Common European Framework: o que é?

O que é esse tal de Common European Framework of Reference for Languages? Qual a importância dele? Como ele afeta ou não o seu aprendizado de inglês? Como ele ajuda você a identificar seu nível de inglês? Abaixo vou falar tudo o que você precisa saber sobre esse documento, então vamos lá.

Common European Framework: o que é?

O Common European Framework of Reference for Languages, geralmente abreviado para CEF, é um documento que foi elaborado pelo Conselho Europeu. Ele faz parte do projeto Language Learning for European Citizenship (Aprendizado de Línguas para a Cidadania Europeia) entre os anos de 1989 e 1996.

De modo bem resumido, o Common European Framework estabelece algumas diretrizes básicas para o ensino de línguas nos países da comunidade europeia e também os níveis dos estudantes de línguas. Nele há seis níveis de desempenho linguístico: A1, A2, B1, B2, C1 e C2. Sendo que A1 é o básico e o C2 é o Mastery (proficiência alta).

A ideia principal por trás desse documento era justamente o de ter um método de avaliação e ensino que se aplicasse a todos os idiomas dos países membros da Comunidade Europeia. A ideia deu certo e em 2001 uma Resolução do Conselho Europeu recomendou o uso do Common European Framework para regulamentar os sistemas de validação das habilidades linguísticas nas universidades, empresa e escolas da Europa. Desta forma, os seus seis níveis de referência se tornaram amplamente aceitos como padrão para nivelar o grau de conhecimento que uma pessoa possui de outra língua.

Sucesso do Projeto

Common European FrameworkDevido à seriedade e comprometimento científico do projeto, muitas instituições, empresas e ONGs no mundo todo têm adotado o Common European Framework como padrão na definição de níveis dos cursos de idiomas por eles oferecidos. No entanto, muitas instituições não mudaram os nomes de seus níveis. O que eles fizeram foi apenas estabelecer a correspondência entre os níveis oferecidos pela instituição.

Ou seja, a Escola de Inglês Happy People (nome hipotético) pegou as orientações do CEF e os adequou aos seus níveis. Na Happy People, o nível Elementar equivale ao nível A1 do CEF. Já o nível Básico corresponde ao A2 do CEF. Por sua vez, o nível Pré-Intermediário está de acordo com o nível B2 do CEF e assim em diante. Muitas escolas de idiomas no mundo todo, bem como editoras de materiais de inglês, usam os níveis do Common European Framework como referência. Isso acaba dando certa uniformidade nos níveis de aprendizado de inglês (ou qualquer outra língua)

Como são os níveis?

Como dito acima, há no Common European Framework seis níveis. De modo mais detalhado, são eles:

A (Basic User – Usuário Básico)

  • A1 – Breakthrough
  • A2 – Waystage

B (Independent User – Usuário Independente)

  • B1 Threshold
  • B2 Vantage

C (Proficient User – Usuário Proficiente)

  • C1 Effective Operational Proficiency
  • C2 Mastery

Assim, os níveis A são os básicos, os níveis B são os intermediários e os níveis C são os avançados/proficientes.

Cada um desses níveis possuem uma descrição. Para saber mais sobre elas, recomendo que leia a dica que já escrevi aqui sobre os níveis do CEF. Nela falo detalhadamente sobre cada nível.

Conclusão

O interessante de conhecer o Common European Framework é justamente o de saber em que nível você realmente se enquadra de acordo com um documento internacional. Portanto, vale a pena conhecê-lo.

Se você está no nível intermediário do seu curso de inglês, você pode ler a descrição dos níveis no Common European Framework e assim saber se você está realmente no nível intermediário. Muitas pessoas se surpreendem com os resultados. Sem contar que ele também ajuda você a estabelecer objetivos no que diz respeito a aprender inglês.

Assim sendo, entenda melhor como ele funciona e continue aprendendo inglês.

» Você pode ler mais sobre o Common European Framework na Wikipedia.

Os Níveis do Common European Framework

Quais são os níveis do Common European Framework? O que é esperado em cada um dos níveis do Common European Framework? Como é que os níveis do Common European Framework podem ajudar você no seu aprendizado (desenvolvimento) da língua inglesa? É sobre isso que vou falar neste texto.

Os Níveis do Common European Framework

Em um texto anterior, expliquei de modo bem resumido o que é o Common European Framework. Nela, mencionei os 6 níveis de conhecimento linguístico (qualquer língua) que o CEF reconhece: A1, A2, B1, B2, C1 e C2. Sendo que o A1 é o nível mais básico e o C2 o nível mais proficiente.

No entanto, saber só isso não ajuda muito. O melhor de tudo é entender o que é esperado de cada um dos níveis do Common European Framework. No documento, são descritas as habilidades linguísticas (can dos) esperados de cada nível. Portanto, abaixo seguem as descrições para cada um desses níveis.

Nível A1

Neste nível espera-se que o estudante de inglês seja capaz de compreender e usar expressões comuns no dia-a-dia. Assim como, fazer uso de frases bem básicas com o objetivo de satisfazer as necessidades primárias da comunicação. Além disso, o estudante deve conseguir fazer uma breve apresentação sobre si mesmo e também apresentar outras pessoas. O estudante sete nível deve ainda fazer e responder perguntas pessoais simples. Tem ainda de ser capaz de falar sobre pessoas que conhece e sobre as coisas que possui. De modo geral, deve saber interagir de forma bastante simples desde que a outra pessoa fale devagar e claramente.

Nível A2

Os Níveis Common European FrameworkNeste nível, o estudante deve ser capaz de compreender sentenças e expressões frequentemente relacionadas às áreas de importância primária. Ou seja, saber comunicar informações pessoais e familiares básicas, fazer compras, descrever a geografia local, falar sobre seu trabalho. Deve ainda ser capaz de se comunicar em tarefas simples e rotineiras desde que estas requeiram uma troca simples e direta de informações sobre assuntos rotineiros e conhecidos. Por fim, deve também ser capaz de descrever em termos simples, aspectos de sua formação (background), o ambiente em que vive, e assuntos nas áreas de necessidade primária e imediata.

Nível B1

Ao alcançar o nível B1, o estudante deve ser capaz de compreender os principais pontos sobre assuntos de seu conhecimento. Temas normalmente encontrados na escola, trabalho, lazer, etc., não causam dificuldades para este estudante. Ele também deve saber lidar com a maioria das situações que possam surgir durante uma viagem ao país no qual o idioma é falado. Também deve ser capaz de produzir textos simples sobre temas que sejam familiares ou de interesse pessoal. O estudante deve ainda ser capaz de descrever experiências e eventos, sonhos, esperanças e ambições, bem como dar breves razões e explicações para suas opiniões e planos.

Nível B2

Espera-se, neste nível, que o estudante consiga compreender as principais ideias de textos complexos. Neste caso, os tópicos podem ser concretos ou abstratos. Inclui-se também discussões técnicas na sua área de especialização. Ele deve ainda ser capaz de interagir com um grau de fluência e espontaneidade que torna possível a interação regular com os falantes nativos do idioma sem que haja tensão mental de cada participante do ato comunicativo. O estudante tem ainda de ser capaz de produzir textos claros e detalhados sobre uma variada gama de assuntos. E deve também ser capaz de explicar o ponto de vista de um tópico oferecendo as vantagens e desvantagens do mesmo.

Nível C1

Já neste nível o estudante deve ser capaz de compreender ampla gama de textos longos e complexos, e reconhecer o significado implícito dos textos. Ser ainda capaz de se expressar fluente e espontaneamente sem demonstrar que está procurando as expressões que usa. Ele deve usar o idioma de modo flexível e eficiente para fins sociais, acadêmicos e profissionais. Na escrita, ele tem de produzir textos claros, bem estruturados e detalhados sobre temas complexos, demonstrando ter controle dos padrões organizacionais e estílisticos.

Nível C2

Por fim, no nível C2, o estudante deve ser capaz de compreender com facilidade praticamente tudo o que ouve e lê sem dificuldades. Tem ainda de ser capaz de resumir informações de diferentes fontes faladas e escritas. Ser capaz de reconstruir argumentos e relatos de forma coerente. Consegue também se expressar espontaneamente, de modo bastante fluente e preciso, identificando as entrelinhas do que é dito ou escrito nas mais complexas situações.

Conclusão

Essa é a definição mais detalhada possível sobre os níveis do Common European Framework. Você pode ler essas descrições e assim identificar o que é capaz de fazer com o inglês que você aprendeu até aqui. Fazendo uma avaliação e comparação, qual é o seu nível? Onde você melhor se encaixa?

Veja que os níveis do Common European Framework não falam nada sobre gramática (regras e termos técnicos). Nem fala também sobre quantidade de palavras que você deve saber. Na verdade, os níveis do Common European Framework avaliam o estudante na questão comunicativa. Ou seja, ele mostra o que cada um deve ser capaz de fazer com a língua para fins comunicativos.

Isso ajuda você a estabelecer alguns objetivos mais interessantes no seu aprendizado de inglês. Portanto, é só pegar essas descrições, identificar o seu nível e criar um roteiro de estudos que ajude você a atingir cada um deles. Claro que você não vai aprender tudo de uma hora para outras; mas, quanto mais praticar, melhor.

Espero que você tenha entendido mais sobre os níveis do Common European Framework. Agora, cabe a você tomar uma decisão sobre o que fazer com essas informações.

Bye, bye! Take care! And, keep learning!