Quando usar as preposições to e for?

Embora eu já tenha escrito anteriormente aqui no blog sobre a diferença entre to e for, resolvi abordar o assunto novamente. Afinal, recebo inúmeras perguntas de pessoas querendo quando usar as preposições to e for. Então, vamos ver se esclarecemos isso! No livro, Gramática de Uso da Língua Inglesa [compre no Submarino] também dou dicas sobre esse assunto. Nele há também atividades para ajudar o estudante de inglês a entender mais claramente o que parece ser complicado de entender.

Não quero enrolar ninguém com dicas milagrosas. Isso por que não há dicas milagrosas. Tenho de ser honesto e dizer que não há regras ou dica mágica que resolva de vez essa dúvida.

Se servir de consolo, saiba que até mesmo professores de inglês, com anos de experiência, costumam vez ou outra ficar em dúvida sobre quando usar as preposições to e for. Portanto, já que não tem uma regra ou uma dica mágica, como é que sabemos quando usar uma ou outra? [Leia também: Regras das Preposições em Inglês]

Quando usar as preposições to e for?A dica é: SEJA UM BOM OBSERVADOR.

Sempre que você encontrar uma dessas preposições sendo usada, procure observar que palavras estão perto delas. Assim, você aprende a sequência de palavras (a combinação) e não apenas uma palavrinha.

Para exemplificar isso, veja as sentenças abaixo:

[list type=”arrow2″]

  • He was really nice to us. (Ele foi super gentil com a gente.)
  • Can you explain that to me? (Você pode explicar isso para mim?)
  • Let me carry that for you. (Deixe-me carregar isso para você.)
  • She’s responsible for this whole mess. (Ela é a responsável por toda essa confusão.)

[/list]

[Leia: O uso da palavra explain]

Note que nas duas primeiras sentenças usamos a palavra “to” e nas duas últimas a palavra “for”. Porém, ao invés de bater cabeça procurando entender quando usar uma e outra o melhor é aprender que em inglês é comum dizermos:

[list type=”arrow2″]

  • be nice to someone (ser gentil com alguém)
  • explain something to someone (explicar algo para alguém)
  • carry something for someone (carregar algo para alguém)
  • be responsible for something (ser responsável por algo)

[/list]

Ou seja, a dica que pode ajudar você a se dar bem em um prova, concurso, vestibular, exame de proficiência, etc., é essa: aprenda o conjunto de palavras, aprenda as expressões, aprenda as combinações de palavras. Não perca seu tempo procurando saber porque foi usado “to” ou “for. Não perca tempo querendo saber quais são as regras.

Simplesmente, observe e anote o conjunto de palavras. Deixe de lado a mania de procurar regras onde nem sempre há!

Outra coisa que você deve ter sempre em mente é que “to” e “for” não significa só “para”. Ambas podem ter ainda outros significados. Tudo depende do contexto em que são usadas. Logo, pensar em português e traduzir ao pé da letra nem sempre dará certo. Reveja os exemplos acima e suas equivalências em português e você perceberá isso. Para encerrar, complete as sentenças abaixo com a palavra que falta:

[list type=”arrow2″]

  • I like talking to there. She’s extremely nice …………… all of us.
  • My father was fully responsible …………… all decisions taken.
  • He carried the heavy luggage …………… the old lady.
  • We tried to explain the situation …………… the boss.

[/list]

E aí!? O que você acha de bater menos cabeça procurando regras e começar a aprender inglês como eles – os falantes nativos – realmente falam? Garanto que você aprenderá muito mais rápido e naturalmente do que se ficar atrás de regrinhas milagrosas. É isso por enquanto! Até a próxima! 😉

  • http://www.blogger.com/profile/16768935618320329781 Salenka

    Denilson, seu blog está cada vez melhor.That was a great tip!Thank you!

  • http://www.blogger.com/profile/06372409529092293318 Diego P Cardoso

    Fail total no primeiro exercício de completar as sentenças.. a resposta está logo ali!Mas ótima dica, como sempre!Abraços!

  • Helton

    Denilso Como compro o livro com desconto ?AttHelton

  • http://www.blogger.com/profile/10679697389014921166 Denilso de Lima

    Olá Helton,Para comprar o livro com desconto só procurando nas livrarias e negociar o desconto. E isso vai depender de cada livraria (sejam físicas ou virtuais). Oficialmente falando o valor dele é de R$49,90. No entanto, nesse dia (30 de março de 2011) o Submarino está vendendo ele por R$39,90. Não sei sobre o frete… caso queira dar uma olhada é só clicar no link:http://www.submarino.com.br/produto/1/21878962?fr…Att,Denilso

  • Anonymous
  • Luciano

    Ótima dica Denilson, vai ser um pouco difícil colocar isso na cabeça, mas eu assisto muito seriado em inglês e tenho certeza que vai ser mais fácil!

  • Adriano Costa

    Este comentário foi removido pelo autor.

  • Unknown

    How do I say: He is special TO me, orHe is special FOR me?

    • denilsolima

      Embora as duas formas sejam facilmente encontradas, a sentença com “to” é a mais comum quando analisadas em um corpus da língua inglesa. Além disso, “special to someone” soa como algo mais natural.

      Portanto, levando em conta o índice de uso e a naturalidade eu diria (e sempre digo) “special to someone”.

      😉

  • Bruna Iubel

    O melhor é dizer "he's special to me".= )Abraços,BrunaCurta o Inglês na Ponta da Língua no Facebook

  • fabricio ferreira

    Uma vez vi uma frase assim: ''It is not good for me.'' Então pensei que sempre que algo ou alguma coisa não é boa para mim, deveria usar o ''for''.Exs: This is difficult for me.The lesson is difficult for me.I don't like to study, but I know that's bad for me.

  • CRIS FREITAS

    Receive our congratulations and thanks by us teach with clarity, certainty and celerity what we know, based on knowledge of the facts. Using simple language, straightforward, and objective. The site "INGLÊS NA PONTA DA LÍNGUA" besides being very useful has the my admiration!
    .
    The answers of the phrases (exercise) above are:
    1) – to
    2) – for
    3) – for
    4) – to

  • Denise

    Adoro seu blog!!! Parabéns Denilson.

  • YARA

    Estou aprendendo muito, mas tenho dúvidas em relação ao inglês britanico e o ameicano QUAL SUA DIFERENÇA.

  • Juliana

    Olá Denilso!

    Um dos professores da escola que cursei inglês disse: "para verbo nunca use FOR". Podemos levar isto em consideração, certo?
    Assim diminuímos as nossas dúvidas… rsrs

    Abraços,
    Juliana

    • http://www.inglesnapontadalingua.com.br Denilso de Lima

      Acho que o seu professor estava fazendo referência a um erro muito comum que brasileiros têm. Veja a sentença abaixo:

      > This is used for to write on stones.

      A intenção da pessoa é dizer, "isso é usado para escrever em pedras". Como as pessoas aprendem (de modo meio que errado) que o infinitivo em inglês é feito com "to" (to write, to be, to go, etc.), elas acham que o certo em inglês dizer "for to do" (para fazer). Isso está errado. Pois, nunca devemos usar o FOR dessa maneira. O certo é,

      > This is used to write on stones.

      Tenho certeza que foi isso que seu professor quis dizer! 😉

  • denilsolima

    Anne,

    Para dizer “a cada momento”, “a cada segundo”, “a cada dia”, etc., basta dizer “each moment”, “each second”, “each day”, etc.

    😉

  • denilsolima

    Não, Marck! Isso está correto também! :)

  • denilsolima

    Esse é o costume de todo mundo, Jonathan! Mas, quando aprendemos (entendemos) a questão da gramática de uso, as coisas ficam mais descomplicadas. :)

  • Paulo Farias

    Uma coisa que me ajudou bastante foi uma explicação da minha professora e acredito que vc nunca mais terá dúvida. A explicação é semântica: usa-se “for” quando é em favor de algo ou de alguém, que está impossibilitado, ou mesmo por gentileza ex: “I’m writing for you” ou seja vc está escrevendo no lugar da pessoa que quebrou a mão rss por exemplo. Já “to” vc não faz pela pessoa, em “I’m writing to you” vc está escrevendo uma carta e vai enviar para alguém. Agora é só comparar nos exemplos do professor.:)

    • denilsolima

      Isso até que dá certo, Paulo, mas apenas com alguns verbos e não com todos. Ou seja, a questão não é apenas a semântica. O ponto principal continua sendo aprender que em alguns casos temos de combinar as palavras corretamente para comunicarmos aquilo que desejamos! :)

    • Leonardo Peres

      Realmente Paulo, as únicas sentenças que eu conhecia sobre o assunto era ‘Buy for’ (comprar para) e ‘Sell To’ (vender para). Analisando sua colocação elas encaixam-se perfeitamente!

    • Walter Palhares

      É isso Paulo Farias… Morei nos EUA por 6 anos e praticamente ele usam o TO para ação direta e FOR ação indireta (como preposição PARA/POR), como nos exemplos que você citou. Sua professora está correta.
      Ação direta: TO you (PARA você)
      Ação indireta: FOR you (POR você)

      Como nos exemplos que o prof. Denilso deu acima, notamos que as ações diretas, ele usou TO:
      be nice TO someone (ser gentil com alguém)
      explain something TO someone (explicar algo para alguém)
      E FOR para ações indiretas:
      carry something FOR someone (carregar algo para alguém)
      be responsible FOR something (ser responsável por algo)

      Porém, o que prof. Denilso salienta é que, às vezes nem sempre conseguimos distinguir o que é uma ação direta, ou indireta.

  • denilsolima

    Thanks, Ronie! In case you need any more help, get in touch. :)

  • denilsolima

    Kátia! Isso não faz muito sentido não, viu! rsrsrsrs

  • denilsolima

    Olá, Igor! Obrigado por seu comentário aqui! Não entendi bem o que você deseja, então vejamos!

    Uma coisa que sempre digo é que há várias gramáticas. Qualquer curso de linguística mostrará isso. Não há apenas A gramática, mas sim AS gramáticas.

    Pois bem! Sabendo que há gramáticaS (no plural), o que isso tem a ver com o ensino/aprendizado de uma língua estrangeira?

    Uma dessas gramática (creio que o que você chama de o esqueleto da língua) é uma gramática parada, chata, cansativa, sem fluidez. Uma gramática que serve apenas para testar a memória dos aprendizes em termos de conceitos técnicos envolvendo a língua: present perfect, present simple, prepositions, passive voice, etc., etc., etc.

    Por outro lado, há uma outra gramática (que eu chamo de gramática de uso) que é viva, ativa, divertida, dinâmica. Gramática essa que pode ser adquirida sem a necessidade de decorar termos técnicos relacionados à língua.

    O aprendiz básico pode aprender essa gramática de uso e dela tirar proveito, usar a criatividade para ir além e muito mais. Com o tempo – ao chegar aos níveis mais avançados – poderá se dedicar ao aprendizado da gramática das regras e termos técnicos (isso se ele quiser!).

    Se o aprendiz aprende a usar a língua em inúmera situações e naturalmente aprende a usar sua criatividade para criar novas sentenças baseadas no uso da língua (e não na lembrança mecânica de regras) ele poderá depois saber analisar a língua tecnicamente.

    A comparação com o português é: ao irmos para a escola sabemos falar português (nos comunicamos com nossos amiguinhos, pais, familiares, etc.); na escola aprendemos sobre os tecnicismos da língua e somo levados à idiotice de que não sabemos português.

    Emfim, saber regras e termos técnicos é uma coisa; saber usar a língua na prática é outra bem diferente.

    Será que respondi à sua pergunta!?

    Qualquer coisa, estou por aqui!

  • Douglas Silva

    Um grande problema acredito que esta na comparação entre a língua portuguesa com a língua inglesa. Eu estudo língua russa e lá também tem algo que parece com o português e em alguns casos com o inglês ou com nenhum dos dois (maior parte). Podemos ver também que estrangeiros tem problemas ou tentam encontrar os porques de coisas que usamos naturalmente sem nos questionarmos.
    O vídeo que você postou me fez lembrar disto.

  • Nilma Valeria

    A frase ~great weakend to you está correta? Porque?

    • denilsolima

      Não! Essa frase não está correta. Tem um pequeno erro de digitação nela: o certo é weekend e não weakend.

      😉

      • Nilma Valeria

        gostaria de saber como se diz torcer para um tima

      • Nilma Valeria

        Uma duvida surgiu em sala de aula , que eu achei interessante. Estava colocando os números e um dos alunos me perguntou se há uma relacão dos números de 13 a 19 com a palavra teen. Procurei em vários sites e e não achei nada. Saberia responder?

        • Eudo Borges

          “teen” em ingles significa adolescente. Portanto, alguém de 13 a 19 anos é um “teen”, um adolescente.

      • Nilma Valeria

        a palavra weekend foi erro de digitacao, desculpe-me

  • Yashmin

    Qual destas está correta

    Claire is hopeless for cleaning
    Claire is hopeless at cleaning
    Claire is hopeless with cleaning

    • denilsolima

      O mais comum é: “be hopeless AT doing something”.

      😉

  • Pedro Maverick

    Denilso, porque dizemos: I’ll try e não I’ll TO try?

  • Sergio Carvalho

    Eu falaria “Merry Christmas for you and your family…”, mas recebi um e-mail de um americano onde ele escreve “Merry Christmas to you and your family…”. Não vou discutir com um nativo americano, mas fiquei confuso….

  • Sergio Carvalho

    Eu falaria “Merry Christmas for you and your family…”, mas recebi um e-mail de um americano onde ele escreve “Merry Christmas to you and your family…”. Não vou discutir com um nativo americano, mas fiquei confuso….

    • denilsolima

      Sérgio, na verdade, tanto fez como tanto faz. O importante é a comunicação e como a língua inglesa não possui regras para explicar o porquê de uma preposição ou outra, as pessoas acabam sendo pegas de surpresa. Claro que de modo mais comum é “Merry Christmas TO you”, mas não se assuste com o fato de algumas pessoas usarem o “for” no lugar do “to”. :)

  • Camila Pereira Duarte

    Boa noite.
    No caso da seguinte frase qual seria o correto?
    Nada é impossível para Deus!

    Nothing is impossible FOR God
    Nothing is impossible TO God.

    Ou as Duas sentenças estão corretas?
    Obrigada.

    • denilsolima

      As duas são possíveis, Camila! Há versões da Bíblia que traduzem essa frase das duas maneiras no mesmo trecho. Portanto, sinta-se à vontade! 😉

  • Guest

    Amigo, nao entendo porque deletou meu comentario. Somente quis ajudar a galera, ja que voce esta passando informacao errada nesse blog, informando que nao existe regra para diferenciar “to e for”, quando de fato existe sim e passei os links no comentario. Fico mais triste ainda em saber que um blog como esse, que se dizem ter pessoas com vasta experiencia em ingles, tem pessoas tão limitadas que nem uma pesquisa básica de algo básico em inglês são capazes de fazer para poder explicar. O pior é que essas pessoas que acessam esse blog vão aprender o errado e levar isso com o aprendizado delas. Enfim, dei minha contribuição aqui, se vocês deletaram por preguiça de atualizar o blog ou alguma outra razão fica na cabeça de vocês.

    • denilsolima

      Eu simplesmente não apaguei o comentário de ninguém! Na verdade, nem vi esse seu comentário! Enfim, vai entender! Mas, vamos lá!

      Se eu achar seu comentário, vou ver os links! Em todo caso, recomendo que você leia algumas gramáticas mais atuais (seguem abaixo alguns títulos) para saber o que os pesquisadores da área de linguística dizem sobre isso. Afinal, as regras para as preposições realmente não existem e todo profissional que estuda e pesquisa a língua de modo sério sabe disso!

      Seguem algumas gramáticas para você conhecer e assim saber o que os linguistas dizem:

      » The Longman Grammar of Spoken and Written English.
      » The Cambridge English Grammar
      » Practical English Usage

      Essas três gramáticas são feitas com análise em Linguística de Corpus, uma área da ciência que todos professores de inglês deveriam conhecer e assim perceber que muitos aspectos da língua inglesa não se explicam com regras.

      Enfim, ficam aí as dicas! Take care! 😉

  • denilsolima

    Olá, Rafael!

    Diferentemente do que você diz e do que os sites mencionados pregam, saiba que há uma área da Linguística que analisa o que chamamos de uso da língua (usage): Linguística de Corpus.

    As melhores, mais conceituadas e atualizadas gramáticas que temos hoje em dia são categóricas em fizer que essa coisa de regras não existe quando se trata do uso das preposições.

    O que existe são observações práticas sobre como as preposições são usadas em determinados contextos e em combinação com outras palavras (collocations).

    Isso é bem complicado de entender e muitos profissionais ainda não captaram a mensagem. Mas, sabemos que aos poucos as pessoas estão começando a perceber isso.

    Os sites que você cita apenas mostram como as preposições são usadas em determinados momentos. Mas, isso não são regras absolutas e verdadeiras. Afinal, como todo Linguista e profissional sério na área sabe, o uso prático da língua não é regido por regras.

    Enfim, cada dia mais, várias pessoas tem percebido isso e eu espero que muitos mais compreendam. Em um comentário acima (que eu acho que era o seu!), citei algumas gramáticas que você poderá consultar.

    Fora as gramáticas, posso ainda recomendar alguns livros sobre Linguística, Linguística de Corpus, Métodos e Abordagens de Ensino, Aquisição de Segunda Língua e coisas assim que poderão ser úteis no seu aprendizado.

    Abraços,
    Denilso de Lima
    Linguista e Pesquisador

  • denilsolima

    Pois assim como eu disse, isso não se trata de regras específicas. São observações feitas em relação ao uso da língua. Tratar isso como regras é um equívoco pedagógico muito grande. Mas, como dizemos, cada um faz como achar melhor e como entender melhor! Tente especificar as regras das preposições em português? Aliás, procure em uma gramática da língua portuguesa o capítulo que trata das regras de uso de nossas preposições? Como você ensinaria para um estrangeiro a diferença entre “eu sonho COM você todas as noites” e “eu sonho EM viajar ao redor do mundo algum dia”? Essa “discussão” infelizmente não leva a lugar algum e cabe a cada um aprender como achar melhor! 😀