E aí, eu me dei conta que…

Certa vez, um aluno me perguntou como dizer ‘tocar‘ em inglês. Eu, ainda novo na atividade e alheio à certas coisas, respondi, do alto de minha superioridade e sapiência como English Teacher (rsrsrsrsrsrsrsrsrs… quando a gente começa a gente se acha!):
tocar is play
Lá pelas tantas, comecei a ouvir meu aluno dizer algo estranho: “so, it played me that…” Resolvi perguntar a ele o que ele queria dizer com aquilo – apenas para confirmar minha suspeita. Ele respondeu “e aí, eu me toquei que…
Diante da resposta dele, eu me toquei que tinha feito besteira. Afinal para dizer “e aí, eu me toquei que…” em inglês não é com “play”, mas sim com outras palavrinhas.
Play, no sentido de tocar, só é usado ao se falar de um instrumento musical: “play the piano“, “play the violin“, “play the drums“, “play the tambourine“, “play the guitar“, etc. (Vale lembrar que você não pode esquecer de usar o tal do ‘the‘ nestes casos)
Tocar em inglês pode ser também “touch“. Neste caso, trata-se de tocar um objeto, uma pessoa ou seja lá o que for com as mãos. Tem o sentido de sentir! (redudância é triste!). E aqui podemos ter sentenças como “don’t touch me!” (“não me toque”, “não me rele”, etc); “he touched her on the hand” (“ele tocou na mão dela, ele relou na mão dela”). Touch é uma palavra cheia de outros significados então outra hora a gente pode falar dela, ok?
Mas, e o meu aluno como ficou! Bom, pedi desculpas e disse a ele que eu havia me precipitado! Depois disto ensinei a ele que para dizer “e aí, eu me toquei que” em inglês há duas formas:
1) and then it hit me that…
he was lying (ele estava mentendo)
those four years were over (aqueles quatro anos chegaram ao final)
the things that we love are also the things that make us vulnerable (as coisas que amamos são também as coisas que nos deixam vulneráveis)
I had made a terrible mistake (eu tinha cometido um tremendo engano)
2) and then it dawned on me that… (pronúncia-se mais ou menos assim: énden nit dondon me dét – tudo rápido e de uma só vez)
something was very wrong (algo estava muito errado)
I was not going to get rich… (eu não ia ficar rico…)
I didn’t have any money on me (eu não tinha dinheiro nenhum comigo)
all my work had been a failure (todo meu esforço tinha sido em vão)

A lição que aprendi deste episódio foi:

Ao responder a pergunta de um aluno, procure saber mais sobre o que ele realmente quer dizer. Pergunte a ele “como assim?”. Isto vai evitar que as traduções ao pé da letra – palavra por palavra – ganhem força em sala de aula. Vai evitar ainda que seus alunos se viciem a falar algo que não é bem daquele jeito em inglês.
Teachers keep you eyes and ears wide open! Be careful!
Lá se foi a dica da sexta-feira. Torçam por mim! Hoje começo a prestar consultoria a uma escola de idiomas aqui da minha cidade! Vamos falar sobre a motivação do professor e trabalhar técnicas de auto-avaliação ao professores. Espero que dê tudo certo! Vai ser apenas mais um workshop-palestra do qual vou ter de cobrar resultado em breve! Mas mesmo assim estou nervoso!

Oops, acabei de me tocar que em português o sinônimo de “e aí, eu me toquei que…” é e aí, eu me dei conta que…” That’s it for today!

Artigos Relacionados
Comentários