O que significa em português?

    O que significa jump the broom?

    O que significa jump the broom?

    Jump the broom significa o mesmo que get married (casar-se). Também pode ser encontrada como: jump over the broom, jump the broomstick, jump over the broomstick. Veja os exemplos:

    • The real challenge begins after you jump the broom. How do you keep a marriage strong? (O grande desafio começa depois que você se casa. Como manter o casamento forte?)
    • When couples take that step to jump the broom and start a family… (Quando os casais tomam a decisão de se casar e começar uma família…)
    • He’s dying to jump the broom. (Ele está com uma vontade louca de se casar.)
    • She jumped the broomstick a couple of years ago. (Ela se casou alguns anos atrás.)

    Essa expressão pode ser usada também para passar a ideia de um casamento que não foi legalmente reconhecido:

    • Since legal marriage between us seems impossible, let’s go jump the broom! (Já que um casamento legal não parece ser possível entre nós, vamos fugir/juntar os panos.)

    O que significa jump the broom?Sua origem está relacionada à escravidão na história dos Estados Unidos. Os negros não podiam se casar da mesma maneira que os brancos. Assim, os negros deram um jeitinho para oficializar os seus casamentos. Na cerimônia, sempre às escondidas dos brancos, o noivo e a noiva, diante da família e demais escravos, faziam os votos de união. Depois da troca de votos, os dois deviam pular sobre uma vassoura para confirmar o compromisso assumido naquele momento.

    Vale dizer que jump the broom é uma daquelas expressões usadas apenas em algumas regiões onde o inglês é falado. Portanto, nem todo falante nativo de inglês a conhece. Assim, saiba que ela é comum apenas em algumas regiões de alguns estados dos Estados Unidos.

    No últimos anos, jump the broom tem conquistado certa notoriedade. A comunidade negra tem se empenhado para resgatar essa prática. Em uma série de televisão de 1976/77 – Raízes – a prática era mostrada. Por causa dessa série a expressão ganhou um pequeno impulso. Em 2011, com o lançamento do filme Jump the Broom a expressão mais adeptos. Tanto é que estamos falando sobre ela aqui no Inglês na Ponta da Língua. [Veja o trailer do filme no fim desta dica.]

    Para encerrar, saiba que embora tenha sido uma prática dos escravos, hoje em dia muitos casais – negros, amarelos, vermelhos, brancos, cor-de rosa, verdes, azuis etc. – têm incluído o ato de pular sobre uma vassoura em suas cerimônias de casamento. Isso acontece porque prática está fortemente relacionada à identidade cultural e histórica do país. Logo, várias pessoas acabam fazendo isso como uma forma de homenagear os antepassados e respeitar a tradição cultural do país.

    Caso queira aprender mais sobre casamento em inglês, leia as dicas abaixo:

    » Vocabulário de Casamento em Inglês
    » Cerimônia de Casamento em Inglês
    » Como Dizer bodas em Inglês?
    » O Certo é MARRIED TO ou MARRIED WITH?
    » Frases Românticas em Inglês

    Veja abaixo o trailer do filme Jump the Broom (ou clique aqui)

    Assistir Vídeo no Youtube

    7 Comentários

    1. Sinto ter que corrigi-lo, até porque curto e acompanho o seu trabalho, mas a informação de que os escravos americanos pulavam a vassoura para se casar está equivocada, pelo menos no tocante à raiz do costume. Quem realizava assim sua cerimônia para atar lacos eram os pagãos de origem celta. É uma das tradições mais conhecidas e perpetuadas desse povo. Inclusive cerimônias neo-pagãs – dos pagãos de hoje – ainda são realizadas dessa forma. A vassoura era uma forma de transporte para os pagãos, por um simbolismo que tem centenas de significados, e pular a vassoura significa ser transportado até a Deusa para receber sua bênção e ao mesmo tempo transportar o casal para uma nova vida. O mais provável seria que os escravos levados aos EUA tivessem tradição semelhante na sua terra natal, já que da mesma forma que os movimentos artísticos pipocavam em países diferentes de forma muito similar, pode ter havido manifestação parecida entre dois povos pagãos tão distantes. Um abraço.

      1. Oál, Vicki! Obrigado por seu comentário! Mas, permita-me acrescentar algo mais a essa discussão.

        De acordo com os melhores estudiosos no campo da etimologia, o costume de “jump the broom” não teve origem com os celtas. Na verdade, os celtas apenas copiaram o costume anos após os ciganos (Romani people) terem se estabelecido no País de Gales por volta de 1579. Esses estudiosos também afirmam que o costume de “jump the broom” praticado pelos ciganos era diferente daquele praticado pelos escravos americanos.

        Os ciganos pulavam sobre um galho florido de uma planta conhecida cientificamente como Cytisus scoparius (no inglês popular “common broom” ou “Scotch broom”) muito comum na europa. Esse galho era colocado a uma certa altura na porta de entrada da tenda dos recém-casados. Assim, quando a cerimônia de casamento acabava e o casal ia para seu novo lar, ao chegar na entrada eles deveriam pular o tal ramo de “common broom” (ou seja, eles jumped the broom): primeiro pulava o noivo e logo depois a noiva. Vale dizer novamente, que de acordo com os registros pesquisados pelos estudiosos, os celtas não tinha essa tradição. Eles – os celtas – só a adquiriram depois de anos de convivência com os ciganos.

        Curiosamente, esse costume cigano mudou com os tempos. Hoje em dia ele é retratado naquele momento no qual o noivo chega na porta do novo lar e pega a noiva no colo para colocá-la para dentro de casa. Simbolicamente falando, é como se na porta de entrada tivesse um ramo de broom e os dois estivesse pulando esse ramo invísivel.

        Já o costume dos escravos americanos envolvia o ato de pular uma vassoura mesmo. Alguns pesquisadores tentam ligar a origem desse costume escravo à tradição de algum país africano: Gana sendo o principal. No entanto, até hoje ninguém conseguiu provar que o costume de pular uma vassoura tratava-se de algo comum entre as tribos e povos da África. Assim, os etimológos são bem categóricos em afirmar que a expressão americana “jump the broom” (como descrita no texto acima) está fortemente ligada à tradição escrava dentro dos Estados Unidos.

        Mas, onde está a confusão?

        Se você leu com atenção, deve ter percebido que a palavra “broom” tem dois significados bem diferentes: é o termo para descrever o nome de uma planta e também o termo que significa vassoura. Temos aí então o início das confusões entre os dois costumes: o “jump the broom” cigano e o “jump the broom” dos escravos americanos.

        Espero ter deixado as diferenças bem claras. Qualquer coisa, estou por aqui!

        1. Isso é bastante estranho, especialmente em se tratando de costumes anteriores a 1300, exatamente na area da Escócia (e usando o mesmo termo, “scotch broom”, nome bastante óbvio), eras antes da influência cigana.

          1. Parece estranho! Mas, o fato é que são duas coisas um tanto quanto diferentes e desconexas. Há apenas uma coincidência nos termos. Enfim, essas coisas também fazem parte da história das línguas. 🙂

            1. Gostaria de adicionar que o costume de carregar a noiva não deve ser uma modernização do “jump the broom” cigano/celta. Provavelmente foi uma substituição, pelo costume europeu de carregar a noiva, criado pelos romanos. Pois nos tempos da fundação de Roma, não haviam mulheres suficientes na cidade para que todos se casassem. Então houve o famoso “Rapto das Sabinas”, no qual os romanos raptaram a mulheres sabinas que haviam vindo a um festival. Desde então, em Roma, era hábito o noivo carregar a noiva para dentro de casa tal qual fizeram os primeiros romanos, cujas noivas não entraram nas suas casas por vontade própria.
              Quanto à discussão do “jump the broom” muito interessante a origem dupla.
              Muito bom o conteúdo do site!

              1. Como dito anteriormente, há várias possibilidades! Saber qual a certa e qual a errada só nos enriquece culturalmente. Isso é o que mais interessa! Thanks for the help! 😀

    2. Uma coisa que me dei conta faz alguns dias é o fato de termos em muitos casos nos acostumar com o sentido literal das palavras primeiro, no caso citado neste post por exemplo, não vou me arriscar a criar um flashcard sem antes de acostumar com o termo “broom”, ou seja, eu percebo, pelo menos pra mim, a necessidade de compreender a literalidade dos termos. How they say, I have to know the rules in order to break them. E quando eu falo regras eu não estou me referindo a regras em teoria, que no meu entendimento é infinitamente mais fácil. Quantos de nós estudamos alguma lição de gramática e logo em seguida repetimos o erro, internalizar os conceitos só acontece com repetição, é assim que o nosso cérebro funciona.

      Great tip and keep up with great work!

    Botão Voltar ao topo
    Fechar