Dicas Para Aprender Inglês

A melhor escola de inglês do Brasil!

Falar sobre qual a melhor escola de inglês do Brasil é o mesmo que arrumar confusão. Mas, como recebo inúmeras perguntas querendo saber qual é a melhor escola de idiomas do país, decidi escrever um pouco a respeito. Para que você não se fruste, já aviso que não indico escola nenhuma nessa dica. Portanto, se você acha que vou dizer que a melhor escola é a XYZ ou a TWR ou ainda a WPP, sinto muito mas não vou fazer isso. Quer saber por quê? Leia o texto Papo Sério: Cursos de Inglês no Brasil.

Como profissional na área de ensino de inglês, já passei por várias escolas! Fui professor, coordenador e até gerente administrativo. Conheço por dentro algumas destas grandes franquias que atuam no país. Portanto, posso afirmar a você que todas têm pontos fortes e, infelizmente, fracos também.Agora como estudioso em abordagens e metodologias, teacher-trainer e pesquisador em aquisição/ensino da língua inglesa tenho minhas percepções e opiniões. Garanto a vocês que há escolas por aí que são realmente hilárias, péssimas, ridículas. As discrepâncias entre os estudos linguísticos sérios e a maquiagem marketeira feita apenas para ganhar alunos são grandiosas. Aliás tem grupos por aí que são donos de até seis marcas diferentes de escolas de idiomas. Pergunto: qual o objetivo central de pessoas assim? Oferecer um ensino de inglês com qualidade e baseado em uma abordagem sólida? Ou ganhar rios de dinheiro com a falta de conhecimento do público em geral?

 

Claro que as escolas se defendem. É comum ouvir frases como: “nossa equipe de professores é de excelente qualidade” (Quem foi lá medir esta qualidade? O que é qualidade?), “nosso material é desenvolvido de acordo com o que há de mais moderno em estudos da língua inglesa” (O que é este mais moderno? Como chegaram nesta modernidade toda?), “nossos professores recebem treinamentos periodicamente” (Que tipo de treinamento?) e ainda outros chavões que encantam e enfeitiçam o cliente.Mas, enfim, qual será a melhor escola de idiomas do país?Tempos atrás escrevi um post dando dicas de como avaliar um curso de idiomas. Nele ajudo você já identifica algumas das minhas ideias em relação ao assunto. Porém, vou aqui compartilhar com vocês quatro pontos que para mim devem fazer parte do que uma excelente escola de idiomas deve oferecer.

1) Desenvolvimento/Qualificação profissional dos professores– Não me refiro aqui ao treinamento básico da escola, mas sim à uma qualificação mais profissional. Oferecer aos professores cursos sobre o que há de mais atual em estudos Linguísticos: aquisição/ensino de vocabulário, linguística de corpus, o cérebro e a aquisição da linguagem, como lidar com as dificuldades dos alunos, desenvolvimento da língua inglesa nos dias atuais, diferenças gramaticais do inglês falado para o escrito, etc. Uma escola excelente deve ter uma equipe bem formada, que conheça a política educacional da escola e entenda a mecânica do método aplicado na escola e também dos outros métodos.

2) O Método – Esse assunto é complicado! Afinal, tem tantos métodos e abordagens de ensino. No Brasil o mais comum é a Abordagem Comunicativa. Porém, a forma como ela é trabalhada aqui no Brasil se distanciou e muito da proposta original de seus idealizadores. Há escolas por aí que dizem usar este método e não fazem a menor ideia de quem a propôs e desenvolveu. Outra usada por aqui é Programação Neurolinguística (PNL). Os camaradas que inventaram essa tal de PNL, a fizeram com a intenção de dar às pessoas mais ânimo para a vida, tem uma melhor atitude diante dos desafios da vida, superar os medos e temores, ganhar auto-estima, etc! Já nas escolas que usam a PNL, o que geralmente fazem é dar uma série de sentenças e palavras para os alunos decorarem e deixam por isto mesmo! Muitas vezes tudo fora de contexto e meio sem lógica! Há ainda o Método Áudio-Visual com seus mais de 60 anos! De áudio-visual todo método tem um pouco! Dizer que depende apenas disto para definir a política de ensino da escola é trágico! É necessário o implemento, aquele algo a mais! Por fim, uma abordagem que vêm ganhando espaço no mundo é a Abordagem Lexical. Cuidado! Algumas escolas no Brasil dizem usar esta abordagem, porém o material deles é totalmente avesso ao que os estudiosos desta abordagem propõem; mais avesso ainda é a conduta dos professores em sala de aula, que não entendem muito bem o que realmente é a Abordagem Lexical e acabam se distanciando dos princípios que a norteiam.

3) Material bem elaborado – Não falo de desenhos coloridos, gente famosa, papel de primeira qualidade e todos aquelas coisas que enchem os olhos do cliente! Refiro-me a material que inclua a língua do dia-a-dia, dê exemplos reais de uso das estruturas gramaticais, palavras/expressões mais frequentes, material de áudio adequado ao nível de cada aluno, etc. O material deve refletir sempre aquilo que a escola acredita ser ideal para o ensino! O material deve refletir o método da escola!

4) Interessada na formação de alunos autônomos – Uma excelente escola deve prezar acima de tudo na formação de seu aluno. Não é enfiar conteúdo na cabeça do aluno e achar que está fazendo um ótimo serviço. Não adianta decorar 10.000 palavras em um mês e mais um monte de regras gramaticais e achar que seu aluno fala inglês! Uma ótima escola de idiomas deve ajudar seus alunos a utilizarem as inúmeras ferramentas disponíveis para que ele saiba aprender inglês por conta própria. Tem curso de inglês por aí que dura 08 anos ou mais! Os alunos quando terminam o curso dizem “Graças a Deus meu inglês acabou!“. A verdade é que o inglês desta pessoa ainda nem começou! A escola tem de deixar o aluno ciente de que inglês é uma língua viva, que muda ao longo do tempo, que insere coisas novas e descarta as inúteis. Assim, o aluno deve estar preparado para saber lidar com isso, aprender a identificar coisas novas, ser capaz de identificar, observar, raciocinar, arriscar, usar o que há de novo! Para isto não é preciso mais do que 2,5 ou 3 anos. Passou disso! Desconfie! Estão te enrolando!

É isso! Questione e exija o que há de melhor para você! Afinal, é seu tempo e seu dinheiro que estão sendo empenhados no seu aprendizado! Lembre-se: a melhor escola é aquela na qual você melhor se adapta, aquela na qual você se sente bem! Porém, ela nunca será boa o suficiente se você não fizer a sua parte!

Caso alguém ainda queira saber a minha opinião sobre assuntos relacionados a este e só dar continuidade na área de comentários! Será um prazer continuar falando a respeito!

117 Comentários

  1. Oi Denilso! Concordo plenamente com você. Estudei em duas grandes escolas de inglês e posso te assegurar uma coisa: 90% do que aprendi dependeu mais de mim do que da escola. Numa das escolas (diga-se de passagem, caríssima), o que mais fazíamos era bater papo. Seria muito legal se a conversa fosse aplicada ao nosso estudo, mas era tudo muito jogado, sem metodologia e sem preocupação com a real necessidade dos alunos. Depois fui convidada a dar aulas numa escola que só ensina em empresas. Fiz um teste, entrevista, dei uma aula expositiva, mas ainda assim acho que deveriam ter sido mais criteriosos no processo seletivo do professor. Ainda assim, fui contratada e "doutrinada" a ensinar de forma a fazer o aluno "engulir" uma fórmula mágica para aprender a língua da noite para o dia. Claro que não deu certo, acabei desistindo por não concordar. É triste, mas as pessoas pagam fortunas esperando em troca receber suporte para o aprendizado e o que recebem realmente são pacotes que não surtem muito efeito e não atingem o objetivo almejado.

  2. olá Denilso, como vai?É a primeira vez que deixo um comentário aqui e aproveito para parabeniza-lo pelo excelente blog.Gostaria de saber sua opinião sobre o material Interchange, baseando na opinião que você expressou no seu comentário, uma vez que uso esse material na escola onde estudo.Pergunto isso a você, pois estou preocupado com a qualidade do meu inglês, uma vez que quero aprender com qualidade essa lingua, e por estar entrando numa profissão que me exigirá muito o inglês na ponta-da-lingua.Muito obrigado, um abraço!

  3. ola denilso!!!muito boa a sua abordagem!você falou a coisa certa: a escola apenas nos da suporte para entendermos essas inumeras ferramentas e apartir dai aprendermos ingles por conta propria, pesquisarmos mais…muitos alunos da minha sala que so esperam pelo que o professor ensina…nao sabem ao menos os verbos praticados durante a aula…galera…quer aprender ingles????pesquise muitooooooonao espere apenas pelo professor!!!denilso…espero contar sempre com sua ajuda, pois seu blog é uma das principais ferramentas que uso para aprender ingles!!!obrigada!!!Renas( chulica orkut)

  4. Olá Denilso,Interessou-me muito seus comentários sobre ensino de línguas estrangeiras. Sou um antigo professor de francês e gostaria de ler mais sobre o assunto.Um abraçoRonaldo Legey

  5. Olá Denilso li seu post ,e confesso que me identifiquei muito.Vou lhe contar um pequeno caso que aconteceu comigo que acho que retrata bem o tema abordado.Estudei mais de dois anos em uma das maiores franquias do Brasil,que considero uma das mais famosas (vou omitir o nome do estabelecimento por motivos óbvios) certa vez estava em aula,quando um amigo levantou a mão e disse : Professora quando você vai falar sobre Phrasal Verbs ,ali foi a primeira vez na vida que tinha ouvido falar sobre isso.E já passava quase dois que estava neste curso.Ora bolas se os phrasal verbs é parte essencial do inglês , sobre tudo do inglês falado no dia dia.Porque eles enrolam tanto com regrinhas de gramática e esquecem que a gente quer mesmo é,ver um filme sem legenda,ouvir e entender a música do nosso artista preferido,fazer amigos em outras partes do mundo e por ai vai.Hoje na minha opinião,este deveria ser um tema tratado desde do início,claro sem aquelas listas chatíssimas pra decorar que não nos levam a nada,mais abordar o tema de uma forma que nós alunos fosemos absorvendo de maneira natural.Isto aconteceria se dentro de aula eles dessem mais enfâse no inglês do dia dia e não só regras chatas de gramática.É lógico que existem escolas sérias por ai , não podemos de maneira nenhuma generalizar mas acho que tem muita coisa que precisa ser revista.Abração pra todos!!!

  6. Muito boa abordagem, Denilso.Eu sempre que posso dou uma passadinha aqui para ver as novidades e suas dicas sempre me ajudaram muito. Você tratou perfeitamente o assunto e, infelizmente, a maioria das grandes franquias ensinam esse inglês decoreba que prende seus alunos por não sei quantos anos. É realmente complicado encontrar um bom curso e que este valha o dinheiro investido. Eu ainda pretendo voltar a cursar ingês. Tenho 2 anos feitos(jah havia dito uma certa vez..) mas gostaria de continuar, pois não me sinto nada segura com o pouco que sei e meu desejo é aprender sempre mais.Parabéns pela sua seriedade com a língua inglesa, são poucos que dão a devida importância e se preocupam com a educação e aprendizagem na sua real forma.

  7. Ola gostaria de parabenizar seu trabalho! sou leitor do blog e comprei o seu livro porque assim e não assado? (quando fiz o pedido, não veio inglês na ponta da lingua)Gostaria de saber se conhece o método de ensino do Wizard. Gostaria de saber também se vale a pena trocar de curso somente pelo fato de não se prender a um método de ensino. (não estou dizendo que não gosto da wizard,relamente gosto mas não conheço outros curso)

  8. RODRIGO MY FRIEND ,HOJE NO BRASIL EXISTEM VERDADES LEÕS DA LINGUA PQ DIGO ISSO UMA DEMANDA MUITO GRANDE DE FALAR O INGLÊS E NA OUTRA PARTE PESSOAS SEM CARATER VENDENDO UMA IMAGEM OU POR ASSIM DIZER PROPAGANDA ENGANOSA QUE DESANIMAM AS PESSOAS INICIANTES DO INGLÊS.EX UMA PESSOA QUE NUNCA TEVE O INGLÊS DEVE ENTRAR NUMA ESCOLA DE 1 A 2 ANOS NO MINIMO E DEPOIS ENTRAR EM UMA ESCOLA QUE PROMETE FALAR EM 12MESES OU MENOS.

  9. Olá, Denilso, poderia me ajudar?Você conhece essa escola Influx que tem a propaganda no seu blog?Preciso fazer um curso desde o básico, não entendo nada e gostaria de saber se essa escola é uma boa opção, pois tem na minha cidade, algum comentário?Obrigada.

  10. Olá Anônimo(a),Com relação à InFlux English School acredito sim ser uma boa escola! Pelo menos foi o que percebi!Caso não fossem bons e não atendessem ao "Padrão de Qualidade Denilso de Lima", ela não seria divulgada no meu site. Pelo que percebi é uma escola que se preocupa muito com o corpo pedagógico! Porém, por se tratar de uma franquia cada dono em cada cidade pode querer mudar um pouco as coisas. Porém, na matriz deles a cobrança ao franqueado em termo de seguir tudo o que se espera em Ensino de um Segunda Língua é enorme e freqüente.Eu estou divulgando eles no meu site. Faça o curso e mande-me um e-mail caso você ache que não está de acordo com o que você espera! Saiba que suas reclamações e sugestões serão passadas diretamente para os donos da rede InFlux por mim pessoalmente!Denilso

  11. Só não entendi uma coisa: Quail ou quais os cursos são confiáveis ou não?Poderia ser mais específico quanto a pergunta: aonde posso aprender inglês sem ser enganado?

  12. Alex,Obrigado por registrar aqui sua dúvida!A escolha da escola vai ser uma responsabilidade totalmente sua! Você vai ter de avaliar muita coisa! No texto acima eu – como Profissional da Área de Ensino de Língua Inglesa – apenas indiquei os itens principais que você deverá levar em consideração. Imagine-se comprando um carro de segunda mão! Você sempre avalie vários itens, leva um amigo para avaliar o carro escolhido, pede conselhos e mais conselhos, dá uma volta no carro, avalia tudo o que for possível, certo?O mesmo deve ser feito aos escolher um curso de idiomas! Avalie bem! Take care…Denilso

  13. Olá Denilso!Meu nome é Francielly e gostaria de saber a sua opinião sobre:- Wizard- CNA- Cultura InglesaEssas escolas tem muita fama..não sei as veses tenho medo de estar caindo num papo furado, a wizard é muito linda..parece ter uma metodologia boa..mas será que é mesmo? Gostaria de contar com a sua opnião e como se trata de opnião pessoal não é anti-ético nem nada..Por favor..preciso de recomendações de quem entende e sabe para não investir meu dinheiro em mercenários..ah! e Parabéns pelo blog.!Abrçs!Desde já Agradeço,Fran

  14. Oi Denilso,Como eu não soube como identificar meu perfil, coloquei anônimo, mas meu nome é ANGELA VIEIRA.Primeiamente gostaria de dizer que aprecio muito tudo que você escreve (inclusive seus livros), porque de grande ajuda para nós estudantes.Mas como nós estamos aqui falando de "Cursos de Inglês", gostaria de deixar meu registro.Já estudei em diferentes cursos de inglês e sempre encontro o mesmo problema, independente se é o mais reconhecido nacionalmente ou não: "as escolas não estão preocupadas na performance de seus professores em sala de aula". Digo isto porque a cada semestre me deparo com um professor diferente. Quando estou com sorte, com aquele que me empolga, fazendo-me sentir cada vez mais vontade de continuar, talvez porque sinta prazer naquilo que que faz, mas também com aquele que me faz sentir vontade de desistir, talvez porque esteja ali apenas para garantir seu salário no final do mês. Outra ponto é que, se eu escolho uma determinada escola é porque me identifico com sua metodologia de ensino. Então por que as escolas não cobram de seus professores que sigam essa metologia??Obrigada pela oportunidade de compartilhar aqui minhas dificuldades, assim como gostaria de saber de outros estudantes de inglês, se eles se deparam com este tipo de problema também.

  15. Bom..eu estou sofrendo um problema parecido.Só que não é bem sobre em qual escola de idiomas estudar, e sim a METODOLOGIA.Eu estava aprendendo muita gramática e quase não praticava a fala(somente leitura de livros)e a professora falava inglês o tempo todo e rápido(acredito que isso me ajudou a gostar mais ainda de estudar inglês).Então eu fiquei dividida entre dois métodos-conversação e gramática!Sei que gramática não è muito valorizado em termos de fluência de inglês, pois leva um longo tempo para aprender, mas acredito que é necessário saber como base de se escrever corretamente.Não sei se o Denilso terá tempo de analizar a minha dúvida persistente! mas conto com a ajuda dos leitores!é que meu objetivo é ser professora de inglês, e não sei se deixando de estudar a gramática,e so focaliazando em "fala" vou ser apta a ensinar bem.Ou melhor, se terei uma deficiência em inglês quando um dos meus alunos tiverem alguma dúvida a respeito.grata desde já;-)

  16. Caro Denilson!Acabei de conhecer seu Blog, confesso ter ficado bastante empolgado com tudo que lí, a respeito das maneiras que se ensina e se aprende inglês.Antes de adiquirir seus livros, quero uma consultoria, seria possivel? pode ser por e-mail!Por gentileza, entre em contato segue meu e-mail:[email protected]

  17. ola denilso!Eu estou estudando na Cultura Inglesa..e gostaria de saber se é um bom curso, e se devo continuar..abraço

  18. OLA DENILSO. ESTUDEI NA UPTIME NO TAL FAMOSO METODO DE APRENDER INGLES EM 1 ANO. APRENDI O BASICO MAS DEPENDEU MUITO DE MIM ESTUDAR SOZINHO. AGORA NAO SEI SE CONTINUO NA UPTIME COM O CURSO MASTER, SE PROCURO UMA CULTURA INGLESA DA VIDA OU SE ESTUDO COM UM PROFESSOR PARTICULAR. MEUS PANOS COM O INGLES E SO SABER FALAR PARA AS VIAGENS E MAIS NADA POR ENQUANTO. POR TUDO QUE É MAIS SAGRADO ME RESPONDA P Q MINHA GRANA NAO É CAPIM E ELE VEM SUADO. HELP ME. AGUARDO…. [email protected]

  19. Olá pessoal,Na minha opinião antes de vocês encherem o pobre Denilson com perguntas do tipo, essa escola é boa, qual sua opinião sobre bla,bla,bla,vocês deveriam se perguntar:Serei um bom estudante? Estou motivado a aprender inglês? Sou uma pessoa disciplinada e estudiosa? Há gente que parece que não raciocina, se ele escreveu que promove a Influx, é lógico que ele conhece a escola, usem suas cabeças!!Segundo, como professor de inglês, posso dizer que existem ALUNOS e alunos (entenderam né), deixe eu explicar melhor, na minha opinião se o aluno for esforçado e motivado, quiser realmente aprender, ele vai aprender sim, seja nesta ou naquela escola, lógico que a escola tem grande peso e responsabilidade para que isso aconteça, mas isso não isenta o aluno de fazer sua parte, o que na minha opinião tem o maior peso em tudo.Meus amigos, se vocês forem preguiçosos, relapsos, fora de foco (tudo isso que eu falei agora é o que padece a juventude atual, salvo raras exceções) você não vai aprender inglês nunca, vai talvez aprender inglês do tipo Joel Santana, o que é preferivel ficar de boca fechada e dizer que não sabe nada.O aluno faz a escola.Gabriel

  20. Caramba!Denilso ensaiou falar nomes não disse nada e os bobos são capazes de fiar um tempão discutindo.Quem tem de dizer qual é a escola que presta ounão é justamente quem tem condições de avaliar e o Denilso é o unico, mas não sai de cima do muro.Como é que os manés que não entendem de nada,vãoanalizar, isto levara muito tempo.Se o Denilso não puder se comprometer citando nomes, então que nem lance o assunto, mas ficar em cima do muro e dizer que cada um tem que avaliar, é complicado.

    1. Concordo com você. Tenho 61 anos, vim ao site para saber a opinião de alguém que tem condições de analisar, e nós não temos como verificar numa escola onde vamos pegar informações, a forma como a escola contrata e cobra dos seus professores,etc..Saí do site na mesma!! E, vi outros foruns onde pessoas davam seu testemunho com bastante responsabilidade dizendo os seus nomes e nomes das escolas. Fiquei frustrada aqui. Abraço,Vera.

      1. Vera, obrigado por seu comentário aqui. Permita-me, porém, dizer algumas coisas.

        Tenho mais de 15 anos como profissional de ensino de língua inglesa. Há mais de 10 anos estou envolvido em pesquisas sobre o métodos e abordagens de ensino da língua inglesa. Pesquiso coisa relacionadas aos sistemas neurais do processo de aprendizado e coisas que muita gente nem ao menos imagina que sejam possíveis de serem estudadas. Este site aqui possui mais de 1400 dicas que ajudam estudantes de todas as áreas e faixas etárias. Tenho 4 livros publicados e dou palestras e cursos de formação de professores por todo o Brasil já há um bom tempo. Enfim, como profissional, eu me reservo o direito de não recomendar nenhuma escola de idiomas para quem quer que seja. Por que não? Por uma série de fatores que descrevo abaixo:

        1º. A franquia ABC na cidade de Caxixi pode ser uma excelente escola, os professores recebem treinamentos, os alunos são bem tratado, o material de apoio pedagógico é oferecido e é de qualidade, etc. Trata-se assim, naquela localidade, uma excelente escola de idiomas. Por outro lado, a mesma marca – ABC – na cidade de São Quinzim do Noroeste pode ser uma porcaria de escola: os professores são péssimos, não tem material pedagógico de apoio para os alunos, não possui infra-estrutura adequada para os alunos, o material sempre chega atrasado e tudo mais.

        > Pergunto: como posso afirmar que uma escola de uma franquia com mais de 300 unidades espalhadas em todo o Brasil é boa? As franqueadoras fazem comercial dizendo que eles são bons, mas muitas dessas franqueadoras só estão interessadas em vender seus livros e ganhar mais dinheiro. Novamente: Como posso recomendar uma marca apenas por ser uma marca conhecida no Brasil? Eu conheço inúmeras escolas de redes como Wizard, CNA, CCAA, Wise UP, inFlux, Fisk, etc., e posso te garantir que umas são excelentes, já outras deixam muito a desejar em todos os quesitos e as franqueadoras não dão a mínima. É tudo questionável nesse mercado e eu o conheço muito tempo.

        2º. Cada pessoa (aprendiz) tem um perfil diferente para o aprendizado. Eu conheço pessoas que amam, por exemplo, o CCAA. Essas pessoas adoram o método, consideram-no o melhor do mundo. Não questionam nada. Por outro lado, conheço pessoas que simplesmente odeiam o método dessa rede.Essas pessoas não se adaptaram ao método, não gostaram do estilo das aulas. Enfim, simplesmente odeiam a escola. Isso não quer dizer que a escola é ruim! Ela pode ser boa, mas o aprendiz não se adaptou ao estilo de ensino deles!

        > Pergunto: como posso indicar uma escola de idiomas se não conheço o perfil de cada aprendiz? Não tenho como avaliar o perfil de um leitor aqui do site e indicar a escola XYZ a ele. Em minha opinião, ninguém pode fazer isso. Afinal, o meu perfil é diferente do seu, o seu é diferente da sua vizinha e assim por diante. Podemos apenas dizer, "olha, eu estudo na escola tal e gosto muito; por que você não vai lá conhecer e ver o que acha?". O melhor seria que cada pessoa – aprendiz – tivesse o bom senso de avaliar suas necessidades, objetivos, pontos fortes e fracos e assim sair em busca de uma escola de idiomas que esteja de acordo com o seu perfil. Enquanto elas ficam em busca da escola perfeita sem saírem para conhecer as escolas, elas continuarão perdendo tempo. Cada escola tem um estilo que atenderá um perfil diferente de alunos e isso precisa ser avaliado in loco.

        3. Em um fórum as informações nem sempre são confiáveis. As escolas de idiomas têm por hábito criar perfis falsos para postar coisas boas a respeito deles mesmos nesses fóruns. Ou seja, seria como se eu – Denilso – criasse um perfil falso aqui no site para tecer elogios e mais elogios a respeito de mim mesmo para que as pessoas pudessem ter mais credibilidade no meu trabalho. Felizmente, eu não preciso disso, mas muitas escolas de Brasil precisam e fazem isso para enganar as pessoas que acreditam em quase tudo que leem na internet. Portanto, é preciso tomar as informações de fóruns com certos receios. Afinal, não sabemos quem é a pessoa que está dando seu comentário lá. Conheço escolas que dão bolsas aos alunos e em troca pedem aos a esses alunos para que eles entrem em sites de reclamações, fóruns, comunidades online para fazer um marketing positivo sobre eles. Você pode achar que isso é invenção, mas acredite, é verdade e conheço muitas que fazem isso.

        É isso, minha querida. Eu simplesmente dou dicas e orientações para que cada leitor meu – um cliente em potencial das escolas de idiomas – saiba avaliar cada escola de idiomas em sua cidade. Afinal, é aí na sua cidade que as coisas acontecem. É preciso conversar com professores, ex-alunos, procurar saber se a escola treina os professores, conhecer o ambiente, conhecer os extras oferecidos e tudo mais. Pela internet não podemos ter a certeza de que a escola é recomendável ou não. 😉

        Para finalizar, saiba que como profissional prefiro 1000 vezes decepcionar meus leitores com a verdade, do que dizer que uma escola ou outra é a melhor e correr o risco de ver a minha credibilidade ir por água abaixo por causa de uma indicação de uma escola que em um local é o exemplo de péssima escola. Por isso e por outras razões eu não recomendo escola alguma. Vejo-me como o médico que orienta o paciente a fazer certas coisas para manter-se saudável. Se o paciente vai seguir as orientações ou não é problema dele. Eu como médico faço minha parte: oriento.

        Att.,

        Denilso de Lima
        ELT Professional