Dicas Para Aprender Inglês

5 Erros Comuns de Quem Estuda Inglês

Aqui no Inglês na Ponta da Língua há várias dicas para aprender inglês. Algumas dicas parecem repetidas, mas curiosamente elas sempre trazem algo novo para quem acompanha este site. Isso significa que sempre há algo novo para aprender. Na dica de hoje, você conhecerá 5 erros comuns de quem estuda inglês (ou qualquer outro idioma). Então, vamos começar!

Não ter uma boa base

Ter uma boa base servirá de pontapé para o desenvolvimento que ocorrerá ao longo dos seus estudos. O ideal é que você invista em um curso de inglês ou mesmo em um professor particular. Afinal, você precisa de uma orientação profissional no começo.  Se você tem seus objetivos de aprendizado bem estabelecidos, então a ajuda de um profissional será muito bem vinda. Após algum tempo, nada impede que você siga sozinho. O importante é que você tenha uma boa base para assim ser capaz de saber para que lado realmente ir quando tiver de se virar sozinho.

» Participe do nosso curso online: Aprender Inglês Lexicalmente

Traduzir ao pé da letra

Erros Comuns de Quem Estuda InglêsAntigamente, acreditava-se que traduzir não era nada bom para quem estava aprendendo uma nova língua. Escolas, professores e alunos abominavam as traduções. Não precisa ser assim! Traduzir é uma maneira fácil de ajudar você a compreender algo. Não estamos falando aqui de tradução ao pé da letra. A ideia é traduzir comparando as duas línguas.

Por exemplo, em português falamos “eu sempre quis fazer isso“, já em inglês dizemos “I’ve always wanted to do this“. Se você traduzir a frase em inglês ao pé da letra ficará louco tentando entender o porquê de ser “eu tenho sempre querido fazer isso“. Não faz muito sentido! O segredo é comparar as duas línguas. Ou melhor, entender que em inglês usamos uma estrutura gramatical diferente da do português. O porquê não nos interessa agora. Assim, você poderá criar exemplos para comparar e praticar as duas estruturas:

  • I’ve always wanted to meet her. » Eu sempre quis conhecê-la.
  • I’ve always wanted to read that book. » Eu sempre quis ler esse livro.
  • I’ve always wanted to go there. » Eu sempre quis ir lá.
  • I’ve always wanted to be part of the team. » Eu sempre quis fazer parte da equipe.

Não tenha medo de fazer essas comparações. Você certamente compreenderá de modo mais fácil e natural como as coisas são ditas na língua que você está aprendendo.

Ter medo da gramática

Ok! Gramática é mesmo uma coisa complicada! Afinal, ninguém gosta de aprender aquele monte de termos técnicos sem sentido: Present Perfect, Future Continuous, Passive Voices, ConditionalsPast Simple, Irregular Verbs etc. E as regras!? Ninguém merece decorar um monte de regras meio que sem sentido e depois tentar usar mecanicamente ao montar uma frase.

Gramática é mesmo algo muito chato!

Mas, calma! Você não precisa ter medo da gramática. Na verdade, você não precisa ver a gramática apenas como algo chato e cansativo. Há outra maneira de ver e aprender gramática. Aliás, nos exemplos que dei sobre o “I’ve always wanted to…” acima, você já viu a gramática de outra maneira.

Essa outra maneira é o que chamamos de gramática de uso da língua inglesa. Enfim, não tenho medo da gramática; mas, comece a ver a gramática com outros olhos. Saia da gramática vista como uma coisa (um objeto) e passe a ver a gramática como um processo (algo que acontece naturalmente). Leia mais sobre isso na dica Aprender Inglês sem Gramática.

Não focar na pronúncia

Aqui temos os dois lados da moeda. Não focar na pronúncia é um grande erro. Mas, focar demais na pronúncia é outro grande erro.

Não ignore a pronúncia totalmente. Desde o começo, procure notar os sons da língua inglesa. Aprenda a diferenciar um som do outro. Reconheça os sons que são diferentes na língua portuguesa e na inglesa. Preste atenção ao modo como as palavras são pronunciadas. Não só as palavras mas também as frases completas, expressões, gírias, collocations, phrasal verbs e tudo mais. Fique atento ao modo como a entonação pode mudar o significado do que está sendo dito. Enfim, foque na pronúncia! Isso ajudará seus ouvidos a se acostumarem com a língua.

Por outro lado, não seja tão exigente na pronúncia consigo mesmo. Ou seja, se você não consegue fazer aquele negócio do th igualzinho a um inglês, não se preocupe. Os sons do th não existem em português, logo é natural que muitas pessoas não consigam reproduzi-los da mesma maneira que um americanos. Não seja tão exigente a ponto de desistir de aprender inglês por causa de um som ou outro. Tenha paciência! Hoje você pode ter dificuldades, mas amanhã poderá ver que está se comunicando sem problemas. Aí é só continuar se aperfeiçoando para melhorar cada vez mais e mais. Uma coisa é certa: não tente ser perfeito logo de primeira; seja paciente!

Desistir fácil

Aprender uma língua não é algo que acontecerá de uma hora para outra. Então, não desista; persista! Você terá dificuldades em alguns momento; mas e daí? Quem não tem? O erro da maioria é sempre desistir no começo. Não caia nesse erro! Quando estive se sentindo desanimado, procure ver o quanto você progrediu desde que começou. Não importa se foi pouco ou se foi muito; o que realmente importa é que a cada dia você está aprendendo algo novo e uma hora tudo isso valerá a pena. Então, siga em frente! Não pare!

Esses são os 5 erros comuns de quem estuda inglês. Em minha opinião, são os 5 erros que desanimam muita gente a continuar aprendendo. Se você vencer combater esses 5 erros, tenho certeza que você aprenderá inglês da melhor maneira possível e do modo como sonha.

Leia também:

» 5 Dicas Para Você Aprender Inglês em Casa
» Como se organizar para aprender inglês?
» [Vídeo] 7 Pecados Capitais de Quem Estuda Inglês
» Como Aprender Inglês Sozinho?
» Como Desenvolver o Hábito de Estudar Inglês
» O que significa se envolver com o inglês?

Etiquetas
aprender inglês sozinho como aprender inglês dicas para aprender inglês

4 Comentários

  1. Como é usual, estas são dicas ótimas. Na minha aprendizagem da língua portuguesa, tenho recorrido a cada uma destas sugestões ao longo do percurso. Em relação à gramática, sinto que esta é uma coisa que não deve ser ignorada. Dá a alguém as regras necessárias para começar a estabelecer um quadro para comunicação numa língua. No início dos meus estudos, eu também costumava escrever muitas frases de traduções
    como os exemplos dados pelo autor para tentar compreender como se estrutura frases em situações certas. Estou certo que esta prática me ajudou.

    Em cima de tudo, no entanto, acredito que alguém tenha de possuir um desejo de aprender e melhorar continualmente na sua língua escolhida. Ser capaz de comunicar num outro idioma é um dos melhores sentidos que alguém pode conhecer, na minha opinião. Para mim, vendo progresso e melhoria com tempo ficam razões em si próprias para continuar a persistir a um curso de estudo, mas é algo medido num prazo de meses e anos em vez de dia e semanas.

      1. Muito obrigado pelas tuas felicitações. Eu esforço-me muito para melhorar o meu português e são comentários como teus que me dão mais um incentivo para prosseguir!

Botão Voltar ao topo
Fechar