Qual o significado de GET? O que significa GET? Como aprender o GET?

O que significa GET? Qual o significado de GET? Como aprender o GET?

Essas três perguntas estão certamente entre as 3 mais frequentemente feitas por estudantes de inglês. E isso não é nenhuma novidade!

Em 2007, quando iniciei este site, uma das primeiras dicas que escrevi foi justamente sobre o verbo GET. O artigo foi GET: o famoso verbo “coisar” da língua inglesa.

Lá se vão 12 anos desde que o artigo foi escrito. Agora, com os tempos de Youtube, resolvi gravar a dica e publicá-la em formato de vídeo lá no nosso canal. Dessa forma, quem não tem paciência mais para ler textos e prefere assistir a uma aula poderá se beneficiar deste recurso.

Creio que vale reforçar aqui que lá no canal, eu tenho postado muitas dicas novas todas as semanas. Portanto, se você ainda não se inscreveu por lá, inscreva-se. É só clicar no botão abaixo e confirmar!

Inglês na Ponta da Língua no Youtube

Qual o significado de GET?

Dito isso tudo, assista abaixo ao vídeo no qual eu dou uma dica muito simples para você não se preocupar tanto com o get e passar a aprendê-lo de modo mais natural e descomplicado.

Mais dicas com GET

Agora que você já tem uma ideia sobre o que significa o get, seguem abaixo algumas dicas extras para você encontrar muitas outras expressões e phrasal verbs com esse verbo.

Caso você queira aprender ainda muito mais, basta fazer uma busca aqui no site pelo verbo get e você encontrará muitas outras dicas.

Por enquanto, eu acho que isso é tudo. Espero ter ajudado você a entender o que significa get, qual o significado de get e principalmente como aprender o get sem complicações e de modo bem natural.

Take care and Keep Learning!

Travel, Trip e Journey: qual a diferença entre elas?

As palavras TRAVEL, TRIP e JOURNEY são geralmente traduzidas como viagem. Isso acaba dando uma confusão danada! Afinal, qual a diferença entre usar uma palavra ou a outra?

Nesta dica, vou ajudar você a entender como usar TRAVEL, TRIP e JOURNEY e assim – espero eu! – não ter mais dúvidas em relação a elas.

Travel, Trip e Journey

Para ficar mais fácil – e também prático – vamos ver o uso de cada uma dessas palavras separadamente. Vamos então começar com travel.

Travel

Travel é geralmente usada na função de verbo: viajar. Os dicionários sempre incluem o fato de travel envolver uma longa distância. Essa longa distância pode ser dentro de um mesmo país ou para um país diferente.

  • Supersonic planes can travel faster than the speed of sound. (Aviões supersônicos conseguem viajar mais rápido que a velocidade do som.)
  • He travelled over 1,000 miles to be at the wedding. (Ele viajou mais de mil milhas para estar no casamento.)
  • Are you traveling anytime soon? (Você vai viajar em algum momento em breve?)
  • His job requires him to travel frequently. (O trabalho dele exige que ele viaje frequentemente.)

Claro que travel também pode ser usado como substantivo: viagem. Mas, nesse caso, está relacionado ao ato de traveling (viajar). Ou seja, a ideia de longas distâncias está implícita na palavra.

  • She doesn’t enjoy foreign travel. (Ela não curte viagens ao exterior.)
  • My job involves a lot of travel. (Meu trabalho tem muitas viagens.)
  • The book discusses the future of travel in outer space. (O livro discute o futuro das viagens ao espaço.)

Trip

Travel, Trip e Journey: qual a diferença?

A palavra trip é um substantivo que passa a ideia de ir a um local e voltar. O Cambridge Dictionary diz que se trata de uma viagem que você go somewhere, usually for a short time, and come back again.

Note que se trata de ir a um local por um curto espaço de tempo e retornar ao local de origem.

Para não confundir o uso de travel e trip é só lembrar que somente a palavra trip pode ser usada com artigos (a, the) ou adjetivos possessivos (my, your, his, our, etc.). Veja as duas sentenças abaixo:

  1. We’re going on a travel to Norway this summer.
  2. We’re going on a trip to Norway this summer.

Somente a sentença número 2 está correta. Pois, em inglês, não dizemos “on a travel“, mas sim “on a trip“. Veja os exemplos:

  • The trip from York to Newcastle takes about an hour by train. (A viagem de York para Newcastle leva cerca de uma hora de trem.)
  • It’s the time to go out on a pleasure trip with your family and friends. (É hora de fazer uma viagem de lazer com sua família e amigos.)
  • She’s going on a trip to New York, all expenses paid. (Ela vai fazer uma viagem para Nova Iorque, todas as despesas pagas.)
  • How about a trip to the zoo this afternoon? (Que tal uma ida ao zoológico hoje à tarde?)
Collocations com Trip

Eu costumo dizer que a maneira mais fácil de aprendermos a usar a palavra trip é aprendendo as palavras que combinam com ela (collocations).

  • go on a trip (fazer uma viagem)
  • go out on a trip (fazer uma viagem)
  • pleasure trip (viagem de lazer)
  • the trip from … to … (a viagem de … para …)
  • take a trip round/around (fazer uma viagem/um passeio por)
  • school trip (excursão escolar)

Sempre que você encontrar a palavra trip em uma sentença, dê uma olhada nas palavras ao redor dela. Você certamente aprenderá uma nova combinação.

Aí, aprenda essa combinação – anote em seu caderno – e pratique-a sempre. Assim, ao falar ou escrever inglês, você terá a combinação na ponta da língua e não fará confusão entre travel, trip e journey.

Journey

Journey é usada em dois contexto diferentes para se referir a viagem.

Quando se trata de uma viagem longa e que tenha desafios, dificuldades e descobertas.

  • I love going on long journeys. (Eu adoro fazer longas viagens.)
  • We broke our journey in Jacksonville before travelling on to Miami the next day. (Nós fizemos paramos nossa viagem em Jacksonville antes de seguir para Miami no dia seguinte.)
  • I hope to take a journey across America by car one day. (Espero fazer uma viagem pelos Estados Unidos de carro um dia.)

O segundo sentido de journey é quando se trata de uma viagem mais espiritual ou algo do tipo.

  • How do we go about embarking on this ‘inner journey’ to understand ourselves? (Como nós vamos embarcar nesta “viagem interior” para entendermos a nós mesmos?)
  • Her spiritual journey towards Roman Catholicism. (A jornada espiritual dela rumo ao Catolicismo Romano.)
  • I was excited with my character’s journey in the film. (Eu estava empolgada com a viagem da minha personagem no filme.)

Conclusão

De modo geral, a melhor maneira para aprendermos as diferenças entre travel, trip e journey é nos envolvendo com a língua inglesa.

Portanto, sempre que você encontrar essas palavras sendo usadas em um texto, observe como elas estão sendo usadas e procure por collocations. Isso ajudará você a desenvolver o seu vocabulário e percepção de uso delas muito mais rápido.

Por fim, vale dizer que ainda temos a palavra VOYAGE em inglês. Essa se refere a uma longa viagem geralmente feita pelo mar ou espaço.

  • The voyage to the moon in 1972 (A viagem para a lua em 1972)
  • He was a young sailor on his first sea voyage. (Ele era um jovem marujo em sua primeira viagem pelo mar.)

Well, I guess that’s all for now. Espero que você tenha entendido como usar as palavras travel, trip e journey em cada momento correto. Em todo caso, não se desespere. Você com o tempo perceberá as diferenças entre elas.

So, take care and keep learning.

Amount, Quantity e Number: qual a diferença entre essas palavras?

Aa palavras AMOUNT, QUANTITY e NUMBER são usadas usadas para falar de QUANTIDADE. Mas, qual a diferença entre elas? Quando usar uma ou outra?

Se você já se deparou com essa dúvida por aí – ou ainda não! –, chegou a hora de aprender.

AMOUNT, QUANTITY e NUMBER

Como dito acima, as três palavras são usadas para fazer referência a QUANTIDADE. Mas, cada uma delas tem o momento certo – apropriado – para ser usada.

NUMBER pode até causar estranheza nesse contexto. Afinal, sempre aprendemos que NUMBER é NÚMERO. No entanto, você perceberá esse outro uso dessa palavrinha ao longo desta dica.

Para ficar mais fácil de entender, vou falar sobre cada uma delas isoladamente. Então, vamos lá!

AMOUNT

AMOUNT é sempre usada com palavras que não têm plural em inglês. Ou seja, com coisas que não podem ser contadas ou medidas. Veja alguns exemplos:

  • a huge amount of information (uma imensa quantidade de informações)
  • equal amounts of time (quantidade igual de tempo)
  • a considerable amount of effort (uma quantidade considerável de esforços)
  • a tiny amount of dirt (uma minúscula quantidade de sujeira)
  • a certain amount of respect (uma certa quantidade de respeito)
  • that amount of hate (aquela quantidade de ódio)
AMOUNT, QUANTITY e NUMBER: qual a diferença?

Podemos então dizer que AMOUNT é sempre usado com substantivos incontáveis.

» Leia também: COUNTABLE e UNCOUNTABLE NOUNS

QUANTITY

Por sua vez, QUANTITY é a palavra que devemos usar com palavras que não têm plural, mas que podemos podemos contar ou medir.

  • a small quantity of drugs (uma pequena quantidade de drogas)
  • a large quantity of ice cream (uma grande quantidade de sorvete)
  • the quantity of dollar bills in my wallet (a quantidade de notas de dólares em minha carteira)
  • a small quantity of butter (uma pequena quantidade de manteiga)
  • a small quantity of our oil (uma pequena quantidade do nosso petróleo)

Note que tratam-se de coisas inanimadas e que podem ser medidas. Já no caso de AMOUNT temos palavras que realmente não podem ser contadas ou medidas (respeito, tempo, sujeira, ódio, etc.)

Com a palavra money ocorre algo curioso. É normal encontrarmos “a large amount of money” e “a large quantity of money“. Você até pode falar de um jeito ou de outro. No entanto, minha experiência diz que o mais correto é dizer “a large amount of money“.

QUANTITY também pode ser colocada no plural: QUANTITIES.

  • huge quantities of oil (grandes quantidades de petróleo)
  • vast quantities of data (grandes quantidades de dados)
  • considerable quantities of food (quantidades grandes de alimentos)
  • minute quantities of copper (pequeníssimas quantidades de cobre)

NUMBER

No sentido de QUANTIDADE é usada com palavras que têm plural. Podemos traduzir como NÚMERO e trata-se de uma maneira de especificarmos a quantidade exata.

  • a certain number of people (um certo número de pessoas)
  • a huge number of students (um grande número de estudantes)
  • a number of reasons (uma série de razões)
  • a large number of cell phones (uma enorme quantidade de celulares)

O uso de QUANTITY e NUMBER pode parecer confuso; mas, em caso de dúvida, lembre-se que ao falarmos de algo inanimado e que não tem plural, a preferência é usar QUANTITY. Pensando assim, como você completaria os dois exemplos abaixo:

  1. a huge ………………… of computers
  2. a huge ………………… of gold

» Leia também: O Plural dos Substantivos em Inglês

Note que na primeira sentença temos uma palavra no plural: computers. É algo inanimado – sem vida –, mas tem plural. Na segunda, estamos de algo inanimado e que não tem plural: gold. Não há o plural “golds“. Assim, teremos:

  1. a huge number of computer
  2. a huge quantity of gold

Conclusão

Você não precisa ser matemático para saber como usar AMOUNT, QUANTITY e NUMBER em inglês. Você precisa apenas de tempo para se acostumar com o uso de cada uma delas.

Minha dica é que sempre que você encontrar AMOUNT, QUANTITY e NUMBER sendo usada em uma sentença, observe as palavras próximas a elas e vá aprendendo o conjunto todo. Isso facilitará o aprendizado e seu cérebro se acostumará com as palavras juntas e não cada uma delas isoladamente.

That’s all for now, guys! Take care and keep learning!

» Fontes:

OF ou ‘S!? O possessivo em inglês e como usá-lo?

Of ou ‘s? Quando usar um ou outro? Está certo dizer “house of John” ou o certo sempre será “John’s house“? Podemos dizer “the key of the car” ou é melhor dizer “the car key“? Afinal, como usar of ou ‘s em inglês de modo correto?

OF  ou ‘S?

A dúvida entre usar OF ou ‘S é muito comum entre estudantes de inglês de praticamente todos os níveis. Essa dúvida é tão antiga que em 2009  eu escrevi sobre ela no texto “O correto é Zé’s house ou house of Zé?“. Como a dica foi um tanto quanto superficial, vou nesta aqui escrever algumas coisas mais.

O uso do ‘s

O nome que damos a esse ‘s (apóstrofo s) na gramática do inglês é Genitive Case (Caso Genitivo). Ele também já foi abordado aqui no site; portanto, não vou falar muito.

A única coisa que vou dizer aqui é que em inglês o ‘s (ou s’) é comumente usado com pessoas e algumas referências de tempo. Para entender isso, veja os exemplos:

  • Where’s John’s house? (Onde fica a casa do John?)

John é uma pessoa. Portanto, falamos “John’s house” e não “house of John“. Veja outro exemplo:

  • We talked to the girls’ grandma. (Nós conversamos com a avó das garotas.)
Of ou 'S

Novamente, “as garotas” refere-se a pessoas; logo, usamos s’. Note que não é ‘s. Como está no plural – girls –, devemos colocar somente o ‘ (apóstrofo) . Outros exemplos no plural:

  • the boys’ toys (os brinquedos dos garotos)
  • the workers’ timetable (o horário dos trabalhadores)
  • the teachers’ standards (os padrões dos professores)

Aprenda mais sobre o ‘s (apóstrofo s), lendo a dica Gramática: Genitive Case em Inglês.

O uso de OF

Quando estamos diante de seres inanimados é muito comum usarmos of. Mas, podemos também usar o que chamamos de compound nouns. Veja:

  • Have you seen the car key? (Você viu a chave do carro?)

Car key é um compound noun. Isso é muito mais natural do que “the key of the car“. Não estaria errado falar “the key of the car“; mas, não é o mais natural. Logo, prefira dizer car key.

Em inglês, sempre que possível é melhor usar um compound noun a usar uma construção com of. Isso é algo que aprendemos com o tempo e vamos nos acostumando. Eu sempre digo que o melhor é aprender as combinações que vamos encontrando ao longo do aprendizado.

  • the table leg (a perna da mesa)
  • the bottle opener (o abridor de garrafa)
  • the bus stop (a parada de ônibus, o ponto de ônibus)
  • the police car (o carro de polícia)

As controvérsias

Infelizmente, por ser uma língua viva, o inglês certamente causará estranhezas em alguns momentos.

Por exemplo, para dizermos “o custo de vida” o mais comum é dizer “the cost of living“. Mas, no plural – os custos de vida –, o mais natural é dizer “the living costs“. Por quê? Eu não sei! Só sei que é assim e foi assim que me acostumei a dizer.

Quando falamos “a map of Brazil” estamos nos referindo a um mapa mostrando o Brasil. Logo, não falamos Brazil’s map. Afinal, o Brasil não é dono do mapa. Mas, será que podemos dizer “a Brazil map“?

Se pesquisarmos no Google, vamos achar ocorrências para isso. Portanto, acabamos ficando sem entender. No entanto, o que as gramáticas dizem é que o mais usual nesse caso será dizer “a map of Brazil“.

Para dizer “peças do computador“, o mais comum será “computer parts” ou até mesmo “parts of the computer“. Mas, não estranhe se uma hora ou outra você encontrar algum nativo escrevendo “computer’s parts“.

O mesmo vale para animais quando dizemos “the bird’s wings” (as asas do pássaro). Mas, podemos encontrar “the wings of the bird” e “the bird wings“.

Conclusão

O que sempre notamos no uso do inglês é que há sempre uma maneira comum – compartilhada por quase todos – de como usar of ou ‘s. Assim, como estudantes de inglês como outra língua, a gente precisa se acostumar com esses modos mais comuns.

Nem sempre encontraremos uma regra 100% satisfatória para nos ajudar a tirar nossas dúvidas. No caso de of ou ‘s, há momentos que é melhor usar um; assim como há momentos que é melhor usar outro. E, para piorar nossa vida, há momentos que nenhum dos dois será a forma mais comum.

O jeito é continuar seguindo aprendendo, observando a língua em uso e assim ficarmos com o Inglês na Ponta da Língua.

A Diferença Entre HOW ABOUT e WHAT ABOUT?

Qual a diferença entre HOW ABOUT e WHAT ABOUT? Será que há alguma diferença? Será que as duas frases podem ser usadas sempre uma no lugar da outra?

Quando eu comecei a aprender inglês, eu usava as duas como se fossem a mesmíssima coisa. Mas, com o tempo fui percebendo que a diferença entre how about e what about existe. Portanto, nesta dica vamos falar sobre isso.

How About  e What About: significado

Se pegarmos um dicionário, vamos aprender que essas duas expressões significam QUE TAL. Por exemplo,

  • What about staying here for a while? (Que tal ficarmos aqui por uns instantes?)
  • How about  a beer? (Que tal uma cerveja?| Vai uma cerveja aí?)
  • How about Friday night? (Que tal na sexta à noite?)
  • What about Sunday evening at Frank’s? (Que tal no domingo à noite lá no Frank?)

Vendo assim – apenas pela tradução–, somos levados a crer que HOW ABOUT e WHAT ABOUT podem ser usadas uma no lugar da outra. Mas, é bom saber que nem sempre é assim. Então, vamos aprender a diferença entre HOW ABOUT e WHAT ABOUT.

A Diferença entre HOW ABOUT e WHAT ABOUT

Há dois casos nos quais não podemos trocar uma frase pela outra. Veja!

Quando pedimos para alguém nos dar algo ou se perguntamos se eles farão algo, nós devemos usar apenas HOW ABOUT.

  • How about a couple of dollars until payday?

A Diferença entre HOW ABOUT e WHAT ABOUTNesse caso, podemos traduzir melhor: Você pode me arrumar uns trocados até o pagamento sair?

A pessoa está usando HOW ABOUT justamente para pedir algo de alguém. Veja o próximo exemplo:

  • How about offering me something to drink?

Aqui seria algo “Que tal você me arrumar algo para beber?”. A ideia por trás da pergunta é “E aí!? Você vai me arrumar algo para beber!?”. Ou seja, a pessoa que pergunta quer saber se a outra fará algo ou não.

Nesses dois casos, só usamos HOW ABOUT. Já no mini diálogo abaixo temos um exemplo de quando devemos usar apenas WHAT ABOUT:

– You can throw this one away.
– What about the others?

Nesse caso, a primeira pessoa diz que este aqui pode ser jogado fora. Então, a segunda pessoa quer saber o que fazer com as outras. Em português, podemos traduzir assim:

– Você pode jogar este aqui fora.
– E as outras?

Veja que agora a melhor tradução é “E…?” e não “Que tal…?”. Veja mais exemplos:

  • Ok! We both can stay here. But, what about the kids? (Beleza! Nós dois podemos ficar aqui. Mas, e as crianças?)
  • I understand you want to spend the weekend camping, but what about my English class on Saturday? (Eu entendo que você quer acampar no fim de semana, mas e meu inglês no sábado?)

Esses são os casos no quais você deve perceber a diferença entre HOW ABOUT e WHAT ABOUT.

HOW ABOUT e WHAT ABOUT: outros usos

Em outras situações, podemos usar tanto HOW ABOUT quanto WHAT ABOUT. Mas, que outras situações são essas? Vamos lá!

Quando queremos saber se alguém ou algo pode ser incluído em algo:

– We’re all going to the beach? (Nós todos vamos para a praia?)
– How about Maria? (E a Maria?)

Ou,

– The apartment has one bedroom, two bathrooms, a big kitchen, and a living room. (O apartamento tem um quarto, dois banheiros, uma cozinha grande e uma sala de estar.)
– What about closets? (E armários?)

Também usamos as duas para fazermos sugestões:

  • How about meeting next week? (Que tal nos reunirmos semana que vem?)
  • What about sending her a message? (Que tal mandar uma mensagem a ela?)
  • What about taking a fews days off? (Que tal tirar uns dias de folga?)
  • How about a trip to the zoo this afternoon? (Que tal uma ida ao zoológico hoje à tarde?)

Por fim, as duas podem ser usadas para perguntar a algo sobre algo que você acabou de dizer:

  • I love reading. What about you? (Eu adoro ler. E você?)
  • Everyone else is coming. How about you? (Todo mundo vai vir. E você?)
  • I’m fine. What about you? (Eu estou bem. E você?)
  • I’m having coffee. How about you? (Eu vou de café. E você?)

Basicamente, essa é a diferença entre HOW ABOUT e WHAT ABOUT. Claro que você deve sempre pesquisar em um bom dicionário para aprender mais sobre o uso das palavras em inglês.

That’s all for now, folks! Take care and keep learning!

»» Fontes:

DIDN’T YOU ou DID YOU NOT: qual o certo?

DIDN’T YOU ou DID YOU NOT!? Qual é o certo ao fazermos perguntas negativas no passado em inglês? Será que há alguma diferença entre falar de um jeito ou de outro? Se sim, quando devemos dizer DIDN’T YOU ou DID YOU NOT?

Se você tem dúvidas sobre isso, então continue lendo esta dica para aprender.

Fazendo Perguntas em Inglês no Passado

Como você já bem deve saber para fazer perguntas em inglês no passado, nós temos – formalmente – que usar a palavra DID. Esse assunto eu já expliquei em detalhes na dica como usar a palavra DID em inglês.

Mas, seguem alguns exemplos:

  • Did you go to the party? (Você foi à festa?)
  • Did Mike send you an email? (O Mike te mandou um email?)
  • Did they help you? (Ela ajudaram você?)
  • Did she talk to her father about that? (Ela falou com o pai dela sobre isso?)

Note que estamos fazendo perguntas sobre coisas que aconteceram (passado). Logo, devemos usar o DID. Nota também que todas as perguntas acima são perguntas afirmativas. A dúvida que muita gente tem é quando queremos fazer perguntas negativas. Em português, seria algo assim:

  • Você não foi à festa?

Veja que temos o “não” na sentença. Portanto, a pergunta é: o certo em inglês é fazer a pergunta usando DIDN’T YOU ou DID YOU NOT?

  • Didn’t you go to the party?
  • Did you not go to the party?

E agora? Como devemos falar ou escrever em inglês?

DIDN’T YOU ou DID YOU NOT?

Didn't you ou Did you not?As duas maneiras estão corretas. Não há absolutamente nada de errado com elas. Em se tratando de gramática, podemos usar DIDN’T YOU ou DID YOU NOT sem o menor problema. Mas, no que diz respeito ao uso delas em uma conversa, aí há diferenças.

De modo geral, DIDN’T YOU é a maneira mais simples e comum usada no inglês falado (spoken English). Quando perguntamos algo como “Didn’t you go to the party?”, estamos apenas procurando confirmar a informação. É uma pergunta comum.

Por outro lado, quando usamos DID YOU NOT, passamos a ideia de estarmos surpresos, perplexos com a informação. Até o tom de voz muda ao fazermos a pergunta: “Did you not go to the party?”. Colocamos ênfase no “not” e isso dá um tom diferente à pergunta.

Outra coisa sobre DID YOU NOT é que ele é a maneira mais formal de se dizer DIDN’T YOU. Essa diferença já ocorre mais no inglês escrito e não no falado. Por falar em inglês escrito, vale dizer que no passado, a gramática da língua inglesa permitia que disséssemos DID NOT YOU. Nos dias atuais, essa última forma é muito rara de ser encontrada no inglês falado e até mesmo no escrito.

Conclusão

Como você pode notar não há motivos para entrar em desespero quanto ao uso de DIDN’T YOU ou DID YOU NOT. Afinal, as duas maneiras estão corretas. A diferença entre elas está apenas no uso real, prático da língua inglesa.

Essas diferenças você aprenderá com o tempo. Para isso basta se envolver mais e mais com a língua inglesa e assim ir notando as nuances no uso de coisas que são parecidas. Pois, se formos analisar apenas o lado gramatical poderíamos concluir que tanto faz usar DIDN’T YOU ou DID YOU NOT. No entanto, em se tratando do uso real, você percebeu que há uma leve diferença entre elas. Coisa pouca, mas há!

 

Curso de Conversação em Inglês: o que é e como faz?

Curso de conversação em inglês!? Aulas de conversação em inglês!? O que é isso? Como é um curso de conversação em inglês? Será que existe um curso de conversação em inglês? O que isso significa? Vamos falar um pouco sobre isso tudo e, claro, esclarecer algumas coisas.

O que é conversação?

Se buscarmos essa palavra em um dicionário, encontraremos a seguinte definição: “ato ou efeito de conversar, de estar numa conversa com alguém”. Portanto, conversação é sinônimo de bate papo, diálogo, conversa. Quando eu bato papo com alguém, eu estou tendo uma conversação.

Isso a gente já sabe! Nem precisava do dicionário, mas aí entra a pergunta a seguir.

O que é conversação em inglês?

Ainda com a ajuda do dicionário, aprendemos que conversação é também a “prática ou aula que, no ensino de uma língua estrangeira, se volta principalmente para a expressão oral”. Logo, ao aprender inglês, temos de praticar (e ter aulas) voltadas para o bate papo. Temos de aprender a dialogar com as pessoas. Temos de aprender a fazer e responder perguntas, expressar opiniões, dar ideias, etc.

Curso de Conversação em InglêsQuando a professora faz uma atividade na qual os estudantes devem conversar entre si – fazendo uso do conteúdo que ela ensinou –, os alunos estão tendo aulas de conversação em inglês. Eles estão aprendendo a bater papo, a dialogar.

Aulas de conversação em inglês: um exemplo

Quando estamos no nível básico de inglês, nós aprendemos a fazer algumas perguntas e também como respondê-las. As mais famosas são:

  • What’s your name?
  • My name’s …
  • How old are you?
  • I’m … years old.
  • Where are you from?
  • I’m from…
  • What do you do?
  • I’m a/an… [profession]
  • Do you have any brothers or sisters?
  • Yes, I do. | No, I don’t.

A professora ensina a pronúncia e o uso dessas frases. Ao longo do tempo, os alunos vão aprendendo mais e mais perguntas e respostas – bem como outros conteúdos – e vão assim ampliando o poder de conversação em inglês. Isso acontece sempre que os alunos são colocados em duplas, trios ou grupos e devem dialogas fazendo uso de perguntas e respostas.

As aulas de conversação em inglês funcionam assim. E com o tempo vão ficando mais, digamos, complicadas. Os alunos terão várias aulas de conversação em inglês para assim aprenderem a conversar com as pessoas em inglês.

Curso de conversação em inglês existe?

Com certa frequência, ouço pessoas dizendo que querem um curso de conversação de inglês. Alguns dizem que não querem estudar em escolas de idiomas (CNA, CCAA, Cultura Inglesa, Wizard, Wise up, etc.) pois essas escolas não ensinam conversação. Essas pessoas querem só um curso de conversação em inglês e nada mais.

Se você busca por algo assim, sinto informar que não existe um curso de conversação em inglês. Pelo menos, não da forma como você sonha! E se alguém estiver vendendo um curso com esse nome, desconfie! Por que eu digo isso?

Para ser capaz de manter uma conversa em inglês, você deve aprender sentenças (frases), expressões, gramática de uso (não estou me referindo a regras e termos gramaticais), palavras, collocations, fillers, pronúncia (não só os sons da língua inglesa, mas também entonação, ritmo, linking words, etc.).

Portanto, todo curso de inglês – seja em uma escola tradicional ou online e mesmo um professor particular – terá aulas que ajudarão você a desenvolver sua habilidade de conversar em inglês. Se você espera ter uma aula na qual seja só bate papo, ele não existe.

Alguns cursos de inglês se baseiam em um método no qual os professores ficam fazendo perguntas e mais perguntas aos alunos. Esses por sua vez devem responder de acordo com o que aprendem. Embora alguns dizem que isso é um curso de conversação, não é. Trata-se apenas de um curso de inglês baseado no método direto. Nele tudo é em inglês: explicações, atividades, exercícios, tira dúvidas e tudo mais. Antes de você começar a realmente conversar (trocar ideias), você tem de entender (aprender) o que está sendo passado para você. Portanto, não se iluda!

Conversação em inglês é um processo

 Caso você esteja deixando de estudar em uma escola só porque deseja ter aulas de conversação em inglês, você não vai aprender inglês tão cedo.

Aprender a conversar em qualquer língua – inclusive em nossa língua materna – é um processo contínuo. Trata-se de algo que é construído com a série de conhecimentos que vamos adquirindo conforme nos envolvemos com a língua inglesa dia após dia.

Para isso você pode estabelecer objetivos e criar estratégias para alcançá-los. Aqui no Inglês na Ponta da Língua, já escrevi sobre várias coisas que eu fazia para alcançar a fluência em inglês. Eu não ficava só estudando a gramática e decorando palavras. Eu fazia algumas coisas meio loucas para ficar com o inglês na ponta da língua. Ou seja, desenvolver meu speaking em inglês.

Tudo isso – e outras coisas mais – eu fazia com o objetivo de melhorar minha conversação em inglês. Eu não esperava um americano (ou um britânico, canadense, australiano…) cair do céu para que eu finalmente pudesse conversar em inglês. Eu simplesmente me preparava para quando a hora chegasse, eu assim não passaria vergonha (mesmo me preparando, eu passei várias vergonhas!).

Como fazer um curso de conversação em inglês online?

Dias atrás, perguntaram como os participantes dos meus cursos praticam a conversação em inglês online. Conversam por vídeo conferência? Batem papo via Skype? Usam o WhatsApp?

A resposta é muito simples: qualquer pessoa que queira aprender a conversar em inglês vai praticar de qualquer jeito. Ela colocará em prática as dicas eu dei acima e muitas outras. Ou seja, cabe a cada um criar suas estratégias para praticar o que está aprendendo.

Claro que todo mundo pode praticar via Skype, vídeo conferência ou qualquer outra ferramenta do tipo. Mas, se não tiver isso no momento, o estudante deve se virar para praticar o que está aprendendo. Quem realmente quer aprender a conversar em inglês vai fazer de tudo para falar em inglês. Não dá para ficar sentado esperando que alguém surja e ajude.

Lembre-se: não existe um curso de conversação em inglês perfeito e específico para cada pessoa. Cabe a você fazer seu próprio curso de conversação em inglês. Prepare-se! Faça sua parte! Assim, quando surgir a oportunidade de falar com alguém ao vivo e à cores, você poderá se arriscar e assim aprender ainda mais.

No curso Aprender Inglês Lexicalmente, eu dou várias dicas de como você pode aprender a conversar em inglês. Tem também inúmeras frases usadas em vários contextos. Assim como diálogos para você ouvir e praticar sempre que puder. Afinal, o objetivo é que você fique com seu Inglês na Ponta da Língua.

Take care and keep learning!

PICK ou CHOOSE: qual a diferença entre essas palavras?

Quando usar PICK ou CHOOSE em uma sentença? Qual a diferença entre PICK e CHOOSE? Se você já teve dúvidas entre escolher uma ou outra, chegou a hora de aprender.

Para entender bem, vamos primeiro dar uma olhada no significado de cada palavra. Afinal, é assim que a coisa começa a ficar mais clara.

PICK

De acordo com o Macmillan Dictionary, a definição de PICK é a seguinte:

to choose someone or something from a group

Portanto, PICK é usado quando a ideia é a de escolher alguém ou algo a partir de um grupo. Ou seja, temos um grupo de pessoa ou coisas e deste grupos escolhemos um ou mais.

Por exemplo,

  • Students have to pick 3 courses from a list of 15. (Os alunos tem de escolher 3 cursos de uma lista de 15.)
  • I don’t know which colour to pick. (Não sei que cor escolher.)
  • Out of all the girls he could have gone out with, he picked me. (De todas as garotas com as quais ele poderia ter saído, ele escolheu a mim.)

Portanto, temos aí a ideia de que há opções de escolha. Portanto, PICK entre em cena nesses casos.

» Leia também: START ou BEGIN: quando usar uma palavra ou outra?

CHOOSE

Ainda seguindo a definição do Macmillan Dictionary, aprendemos que CHOOSE passa a ideia de

to decide which you want from a number of people or things

Ou seja, “decidir o que você quer a partir de uma série de pessoas ou coisas”. Por exemplo,

  • Do you feel that you chose the wrong career? (Você acha que escolheu a carreira errada?)
  • She has to choose between her husband and her parents. (Ela tem de escolher entre o marido e os pais.)
  • It took us ages to choose a new carpet. (Nós levamos um tempão para escolher um carpete novo.)

PICK ou CHOOSE?

PICK ou CHOOSE?Se você ainda não consegue perceber quando usar PICK ou CHOOSE, não se preocupe. Isso realmente confunde a gente.

Mas, anote aí que as duas palavras são quase sinônimos perfeitos. Ou seja, a diferença entre elas é mínima. Então, para ajudar a entender, vou citar abaixo uma nota que temos no Oxford Learner’s Thesaurus sobre as palavras PICK, SELECT e CHOOSE:

CHOOSE, SELECT or PICK? Choose is the most general of these words and the only one that can be used whithout an object: You select/pick – I can’t decide. When you select something, you choose it carefully, unless you actually say that it is selected randomly/at random. Pick is a more informal word and often a less careful action, used especially when the choice being made is not very important: Select a number from one to twenty.

O que isso tudo quer dizer?

Vamos lá!

A palavra CHOOSE é a palavra mais usada. Portanto, é a palavra à qual você deve prestar mais atenção. CHOOSE é também usada sem complemento. Portanto, ao dizer “Você escolhe!”, você deve dizer “You choose!” e não “You select!” ou “You pick!”. As palavras SELECT e PICK precisam de algo mais após elas.

A palavra SELECT passa a ideia de uma escolha mais cuidadosa e bem pensada. A não ser, claro, que você deixe claro que essa escolha esteja sendo feita de modo aleatório usando as combinações: “select randomly” ou “select at random”.

PICK, por seu vez, é um termo mais informal e passa a ideia de uma escolha feita sem muitos critérios, por assim dizer. Ou seja, você escolhe sem pensar muito a respeito.

Será que deu para entender quando usar PICK ou CHOOSE? Espero que sim! Para encerrar a dica aprenda a expressão abaixo!

» Leia também: FARTHER ou FURTHER: qual a diferença e como usar?

PICK AND CHOOSE (expressão)

PICK AND CHOOSE como expressão serve justamente para passar a ideia de ficar escolhendo muito; ou seja, escolher cuidadosamente. Veja os exemplos:

  • Come one! You haven’t got time to pick and choose. (Anda logo! Não dá para ficar escolhendo muito.)
  • You have to take any job you can get. You can’t pick and choose. (Você tem de pegar o trabalho que aparecer. Não dá para ficar escolhendo muito.)
  • At Thrush Green she would be able to pick and choose her employers. (Na Thrush Green ele podia escolher meticulosamente seus empregados.)
  • We cannot pick and choose which laws to follow. (A gente não pode ficar escolhendo quais leis seguir.)

Conclusão

De modo geral, a escolha entre PICK ou CHOOSE é algo que você aprende envolvendo-se com a língua inglesa. Não é uma questão de regras, mas sim de uso das palavras em contextos formais ou informais. Nada tão complicado o quanto você imagina ser. Portanto, don’t worry too much!

Só para encerrar com mais informações, pratique aí seu inglês lendo alguns trechos do livro Choose the Right Word, no qual os autores falam sobre os usos de PICK ou CHOOSE.

[…] In choose, for example, the emphasis is on the act of will exercised in making the decision. When we say young people choose careers, we imply that they are making voluntary decisions and they intend to pursue those careers for the rest of their working lives. […] Pick is less precise in meaning than the other verb and can be used to cover situations in which neither decision making nor discrimination is required: a shopper in a supermarket, confronted by 20 cans of tomatoes of identical size and quality, will often pick the nearest one.

That’s it! Espero que você tenha compreendido as ideias por trás de PICK ou CHOOSE. So, bye bye, take care, and keep learning.

Google Tradutor é bom? Será que podemos confiar?

Google Tradutor! Aí está uma ferramenta que muita gente usa para aprender inglês. Mas, será que podemos confiar tanto assim nessa ferramenta? Afinal, o Google Tradutor é bom, meia boca ou péssimo?

O que é o Google Tradutor?

Para quem não sabe, o Google Tradutor é o serviço online do Google que permite fazer tradução instantânea de textos e sites em diversos idiomas. Ele tem ainda algumas outras funcionalidades: pronúncia, contextualização de algumas palavras e expressões e outras coisinhas mais.

É, sem sombra de dúvidas, algo bom para quem precisa de uma tradução rápida ou ainda ouvir a pronúncia de uma palavra. Portanto, o Google Tradutor tem suas vantagens. Mas, ele também tem algumas desvantagens.

Colocando o Google Tradutor à prova

Para nos certificarmos se essa é uma boa ferramenta, vamos colocá-la à prova. Portanto, o primeiro passo é, claro, acessar a página do Google Tradutor (clique aqui)

Na caixa de texto, digito “Eu quero aprender a falar inglês”. A tradução sugerida é: I want to learn to speak English. Sem problemas! É compreensível! Mas, algumas pessoas dirão que o mais natural é dizer “I want to learn how to speak English”. No entanto, isso não afeta a comunicação. As duas formas são possíveis.

O Google Tradutor é bom?Vamos tentar algo mais complexo: “Se você acha que eu vou te ajudar, você está redondamente enganado”. Desta vez a sugestão foi “If you think I’m going to help you, you’re deeply mistaken”. Mais uma vez, tiro o chapéu para o Google Tradutor. O collocation “redondamente enganado” não foi traduzido literalmente como em outros serviços de tradução online. Isso é ótimo!

A próxima frase é “Eu acho que você deveria fazer uma dieta”. Confesso que neste caso vez a sugestão me decepcionou um pouco: “I think you should diet”. Essa sugestão é compreensível, mas não é muito natural. O que soaria melhor aí é: “I think you shoud go on a diet?”. Não que esteja errado, mas temos de notar sempre o que é mais natural.

Resolvi complicar um pouco mais e pedi a tradução de “Sei lá! Acho que de deu problema na rebimboca da parafuseta”. Desta vez, o Google Tradutor se enrolou: “I do not know! I think it gave trouble in the screwdriver rebimboca”. Neste caso, o problema não está apenas na tradução de “rebimboca da parafuseta”, que ele desconhece; mas também, na tradução de “deu problema”. A tradução foi muito ao pé da letra. Uma sugestão humana mais natural poderia ser: “I don’t know! I guess there’s something wrong with the whatchamacallit”.

O Google Tradutor é bom?

De modo geral, eu digo que o Google Tradutor é bom. No entanto, ele não é excelente. Por quê?

Pelo lado mais simples – sentenças não muito complexas –, o serviço de tradução do Google consegue se sair muito bem. Veja mais alguns exemplos:

  • Eu odeio estudar inglês. » I hate studying English.
  • A gente nunca mais vai falar com ela. » We’ll never talk to her again.
  • Estou morrendo de fome. » I’m starving.
  • Quando foi que isso aconteceu? » When did this happen?
  • O poder executivo não tem autoridade para isso. » The executive branch has no authority for this.
  • Você pode baixar o volume um pouquinho? » Can you turn the volume down a bit?
  • Estava um breu quando chegamos lá. » It was pitch black when we got there.

Por outro lado, quando incluímos algumas gírias, expressões idiomáticas, collocations mais complexos, o Google Tradutor pode deixar a desejar. As traduções em parênteses são as minhas sugestões.

  • Gostaria de te ajudar, mas eu estou duro. » I would like to help you, but I’m hard. (I’d like to help you, but I’m broke.)
  • Isso vai dar rolo! » This will roll. (This will be terrible. | This will be a huge problem.)
  • Ela vive falando mal dos outros. » She lives speaking ill of others. (She’s always speaking ill of other.)
  • Ele ganhou as contas semana passada. » He won the bills last week. (He was fired last week. | He got fired last week.)
  • Eu não vou bater boca com ela. I’m not going to mouth her. (I’m not going to have an argument with her.)

Conclusão

Como dito acima, o Google Tradutor é bom. No entanto, para traduções mais sérias é óbvio que não podemos contar com ele 100%.

Para quem está começando a aprender inglês, ele é uma mão na roda. Aliás, ao pedir a tradução para “Ele é uma mão na roda”, a sugestão dada foi “He’s a hand on the wheel”. Em inglês, o melhor é dizer “It’s really useful” ou “It’s really handy”.

Ou seja, há expressões, combinações (collocations), chunks of language, gírias, etc., que o Google Tradutor ainda não reconhece. Claro que isso não desmerece o trabalho feito pela equipe que cuida dessa ferramenta.

Vale ainda ressaltar que qualquer pessoa pode colaborar para a melhoria das traduções sugeridas. Ou seja, nós podemos fazer parte da comunidade e assim ajudar na tradução das expressões. Com isso, o Google Tradutor vai ficando melhor cada vez mais e mais.

No entanto, lembre-se que para fins profissionais e mais sérios nada substitui um tradutor de verdade. Portanto, caso você precise traduzir documentos, contratos e coisas assim, procure um profissional da área de tradução.

E você? Faz uso do Google Tradutor nos seus estudos? Como você o utiliza? O que você tem achado dele? Enfim, fale sobre sua experiência com o Google Tradutor deixando um comentário na área abaixo.

That’s all for now, guys! Bye bye, take care, and keep learning.

Many, Much, Lots of e A Lot of: qual a diferença entre elas?

Many, much, lots of e a lot of? Afinal, como usar essas palavras corretamente? Será que tem algum macete para não confundir uma com a outra?

Se você tem dúvida, continue lendo para aprender!

Antes, porém, saiba que você pode assistir à esta dica no vídeo abaixo. Se você prefere assistir e ouvir, então sinta-se à vontade. Mas, caso prefira o bom e velho texto, basta rolar a página e ler o texto abaixo do vídeo. Se você gosta de dicas em vídeo, assine o canal Inglês na Ponta da Língua no Youtube e continue aprendendo inglês comigo.

Many, much, lots of e a lot of (vídeo)

Clique aqui caso não esteja vendo o vídeo abaixo

Many, much, lots of e a lot of (texto)

De modo geral, sempre aprendemos que essas palavras são usadas com o sentido de muito, muita, muitos e muitas em inglês. Claro que cada uma tem seu momento certo para ser usada, mas geralmente estudantes de inglês se enrolam.

Isso acontece pois sempre que vão aprender a usar essas palavras, tentam aprender de um modo um tanto quanto complicado: aprender os tais Countable e Uncountable Nouns.

Mas, acredite! Você não precisa decorar uma lista de substantivos contáveis e incontáveis para aprender a usar many, much, lots of e a lot of. Na verdade, o que você realmente precisa é entender algumas coisas sobre elas. Então, vamos lá!

Many

Many, Much, Lots of e A lot ofA palavra many significa muitos ou muitas. Observe bem o significado dela para não se perder. Vamos aos exemplos:

  • I don’t have many friends. (Eu não tenho muitos amigos.)
  • Does he have many books? (Ele tem muitos livros?)
  • She doesn’t have many bikes. (Ela não tem muitas bicicletas.)

Agora que você ja sabe que many equivale a muitos e muitas em português, vamos à próxima palavrinha.

Much

Much significa apenas muito e muita. Em português, não dizemos “muitos dinheiros”, não é mesmo? Portanto, é óbvio que não diremos “many money” em inglês. Afinal, para dizer “muito dinheiro” em inglês, dizemos “much money”.

  • I don’t have much money. (Eu não tenho muito dinheiro.)
  • They don’t have much energy. (Elas não têm muita energia.)
  • Does he have much experience in this? (Ele tem muita experiência nisso?)

Note bem a diferença entre as equivalências de many e much. Pois, é isso que faz a diferença: o significado de cada uma delas.

As Exceções

Como não pode deixar de ser, é claro que há exceções. Português e inglês são sistemas linguísticos diferentes. Logo, temos de ficar atentos às exceções nessas horas.

Um exemplo está em dizer “muitas informações”. Em português, “informação” tem plural: “informações”. Mas, em inglês, a palavra “information” não tem plural. Ou seja, nada de dizer “informations”. Logo, em inglês sempre diremos “much information” (muita informação, muitas informações). O mesmo vale para:

  • muitos conselhos » much advice
  • muitos equipamentos » much equipment.
  • muitas frutas » much fruit
  • muitas roupas » much clothes

As exceções nós só aprendemos como diferenças entre as duas línguas. E isso é algo que aprenderemos com o tempo e não tentando decorar regras ou algo do tipo. Então, se sua ideia é aprender inglês para fins comunicativos não se preocupe com isso.

O que dizer de Lots of e A lot of?

Aqui é o seguinte: as palavras many e much são geralmente usadas em contextos mais formais. Isso significa que na linguagem do dia – a neutra e informal –, as palavras lots of e a lot of são usadas com muito mais frequência.

  • I don’t have a lot of money.
  • I don’t have lots of money.
  • Does she have a lot of money?
  • Does she have lots of money?

Portanto, no dia a dia você pode usar lots of e a lot of à vontade. Pois, many e much são mais uados em contextos formais e geralmente escritos.

That’s it! Essa é a diferença entre many, much, lots of e a lot of. Nada assim tão complicado o quanto parece, não é mesmo? Tudo é uma questão de tempo e prática para se acostumar com elas.

Gostou desta dica!? Então, aguarde a próxima; pois, aqui o objetivo é deixar você cada vez mais com seu Inglês na Ponta da Língua. Bye bye, take care, and keep learning!