Esquisitices do Inglês Americano

Confesso que o título dado a este texto é mesmo esquisito. Afinal, o que será que alguém pretende dizer ao dar um título assim ao seu texto? Se você gosta de curiosidades, continue lendo. Você certamente entenderá a ideia!

» Leia também: O que é inglês britânico?

Recentemente, recebi um email no qual o leitor dizia que ele tem um professor americano de inglês e que esse professor pronuncia o artigo indefinido a como “ei” e não como “ah“, que é o mais comum. O leitor então pergunta se há uma regra para isso. Claro que eu poderia dizer que ao darmos ênfase pronunciamos “ei“, mas esse não era o caso. Pois, o professor americano dele parece pronunciar “ei” o tempo todo.

Essa observação do leitor me fez resgatar um texto que escrevi (mas não publiquei) tempos atrás falando sobre como os americanos dizem “refrigerante“. O texto tinha como base uma imagem que compartilhei em minha página pessoal no Facebook no mês de fevereiro de 2013.

Inglês Americano: refrigerante em inglês

Veja que de acordo com o mapa, há três maneiras de se dizer “refrigerante” no inglês americano: “pop“, “coke” e “soda“. Veja ainda que essas maneiras diferentes são características de cada região. O norte tem preferência pelo termo “pop“. Já o sul prefere “coke“. E o pessoal do oeste pede sempre por “soda“. O mapa acima é de 2003. Será que algo mudou ao longo desses 10 anos? Veja o mapa mais atual abaixo e tire suas conclusões.

Inglês Americano II

O que isso significa? O que isso tem a ver com a pergunta feita pelo leitor?

Isso mostra que não há dentro de um país de língua inglesa uma unidade no que diz respeito ao uso da língua. Ou seja, dentro de um único país a língua usada comumente por seus habitantes pode apresentar inúmeras variantes. Essas variantes podem envolver estruturas gramaticais, pronúncias, nomes dados às coisas, gírias, expressões, etc. Portanto, é totalmente normal que em algumas regiões dos Estados Unidos o artigo indefinido “a” seja pronunciado como “ei” e em outras como “ah“.

» Leia também: Inglês Americano: Forma Padrão

Outros exemplos da diferença de pronúncia está nas imagens abaixo. Na primeira vemos que a palavra “mayonnaise” (maionese) é pronunciada de duas maneiras. Na segunda imagem, vemos que há três modos diferentes para pronunciar “been” (forma do verbo be no Past Participle).

Inglês Americano III

Inglês Americano IV

As diferenças regionais também se fazem presentes no mundo do vocabulário (léxico). Na imagem a seguir, você poderá notar que a rotatória (aquela bola/círculo pela qual os carros passam em determinados cruzamentos) tem nomes diferentes ou nome nenhum em certas regiões.

Inglês Americano V

Já na próxima imagem é possível notar como americanos em diferentes regiões dizem “vocês” em inglês.

Inglês Americano VI

No que diz respeito às expressões, a coisa se complica. Afinal, uma expressão (seja ela idiomática ou não) pode ser conhecida em um canto do país e em outro não. Esse é o caso de “How’s your mom’n’em?” (Como está a família?), expressão típica de algumas regiões do sul dos Estados Unidos.

Um morador de certas regiões da Pensilvânia poderá dizer “let’s redd-up the room”. Sendo que “redd-up” significa “clean up”. Portanto, “let’s redd-up the room” é o mesmo que “let’s clean up the room”. Em Wisconsin, as pessoas poderão perguntar “How’s by you?” ao invés do clássico “How are you?”. Um texano, ao falar a um turista que ele deve seguir reto por uma rua, poderá dizer “You go up in through there” (fazendo as preposições parecerem mais infernais do que realmente são).

Essas esquisitices regionais tornam uma língua muito mais rica do que ela já é. Não se trata apenas de esquisitices do inglês americano, ma sim de algo relacionado à língua inglesa como um todo. Essas esquisitices são encontradas no inglês britânico, no inglês australiano, no inglês sul-africano, no inglês irlandês, no inglês canadense e todos os outros.

E o que fazer em relação a isso? Que inglês estudar? Como é que um estudante de inglês se vira com essas esquisitices?

A dica é sempre optar pelos padrões. Saiba mais sobre isso lendo as dicas Inglês Americano: Forma Padrão e Mito: O Inglês Britânico é Mais Fácil de Entender. Depois que você estiver bem familiarizado com a forma padrão do seu tipo favorito de inglês, você poderá – se quiser – se aprofundar e estudar essas diferenças regionais.

Claro que nem todo mundo precisa disso. O que a grande maioria das pessoas quer é aprender inglês para se comunicar naturalmente. Essas esquisitices interessam mais os linguistas, professores, autores, pesquisadores etc. Portanto, não entre em desespero.

Você, estudante de inglês, deve apenas estar ciente que as diferenças regionais dentro de um tipo de inglês existem. Elas fazem parte da cultura de cada país. Portanto, quando você encontrar algo esquisito – uma pronúncia, uma palavra, uma estrutura gramatical, seja o que for – não pense em regras, não pense em erro, não pense que você é burro… Nada disso! Pense apenas que você está aprendendo uma língua que possui inúmeras variantes regionais e que isso é muito mais normal do que você imagina.

Até a próxima!

Fontes:

  • American English: history, structure and usage (Julies S. Amberg e Deborah J. Vause)
  • Speaking American: a history of English in the United States (Richard W. Bailey)

Gírias em Inglês: O que é clipping?

Gírias em Inglês: vale a pena aprender ou não? Esse foi o título de uma dica publicada aqui no Inglês na Ponta da Língua dias atrás. Nela a minha intenção era mostrar que temos de tomar cuidado com essa coisa de aprender gírias em inglês. Afinal, dependendo do ambiente, das pessoas, da situação não qual estivermos, elas nem sempre são apropriadas. Portanto, de certa forma, todo cuidado é pouco.

No entanto, há gírias que são usadas com tanta frequência e por tantas pessoas que nós, estudantes de inglês como segunda língua (ou língua estrangeira), temos de estar atentos a elas. Temos de ser capazes de entendê-las e até mesmo usá-las, claro, quando apropriado. Um tipo de gírias que não ofende ninguém e que é muito usado é conhecido como clipping. Mas, afinal o que é clipping?

Clip significa cortar. Logo, clipping tem a ver com o fato de você cortar uma palavra e usar apenas uma parte dela para se referir a algo. O interessante é que algumas palavras que passam pelo processo de clipping e que são consideradas gírias podem simplesmente se tornar palavras comuns em inglês e nem são mais vistas como gírias. Um exemplo disso é a palavra bus (ônibus). Originalmente, o termo era omnibus, mas acabou sendo cortada (clipped) para bus. Tem ainda a palavra flu (gripe) cuja versão completa é influenza.

Quando a palavra original é tida como difícil de ser pronunciada ou um tanto quanto formal, as pessoas logo dão um jeito de cortá-la (reduzi-la) para ficar mais fácil. E assim a língua vai ganhando novas palavras por meio de gírias criadas pelo processo de clipping. Um exemplo curioso é a palavra pizza que é cortada para um simples za (pronúncia-se za). Portanto, se você ouvir alguém dizendo “Hey, let get some za“, não se assuste.

Gírias em Inglês: ClippingsSe alguém perguntar “what’s your fave color?“, lembre-se que “fave” é a forma curta de “favorite“. Tem ainda as palavras (gírias) “cause” e “coz” que são as formas curtas (clipped) de “because“. Seguem abaixo outras gírias criadas por meio do processo de clipping e que são usadas com certa frequência em inglês:

  • congrats (congratulations) [parabéns]
  • do (hairdo) [penteado]
  • fab (fabulous) [maravilhoso, incrível, fantástico, fabuloso]
  • ‘rents (parents) [pais]
  • info (information) [informação, informações]
  • decaf (decaffeinated coffee) [café descafeinado]
  • limo (limousine) [limosine]
  • fridge (refrigerator) [geladeira]
  • zine (magazine) [revista]
  • pic (picture) [foto, imagem]
  • rep (reputation) [reputação]
  • fam (family) [família]
  • legit (legimate) [legítimo]

Para ajudar você a entender melhor essa ideia de clipping, assista ao vídeo abaixo. Nele você verá a prof. Anne Curzan, da Universidade de Michigan, falando sobre clipping e como as palavras que são consideradas gírias em inglês podem ganhar lugar na língua do dia a dia. Devo acrescentar ainda que este vídeo está sendo compartilhado aqui com a devida permissão do College of Literature, Science and Arts da Universidade de Michigan, por meio de uma parceria de troca de conteúdos firmada entre o Inglês na Ponta da Língua e a University of Michigan.

Abaixo do vídeo você encontra a transcrição do mesmo. Aproveite!

Slang plays with words. It’s part of what makes it rebellious. It’s also part of what makes it very fun.

So, we can say I’m going to go spend time with the fam. so I can hang out with the rents. Or we can go get some za because maybe it’s delish. Or we read zoned, but maybe we think zines are ridic. Or we can go get a mani or a pedi because you’re taking good care of your bod.

Linguists call this clippings. And we can shorten words by clipping something off the front, as in rents from parents. Or we can clip off the end of a word: fam for family.

I’m very interested in a set of very slangy clippings right now, where young people are clipping off the end and than adding an s. So, whatever becomes whatevs; totally becomes totes; probably become probs; and then we have haps, which may come from happenings so there’s an s on it, and the expression “what’s the haps?”.

Now, while many of these slang words are new, the process of clipping is not new. And some of you may have been thinking that when I used the word bod and you may have been thinking “that been around for a while”, which it has. It’s been around since at least the 1940s.

And, in fact, there are clippings that are no longer slangy or colloquial to us; they’ve become standard. so if you think about clippings like phone from telephone, or gym from gymnasium, exam from examination, a mic, a limo. All of these are clippings but most of them now don’t feel like slang. In fact, I can’t remember the last time I said I was going to go buy gasoline as opposed to getting gas.

So it’s important to remember when you hear these clippings that young people are using in slang that it’s not that we aren’t using clipping in the language all the time. and some of these slangy clippings will stick, many of them will not. But some of them will just become unnoticed in the language, the same way that we now have the flu, and the phone, and the deli.

Saying Good-bye: a cultural shock

Hello, you guys! My name is Ludimila Cordeiro and I’m an English teacher. I’m from Londrina-PR but I’m currently based in Curitiba-PR. I’m here today to share with you a piece of a cultural shock that I’ve been through when traveling to an English-speaking country, the USA.
When we learn a foreign language, it is inevitable that we experience other cultures, since language and culture are inseparable. It is mostly through language that you’ll notice curious aspects from the other culture, which may make a strong impact on you. In my case, I had a strange feeling when hearing someone say good-bye in the USA. Sounds funny, right? We all know how to say good-bye. However, the difference relies on how Brazilians and Americans do it.
Saying good-bye in English
We Brazilians usually say a set of sentences when we say good-bye: “Tchauvaleu aíse cuida hein” or “Vai com Deus”, “fica bematé mais” or “Beijos, tudo de bom”, etc. In the USA, people usually stick to only one sentence: “Ok, bye” or “Have a good night” or “Talk to you later” or “Have a good day” or “Take care”, etc. When I heard people saying good-bye like this I felt there was something missing, you know. I thought to myself: “Só isso? Só ‘bye’ e pronto?” I think that the reason is because we, Brazilians, tend to be more affectionate and express our feelings more openly than Americans. They don’t usually say “Bye, kisses” as we do in “Tchau, beijos”.
Another interesting sentence that they say is “Have a good one” or “Have a nice one”. This is a broad sentence that covers all the bases to other sentences, like: “Have a good night”, “Have a good afternoon”, “Have a nice day”, “Have a nice weekend”, etc. It is basically a shortened form of “Have a good (whatever)”. It probably originated out of ‘laziness’ or just because in spoken English people tend to shorten words and phrases and use more informal language.
Important reminder: all that I said previously is more often used in spoken language. There are other sentences that you should use in formal situations, for instance, when applying for a job, sending formal business e-mails or friendly business e-mails. In those situations, you should use: “Looking forward to hearing from you”, “Yours sincerely / Yours faithfully”, “Best wishes”, “Kind regards” or simply “Thank you”.
Well, as I said, learning a language never dissociates from learning another culture. It might feel a bit awkward at first, but eventually you discover so much about yourself and about the world.
Well, that’s all for now! I hope you’ve enjoyed it. Now I want to hear from you. Do you have any interesting experience to share regarding language and culture? Let us know! Click here and share it with us. You can also share your experience on Facebook. Just like our fanpage on facebook.com/inglesnapontadalingua.
Beijos, (that’s my favorite way of saying good-bye! LOL)
Ludimila.
Ludimila Cordeiro graduated in Letras – English Language from Universidade Estadual de Londrina. She’s been teaching for 4 years and has had experience working for private language schools, a public school and as a private teacher. She’s quite interested in learning and teaching English through the Lexical Approach. She’s taken an English course in Salt Lake City-UT-USA in 2009 at Internexus Language Institute and have had experience traveling abroad since then. She absolutely loves speaking and teaching English and wants to help other people become fluent in this amazing language.

Brincadeiras de Criança em Inglês

Quer saber como se diz como se diz algumas brincadeiras de criança em inglês? Então, você veio ao local certo. Infelizmente, não dá para enumerar todas, mas abaixo você encontra aquelas que certamente marcaram a infância de muita gente. Pelo menos na minha essas brincadeiras abaixo eram muito comuns. Então, vamos aprender.

Começo falando daquela que era minha favorita: esconde-esconde, quem em inglês é hide-and-seek. O convite geralmente é feito dizendo, Let’s play hide-and-seek? (Vamos brincar de esconde-esconde?). Sei que em outras regiões do Brasil essa brincadeira tem variantes no nome e no estilo. As que conheço são ‘pique-esconde’ e também ‘jogo da lata’ (uma versão diferente).

Outra tradicional é pega-pega, que em inglês leva o nome de tag ou catch one, catch all. Esta sim possui inúmeras variantes. Uma que lembro era a tal da ‘bandeirinha’, tinha também o ‘pega-pega japonês’, ‘barba de bode’ (ou apenas ‘bode’), ‘pega-corrente’, ‘pega-gelo’, ‘fugi-fugi’, ‘mãe da rua’, ‘manda-rua’ entre outras. Em inglês há também variantes: ‘flashlight tag’, ‘freeze tag’ (que lembra a estátua), ‘pickle’ (similar à ‘bandeirinha’), ‘line tag’, etc. Vale dizer que tag tem outros nomes em inglês: it, tips, tig, touch, tiggy, tick, dobby, chasing, chasemaster, chasey

Brincadeiras-de-Crianca-em-InglesAs leitoras com certeza devem estar saudosas da amarelinha ou academia, que também  pode ser chamada de ‘jogo da macaca‘, ‘avião‘, ‘sapata‘, ‘maré‘ ou ‘neca‘. Em inglês, o nome é hopscotch. Em New York, as crianças dizem é potsy.

Alguém aí pensou na queimada? Se não conhece pelo nome de queimada, deve conhecer por  ‘baleado‘, ‘carimbada‘, ‘mata-mata‘, ‘cemitério‘, barra-bola‘. Há um esporte em inglês muito parecido com esta brincadeira. Trata-se do dodgeball. Embora as regras sejam um pouco diferente ambos são um tanto quanto similares. Em todo caso tem o tag ball, uma mistura de ‘tag‘ (pega-pega) com dodgeball (queimada).

Os leitores devem se lembrar dos estilingues, não é? Conhecidos também como ‘bodoques‘ ou ‘baladeiras‘. Para os gringos o nome é slingshot. Será que vocês tiveram um spin top? Confesso que sempre fui péssimo com eles! Spin top é o famoso pião. E que tal os kites? Você flew kites quando criança? Kite é pipa, pandorga, papagaio, curica, cafifa, estrela, arraia, raia e sabe-se lá quantos nomes mais.

São muitas brincadeiras que marcaram épocas. Abaixo segue uma pequena lista com outras brincadeiras de criança em inglês e português.

  • leapfrog (canguru)
  • marble (bulita, burcas, bolinha de gude, burquinha, bulica, berlinde),
  • Simon says (chefinho mandou)
  • cops and robbers (polícia e ladrão)
  • skip rope (pular corda)
  • play shuttlecock (jogar peteca)
  • play blind man’s buff (brincar de cabra cega)
  • soap box cart ou go-cart (carrinho de rolimã)
  •  broken telephone (telefone sem fio)

Espero ter matado a curiosidade de todos. Agora seria pedir demais que você deixasse um comentário no blog dizendo qual era a sua brincadeira favorita?

Como dizer advogado em inglês?

Como dizer advogado em inglês? Como a maioria das pessoas, você deve ter dito lawyer. Muito simples, não é? Cuidado! Afinal, lawyer é o termo geral para qualquer pessoa que termina o curso de Direito? Já na carreira profissional há diferenças que precisam ser compreendidas.

No Reino Unido, quando uma pessoa termina o curso de Direito – Law School – ela pode ser chamada de solicitor. Porém, para ser um qualified solicitor é preciso estudar por mais um ano e depois disso a pessoa tem de conseguir um contrato de dois anos com alguma Law Firm. Isso não é tudo! A pessoa precisa ainda passar no exame da Law Society of England and Wales.

O solicitor é o advogado que aconselha o cliente e os representa em juizados especiais (pequenas causas). Caso o assunto seja mais complicado e, portanto, tenha de ser levado a um tribunal (higher court – corte suprema) o processo – lawsuit – vai parar nas mãos de um barrister.

Como dizer advogado em inglês?

O barrister costuma aconselhar o solicitor sobre como proceder em determinados casos. Para ser um barrister é preciso ter muita experiência e passar no exame da Bar Council of England and Wales.

Já nos Estados Unidos não há esta divisão! Lá eles têm o attorney, também chamado de attorney at law. Para ser um attorney é preciso fazer o exame da American Bar Association (a OAB deles). Porém é bom tomar cuidado! Pois, nos Estados Unidos tem o Attorney General que seria o nosso Procurador-Geral da União e o District Attorney que equivale ao nosso Promotor de Justiça. Aproveite que está lendo sobre isso e leia a dica “Como dizer Ministério Público em inglês?“.

Caso alguém esteja se perguntando sobre o juiz – judge -, vale dizer que eles – nos EUA e no UK – não têm um exame (concurso público) para juízes. Para ser um juiz por lá, o sujeito precisa ter muita experiência como advogado. Se achar que tem cacife para ser juiz aí o camarada se candidata e espera um tempo para ver se é escolhido para exercer as funções.

Lembre-se que cada país tem um jeito diferente para o seu sistema judiciário! Assim, o meu conselho é que você leia bastante para saber como Canadá, Austrália, Irlanda, África do Sul, etc., organizam o sistema deles. Dessa maneira você aprenderá quais são os demais termos equivalentes em cada país de língua inglesa.

That’s it! Espero que tenha gostado desta dica! Como você pode ver há diferentes modos de dizer advogado em inglês. Lawyer é apenas o termo geral. Caso ainda tenha alguma dúvida, deixe um comentário abaixo e vamos conversando mais sobre o assunto.

Palavrões em Inglês

Nesta dica você conhecerá os 4 grupos de palavras que são considerados palavrões em inglês. Você pode até estranhar; mas, tratam-se de palavras que dependendo do local e do contexto em que forem ditas, você poderá entrar em uma grande fria. Para não ficar só nisso, você conhecerá também os nove piores palavrões da língua inglesa. Então, vamos lá!

O Grupo das Taboo Words

Taboo words são justamente aquelas palavras que não são nada bem vindas ao conversamos com alguém. Claro que o uso e o não uso de tais palavras dependerá muito do grau de amizade que você tem com as pessoas.

Na língua inglesa, de acordo com os linguistas, há quatro grupo de palavras que são – de acordo com o contexto – classificadas como tabus (proibidas, por assim dizer). Os quatro grupos são:

  1. Palavras relacionadas ao ato sexual ou às partes íntimas do corpo;
  2. Palavras relacionadas às necessidades físicas;
  3. Palavras relacionadas à etnia, raça, nacionalidade de alguém; e,
  4. Palavras relacionadas à religião de alguém. [Leia também: Termos Religiosos e Palavrões em Inglês]

Se você assiste a filmes e seriados ou ouve músicas em inglês certamente já ouviu muitas dessas palavras. Elas fazem parte do vocabulário de muitas pessoas. Nos filmes, eles usam para dar mais realidade aos diálogos. Nas músicas são usadas para chamar a atenção mesmo. Enfim, os palavrões em inglês fazem parte da língua falada e, portanto, nós as ouviremos mesmo quando não queremos.

Quando usar os palavrões em inglês?

palavroes em inglesNunca! Jamais! Never! Never ever! Nem em um milhão de anos!

Aqui vale o que aprendemos quando éramos crianças: nunca diga palavrões. Caso nós falássemos um ou outro, corríamos o risco de levar um tapa na boca ou ouvíamos algo como “Vou lavar a boca suja desse moleque com sabão!“. Falar palavrões em português já é uma coisa feia, agora imagine falar palavrões em inglês!

Não é nada educado, não é mesmo? Trata-se de algo bem deselegante!

Para piorar isso tudo tem o fato de você não ser um falante nativo da língua. Por incrível que pareça, quando o palavrão é dito por um não-nativo da língua a situação fica bem estranha. As pessoas não curtem muito! Querendo ou não soa muito esquisito.

Tente imaginar um estrangeiro que mal sabe falar português e todas as vezes que fala com alguém solta uns palavrões. Qual seria a sua reação? Como você se sentiria?

Claro que aqui depende do nível de amizade que temos com as pessoas. Ou seja, quando já falamos a língua muito bem – somos fluentes – e temos um nível de amizade bem grande com as pessoas, até que rola soltar um palavrão ou outro no meio da conversa. No entanto, isso é apenas em situações nas quais realmente conhecemos bem as pessoas.

Os palavrões também costumam ser usados quando estamos extremamente irritados com algo ou alguém. No entanto, até mesmo nessas horas o melhor é não xingar, não falar palavrões em inglês e nem em português.

Para piorar, há palavras que podem ser consideradas ofensivas para algumas pessoas e você achar que não são. Por exemplo, para alguns falantes de inglês, a expressão “Oh my God!” pode ser considerada ofensiva. Calma aí! Como é que dizer “Ah meu Deus!” pode ser considerado algo proibido?

Pois é! Para algumas pessoas é algo ofensivo. Logo, é bom tomar cuidado! Palavras como God e Jesus são tidas como santas por muitas pessoas e essas pessoas podem não curtir o fato de você usá-las.

Ah! Mas, nos filmes e nas músicas todo mundo fala! Então, tá valendo! Tem rolo não!

Tem rolo sim! Por isso é preciso entender muito bem a cultura do local onde você está. Não é porque está na boca do seu ator ou cantora favoritos que você vai sair usando essas coisas.

Em resumo, muito cuidado com essa sua vontade louca de aprender palavrões em inglês. Isso não é nada agradável! Você pode até aprender por curiosidade, saber quais são, saber ouvi-los etc. Nada contra isso! Mas, não os use como se fossem algo bonito, normal, educado.

Quais são os piores palavrões em inglês?

Infelizmente, não posso listar esses termos abertamente nesta dica. A política de conteúdo do Google não permite que tais termos sejam listados aqui como anteriormente. Então para não complicar a vida deste site e você continuar aprendendo, eu decidi colocar tudo com mais detalhes em um arquivo pdf.

Para ler o arquivo é só clicar no botão abaixo. Uma nova página se abrirá e você poderá aprender mais sobre os palavrões em inglês e conhecer quais são os piores palavrões na língua inglesa.

download

That’s it, guys! Muito cuidado com essa coisa de palavrões em inglês! O conselho aqui é que você watch your mouth! 🙂