Pronome Relativo: whom, who e that

Na dica postada dias atrás não dava para colocar tudo o que se tem para falar sobre o uso de “who” como pronome relativo. Portanto, hoje quero continuar falando sobre esse assunto e assim ir esclarecendo as demais dúvidas. Caso você não tenha lido a dica anterior, clique aqui para ler.

Todo mundo que estuda inglês aprende que em alguns casos podemos usar a palavra “that” no lugar de “who”. Isso, claro, quando se trata de algo informal (um email, um recado, uma bate papo com alguém conhecido). Além disso, às vezes, é possível também não usar nem um, nem outro. Ou seja, podemos deixar as palavras “who” e “that” de fora e todo mundo vai se entender perfeitamente bem.

Para isso ficar mais fácil de entender vamos dar uma olhada em algumas sentenças e assim ir compreendendo como isso tudo fica na prática. Para começar veja as sentenças abaixo:

  • The woman who called you is my sister. (A mulher que te ligou é minha irmã.)
  • The man who came here yesterday is the boss. (O homem que veio aqui ontem é o chefe.)
  • The person who told you that is a liar. (A pessoa que te contou isso é mentirosa.)

Em todas elas nós usamos a palavra “who” no sentido de “que” (pronome relativo). Isso é o que fazemos em contextos formais. Pois, em um contexto informal podemos substituir “who” por “that”. Portanto, podemos dizer a mesma coisa sem nenhum problema da seguinte maneira:

  • The woman that called you is my sister.
  • That man that came here yesterday is the boss.
  • The person that told you that is a liar.

Se você lembrar da dica de ontem, perceberá que fazemos isso quando podemos dividir a sentença em duas partes. Veja,

  • The woman called you. She is my sister.
  • That man came here yesterday. He is the boss.
  • The person told you that. She is a liar.

Para evitar essa esquisitice, nós devemos juntar as duas sentenças e usar a palavra “who” (contexto formal) ou “that” (contexto informal). Não se assunte com isso! Afinal, conforme você for aprendendo mais e mais inglês e se acostumando com o uso da língua, você compreenderá isso melhor. Agora veja as sentenças a seguir e diga qual delas você acha que está correta?

  • The woman whom you called is my sister.
  • The woman who you called is my sister.
  • The woman that you called is my sister.
  • The woman you called is my sister.

Acredite! As quatro sentenças acima estão corretíssimas. A única diferença entre elas é o grau de formalidade. Ou seja, a primeira é mais formal que a segunda; a segunda é mais formal que a terceira; a terceira é mais formal que a quarta; e a quarta é a mais informal de todas.

Observe que agora apareceu um tal de “whom” para nos atormentar. Logo, eu creio que você esteja se perguntando, “como eu vou saber quando usar ou não usar ‘whom’, ‘who’ e ‘that’?”. Para aprender isso vamos analisar as duas sentenças que seguem:

  • The woman who called you is my sister.
  • The woman who you called is my sister.

Percebeu a diferença entre elas? Notou as palavras usadas logo depois da palavra “who”? Na primeira a palavra que segue “who” é um verbo (called); na segunda, é um pronome (you). Portanto, podemos dizer que se depois de “who” tivermos um verbo, então temos sempre de deixá-lo quietinho lá. Por outro lado, se depois de “who” tivermos um pronome (uma pessoa, alguém), então poderemos usar “who”, “whom”, “that” ou nada. Veja mais um exemplo (note o que vai depois de “who”):

  • The man who helped me is the boss.
  • The man whom I helped is the boss.
  • The man who I helped is the boss.
  • The man that I helped is the boss.
  • The man I helped is the boss.
  • Carla is the girl who called us last night.
  • Carla is the girl whom we called last night.
  • Carla is the girl who we called last night.
  • Carla is the girl that we called last night.
  • Carla is the girl we called last night.

Em que momento não podemos fazer esse tipo de bagunça? Veja as sentenças que seguem:

  • Mr. Souza, who is a doctor, helped us.
  • Carla, who is a police officer, gave us the information.
  • My cousin, who is a lawyer, told me what to do.

No caso dessas sentenças não podemos deixar o “who” de fora e nem podemos substituí-lo por “that”. Ou seja, nesse caso, devemos sempre usar a palavra “who” e nenhuma outra. Por quê? A explicação gramatical diz que por se tratar de non-defining clauses (orações adjetivas explicativas) não podemos fazer essa troca.

A minha explicação é a seguinte: não se troca porque Deus quis que fosse assim e ninguém fala mais nisso. Questionar para quê? E, para dizer a verdade, é muito simples perceber se pode ou não substituir por  “that”. Reparou as vírgulas nas sentenças? Então, se estiver entre vírgulas, não pode trocar: use sempre o “who”.

Ufa! Por enquanto é isso! Mas, ainda tem mais coisas a serem ditas sobre esse assunto. Portanto, aguardem o próximo capítulo!  That’s all for today guys! Take care!

Artigos Relacionados
Comentários