de aprender inglês. Você pode ser (estar) altamente motivado. Mas, se não tiver dedicação, não adiantará de nada. Aqui lembro de algo que escrevi no livro Inglês na Ponta da Língua: motivação = motivo + ação. Ou seja, você tem um motivo para aprender inglês, mas você tem tomado as ações necessárias para fazer isso acontecer?

Tenha por costume fazer uma autoavaliação a cada vinte dias. Assim você saberá se está sendo um aluno aplicado ou não. Identificar suas atitudes ajudará você a saber se a culpa do seu fracasso e desânimo é seu ou da sua escola, do seu professor, do material, da falta de estrutura, do preço, etc. Antes de culpar os outros, autoavalie-se. Isso pode mudar muita coisa no seu aprendizado de inglês. Isso pode mudar a sua atitude em relação ao aprendizado. Isso ajudará você a ser um bom estudante de inglês. Think about it!

Artigos Relacionados
Comentários